Sentimentos traiçoeiros - Além do permitido

|



Lua

     Esperava que Dianna voltasse da cozinha com a água que ela prometeu me trazer.
     Eu estava no quarto dela lavada em lágrimas e eu nem sabia ao certo a razão.

- Toma. Bebe e conta-me o que aconteceu ao telefone com o Arthur. - Dianna deu-me o copo com água.
- Ele tratou-me mal. A voz dele era fria. Parece que me odiava de morte e o que tinha feito era um favor como se lhe custa-se milhões. - Pousei o copo na cabeceira depois de beber meio copo de água. - Ele próprio beijou-me sem ser por "ensinamento" - Fiz aspas com as mãos. - Ele beijou o meu pescoço e pediu desculpa. Não era, então, só eu que estava a confundir as coisas.
- Ele só não quer estragar a amizade que vocês têm.
- Mas não vai estragar nada. São só uns beijos.
- Mas talvez aquilo mexe com ele e ele não quer que isso aconteça.
- Se fosse isso, porque razão aceitou ajudar-me?
- Ele nunca te tinha beijado, certo? - Ela perguntou e eu respondi afirmativo com a cabeça - Ele não sabia qual seria a sensação.
- Eu estou mesmo chateada com ele. Vou lhe mostrar que não quero os beijos dele para nada.
- O que vais fazer?
- Não. Pergunta antes o que é que tu vais fazer! - Disse eu decidida.

[...]

     Ainda na mesma noite, disse aos meus pais que ia dormir à casa da Dianna.
     Eles não sabiam que eu era tão amiga dela. Nem eu sabia. Quer dizer, damo-nos muito bem mas é o Arthur o meu melhor amigo. Ou era. Não sei como estão as coisas depois daquela discussão.

- Ele deve estar a chegar. - Disse Nuno, o namorado da Dianna. - O Bruno é bem porreiro. Aposto que vais gostar dele. Só tenta não fazer muitas perguntas porque não é bom no primeiro dia de encontro.
- Eu sei.

     Estava previsto um jantar. Pizza, na verdade. Eu estava um pouco receosa quanto ao que fazer ali.

- Olá, desculpem o atraso. - Bruno no chegou à mesa com um sorriso brilhante. Tinha olhos claros, cabelo escuro e a sua pele era clara também. Vestia uma camisa branca arremessada nas mangas e umas calças jeans claras. - Deves ser a amiga da Dianna, certo?
- Certo. Sou a Lua.
- É um prazer. - Ele sentou-se ao meu lado na mesa e cumprimentou Nuno e Dianna. - Perdi a noção do tempo. Mas estou a ver que daqui não saiu tão cedo. - Dianna e Nuno riram.

     Deveria ir na conversa do Bruno e não pensar mal das suas cantadas horríveis?

- Mas tu és linda. A mais linda deste restaurante. - Bruno chegou perto e cheirou o meu pescoço. Eu arrepiei-me.

     Jantamos e Dianna olhava estranhamente para mim.

- Ainda é cedo. - Disse Nuno - Podíamos dar uma volta de carro antes de levar as meninas a casa.
- Podemos só ficar no carro a ouvir música e a conversar. - Sugeriu Bruno enquanto olhava maliciosamente para mim.

     Depois de sairmos da pizzaria, fomos para o carro de Nuno que ficou estacionado perto da praia, pouco mais de dez minutos da pizzaria. Um local bem silencioso e discreto.

- Liga a rádio. - Bruno pediu. - Vamos curtir o ambiente. - Nisto, Bruno pega na minha mão e puxa-me pra dançar.
- Ok parceiro. Vamos vos deixar a sós. - Nuno riu.

     Olho assustada para Dianna mas ela suspira e entra no carro. Nuno liga a música e abre os vidros para que o som pudesse se soltar.
     Mas quem realmente se soltou foram as mãos de Bruno que começaram a ir além da "área permitida" no meu corpo.
     Tento fazer com que ele não perceba que estou incomodada e tento parecer, acima de tudo, bem confiante e acostumada com aqueles toques.
     A música não para. Dançamos uma lentamente, mas depois começa outra do The Weeknd, que fez parte da trilha sonora de 50 shades. Pode ter sido impressão minha, mas o Bruno intensificou os seus toques com as mãos, aprofundando-os e levou os seus lábios ao meu pescoço, chupando-o lentamente. Causou-me um arrepio e soltei um pequeno gemido. Agarrei o pescoço dele com força enquanto ele me levantava uma perna colocando-a à volta da sua cintura.
     Seria isto permitido a meio da rua?


Notas finais

Será que Lua para por ali ou continua?
Leiam o próximo capítulo para saberem.

5 comentários:

  1. Para por aí, se não pode se arrepender depois. Mais?

    ResponderExcluir
  2. Lua, pode parar, amiguinha! Se não parar agora, depois vai ser tarde demais!

    ResponderExcluir
  3. Fico um pouco pequeno o Capitulo ;/
    Mas a fic ta perfeitaa !!

    ResponderExcluir