Uma Linda Mulher - 2ª TEMP. | CAP.11

|


Uma Linda Mulher - 2ª Temporada





Capítulo: 11


Subiu para o quarto do filho, lhe deu dois beijos na testa, baixou a cabeça lhe alisando os cabelos para depois sair do quarto, rumo ao seu quarto que estava silencioso, e Lua parecia já ter tomado banho, estava sentada na poltrona de frente para a varanda, com uma camisola preta até os pés de pura seda e com um robbie da mesma cor e tecido estendido em cima da cama, acariciava a barriga, de olhos fechados. Arthur entrou no banheiro para uma longa ducha, tomou um banho demorado, e quando saiu do banheiro, ela permanecia da mesma forma, se sentou na beirada da cama, deixando suas mãos deslizarem até a camisola, e mais uma vez se afastou se levantando da cama. Lua abriu os olhos, sentindo sua pele queimando, se virou dando de cara com Arthur.
Arthur – Giovanna ligou…
Lua – Dando explicações Arthur? – sorriu ironicamente – O que você fez ou deixou de fazer é um problema seu não é mesmo? – Arthur cerrou os dentes erguendo as sobrancelhas – Quer saber? – se levantou pegou seu robbie em cima da cama. – Eu não preciso passar nervoso. – Lua saiu do quarto, decidida desceu as escadas, agora ela que precisava de ar, precisava pensar. Oh Deus, como precisava. Sentou se na beirada da piscina, a brisa era fraca, quase não ventava e o céu estrelado denunciado que viria sol no dia seguinte, fechou os olhos sentindo os nervos a flor da pele, e o perfume tão masculino atrás de si, fechou os olhos pensando em só pode estar louca, mais não, Arthur de roupão entrou dentro da piscina, e Lua o olhou incrédula, em quanto com fúria e com a testa franzida, mordendo os lábios ele se aproximava dela. A água estava completamente azulada e iluminada, e corpo dela podia ser visto completamente, o olhou com os olhos arregalados, Arthur finalmente chegou até ela, e Lua se perguntou se seu coração poderia bater mais rápido, que diabos aquele homem estava fazendo agora? Então em um movimento rápido e ágil ele a puxou pelos braços, e antes que Lua pudesse afundar, ele a segurou com firmeza pelas cintura colando seus corpos um no outro a empurrando contra a borda da piscina. O corpo de Lua gritou em êxtase em reação, sentindo o corpo de Arthur quase completamente moldado ao seu, franziu a testa com os olhos em chamas o olhando profundamente ele não fazia nada, exceto descer sua mão até as coxas de Lua, subia a camisola que agora grudava no corpo dela completamente molhado, deslizou a mão até atrás do joelho da mesma lhe subindo a perna de contra si aumentando o grau de aproximação de suas intimidades, Lua mordeu os lábios e gemeu baixinho. A boca de Arthur tremia, o corpo inteiro de Arthur tremia em um colapso arrasador, mordeu seu lábios não perdendo o contato de seus olhos, sua mão subiu até a nuca de Lua, lhe puxando os cabelos quase sem nenhuma delicadeza, ela fechou os olhos, sentindo vontade de gritar algo, para que ele a soltasse, estava perdendo o controle. Mais foi em vão, antes que pudesse dizer alguma coisas, seus lábios estavam colados, se movendo em uma dança frenética de suas línguas, que se buscavam e se perdiam com propósito de causar um prazer que poderia acabar com um mundo inteiro. Arthur sentiu as unhas de Lua cravadas em suas costas largas, pressionou ainda mais seu corpos em quanto ela rodeava com as pernas sua cintura. Subiu as mãos por todo corpo dela, a abraçando com mais força, Céus não podiam respirar, Arthur gemeu alto separando seus lábios, olhando nos olhos daquela doce traidora, que ardiam na mesma intensidade que os seus ardiam… 
Arthur – Você é a pura perdição Lua... E que Deus me ajude, e que Deus te ajude, porque estou completamente perdido… - Lua fechou os olhos mordendo os lábios com força quando sentiu a língua de Arthur deslizar pelo seu pescoço pela sua nuca, pela sua boca que quase sangrava, aquelas mãos tão grandes e ágeis a seguravam com firmeza pela cintura, colando e friccionado seus corpos de maneira ritmada e alucinante. Fechou os olhos entrelaçando novamente suas línguas, em um deslizar de mãos que a fez perder o controle, segurou se firmemente nos ombros de Arthur em quanto ele lhe puxava o cabelo lhe devorando os lábios, com suas mãos a apertando no interior de suas coxas. Oh Deus, aquilo não deveria estar acontecendo, voltou a morder os lábios quando sentiu sua calcinha ser tirada com facilidade e prática, voltou a envolver suas pernas em volta da cintura do mesmo. Arthur apertou com força os olhos, a segurando com força pela cintura, colando suas testas, aproximando suas intimidades de maneira lenta e torturante. Lua voltou a gemer baixinho e suas mãos subiram para os cabelos molhados o puxando na mesma intensidade que os seus era puxados, sua camisola subiu, ele a prensou ainda mais contra a parede tomando por completo novamente seus lábios… A água parecia estar quente, borbulhando talvez, talvez era isso que queimava sua pele como brasa viva, talvez era isso que fazia o sangue em suas veias ferverem de maneira sobrenatural. Arthur abriu os olhos, a pegou com uma mão por trás do joelho a erguendo na altura certa para que seus corpos se conectassem de forma perfeita, e naquele exato momento olhando nos olhos daquela mulher, se perguntou se ela sabia, se ela sabia o que um homem como ele seria capaz de fazer por amor para uma mulher como ela. Se perguntou, se ela podia sentir sua total fúria paixão e falta de controle em seus toques nada sutis, em sua raiva e alucinação contida em um desejo que ameaçava corrompe lo de maneira lenta e dolorosa, fechou os olhos baixando sua sunga o suficiente para que suas intimidades se colassem. Lua franziu a testa não suportando o grau de excitação, Arthur fez o mesmo, a trouxe para frente em um gesto hábil e rápido conectando seus corpos, sentiu a unha cravada em sua pele, sentindo os músculos daquele corpo tão perfeito se contraírem em resposta em quanto ele invadia seu corpo, uma, e duas vezes sem parar, voltou a lhe devorar os lábios, subindo as mãos para os seios arredondados e túrgidos de prazer, ouviu um gemido alto, e logo em seguida outro, mordeu seus próprios lábios, a segurando com mais firmeza, aumentando ainda mais o contado. Se as investidas frenéticas de seu corpo, estava ardendo, Santo Deus estava ardendo de desejo e descontrole, era algo que não podia controlar, não podia suportar… 
