Uma Linda Mulher - CAP.67

|



Uma Linda Mulher




Capítulo 67:


Lua – Tira o pé do chão os dois…- Lua abriu a porta ainda sorrindo, para dar de cara com Mel. Estava pálida com os lábios roxos e trêmulos. – Oh Mel…– Franziu a testa a abraçando e logo atrás Arthur surgiu com o semblante sério olhando a irmã. Mel abriu os olhos vendo Arthur atrás de Lua, a qual te dava um longo abraço. Após soltar Lua, como faziam quando mais novos, Mel correu pelo corredor até encontrar os braços do irmão mais velho, lhe ofegou os cabelos, a abraçando com força. Gabriel se levantou do chão, e um tanto assustado pelo pranto da tia correu para o colo de Lua que o abraçou. Arthur olhou a esposa ainda com Mel abraçada fortemente a si, pedindo com que ela subisse com Gabriel e assim Lua fez, entendendo perfeitamente o que os olhos do marido lhe diziam. Após deixar o garoto agora entretido com um filme já assistido um montão de vezes, desceu as escadas para encontrar os irmãos sentados no sofá. Mel segurava o copo de água nas mãos já mais calma. Arthur permanecia calado mirando o rosto abatido da irmã.
Mel – Eu não sei o que deu de errado…– Lua se sentou ao lado do marido segurando lhe as mão geladas. – Ele estava estranho, e dizia que queria falar comigo, mais pensei que fosse algo relacionado as empresas, ele estava em Madrid, e eu estava com saudades mais aí então…– baixou a cabeça respirando fundo – Desculpe Lua, por não ter sido sincera com você, mais sempre pensei que Elisa era amante do Arthur. – Arthur levantou a cabeça, percebendo de certa forma que isso ainda atingia sua mulher. – Mais Robert me disse que…
Arthur – Faz tempos que já não me encontro com Elisa Mel…– mirou a irmã nos olhos. – E Eu, sabia que Robert tinha um caso com a Elisa. Um caso que também havia terminado há alguns meses. Quando descobri…– mirou os olhos horrorizados da irmã – Quando descobri, eles já haviam terminado, Robert implorou para que eu não lhe dissesse nada, eu concordei, teria sido pior se eu tivesse lhe contado Mel. Eu precisava te proteger…
Mel – Fazendo todos pensarem que Elisa era sua amante não de Robert? – se põs a chorar, observando Lua que tentava ao máximo ser forte, segurar a barra apertando cada vez mais as mãos do marido. 
Arthur – Se não me perdoar vou entender, mais você ama a ele, e eu também achei melhor que ele lhe contasse a verdade, eu teria acabado com ele em 24 horas se ele ainda não tivesse o feito…– Mel assentiu, parecendo não estar com raiva ou algum ódio do irmão, era uma mulher sensata, e de certo ponto havia sido melhor ouvir a verdade de Robert do que de qualquer outra pessoa. Mirou Lua, que estava com os olhos cheios de lágrimas. E compreendeu até que ponto o irmão havia a protegido.
Mel – Você quase acabou com o seu casamento Arthur, Lua iria deixar você…– Arthur olhou nos olhos da mulher, lhe sorrindo tristemente, para logo depois voltar a mirar a irmã. – Entendo o que fez por mim, mais nunca mais o faça para proteger uma pessoa como o Robert.
Arthur franziu a testa, suspirando, foi até de encontro com a irmã a abraçando novamente. Quando voltou a se sentar Mel parecia mais calma, e como em busca de algo que a consolasse, olhou diretamente para os olhos cheios de lágrimas de Lua…
Lua – Não vai ser tão ruim querida…– olhou Arthur que nada fez a não ser baixar a cabeça, olhando para sua irmã agora, podia ver em Lua, a dor que ela havia sentido? – Quando sua barriga começar a crescer, já não vai mais lembrar de tudo com tanta intensidade, mais cabe a você perdoar ou não o seu marido…- Arthur ergueu a cabeça a mirando nos olhos. 
Arthur– Escute Mel, não posso julga lo, e nem posso dizer para que o abandone, não tenho esse direito, eu mataria alguém por ter feito você chorar dessa maneira, mais escute seu coração e a sua razão, escute sua mente, seus sentidos, de que forma você poderia viver bem? – ela voltou a chorar – Não, não chore, mais sim pense no seu futuro agora.
