"Certezas" - 50º Capítulo - Último!

|


No capítulo anterior…

POV NARRADOR

E na manhã seguinte, ela acordou primeiro que ele. Veio a cabeça dela imagens sobre o que aconteceu na noite interior e ela sorriu. De seguida, levantou um pouco de lençol e olhou para baixo. Aquilo tinha mesmo acontecido. Aí… ela gargalhou e acordou ele.

- Lua, qual é? – ele reclamou, acordando assustado – Meu deus, que horas são?
- Bom dia, vida! – ela encheu ele de beijos, que sorriu com a ação da namorada 
- A que se deve tantos carinhos?
- É pela otima noite que você me deu. Eu amei cada bocadinho dela.
- Gostou mesmo? – ele sorriu pra ela e se debruçou sobre o seu braço
- Muito, muito, muito mesmo! – Lua o abraçou inesperadamente – Pow, eu imaginei tantas coisas que a gente podia fazer. Tantas maneiras que as coisas podiam acontecer. Mas tudo foi diferente e inesquecível.
- Mas bom?
- Otimo! – ela riu – Já te disse que amei cada bocadinho
- Mas eu te machuquei, né?
- Sim. Mas não se preocupa. – Lua passou a mão sobre os cabelos dele todos bagunçados 
- Deixa eu dormir só mais um pouco? Deixa? – Arthur perguntou todo baboso, fazendo um espacinho mínimo entre os dedos
- Deixo. – Lua riu – Eu vou tomar um banho longo, fazer o café da manhã e a minha corrida matinal. 
- Te amo.
- Te amo mais! – os dois se beijaram e foi difícil de Arthur deixar Lua sair daquela cama.

Enquanto ela tomava banho, se lembrava novamente do que tinha acontecido ontem. Ela estava louca pra escrever cada detalhe no seu diário, mas agora com ela e Arthur a viverem no mesmo espaço, ficava difícil dela escrever sem ele ver.
Naquele dia tudo ficou mais bonito. O céu ficou com um azul bonito, o sol brilhava, os passarinhos cantavam e as flores cheiravam tão bem. Como era lindo o amor.

Todas as manhãs, quando se despediam pra ir trabalhar, era uma batalha tão difícil. Arthur puxava Lua para mais um beijo, Lua se debatia, mas no fundo estava louca por mais. Quando ela ia embora, fazia manhã e olhava com os olhos brilhando para Arthur, para banhar mais um beijo. Quando ele decidia que era hora de se separarem, ela se declarava.

- Você é o homem da minha vida. Quero ficar com você para sempre.
- Você é a mulher da minha vida e eu também quero ficar com você para sempre.
- Para sempre?
- Para sempre!
- Para sempre então! – os dois davam um ultimo beijo e iam cada um à sua vida.

Lua adorava o trabalho de voluntário que fazia, mas… sinceramente? Ela queria deixar de dar despesas a Arthur e queria começar a trabalhar a sério. Para isso, pediu um conselho ao doutor que sempre a ajudou, em toda a sua doença. O Dr. Francisco.

- Estranhei você aparecer por cá. Não tinhas nenhuma consulta marcada, pois não? – ele tinha os cabelos castanhos meios ondulados e os olhos verdes. Tem como não amar?
- Não, eu é que quis vir mesmo cá à clínica. Acho que foi aqui que tudo aconteceu e, quem melhor, se não você, para me dar um conselho?!
- Conselho? – ele ergue a sobrolho
- É… - Lua suspirou e sorrio – Eu estou vivendo agora com o meu namorado.
- Mas já? Quantos anos você tem mesmo? – ele riu
- Dezoito anos, já.
- Nossa, como o tempo passa né? – ele riu novamente – Mas bom, em que te posso ajudar?
- Então, nós estamos vivendo num apê que ele está pagando com a ajuda do pai. Mas além disso, e como é claro, temos outras despesas e eu não posso ajudar em muito visto que não trabalho. Mas eu quero trabalhar. Só que não sei bem em quê ainda. Eu estou fazendo trabalho voluntário no hospital, ficando com crianças que lá estão internadas.
- Você tem a escola feita?
- Sim, eu concluí os estudos. Depois tentei ir para uma faculdade, só que ao fazer o exame, eu passei muito mal e… desisti.
- Já pensou em tentar de novo?
- Eu tenho medo. Eu passei mal por causa da pressão que eu sentia, sabe? – ele assentiu – Eu tenho medo que aquilo volte a acontecer.
- O trabalho voluntário que você faz é a tempo inteiro?
- Não. É só durante a parte da manhã.
- E o que você faz depois?
- Nada de nada. – fui o mais clara possível.

