Uma Linda Mulher - CAP.73

|



Uma Linda Mulher




Capítulo 73:


Mais um dia corrido e trabalhoso se passava, Lua entrou em casa com a cabeça no chuveiro. Deu um beijo em Gabriel, que assistia televisão já tomado banho, se despediu de Nelita com um beijo, e a agradeceu mais uma vez pelo jantar, desejando boa viagem. Subiu para tomar um banho, separou uma calça fuso preta, e uma bata branca, após o banho, deixou os cabelos secarem naturalmente, fez uma maquiagem natural. Desceu se sentando ao lado de Gabriel, comentando sobre os desenhos animados. O telefone tocou e Lua logo atendeu, será que Arthur estaria preso no transito?
Victor – Ora, ora, se não é a maravilhosa esposa e mãe da família Aguiar? – Lua engoliu seco, olhando o filho, se levantou pegando o telefone  caminhando até o escritório – Recebeu as minhas fotos querida?
Lua – O que você quer?
Victor – Seu marido sabe o que quero, ainda não falou com ele, esqueci que a relação de vocês se baseia em…
Lua – Cala a boca! Você quer dinheiro? O que você quer, o que foi que a minha família fez para você?
Victor – Eu tenho dinheiro, eu quero prestígio, fama, posição, nome. – sorriu. – Arthur sabe que você mentiu a ele sobre a sua família?
Lua – O que você sabe sobre a minha família? – engoliu seco. 
Victor – Tudo o que ele não sabe. Quer saber Lua é melhor mesmo que você pense com muito carinho sobre as próximas coisas que vai fazer. Não desejo seu mal, mais não pensarei duas vezes em causa lo se você me atrapalhar. – Lua respirou com dificuldade, antes de bater o telefone no gancho, levou as mãos trêmulas à testa, se sentando na cadeira, subiu a mirada até a porta vendo Arthur parado na mesma, com o semblante sério, e a camisa aberta. O olhou nos olhos, tirando os cabelos do rosto.
Lua – Eu menti para você sobre minha família…– Arthur molhou os lábios a olhando nos olhos. 
Arthur – Eu sei…– Lua franziu a testa o olhando.
Lua – Como? – se levantou o olhando nos olhos mais profundamente. 
Arthur – Depois daquela semana, botei detetives atrás de você. Você havia desaparecido do mapa. Quando eles me entregaram os papéis com as investigações eu não os li, guardei no cofre, e há 1 ano atrás resolvi ler. Eles acabaram descobrindo sobre seus pais…– Lua baixou a cabeça, a balançando negativamente. 
Lua – Porque não me contou? Porque não me cobrou?
Arthur – Porque essa mentira não significava nada perto das que eu contava a você. - Lua piscou duas, três vezes impedindo que o choro viesse, engoliu a saliva saindo do escritório, antes que o pudesse fazer Arthur a pegou pelo braço, a fazendo voltar. – Gabriel tá na sala, e essa conversa não terminou aqui. – Lua o olhou mais uma vez nos olhos, respirou fundo se soltando das mãos dele. Caminhou de volta para sala, sorriu ao filho, na mesa alta da cozinha começou a colocar a mesa de jantar, sentiu suas mãos trêmulas. Arthur sabia que seu pai havia se matado por conta de uma traição de sua mãe, e que logo depois a mesma não havia suportado o peso na consciência e havia partido também. Não que sentisse vergonha, sua mãe e de seu pai eram as pessoas de que ela mais se orgulhava depois de Gabriel. Seus pais haviam escondido ao máximo o que se passavam dela, até que no sitio onde morava a vizinhança começar a dar o que falar logo depois que Cláudia havia morrido. E ela havia fugido de lá, deixando tudo para trás, exceto as lembranças de seus pais. Que preferiu sempre pensar, que haviam morrido de amor. Porque depois de tanto tempo isso a abalava? Pelo fato de pensar que seu segredo estava bem guardado, e descobrir que seu marido já sabia? Na realidade o que Arthur não sabia, ele tinha poder o suficiente para saber de tudo o que pudesse querer saber, o que a fez pensar que não saberia um dos maiores segredos de sua própria esposa?
Lua nunca havia falado sobre sua família, sobre as festas de verão e primavera, como seu pai sorria a sua mãe, e como sua mãe chorava de tristeza depois que ele havia partido…
“Cláudia – Eu amei seu pai bonequinha, mais se eu dia se casar, case se por amor e por nenhum outro motivo…” 
Lua abriu os olhos sentindo seu coração ser tomado por lembranças, lembranças que ainda não havia se permitido a sentir. Olhou Gabriel no sofá, e sorriu, tentou voltar ao normal, mais mesmo assim alguma coisa a incomodava, Arthur... Não suportava a idéia de que talvez agora as coisas não estavam tão bem. A janta foi rápida e silenciosa, Gabriel estranhou e também permaneceu em silêncio como os pais. Após mais algumas horas de televisão, conversa e alguns risos por parte de pai e filho, Lua subiu até o quarto, se sentou de frente para a janela, se sentia calma ali. E agora nesse momento, gostaria de se sentir sozinha...
Gabriel – Mamãe está triste pai? – Arthur lhe acariciou os cabelos. 
Arthur – Mamãe está cansada filho…- Arthur sorriu.
Gabriel – Amanhã é o seu aniversário, me acorda cedinho para eu ser o primeiro a te dar parabéns? – Arthur novamente sorriu e assentiu. 
Arthur – Te acordo...
Gabriel – Você promete?
Arthur – Eu prometo. 
Gabriel – Os outros parabéns só valem depois do meu pai. – Arthur assentiu, desligou a televisão. Gabriel estava com os olhos vermelhos de sono já era tarde e o dia havia sido bem agitado, o pegou no colo, aproveitando para lhe acariciar as orelhas, o fazendo deitar a cabeça, entre seu pescoço e seu ombro, fechando os olhinhos. Arthur apagou as luzes, subindo as escadas. Permaneceu uns 10 minutos deitado com Gabriel até que o mesmo quase dormisse.
Gabriel – Mamãe não me deu boa noite…
Lua – Estou aqui filho…– Lua entrou no quarto, sorriu dando boa noite ao filho com um beijo na testa. – Durma com os anjos…
Gabriel – Sonha comigo…– Lua sorriu, assentiu e o cobriu. Arthur lhe beijou nas bochechas e o menino fechou os olhos caindo no sono. Lua saiu na frente caminhando até o quarto, se sentou na cadeira novamente, sentindo a presença de Arthur atrás de si. Ele se aproximou, ficando colado a cadeira, correu as mãos pelos ombros até chegar nas costelas que Lua, que fechou os olhos deixando a cabeça cair para trás, ele subiu as mãos e ela abriu os olhos.
Arthur – Vem, vamos conversar não brigar…
Lua – Eu não quero brigar…
