Uma Linda Mulher - CAP.68

|



Uma Linda Mulher




Capítulo 68:


Arthur – Isso…– a olhou nos olhos, mordendo os lábios se movendo tão lentamente, que Lua franziu a testa sentindo tanta ternura e conforto. –Isso, chama se fazer amor…– ela fechou os olhos assentindo, em quanto suas bocas mal conseguiam se mover, com seus corpos tão conectados e compenetrados um ao outro. Em um movimento sem desconectar seus corpo, Arthur a colocou sentada em cima de si, os corpo estavam escorregadios pelo sabonete, Lua parecia não reagir mais as suas chamadas, sorriu lhe acariciando os seios, e de simples ela voltou a se deitar por cima dele, sentada da maneira que estava. Lhe beijou os lábios, na intensidade dos movimentos, lentos, e profundamente, uniram suas mãos entrelaçando seus dedos, quando à vontade de acelerar o ritmo se fez presente, talvez o jogo naquele instante havia reiniciando, sorriu Lua negando a se movimentar com mais pressa, ele fez o mesmo, apertando a mão dela com mais força, em quanto a outra, com os dedos lhe apertavam a cintura. Jogou a cabeça para trás sentindo peito contra peito ser pressionado. Será que ela tinha consciência do que estava prestes a acontecer, se não parasse com essa tortura se levantaria dali, a encostaria, na primeira parede e que Deus nos ajude. Sorriu com os pensamentos, ao ver que o fim estava cada vez mais próximo, a parede podia esperar, aquele amor não, o gemido baixo da parte de ambos foi quando seus olhos se cravaram um no outro, e de simples mais nenhuma palavra foi dita. Na realidade, nenhuma palavra precisava ser dita.
Lua levantou de madrugada para ver se Gabriel se encontrava bem, tinha medo que lhe voltasse a febre, desceu as escadas indo até a cozinha para beber água viu a luz da secretária eletrônica, pegou o telefone e após ouvir apenas com um roupão cobrindo sua nudez voltou para cama, onde que por sua vez Arthur não estava coberto por nada, sorriu, se deitando por cima dele, lhe beijando os lábios e logo em seguida cada parte do rosto, ele se mexeu levando as mãos até a cintura dela, correndo os dedos pela seda deliciosa do roupão.
Arthur – O que foi? – abriu os olhos devagar – Gabriel está com febre? – Ela sorriu negando com a cabeça. – Então o que foi?
Lua – Mel deixou um recado, entrou de viagem e de férias hoje, está em Madrid e depois irá por outros lugares, volta em dois meses. – Arthur pensativo assentiu, não seria fácil trabalhar sem Mel mais a irmã precisava desse tempo, precisava de calma para agir certo em sua vida, odiava ver Mel magoada, era sempre tão alegre e viva, sim sua irmã necessitava desse tempo sozinha. Lua se deitou ao seu lado na cama tirando o roupão, sentia frio, puxou o lençol cobrindo a ela e a Arthur, se aproximou do marido, se deitando no vão entre seu ombro e seu pescoço.
Arthur – Ela precisa disso…
Lua – Sim, precisa. Vai ir trabalhar amanhã?
Arthur – Preciso ir trabalhar amanhã, sei que está tudo em ordem, mais agora que Mel viajou, não há alguém para assumir.
Lua – Sim, Gabriel já está ótimo, depois de amanhã, já irei para a Venturini, Nelita disse que fica com ele pelo dia inteiro até voltarmos. Micael está cuidando de tudo muito bem, mais há coisas que só eu posso resolver, além do mais, fico preocupada quando não estou por lá, penso que algo está errado.
Arthur – Sim, ambos precisamos voltar ao trabalho com urgência. – Lua sorriu fechando os olhos.
Lua – Sinto sono.
Arthur – Eu também, vou acordar daqui a pouco.
Lua – Me acorde antes de sair.
Arthur – Sim, acordo. - a beijou na testa se abraçando mais a mulher. – Ligue me caso algo aconteça com o Gabriel.
Lua – Sim, iremos até a sua tia hoje…– foi falando cada vez mais baixo, tomada pelo sono, até parar completamente de falar, respirando profundamente em intervalos perfeitos, Arthur sorriu agora fechando os olhos. Se aquilo era um sonho, pelo amor de Deus não queria jamais acordar. Começou a sentir o frio da madrugada e se aproximou de Lua a abraçando mais de perto, ele se aproximou dele ainda mais, dormindo depositando as mãos sobre seu peito e Arthur entendeu que ele sim, não desejaria estar em lugar nenhum a não ser deitado naquela cama, com sua mulher abraçada a si...