Lua jogou a cabeça para trás, sentindo como seus seios sensíveis recebiam atenção especial, voltou a lhe beijar os lábios, os deixando vermelhos e inchados. Arthur mordeu os próprios lábios sentindo a forma da qual ela lhe beijava o pescoço, lhe mordia a orelha, e sem perceber gemia palavras incoerentes ao pé do seu ouvido, foi a vez dele de soltar algo incoerente, quando aquelas pequenas mãos deslizaram ao longo de suas costas lhe causando um arrepio mais do que podia suportar, jogou a cabeça para trás, aproximando ainda mais suas intimidades. Lua abriu os olhos agarrada ao ombro de Arthur com os dentes firmemente mordendo aquela pele tão cheirosa, tão masculinamente perfumada, voltou a fechar os olhos sentindo os movimentos de seus corpos mais firme, sentindo que as mãos de Arthur lhe apertavam as costas com mais força, estava perdendo a razão, estava a um fio de perder todo o controle…
Lua – Arthur… – gemeu sem pensar, segurando com força naquele cabelo molhado e espalhado pelo rosto dele, que segurou suas mãos de encontrou ao peito de ambos, a apertando, tentando conter sua fúria tentando conter sua dor, fechou os olhos negando com a cabeça quando ela novamente voltou a gritar seu nome, faltava pouco. Santo Deus faltava tão pouco, Lua apertou os olhos com força, mordendo seu lábio inferior. Arthur a segurou nos cabelos na ponta dos cabelos o apertado com tanta força que sua mão perdeu a cor. Então aconteceu assim sem aviso e sem demora uma explosão devastadora de prazer e luxuria, de fúria e amor contido em dois corações que pulsavam em um ritmo alucinante e desleal, a mão que segurava até então o cabelo de Lua encontrou a borda da piscina, e foi onde segurou firmemente para que suas pernas tremulas não permitissem que seu corpo emergisse na água, segurou a respiração, prendendo um grito alto e grutal, sentindo a respiração assustada e acelerada de Lua em seu ouvido… E nesse exato, sua mente vagou em branco por segundos, minutos e minutos, e assim de simples percebeu que não estavam sozinhos, quando sentiu o movimentos do ventre de Lua tão colado ao seu se mexer, em um chute fraco mais percebível, o horror assombrou seus olhos, e se separou dela com rapidez, desapertando seus braços. Lua permanecia de olhou fechados, com a testa franzida, ele a pegou pelos braços, com as mãos trêmulas.
Arthur – Santo Deus Lua, abra os olhos e olhe para mim… – como poderia ter sido tão desumano, por Deus, como poderia ter feito aquilo, daquela maneira? Ela não abriu os olhos e ele sentiu o pânico gelar seu sangue antes tão quente. – Lua… – gritou fazendo com que ela abrisse o olhos mareados e vermelhos pelo choro contido. – Está tudo bem? – levou as mãos ao ventre arredondando – Eu te machuquei? Machuquei o bebê? Responda-me… – a sacudiu de leve, Lua baixou a cabeça mordendo os lábios, na tentativa de que não ficasse trêmulos, ela poderia sair daquela maldita piscina, e erguer a cabeça? Seria capaz depois de tal humilhação? Mais o fez, mais primeiro observou sua calcinha boiando na água, apertou os olhos com força, sentindo as mão de Arthur em seu ventre, ele estava apavorado, e ela estava a ponto de pedir para que a levassem daquele lugar. Arthur levou as mãos a cabeça, ao observar aqueles olhos opacos e vermelhos, se afastou com pressa murmurando uma maldição e batendo com as mãos na água.
Arthur – QUE DROGA. –voltou a gritar uma e duas vezes, tirando os cabelos dos olhos. – MAIS QUE MERDA LUA, EU NÃO… EU NÃO… – a mirou com a testa franzida em quanto Lua assustada permanecia no mesmo lugar onde ele havia a deixado – Olhe para mim… – se aproximou a pegando pela face – Está tudo bem? Machuquei você, eu, eu…
Lua - Está tudo bem Arthur… – mordeu novamente os lábios, encontrando a firmeza nas pernas, baixou sua camisola e caminhando para a escadas pegou sua calcinha, baixando a cabeça não suportando o peso da humilhação, que talvez foi causada por ela mesma.
Arthur – Eu não queria te machucar… – caminhou atrás dela - Eu perdi…Eu perdi o controle eu... – saiu da piscina atrás de Lua, que caminhava sem olhar para trás. – VIRE SE E OLHE PARA MIM LUA… – ela parou, pelo tom alto e apavorado que ele gritou tais palavras se virou o olhando dos pés a cabeça. – Não foi para machucar a ti ou o bebê, Lua...
Lua – Eu sei que não foi… - ela murmurou baixinho pegando a toalha que havia em cima da mesa coberta por um guarda sol, se enrolou. - Foi para ferir a mim não foi? Não ferir fisicamente mais queria me lembrar não era? – Arthur ergueu ainda mais a cabeça segurando os lábios trêmulos – “Você é minha…” Era isso? Lembrar-me que eu sou sua? – Arthur virou se de costa sem ter o que falar. – Olhe para mim agora Arthur, e perceba que eu jamais me esqueceria… – ele tinha certeza que ela se referia a menina, baixou a cabeça, sentindo a si próprio enfiar faca por faca em suas costas. – Porque quando nada mais da certo Arthur, sempre foi para isso que você correu, sempre foi para isso que eu corri. Porque quando o descontrole fala por você, você acaba se esquecendo que eu não posso te ouvir… - baixou a cabeça tirando o cabelo dos olhos. – Esse é o meu erro, esse é o seu erro, nosso erro "baby". Toda vez que você fechar os olhos eu quero, desejo realmente que você lembre do que aconteceu agora, e tire esse peso das suas costas Arthur… – sua voz soou trêmula e baixa pelo choro. – Porque não se faz sexo sozinho…





