Milagres do Amor - Cap. 53º

|

Milagres do Amor
Destino, passado, presente e futuro! | Parte 3 

Pov Narrador

– Sempre tão saboroso. – sussurrou após acabar o beijo.
– Vamos acabar com isso, amor. Eu quero te ver. – diz tentando tirar o pano de seus olhos, mas ela o impede.
– Ainda não, agora que vem a melhor parte. – beija o canto de sua boca.

Ela sobe nele, ficando em cima de seu membro já excitado, pega as suas duas mãos e coloca em cima das dele, passando pelo seu pescoço até chegar aos seios, onde infiltra pelo corpete. Arthur geme ao sentir sua pele sensível se arrepiar com seu toque.

– Do que você gosta mais, amor? Dos meus seios ou da minha bunda? – pergunta descendo suas mãos e colocando em sua bunda, onde ele aperta e geme.
– Eu gosto de tudo. – diz entre arquejos.
– Ou você gosta mais disso? – pergunta colocando sua mão em sua virilha afastando a calcinha e infiltrando em sua intimidade gotejante.
– Porra Lua, tão molhada.
– Aham, só pra você amor. Sente como eu estou quente? Meu corpo ferve pelo seu. – diz entre gemidos.
– Então vamos acabar logo com isso, meu amor.
– Vamos sim.

Lua larga as mãos de Arthur na cama, afasta sua calcinha, segura o membro grosso de Arthur e senta com tudo, os dois urram de prazer. Lua sente ir fundo e começa a se movimentar, coloca suas mãos no peito suado de Arthur para ganhar equilíbrio, começa a fazer movimentos de vai e vem, cavalgando com vontade em seu membro.

– Lua… Você está tão apertada. – diz Arthur entre gemidos.  

Ele tira o pano de seu olho e o joga longe, se deliciando com a imagem de Lua sobre ele, seus lábios inchados, seu rosto vermelho e suado, seus olhos o devorando. Não perdeu tempo se levantou, ainda com Lua em cima dele, e segurou em seus quadris, ditando o ritmo. Ela mordeu os lábios abafando os gemidos, ele começou a devastar seu pescoço mordendo e lambendo a pele suada, enquanto ela continuava a cavalgar com toda pressão sobre ele, que rosnava enlouquecido, assim como ela.

Lua agarrou seus ombros e gritou em seu ouvido quando sentiu sua liberação, seu gozo escorrendo entre o membro de Arthur, ele estocou firme por mais duas vezes até que chegou ao auge, gemeu se liberando com vontade dentro dela.

O suor de ambos estavam misturados, fazendo com que a pele brilhasse, estavam cansados, mas o desejo falava mais alto, não queriam parar.

Arthur girou seus corpos, ficando por cima de Lua e começou a tirar a lingerie. Começando pelos sapatos, que voaram pelo quarto, as meias foram rasgadas, tamanho era o desejo de ambos.

– Amor, era presente. – Disse Lua entre arquejos.
– Desculpe, depois compro outra pra você.

Passou as mãos pelas coxas torneadas, apertando a pele macia, tirou sua calcinha e não esperou, colocou sua boca na intimidade encharcada que brilhava o chamando, lambeu com volúpia e desejo, sentindo Lua agarrar seus cabelos e gemer alto. Seu corpo se contorcia, ele apertou seu clitóris pulsante com o dedão, enquanto sua língua continuava a se infiltrar por sua entrada quente. Sentiu sua língua ser apertada e logo o gozo de Lua encheu sua boca, doce e fervendo, como só ela era. As mãos dela antes em seu cabelo, caiu em cada lado de seu corpo, Arthur acabou de limpa-la e a observou.

Seu desejo ainda era evidente, subiu e a puxou para um beijo, após ouvir Lua suspirar em busca de ar, abandonou sua boca e trilhou beijos por todo seu rosto, tirando o seu suor com as mãos pelo caminho. Ela enroscou suas pernas em seu quadril e gemeram com o contato de seus sexos. Ela agarrou seus ombros colando mais seus corpos.

– O seu presente está em mim, amor. – sussurrou com a voz estrangulada em seu ouvido. – Tire minha roupa que você vai ver.