(…)

- Eu vou entrar no trabalho só às 9horas da manhã, já viu a nossa sorte? – disse Arthur voltando a deitar na cama e abraçando Lua por trás – Meu chefe me ligou e disse que eu poderia chegar mais tarde visto que hoje não havia muito trabalho. Talvez até consiga sair mais cedo… podíamos aproveitar para ir ao cinema e…
- Arthur… lembra da conversa que tivemos ontem à noite?

FLASH BACK ON

- Amor, você não vai acreditar! – Lua chegou em casa muito contente. Arthur estava na cozinha preparando o jantar, por incrível que pareça – Uê, você na cozinha? O que está fazendo?
- Bife e batata frita.
- Nossa, tanta gordura! – Lua fez careta – Mas olha só…
- O quê? – ele deu atenção pra ela e lhe roubou um beijo
- Eu consegui um trabalho. Um trabalho à sério e eles me vão pagar bem. Lembra do Dr. Francisco?
- Aquele que disse uma vez que você tinha apenas meses de vida? – Arthur detestava ele
- Sim, esse. Mas lembra dele? Então, eu fui pedir uns conselhos a ele e ele me ajudou.
- Você foi falar com ele sem antes falar comigo sobre alguma coisa? Desde quando você quer trabalhar?
- Eu tenho que te ajudar nas compras aqui pra casa, não pode ser você só pagando tudo. Além do mais, você nem ganha tanto assim.
- Tá mas… é fazendo o quê?
- Eu serei babysitter! E adivinha de quem? Dois sobrinhos dele! Não é legal?

FLASH BACK OFF

- Sim, eu me lembro da conversa que tivemos ontem. Aquela em que você foi falar com o médico nas minhas costas. – Arthur se deitou na cama de barriga para cima
- Então, eu começo hoje trabalhando! – Lua ignorou o comentário de Arthur
- A que horas eles chegam?
- 9horas em ponto!
- Que bom que já não estarei em casa.
- E desde quando você não gosta de crianças?
- Desde que são sobrinhos do Dr Francisco cara de sapo.
- Você nunca viu ele para falar assim – Lua riu e levantou da cama – Vem tomar banho comigo? – Lua piscou

Arthur esqueceu o seu aborrecimento (visto que ele não queria que Lua trabalhasse fosse de que forma fosse) e correu para o banheiro. Ele já tinha tomando banho, aliás, ainda tinha o cabelo molhado, mas não resistiu aos encantos da sua namorada.

Arthur foi trabalhar e Lua ficou no apê arrumando tudo para receber Mia e Tom, os sobrinhos do Dr. Francisco. Os garotinhos ficavam com a avó dele, do Dr Francisco, mas ela se encontra em uma idade muito avançada que a impedia, por exemplo, de correr atrás deles para brincar ou para brigar quando eles se portavam mal. A verdade é que ela já não tinha paciência para cuidar deles.

- Bom dia Lua. Aqui estão os pestes. – Tom e Mia eram gémeos, ambos moreninhos e de olhos claros. Pareciam ser uns anjinhos, mas só pareciam.
- Que lindos! – Lua passou a mão no cabelo dos dois – Oi, eu sou a Lua e vou cuidar de vocês.
- Meninos, por favor, se comportem bem e não irritem a Lua, pelo amor de deus. À tarde eu venho buscar eles. – o Dr foi embora e Lua entrou com os pequenos.
- O tio disse pra gente comer de boca fechada.
- E não falar alto de mais porque você vive num apartamento
- Ele disse também para a gente não fazer birra
- E disse para a gente se comportar sempre bem. – finalizou Tom. Os dois eram muito espertinhos.
- Quantos anos você têm mesmo?
- Cinco anos.
- Que lindos! – respondeu Lua à Mia.

Foram os três para a sala. Lá, Lua colocou um filme de animação para eles verem, enquanto eles brincavam com algumas coisas que tinham trazido. Lua queria muito que tudo hoje corresse bem para eles virem cá sempre e assim Lua receber um dinheiro extra.
Lua organizou diversas atividades para eles fazerem. E à tarde, levou eles a darem uma volta do jardim do prédio, onde tinha baloiços e escorregas para crianças. 