Arthurc– Eu sei, eu também não, amanhã é meu aniversário e você, ainda me deve um filho…– Lua sorriu, se levantou da cadeira sentaram se ambos na cama.
Lua - Dissemos que não teria mais segredos…
Arthur – Você nunca fala nada da sua família, mal fala dos seus pais, não sabia de nada do seu passado, de onde morou, se havia sido feliz, quem eram seus pais. Lua você tinha bastante dinheiro.
Lua – Eu sei, meu pai tinha bastante dinheiro, mais se afundou em dividas quando descobriu o que minha mãe fez…Ele se matou Arthur, e em uma cidade pequena na que eu morava, as pessoas ficaram sabendo, e minha mãe morreu de desgosto pouco tempo depois, eu não imaginava como ele poderia ter feito isso conosco mais…– lhe faltou as palavras, sorriu tristemente com os olhos cheios de água. – Acho que não quero falar sobre eles…
Arthur – Você deve falar sobre eles. São seus pais, e grande parte de seus medos cabem a eles. Por favor, sou seu marido seu homem pai do seu filho, não há quem você possa confiar mais que eu meu amor.
Lua – Minha mãe, era linda...– sorriu mirando a janela. – Os olhos a boca, era a perfeição em pessoa, e por incrível que pareça você me lembra meu pai. Não éramos ricos, mais tínhamos uma boa quantia em dinheiro e ele a idolatrava, era arrogante e mandão, mais quando minha mãe sorria, os olhos dele brilhavam…Toledo era o vizinho da melhor amiga da minha mãe, me lembro como se fosse a primeira vez quando se virão, meu pai a pegou pelo braço antes que todos começassem a comentar a mirada que haviam trocado. Mais minha mãe era uma boa pessoa Arthur, eu a amava, e meu pai também. Em quanto crescia percebia que as coisas não eram as mesmas, eram dois estranhos debaixo de um teto partilhando uma filha e uma cama. Mais mesmo assim meu pai ainda a amava. E quando minha mãe saiu de casa e voltou apenas no outro dia a noite, tiveram um discussão, e papai só voltou 2 dias depois, ainda bêbado e…– respirou fundo mordendo os lábios trêmulos. – Ele perguntou se eu estava bem, me pegou no colo e corremos pela casa feito doidos, em quanto, mamãe olhava da porta, esperando que ele não a visse, mais quando aconteceu ele a pegou no colo também, e corremos nós três pela casa. A vizinhança já sabia, Loredo não fazia questão de esconder, e mamãe parecia que também não. Então meu pai não chegou depois de dois dias como sempre fazia, e eu soube que algo havia acontecido…- Lua se calou em quanto girava no dedo a aliança de casada. – Eu nunca mais o vi depois desse dia, nunca mais o vi com vida e nem minha mãe para falar a verdade, ela havia morrido de dor eu sei, nunca mais soube de Loredo nem de ninguém. Comprei o sitío e o reformei, e gostaria que em algum dia nosso filho conhecesse o lugar onde cresci. Gabriel adoraria ver a minha casa, é cheia de quintais Arthur, onde minha mãe estendia os lençóis brancos esfregados por ela e por mais ninguém todas as manhãs de sol…
Arthur sorriu levando as mãos no rosto de Lua. 
Lua - Eu me orgulho deles, com toda certeza eu me orgulho, e prefiro pensar que morreram de amor…– Sorriu tristonha fechando os olhos sentindo a caricia de Arthur em seu rosto. 
Arthur – E eu também vou morrer de amor por você…– Lua sorriu lhe dando um tapinha, no ombro, em quanto Arthur sorria a olhando fascinado. 
Lua – Não brinca com isso…– se aproximou o abraçando, sentando em seu colo. 
Arthur – Está vendo, não foi tão difícil. – Lua assentiu se abraçando com força. 
Lua – Estava também no relatório que fui pega beijando um tipo bem apanhado na sala de aula… 
Arthur – Sem graça…– Lua gargalhou o beijando o pescoço, Arthur fez o mesmo alisando as costas dela com as mãos por cima da camisola agora preta de seda. Lua olhou o relógio e sorriu, eram meia noite. Fechou os olhos tendo uma idéia, Ohh, como não podia ter pensado nisso antes, era um passo importante, era um passo essencial, olhou para Arthur que agora lhe alisava os cabelos.
Lua – Parabéns Thur...– Ele sorriu mordendo os lábios. Lua levou as mãos ao rosto dele lhe acariciando. – Seja sempre nosso e nada mais…– Arthur ainda sorrindo olhou o relógio, assentiu a abraçando novamente.
Arthur – Eu serei sempre seu…
Lua – Eu sei que será…– Lua lhe sorriu lhe beijando os lábios, de forma completa, penetrando sua língua na boca de Arthur que após alguns segundos de provocação fez o mesmo em maior intensidade, puxando a nuca de Lua de encontro a si de forma que nada pudesse separar o beijo. Lua sorriu o sentindo excitado.
Lua – Hey, pode jogar água fria nisso aí…– Arthur franziu a testa a olhando. Lua sorriu saindo de seu colo. – Nenhum parabéns vale antes, do seu filho, se lembra…
Arthur – Lua…
Lua – Foi uma promessa…– Arthur fechou os olhos em quanto ela sorria tirando os cabelos do rosto. – Nós vamos dormir…
Arthur – Você quer me matar, já faz dois dias…– Ele mordeu ainda mais os lábios bagunçando, os cabelos, e Lua, caiu na gargalhada.
Lua – Dormir Thur, e sem discussão, amanhã o dia será longo. – Arthur assentiu, sentindo o corpo latejar de dor e excitação, continuou mordendo os lábios em quanto em uma caricia provocante Lua lhe corria os dedos pela barriga, abdômen, e descia, e descia, e descia...
Arthur – Se você não parar vai ficar difícil… 
Lua – Ta, ta bom, parei, parei! - Lua controlou o riso sentido a respiração afoita de Arthur. Ohh como você é má Lua Maria. Fechou os olhos, se aproximou de Arthur que lhe abraçava colando seu corpo na lateral do corpo dele.
Arthur – Boa noite…
Lua – Boa noite, amo você.
Arthur – Eu também…– Arthur fechou os olhos, e Lua pensou que teria que executar seu plano com perfeita e prática rapidez… 
Quando o primeiro raio de sol se fez presente iluminando o quarto, Lua se levantou sem fazer barulho, caminhou até o closet fechando a porta do mesmo, prendeu os cabelos em um rabo de cavalo alto, pegou duas malas começando, colocando roupas leves apenas um agasalho, todos os acessórios que poderiam precisar, sandálias, batas, camisas não pesadas para Arthur. Em 35 minutos a mala do casal já estava preparada, inclusive a mala de objetos de higiene, e de uso pessoal de cada um. Foi até o quarto de Gabriel, que já estava acordado, Lua franziu a testa e o abraçou.







