Uma Linda Mulher - CAP.55

|


Uma Linda Mulher




Capítulo 55:


Lua – Aonde você estava? – Ele a olhou nos fundo dos olhos e negou com a cabeça, em quanto franzia a testa lutando para manter a consciência sã.
Arthur – Trabalhando…– Ela soltou um gemido alto quando Arthur lhe beijou o pescoço puxando levemente seus cabelos. 
Lua – Eu também estava trabalhando. – Lua o olhou nos olhos, e parecia que todo o prazer havia desaparecido, porque ele havia mentido, e ela sabia disso, seu corpo protestou, fazendo com que ela quase novamente encontrasse o prazer que a poucos havia quase explodido. Tomando dela o pouco que restava, continuou a olhar Arthur, e ele pareceu perceber o que havia acontecido, franziu a testa praticamente não entendendo, lhe beijou os lábios mais Lua já parecia não corresponder. Avançou os movimentos a apertando ainda mais contra si, sua aliança brilhava no dedo em que a mãos dele pressionava suas pernas para cima e contra ele.
Arthur – Não faça isso…– Suplicou, sentindo que o corpo dela esfriava em quanto ele quente tentava reanimar as chamas e Lua com os olhos cravados nos dele não dizia nada. – LUA. – gritou esperando que ela respondesse, mais tudo o que conseguiu foi que ela virasse o rosto para o lado e logo em seguida virasse seu corpo também o deixando de bruços no colchão…
O que havia acontecido, seu corpo ardia e seu celébro tentava processar, ele não dava mais prazer a ela, não conseguia mais satisfazer Lua. Com o lençol se cobriu sentando se derrotado na cama. Ela havia se levantado, arrumado a camisola e os cabelos e havia seguido para fora do quarto. Arthur arrumou também a cueca que nem ao menos havia saído do seu corpo, abriu a porta saindo em disparada atrás dela. Ela estava na escada, a puxou pelo braço, Lua bateu de frente com a dura parede do peito nu, o olhou nos olhos mais uma vez. 
Arthur – O que aconteceu? – A segurou calmamente pelos braços, incrédulo, não podia acreditar que havia falhado com ela – Fui eu, foi você? – Ela não respondia, permanecia calada o mirando sem uma expressão que se pudesse dar nomes, a chacoalhou de leve. – LUA. 
Lua – Vai acorda o Gabriel, Arthur. – Respirou fundo saindo dos braços dele tirando o suor da testa. 
Arthur – O que você tá falando? – Desceu as escadas com pressa se colocando na frente dela – Eu vi nos seus olhos, isso jamais havia acontecido antes Lua...
Lua – Não aconteceu nada, Arthur.
Arthur – Como não aconteceu nada? – Tirou os cabelos do rosto, seu corpo inteiro tremia. – Santo Deus foi algo que eu fiz, eu machuquei você? – Colocou as mãos no rosto dela. 
Lua – Não você não me machucou…
Arthur – Então o que houve? O que houve, Lua?
Lua – Eu apenas… – Desviou o olhar – Não tive prazer…. – Ele a olhou, incrédulo, Santo Deus ouviu o grito dela em seu ouvido, estava louca de prazer, podia sentir. Baixou a cabeça com a testa franzida e a mente dando voltas e mais voltas. Havia falhado na única coisa que os mantinha mais próximos o possível… Lua segurava o queixo trêmulo observando cada reação dele, seu corpo simplesmente havia parado de responder e esfriado em questão de segundos, queria dizer que havia sido ela não ele, mais ele havia mentido, em sua cama, dentro de seu corpo era de mais.
Arthur – Eu…Eu sinto muito Lua…– A olhou completamente confuso, sua cabeça vagava para longe, se virou subindo as escadas com pressa quando parou na ponta da escada sem a mirar questionou – Você mandou lavar forameu paletó cinza? – Lua engoliu a saliva . 
Lua – Mandei, porque?
Arthur – Em que lavanderia?
Lua – A da esquina, porque? – Arthur gelou na hipótese de ela ter revirado os bolsos para ver se havia alguma coisa que não poderia ser molhada. 