Levantou se quando o despertador tocou baixinho em seu ouvido, com cuidado deixou a cama, cobrindo novamente Lua mais agora com uma coberta mais quente, entrou no banheiro e sorriu ao ver o estado do mesmo, aquele pensamento sobre a parede havia se concretizado e o chão estava todo molhado, e a banheira ainda cheia com a água fria. Com um pano que havia no armário da pia, enxugou bem o chão, dando uma geral no banheiro, entrou na ducha tomando um bom e rápido banho, ao sair se enxugou e se vestiu sem fazer nenhum barulho.
Já pronto e com o terno Armani impecável sem nenhum amassado os cabelos penteados e alinhados perfeitamente, com seu perfume próprio mais o seu perfume terrivelmente masculino e sensual, arrumou sua pasta, calçando os sapatos sociais. Indo até o quarto do filho, lhe deu um beijo na testa o cobrindo também com um cobertor mais grosso. Voltando ao seu quarto, se sentou ao lado de Lua na cama, lhe beijou os lábios e depois os olhos, com os dedos penteava sua franja para trás, e lentamente ela se mexeu abrindo os olhos. Sorriu ao o ver vestido daquela maneira, adorava a sensualidade e o poder que ele exalava vestindo como estava, além de estar terrivelmente perfumado para matar qualquer mulher que passasse por ele. Arthur sorriu lhe beijando os lábios novamente. 
Arthur – Estou saindo…- Lua assentiu levanto as mãos na coxa dele, lhe alisando lentamente por cima da calça, ainda estava bastante sonolenta. 
Lua – Lembre me antes de você chegar, de dar um sumiço no seu perfume...– Arthur sorriu se levantando. – Me ponho louca com ele, e outras mulheres devem se por pior. – Arthur pegou sua pasta, observando como ela fechava os olhos novamente. Estava muito, mais muito cansada. 
Arthur – Acabei com você esse final de semana loira? – Lua sorriu maliciosamente assentindo com a cabeça de olhos ainda fechados, se abraçando ao travesseiro de Arthur. Com um último sorriso e um beijo em suas costas desnudas, Arthur se despediu da mulher já novamente adormecida. Com seu carro exporte prata arrancou com velocidade até empresa, estacionou em sua vaga, e no elevador recebeu os comprimentos dos funcionários que pareciam surpresos em vê lo tão cedo de volta…
Arthur – É uma ameaça? – Victor novamente sorriu erguendo as sobrancelhas. 
Victor - Não é um aviso. Sabe Aguiar eu ainda me lembro muito bem o que a sua mulherzinha fazia antes de se tornar uma dama maravilhosa, foi um belo serviço eu confesso…– Arthur o fulminou com um olhar se colocando ameaçadoramente sério. – Mais aposto que nem você nem ela apreciariam ver estampado esse fato no primeiro jornal que os cidadãos desse país lêem pela manhã...
Arthur – É uma ameaça? - perguntou se levantando caminhando até a porta.
Victor – Depende de você e dela, porque caso as perfeitas empresas entrarem em um escândalo desse porte, e os compradores conselheiros e aliados não gostariam nada de saber que suas ações e dinheiro estão na mão de uma prostituta e de um cafetão. – Victor sorriu observando a reação de Arthur, parecia normal e nada alterado isso o preocupou. – Não quero prejudicar nenhum de vocês dois Arthur, acredite, só quero uma parceria e bastantes zeros na minha conta bancária. – Victor se levantou pegando sua pasta – Na segunda entro em contato com você. Pense com carinho, ok? – Dito isso saiu da sala pegando o elevador desaparecendo, Arthur sentou em sua mesa preocupado, bateu os dedos contra a mesa, mordendo os lábios, maldito filho da mãe. 
Pegou seu telefone celular, apertou um botão e rapidamente a ligação foi completada… 
Arthur – Está feito. Entro em contato com você amanhã. –Desligou o telefone celular sem dizer uma única palavra. 