Lua – Há uma criança, uma vida em jogo, um pedaço de si que você sentira todos os sentimentos por ele, antes mesmo de nascer. Mais não cometa o erro de voltar com Robert só para seu filho ter um pai e uma mãe…- inclinou a cabeça com ternura observando a cunhada – Se for voltar volte por amor, e de coração Mel. Ou se não viva a sua vida, e encontre alguém que te faça feliz. - Mel observou profundamente Lua para depois observar Arthur.
Mel – O que você faria Lua?
Lua – O que eu faria querida…O que eu fiz, você quer dizer? – Lua mirou Arthur, que parecia bastante magoado com a situação. - Sorriu – Eu amei seu irmão desde a primeira vez que o vi Mel…– baixou os olhos impedindo que as lágrimas caíssem. – Tão arrogante e tão vistoso, Céus não havia mulher que não olhasse quando nos passavamos…– Arthur mordeu os lábios observando Lua com atenção. – Somos uma família, você é minha família Mel, vocês são a única que eu tenho, no instante em que ele sorriu para mim eu sabia que queria passar o resto da minha vida com esse homem. – Mel se acalmou mirando com atenção Lua. – Não é perdoar, é amar. Você ama o seu marido, o suficiente para suportar que ele tenha tido uma outra mulher, e que tenha um filho, da qual terá que dar atenção juntamente com o seu filho? – Mel baixou a cabeça, e hipnotizado, Arthur observava com um nó na garganta Lua calma e emocionada consolar sua irmã. - Eu amo o meu marido Mel, e do jeito dele eu sei que também me ama e esse é o único fato que nos manteve juntos todo esse tempo. O amor. - virou se para Arthur que franziu a testa, emocionado, Lua sorriu o olhando nos olhos - Vale a pena começar tudo de novo? – Virou se para Mel que ouvia a tudo com os olhos brilhantes. – Até onde o seu amor por ele suportaria? – Mel se calou baixando a cabeça – Sua criança vai nascer, e não poderá conviver no meio de brigas ou raivas ou encenações, isso chegou a fazer mal para o nosso filho Mel por esse motivo, criança sente quando há algo errado. E mentir para si mesma é pior, dizendo que está nessa por causa de filho, quando você está nessa porque não é forte o suficiente para dar a cara a tapa e enfrentar o amor a paixão. – Se aproximou de Mel lhe colocando as mãos no rosto. – Querida não há porque chorar. É você decidir o que te faz bem. 
Mel – Robert me fez bem, mais receio que agora não volte a faze lo. Preciso pensar…– se levantou – Andar, espairecer. – Lua se levantou e Arthur também. 
Lua – Tem certeza que ficará bem?
Mel – Tenho…– sorriu enxugando as lágrimas – Obrigada Lua. – A abraçou com força, de simples voltando a se emocionar. – Obrigada querida. 
Lua – Para o que precisar Mel, para sempre. – Mel sorriu se despedindo com um abraço forte do irmão. Lua a acompanhou até a porta com mais uma abraço, mais serena Mel entrou no carro caminhando rumo ao lugar que mais lhe deixava calma, seu quarto, na casa de Marieta...
Lua fechou a porta, na mesma hora que a mesma bateu seus olhos se fecharam em grande alivio, mordeu os lábios mais controlada, e caminhou até a sala novamente, observou Arthur sentado no sofá, desde de que havia conversado com Mel ele havia se calado, alguma coisa estava errada? Ele estaria assim por sua irmã sem sombra de dúvida…Lua sentou na mesa de centro, de frente para ele no sofá, Arthur subiu então a mirada, os olhos estavam vermelhos assim como a ponta do nariz. Lua franziu a testa preocupada, e logo subiu em seu colo lhe dando um forte abraço.
Lua – Querido você fez o melhor, não se culpe Arthur…– o beijou na boca de leve.