Arthur franziu o cenho, mas começou a tirar as peças que faltavam, agora com mais cuidado e controle. Ela sentou na cama e permitiu que ele tirasse seu corpete, ele passou as mãos por trás de suas costas e desabotoou rapidamente, retirou e desceu seu olhar pelos seios rosados de Lua e desceu mais um pouco, prendendo a respiração com o que acabou de ver. Em baixo do seio esquerdo de Lua, estava escrito seu nome com uma caligrafia bonita e elegante, uma tatuagem toda em preto. Ele sentia seu coração e encher mais de amor e carinho por aquela mulher em sua frente, sua mulher, não sabia até quando seu coração poderia aguentar. Ela era perfeita em tudo, marcou seu corpo para sempre, com seu nome, provando mais uma vez que era dele e de mais ninguém.

Lua se encontrava ansiosa mordendo os lábios nervosamente.

– Lua… Isso é incrível. – disse passando a mão delicadamente sobre a tatuagem. – Estou sem palavras, amor.

Lua ri e o agarra pelo pescoço.

– Eu te amo, Arthur. – diz beijando seus ombros.
– Também te amo, amor. Você me faz perder todo o controle que eu tenho.

 Após dizer isso gira o corpo de Lua na cama, fazendo com que ela fique de bruços, ela solta um gritinho de surpresa mas sorri. Ele distribui beijos por suas costas até chegar em sua bunda onde aperta, Lua geme. Ele infiltra suas mãos debaixo de seu corpo a erguendo do colchão, fazendo com que ela ficasse de quatro na cama. Ele fica de joelhos, coloca seus dedos na intimidade de Lua, apenas checando, e como sempre ela estava pronta para recebê-lo.

Ele a penetra sem aviso, Lua grita de dor e prazer misturados, mas começa a rebolar em seu membro o fazendo ficar louco. Ele tira seu membro e volta com toda força, estocando com potência, fazendo o corpo de Lua ir para frente, ele a segura pelos quadris a firmando no lugar, e faz o processo de vai e vem sem parar.

Eles gemem juntos, enlouquecidos pelo tamanho do prazer que estão sentindo. Arthur coloca uma de suas mãos nos seios túrgidos de Lua, massageando entre seus dedos, desce mais e aperta seu clitóris onde ela grita sentindo a tão conhecida pressão em seu baixo ventre, sinal que o seu clímax está próximo.

– Thur… Eu vou... – tenta dizer, mas uma estocada forte de Arthur a faz ver estrelas.
– Eu sei amor, você vai gozar. – sussurra em seu ouvido.

Ele sente ela tremer violentamente e urra quando sente seu membro ser apertado sem dó nenhuma pela intimidade de Lua, sendo coberto pelo seu gozo quente, ele logo a segue, seu gozo sai de seu membro violentamente em jatos abundantes. Ele cai sobre ela, mas logo rola para o lado de olhos fechados tentando acalmar a respiração. Lua vira de costas na cama no mesmo estado que Arthur, se sentindo flutuar.

Quando a respiração se acalma, ele abre os olhos e encontra Lua o encarando sorridente. Ele retribui e a puxa para seu peito beijando seus cabelos, adormecendo logo em seguida.

Continua...

Se leu, comente! Não custa nada.

Ooh! Ooh! Quanto fogo minha gente kkkkkkk senhoooor! Cadê os bombeiros? Isso parece nunca ter fim kkk.

* Little Anie, só posto amanhã!

12 comentários:

  1. Mds oq foiii isso !!!!!!!!! Fogo puro eh a lua que lindooo fez uma tatuagem com o nome dele que amooor !!!!!!! ❤❤❤❤❤❤❤❤❤❤

    ResponderExcluir
  2. A lua é muito fofa ... Posta mais

    ResponderExcluir
  3. (Kkkk muito bom maaaaiss

    ResponderExcluir
  4. Eitaaaa bombeiro kkkkkkkk se ele conseguir apagar kkkkkkkk
    Senhor quanto fogo se Lua não tivesse gravida pode ter certeza era chama a Ludmila que ''É hoje'' hulhulll
    Millyyy to estatelada com esse dois kkkkkkk

    ResponderExcluir
  5. Posta +++++ please...tou amando

    ResponderExcluir
  6. Mais unzinho...porfavorzinho ��

    ResponderExcluir