Boa Tarde meninas :)
O que será que a Lua vai fazer?
Querem mais?
COMENTEM!!!

16 comentários:

  1. Maaaaaais por favor, que história tensa essa da lua, ahh mas eles são tão maravilhosos juntos

    ResponderExcluir
  2. Eles estão tão fofos! !!!

    By: Naat '

    ResponderExcluir
  3. Acho q ela vai viajar pra bem longe desses dois pilantras... Posta mais e que eles fiquem bem felizes lindosss

    ResponderExcluir
  4. Acho q eles vão viajar heim! Está mt bom! Posta mais

    ResponderExcluir
  5. Anciosa pra Sabe oq ela vai Apronta *---*
    Posta Mais Por Favooooor

    ResponderExcluir
  6. Posta maiiiiis, por favor, quero muito saber o que vai acontecer, essa união deles tá linda

    ResponderExcluir
  7. Posta maiss q fofos...

    ResponderExcluir
  8. Vão para a fazenda.

    Tive que comentar kkkkkkkkkkkk Morri de rir com o Arthur. Ooh só ficou na vontade mesmo kkk Lua é má.

    ResponderExcluir
  9. Caramba, quero muito ler o próximo capítulo, saber o que a lua vai aprontar kkkkk

    ResponderExcluir
  10. Chegueeeei aaaa onde vcs vaai luua 💞❤

    ResponderExcluir