Arthur – Lua, eu amo você…– Ela sorriu enxugando o canto molhado dos olhos do marido. – É sério, olha para mim…– ela o fez, com um nó na garganta – Eu realmente amo você, o filho que me deu, o amor que…– Respirou fundo não conseguindo terminar a frase. – Olha…– levou as mãos ao seu peito. – Eu nunca me senti assim antes…– Balançou a cabeça mordendo os lábios. – Parece que tem alguma coisa na minha garganta. – Lua sorriu ternamente, ele se referia aquele nó, aquela vontade de chorar. O abraçou com força lhe acariciando os cabelos. Ele entrelaçou seus braços nas costas da mesma, a apertando contra si. – Diga que me ama…– Lua sorriu lhe beijando o pescoço, ele estava com medo? - Faça amor comigo, me faça sorrir, sussurre que me ama ao pé do meu ouvido. Porque eu sei que sou seu Lua, e eu preciso que de uma vez por todas você compreenda isso. – Lua travou ao ouvir tais palavras, e a cena na qual ela havia lhe dito isso veio completamente em sua cabeça. Aproximou-se do ouvido dele e de simples e fácil lhe disse o que tinha exposto desde da primeira vez que haviam o visto…
Lua – Eu amo você…- Arthur sorriu aproximando seus lábios para um beijo que…– OHHHH MÃEEEEEEEE CADÊ MEU BONEQUINHO QUE ANDA? – gritou Gabriel do canto da escada sorrindo, Arthur mordeu os próprios lábios engolindo vento, e Lua deu uma gostosa gargalhada jogando a cabeça para trás, e se assustou rindo ainda mais alto, quando Gabriel pulou em Arthur caindo os três esparramados pelo tapete.
A tarde passou dessa maneira, com muita gargalhada, e brincadeiras. Quando deu 9 da noite Gabriel já não se aguentava de sono, com muito custo, Lua o fez jantar e depois permaneceu junto a ele até que adormecesse, levantou se, lhe dando um beijo na testa, precisava com urgência de um banho. Já em seu quarto tirou a roupa sorrindo, Arthur estava na banheira, e de olhos fechados, colocou seu roupão atrás da porta e calmamente entrou na banheira, Arthur abriu os olhos, os cabelos estavam molhados, e com uma passada de mão penteados todo para trás, aquilo a excitou;
De maneira que Arthur sorriu ao vê la prender os cabelos em um coque mal feito, deixando alguns fios pelo rosto, sentou se no meio das pernas de Arthur, com as costas no peito dele, e deixou que a água confortável cobrisse seu corpo, estavam ambos cansados, haviam brincado com Gabriel a manhã e tarde inteira.
Arthur– Dormiu rápido?
Lua – Desmaiado na cama, nem deu boa noite. – sorriu alisando o interior das coxas de Arthur, que fechou os olhos deitando a cabeça para trás. Lua se virou agora deitando se por cima dele. – Cansado? 
Arthur – Para você? Nunca. – Abriu os olhos, e as pernas, e Lua automaticamente escorregou para o meio delas, deixando suas intimidades coladas. Desceu suas mãos até a cintura dela, desceu o rosto lhe beijando devagar os lábios, saboreando a boca doce, que o levava com beijos e caricias a loucura. Lua fechou os olhos, sentindo seu corpo tenso relaxar, sentiu uma deliciosa massagem em suas costas, as mãos de Arthur subiam e desciam por todo o seu corpo, mordeu os lábios sentindo o primeiro arrepio, e imediato suas unhas procuraram algo para agarrar e ele mordeu os lábios de Lua ao perceber que a mesma havia lhe cravado as unhas no interior de suas coxas quase em sua virilha. Lua sorriu em meio de beijos quando ele a subiu um pouco mais, permitindo quase que completamente seus corpos se unissem. Mais não o fez, a torturando com um lento, quase sem se mover esfregar de seus corpos, Lua abriu os olhos, subindo as mãos até os cabelos dele, os alisou para trás como estavam “penteados”, ele fez o mesmo fechando os olhos, quando suas próprias mãos, foram de encontro à junção de seu corpo. Lua mordeu os lábios, relaxou ainda mais o corpo e o beijou, sentindo o corpo de Arthur, suavemente adentrar por seu corpo completamente…








Hey amores, não deu pra postar mais ontem, fiquei o dia inteiro agarrada, na correria. Me desculpem. Mais hoje irei postar mais, não se preocupem. beijos
COMENTEM!!!

4 comentários:

  1. Ontw q Fofo os dois Juntinhos ,ameii vê eles juntos *--*
    Posta mais Por Favor,Viciada nessa Web

    ResponderExcluir
  2. Que lindos! Agora eles ficam juntos de vez né ?! Posta mais

    ResponderExcluir