Temos uma aniversariante hoje haha
Parabéns Julia, muitas felicidades, te desejo tudo de melhor sempre.
Que você consiga realizar todos os seus sonhos. Beijos :)

VOU POSTAR MAIS AMORES!!!
COMENTEM!!!

13 comentários:

  1. Uauuuu, sempre fico confusa se eles tão se resolvendo ou se vão brigar mais, quero mais logoooo!

    ResponderExcluir
  2. Mais quantos caps hoje? Quero maisssss!

    ResponderExcluir
  3. Não vejo a hora de eles terem um momento fofo!!!! Posta mais

    ResponderExcluir
  4. Mds... que capítulo! Eu quase pirei quando me deu Spoiler, que agora, meu coração veio na boca e voltou.

    Lua vai passar mal?

    Caraca, as últimas palavras dela... quase chorei :'(

    ResponderExcluir
  5. Posta sim! Está mt boa mesmo! Quero mais

    ResponderExcluir
  6. Posta até o capitulo 14! Capitulo q eles se acertam ! Por favor ! Mais mais e mais

    ResponderExcluir
  7. Está ótima a web!!!! Quero que eles se acertem logo

    ResponderExcluir
  8. Meu Deus só Falta 3 capítulos para eles se aceitarem

    ResponderExcluir
  9. Maaaais um pfvrrrrrrr .. Só até chegar no 15 kk Pfvorzinhooo

    ResponderExcluir
  10. Huuum hoje ela boazinha kkkkk mais um ja anciosaaaa *---*

    ResponderExcluir
  11. Obrigadaaaa haha, obrigada por todos os capítulos também haha ♥ web cada vez mais maravilhosa
    Julia

    ResponderExcluir
  12. Posta mais. By: sofiaxc

    ResponderExcluir