O tempo cura tudo - 3º Capítulo

|




POV NARRADOR

Lua saiu de casa para espairecer. Aquela casa não tinha paz, não tinha amor e muito menos tranquilidade. Ela precisava de desabafar com alguém e nada melhor do que a sua melhor amiga Katy.
Assim que a Lua viu a amiga, correu para os braços dela e começou a chorar. Katy nunca lhe tinha visto assim, nem mesmo quando Lua decidiu sair de casa para ir viver com o namorado. Nunca nada lhe deixou tao triste, como ver o namorado nas drogas.

- Me conta o que aconteceu – katy pediu – Você está me deixando assustada
- Foi o Arthur…
- Ele foi despedido de novo?
- Não… - ela soluçou – Ele anda estranho. Ele anda metido nas drogas
- O que? – ela ficou confusa – O Arthur metido nas drogas? Impossível!
- Era o que eu pensava… eu sabia que ele andava nervoso com o novo trabalho, que eu ainda nem sei onde fica e nem sei ao certo o que ele faz. Ele andava a fumar mais, mas isso eu até nem me importava. O pior é que ele começou a beber, começou a não ajudar lá em casa como fazia, mas ontem foi a gota de agua.
- O que ele fez?
- Ele fechou a casa estranho. Os seus olhos estavam vermelhos, meios fechados e nem andar direito ele conseguia. Porém, ele tinha força . Muita força. Ele me arrastou para o quarto… – Lua voltou a chorar – Rasgou a minha roupa e abusou de mim! – Lua caiu no choro
- Amiga… - Katy estava sem palavras – Eu não sei o que dizer
- Aii Katy, eu não sei o que está acontecendo com ele. Eu só sei que estou com medo, muito medo.
- Eu acho melhor você fazer queixa. Quem faz isso uma vez, pode fazer muitas mais
- Mas eu amo ele Katy, eu amo ele. – repetiu – Eu não posso fazer isso com ele. Eu mudei a minha vida, eu sai de casa, deixei os meus pais por causa dele. Eu amo tanto aquele garoto. Quero dizer, o antigo garoto, não esse… esse não é o Arthur que eu conheço
- Você acha que ele se meteu nas drogas por causa do trabalho?
- Eu acho que sim… ele antes não gritava comigo, agora grita. Ele não era violento, agora é. Eu acho que tudo é por causa daquele maldito trabalho.

(…)

Os trabalhos de Arthur começaram a ficar mais sérios. Em vez de ele transportar a mercadoria roubada, ele próprio a roubava para depois vender. Depois de ter o dinheiro nas mãos, ele trocava aquele dinheiro por drogas.
É… as drogas haviam tomado conta daquele corpo. Ele não conseguia mais dizer “NÃO! BASTA!”. O corpo dele não mandava mais nada.

Os caras daquela quadrilha em que o Arthur andava metido, não estavam gostando do trabalho dele, pois Arthur pegava no dinheiro, não partilhava pelo roubo que tinha feito e apenas trocava por droga, droga e droga. Por esse mesmo motivo, ele foi expulso do grupo e para que as coisas ficassem piores, ainda levou um excerto de porrada.

- O que te aconteceu afinal? – Arthur havia chegado em casa todo partido, devido à porrada que levou e Lua começou a fazer pequenos curativos nele
- Eu fui assaltado – mentiu – E o pior é que eu trazia todo o dinheiro comigo, das mercadorias que eu havia entregue nas lojas. E fui despedido – era mentira, atrás de mentira
- De novo Arthur? – Lua machucou ele no rosto de propósito
- Aii, tá louca? – ele reclamou de dor
- E agora Arthur? agente tá pagando um carro sabia? As prestações são grandes, como vamos pagar isso?
- Eu vou dar um jeito
- Jeito? Que jeito? Se meter nas drogas de novo é?

Lua viu Arthur como nunca. ele levantou do sofá, ficando mais alto que ela, que estava sentada no chão e viu raiva nos olhos de Arthur. ele colocou o dedo na cara da Lua e ficou falando um monte de besteira durante horas. Mas o pior, foi a reação seguinte!

- VOCÊ NUNCA MAIS ME FALA UMA COISA DESSAS! – depois de gritar, deu um tapa forte no rosto de Lua, fazendo ela cair pro lado

Lua começou a chorar, chorar muito mesmo e Arthur caiu na realidade. Felizmente, naquele momento ele não estava sob o efeito de alguma droga ou bebida e foi por isso que ajudou ela a levantar.

- Porra, desculpa! – Arthur pedia, colocando ela no sofá – Desculpa, desculpa, não era essa a minha intenção.
- Me deixa Arthur, me deixa! – gritou, com medo dele – Sai daqui, sai! Sai ou eu chamo a policia! Sai agora! – Lua gritava muito e Arthur fez o que ela mandou

Lua caiu no chão e ficou chorando a tarde toda. Que homem era esse que ela tinha em casa? Que coisa era essa?

Os restantes dias, Lua andava muito fora de si e até a sua chefe do trabalho notou isso e aconselhou ela a ir a um psicólogo, onde lá Lua contou toda a historia.

- Ele mente para mim, ele abusou uma vez de mim, já me bateu, bebe, não trabalha, fuma e ainda se droga
- Lua, se separe desse homem, ou um dia, tudo ficará pior que isso. – o medico aconselhou

Arthur estava sem trabalho e sem drogas a uma semana, mas o seu corpo necessitava daquela estupefaciente agora. Como ele não tinha dinheiro, começou a roubar velhinhas indefesas ou até crianças que levavam o dinheiro para a escola.
Felizmente, ou infelizmente, ele nunca foi pego pela polícia ou por nenhuma outra pessoa que ele tenha roubado. O pior, era que as drogas tinham voltado e o tortura em casa também.

Daqui a pouco tem "Não foi um erro" 

7 comentários:

  1. Tadinha da Lua ;(
    Tá comendo o pão que o diabo amassou nessa web

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. concordo, só espero que eles tenham um final feliz.

      Excluir
  2. nossa só sofrimento na vida da Lu

    ResponderExcluir
  3. posta mais pf
    ass Sophia

    ResponderExcluir
  4. +++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  5. Ai a Lua sofre tanto! Sera q ela nunk vai ser feliz!
    #LuAr day

    ResponderExcluir