O dia se passou rápido e cansativo, não via a hora de chegar em casa, sentir o perfume de Lua a beijar, sentir as mãozinhas de Gabriel lhe fazendo cócegas, abraçar e encher de cócegas o filho. Terminando todo o serviço se despediu de sua secretária, dizendo que a mesma também já podia ir, e o mais rápido que pode chegou em casa.
Gabriel já de pijama estava na sala assistindo televisão, assim que viu Arthur lhe encheu de beijos por todos os lados, e Arthur fez o mesmo, com o garoto no colo foi percorrendo cada cômodo a procura de Lua… 
Arthur – Como está filho? 
Gabriel – Tudo bem, a mamãe disse que amanhã já posso ir para a escolinha, brincamos o dia inteiro.
Arthur – Sério? - lhe beijou o rosto - Tem dever para amanhã?
Gabriel – Não, já fiz tudo hoje de tarde quer ver?
Arthur– Sim, tudinho. – sorriu beijando o filho – Sem correr pelas escadas Gabriel, cadê a mamãe? 
Gabriel – Ta no escritório. – sorriu subindo devagar as escadas até seu quarto. Arthur caminhou afrouxando a gravata até o escritório, tentou se livrar de todas as preocupações abriu a porta, vendo Lua sentada na cadeira atrás da mesa de vidro. Assim que ouviu o barulho da porta ela levantou o rosto preocupado, jogando a franja para trás com a mão.
Lua – Estamos encrencados Arthur…– Lua baixou a cabeça e virou o computador para Arthur, no qual na tela continha uma foto dela e de Sophia, vestidas com roupas insinuantes e curtas, com botas longas perucas e maquiagens fortes, encostadas na parede da esquina de onde costumavam a ficar quando ainda eram… Arthur suspirou caminhando até Lua com a mão a pegou carinhosamente pelo queixo a fazendo o olhar.
Arthur – Você confia em mim? – Lua mordeu os olhos ficando cada vez mais aflita – Querida você confia em mim? – Repetiu , e Lua o olhou nos olhos, no fundo dos olhos. 
Lua – Confio, eu confio em você… 
Arthur – Então esqueça sobre isso por em quanto, você se envergonha por outras pessoas saberem? - Lua baixou a cabeça beijando as mãos de Arthur, deixando que sua visão embaçasse.
Lua – Isso acabaria com você Arthur, acabaria comigo, com as nossas empresas…– se levantou caminhando até a janela – Seria impossível que ninguém descobrisse, além do mais…– parou de falar – Oh Droga foi Miguel…– Arthur se calou se aproximando da mesma. 
Arthur – Esqueça disso, ok. – lhe beijou o pescoço a abraçando por trás. – Pensei em você cada segundo do meu dia, e não posso deixar que isso a machuque… 
Lua – Perderíamos tudo Arthur se esse escândalo estourasse, nosso filho, Gabriel é pequeno para ser olhado com outros olhos. – Arthur a virou de encontro a ele, a segurando pelos braços, próximo ao ombro – Tudo o que você construiu Arthur…– baixou a cabeça – Eu me envergonho sobre o meu passado.
Arthur – Mais não deveria...– a olhou nos olhos a sacudindo de leve – Eu me orgulho de você, e de tudo o que tenha feito. Lua foi dessa maneira que te conheci, foi dessa maneira que se tornou minha mulher, minha esposa, a mãe do meu filho, eu não me envergonho se essa informação por algum motivo vazar, se perdermos tudo, ótimo, recomeçamos novamente. Cada tijolo, será, eu você e o nosso filho. – sorriu, com um brilho no olhar que fez quase com que Lua desabasse em lágrimas. – Qualquer coisa ao seu lado é melhor do que qualquer bilhão ou empresa, você é minha, e continuara o sendo até o dia em que você partir. Compreende o quanto me orgulho de ser seu marido, do quanto Deus foi generoso ao enviar você aquela noite e logo depois nosso filho? Sou o homem mais completo Lua, e isso não há dinheiro nem empresa que compre, compreende? – Lua o olhou nos olhos, mordeu os lábios para depois o abraçar de modo que Arthur a ergueu do chão a girando no ar. Arthur fechou os olhos sentindo o cheiro de banho nos cabelos de Lua, a rosas, a rosas ela cheirava, acompanhada com algum doce que ele não sabia distinguir, talvez fosse uma mistura dos mais deliciosos e delicados. Gabriel, entrou correndo na sala e sorriu ao ver o modo como seu pai segurava sua mãe, que mergulhava as mãos nos cabelos do mesmo. Arthur deixou Lua no chão, sentou se afrouxando ainda mais a gravata deixando o paletó no encosto da cadeira…
Arthur – Vem cá filho, vamos ver se está tudo certinho. – Gabriel sorriu, mandou um beijo no ar para Lua se sentando na poltrona alta no colo de Arthur. Abriu o caderno com a letra toda retorcida os desenhos e rabiscos todos coloridos, sorriu passando as mãos nos cabelos do filho, lhe beijou a testa prestando a atenção em cada palavra que o menino dizia…






Ligação misteriosa, Arthur?
Postei dois capítulos, quero COMENTÁRIOS.

10 comentários:

  1. Caraca que lindo.... a cada dia mas apixonada pela essa web linda :)

    ResponderExcluir
  2. Noss esse Vítor é um Monstro,Muito Lindo o Arthur falando pra Lu confia nele ...
    Posta mais Por Favor ...
    Falta Muito pra 2° Temporada ???

    ResponderExcluir
  3. Ahhhh querooo mais
    Acho q antes de armarem para eles, Arthur já tinha tudo pronto para acabar com ele... Q lindoosss juntos posta maisss

    ResponderExcluir
  4. Postaa maisss super ansiosaaa já

    ResponderExcluir
  5. Posta mais por favor
    Q lindos juntos
    Bjosss amo a web
    Ju

    ResponderExcluir
  6. Finalmente eles juntos sem ninguém pra atrapalha, a apaixonada cada vez mais pela web

    ResponderExcluir