- Nossa mamãe nunca leva a gente no parque.
- Ela trabalha todos os dias – disse Mia
- E o vosso pai? Não vos leva a passear?
- Nunca vi ele na vida. – respondeu Tom. “Merda, falei de mais” – pensou Lua
- Então, o que vocês querem para o lanche? – Lua tentou mudar de conversa.

Lua pediu a Arthur que trouxesse algo para o lanche deles. Arthur ia sair mais cedo e aproveitou para fazer umas comprinhas para casa. Assim que chegou em casa, se deparou com dois pares de olhinhos pequenos castanhos, quietinhos, o olhando. 

- Oi. Eu sou o Arthur.
- Você é o marido da Lua? – perguntou Tom, o mais desavergonhado
- Ainda não, eu sou o namorado dela. – respondeu Arthur entre risos – Cadê ela?
- Ela disse que ia tomar remédios. Ela estava doente.
- Lua? – chamou Arthur – Amor?
- Estou aqui. – Lua veio do quarto, um pouco branca de mais
- Passou mal?
- Umas tonturas.
- De novo? Você comeu bem?
- Sim. São aquelas crises… você sabe. – Arthur assentiu, pois sabia que de vez em quando ela sofria com a Hipertensão.
- Vamos para o lanche? Eu trouxe coisas que vocês vão adorar! – Arthur tratou de levar os dois meninos para a cozinha, enquanto Lua descansava no sofá da sala.


Visto que Mia e Tom se tinham dado bem com Lua, o trabalho ficou para ela e o Dr Francisco pagava, a Lua, todos os meses uma quantia pelo trabalho que ela tinha todos os dias, por ficar com eles. Além disso, Lua não abandonou o seu cargo de trabalho voluntário.

Se passaram cinco meses. Entretanto, Lua e Arthur tiveram a primeira séria discussão, devido à falta de tempo que Lua tinha. Todos os dias ela dava mais atenção à Mia e ao Tom, do que propriamente ao Arthur, que é seu namorado. Essa discussão obrigou Arthur a dormir uma noite no sofá.
Além disso, dona Blanco, Estrela e o namorado dela vieram ao apê de Lua e de Arthur, pela primeira vez. Dona Blanco gostou de ver que a filha estava se dando bem, como dona de casa e babysitter, mas ainda assim, insistiu para que a filha voltasse para casa. Lua negou.

Certo dia, enquanto Tom e Mia dormiam, cansados de brincar uma banha inteira no parque do prédio de Lua, Arthur aproveitou para ficar um pouco mais com a namorada. Eles foram pra o quarto deles, namorarem um pouco e conversarem também.

- Eu estava pensando em… concluir os meus estudos da faculdade. – Lua o olhou séria – Acho que agora que você está trabalhando e ajuda um pouco mais em casa, dava para eu concluir. Além disso, falta bem pouco tempo para eu terminar. Assim eu vou conseguir um trabalho melhor.
- Mas você está trabalhando… vai conseguir trabalhar, estudar e ainda me namorar, tudo ao menos tempo?
- Claro que vou. – ele riu – Eu vou conseguir. – garantiu Arthur, dando um beijo na testa da namorada. 

Arthur começou novamente os estudos na faculdade, pouco tempo depois daquela conversa. Lua o notava mais cansado e com muitas dores de cabeça, mas com esforço, tudo se consegue.
Num domingo à tarde, Lua aproveitou que Arthur estava dormindo para ela pegar no seu diário e escrever, revendo também os seus desejos. 

“Querido diário, você está chegando ao fim. Falta uma página apenas para você terminar e vou escreve-la hoje e revelar o quanto a minha vida mudou ao longo desses meses. Todos aqueles desejos que eu escrevi um dia aqui, estão realizados. Eles foram: Entrar numa propriedade privada; andar de cavalo; voltar a estudar; correr riscos; ir no Show da minha Selena; dar o meu primeiro beijo; dirigir; fazer trabalho voluntário; fazer anjos na neve; fazer amor com o cara que eu amo; casar; apreender a andar de bicicleta; ser pedida em namoro e… por fim, ser lutadora. Bom, não estão todos por ordem, como é claro, mas “Ser Lutadora” é sem dúvida aquele em que eu colocaria em todos os lugares dessa lista. Eu fui lutadora do inicio ao fim. Eu me dediquei de corpo e alma à minha saúde. Sei que cometi muitas besteiras, entretanto, mas dou essa lista por concluída.
As pessoas que mais me ajudaram, a concluir essa lista, foi sem dúvida o Arthur, a minha mãe e a minha irmã. Além deles, os meus médicos e os meus amigos da faculdade. Sem eles, nada teria sido possível.
Eu me considero uma lutadora a partir do momento em que o médico me disse que eu tinha cinco meses de vida. E olha, cinco meses se passaram e eu estou aqui. Isso prova que nem sempre o que os outros dizem, é verdade. Embora que, estejamos a falar de profissionais no mundo da medicina. Eu lutei, eu acreditei e eu consegui.”

- O que tanto escreve? – Arthur tinha acordado e chegou por trás de Lua, beijando o pescoço dela. Ela fechou de repente o diário e escondeu na gaveta rapidamente.
- Coisas minhas. – ela riu
- O seu diário? – ele perguntou
- Sim. – ele sabia que ela tinha um, como é claro – Eu completei a minha lista. Graças a você.
- Eu tinha a certeza que você ia conseguir! – ele a abraçou e deu um cheiro no pescoço dela
- Acho que alguém merece um presente então… - Lua riu safada e jogou Arthur na cama.

Ela sentou no colo dele, o beijando e puxando, ao mesmo tempo, a blusa dele para cima, passando pelos seus braços e jogando longe finalmente. Eles pareciam que não se viam à tanto tempo, pois se beijavam de modo desesperado. 
Ele tirou a blusa dela e desceu os beijos para os seios dela, ainda cobertos pelo soutien. 

- Safado! – Lua riu e procurou rapidamente pela boca do Arthur para lhe beijar, enquanto ela própria tirava o soutien.

Lua se levantou um pouco para tirar os seus próprios shorts. Arthur já estava sem eles, pois o safado adora andar pela casa apenas de box, e às vezes blusa vestida. O contacto entre as intimidades deles ficou mais próximo, assim que ela voltou a sentar no colo dele e ambos gemeram só com o simples toque. 

- Isso é tão… - disse ela ofegante
- Prazeroso? – ele quase inventou a palavra
- Me tirou as palavras da boca! – ela voltou a beijar ele – Quero você agora.

Então, rapidamente, ele tirou a sua box e a calcinha dela e, depois de se protegerem, ele se “encaixou” nela e começou com os movimentos lentos. Ela gemia no ouvido dele. Ele se deitou por cima dela, e aumentou. Lua descia as unhas pelo peitoral de Arthur e arranhava com força.

Enfim, essa é a vida de um casal.

Fim!

E bom, terminou a web! Eu li os comentários que vocês deram no capítulo anterior e vi que queriam segunda temporada, mas ainda não sei realmente se irei postar, porque acho que já aconteceu tudo o que tinha para acontecer. 
Eu vou pensar esta tarde em possiveis ideias que eu podia fazer para a segunda temporada e depois, fiquem atentos aqui, porque se houver segunda temporada, vocês vão ver o meu aviso.

Então, gostaram do final? Quantos comentários vai ter? 
PS: OS COMENTÁRIOS AJUDARÁ A UMA POSSÍVEL 2ª TEMPORADA!



11 comentários:

  1. Por Favor faz 2 temporada
    Ameii

    ResponderExcluir
  2. Amei! Por favor.. segunda temporada. Esta web era a minha paixão. Parabéns pelo o último capítulo, ficou lindo como sempre.

    Mandy S.

    ResponderExcluir
  3. Amei essa web, seria ótimo se tivesse 2ª temporada

    ResponderExcluir
  4. Ameiiiiiii...Segunda Temporada necessito

    ResponderExcluir
  5. Amei do inicio ao fim!!!
    Faz segunda temporada!!!

    ResponderExcluir
  6. Ameeeeeeeeeeeeeeeeiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Faz 2° temporadaaaaaa necessitoooooooooo

    ResponderExcluir
  7. Ameiiii demais
    Segunda temporadaaaaaaaa

    ResponderExcluir
  8. 2° temporada please

    ResponderExcluir