Arthur – Viu se tinha algo nos bolsos? Acho que havia um documento por lá.
Lua – Não, não havia nada, olhei nos bolsos. – Arthur assentiu desaparecendo de sua vista. Ela franziu a testa cerrando os dentes, sentiu vontade de pegar o porta retrato, tirado no final de semana e atacar na parede o quebrando em milhares de pedaços, olhou o relógio em quanto caminhava até o escritório silenciosamente, já era tarde tardou os passos, deu a volta subindo de volta para a escada quando ouviu seu celular tocar, atendeu se distanciando novamente até a sala de estar sentando se no mármore da janela, eram cerca de quase 00:00, quem seria a essa hora.
Lua – Miguel, tá maluco ligar para a minha casa a essa hora? – Arthur saiu do quarto, precisava conversa com Lua de qualquer maneira. – Nunca mais faça isso, eu ligo para você, eu digo quando jantaremos novamente. – Ela olhou para trás, notando que tudo permanecia silencioso. – Eu também gostei dessa noite. – tentou mentir para si mesma – Não sei, talvez sim, sim Miguel, nos vemos amanhã. – Sentiu um aperto no peito, como se estivesse cometendo um enorme pecado. – Eu não sei se quero continuar, não é certo…– fechou os olhos respirando fundo. – Eu sei, de qualquer jeito eu mal te conheço. Miguel, falaremos sobre isso amanhã, e jamais volte a me ligar em casa, meu marido pode atender. - Lua fechou o celular sentindo um aperto enorme no coração, seu corpo tremia, olhou para trás na sensação de estar sendo observada mais não era nada, apagou a ligação do celular subindo direto para seu quarto… Arthur dormia , com calma se deitou nos lençóis ainda revirados por ela própria, se cobriu com o mesmo lençol fazendo o máximo de esforço para não encostar e acordar Arthur… 
Quando levantou parecia que a horas ele havia saído, mantendo sua rotina acordou Gabriel com beijos e abraços já pronta, viu a agenda do filho o ajudando em algumas coisas e respondendo as milhares de perguntas típicas de crianças, saíram. Logo após de deixar o garoto na escola com um beijo na bochecha, se direcionou ao escritório, tinha reunião logo cedo, ajeitou os cabelos no elevador, cumprimentou a Karla que parecia séria e um tanto assustada. 
Lua – Bom dia Karla, aconteceu alguma coisa?
Karla – Lua…- Entrou junto com Lua na sala da mesma – Então todos a esperando para reunião.
Lua – Sim, estou no horário, mais fora isso? Está tudo bem?
Karla – Falou com o senhor Aguiar essa manhã? Não sei o que acontece, parece fora desse mundo, não responde quando lhe perguntam, fui chamada mais de 10 vezes para dar informações que só a senhora e ele sabem. – Lua franziu a testa, ele estaria tão descontrolado pelo fato de não terem feito sexo ontem? 
Lua – Não, não falei com ele essa manhã. Está descontrolado? Peça para ele vir na minha sala Karla.
Karla – Não adianta senhora, parece mudo, nunca vi o senhor Aguiar dessa maneira, Mel pergunta pela senhora de 2 em 2 minutos. – Lua pegou sua pasta e se dirigiu para a sala. Estavam todos em um mais profundo silêncio, mirou Miguel que lhe soltou um sorriso sensual, Mel parecia subir pelas paredes de tanto nervoso, e os demais administradores a observavam, todos com muita curiosidade.
Lua – Bom dia Senhores. - Se sentou em sua cadeira, na outra ponta da mesa de frente para Arthur, que mantinha o olhar perdido com a cabeça baixa. Ouviu um baixo Bom dia, e olhou para Mel que pedia por socorro. – Bom o assunto em questão é que precisamos contratar mais 13 funcionários para a filial de Madrid. – Todos se voltaram para Arthur esperando que ele falasse algo, mais o absoluto silêncio permaneceu.
Mel – Arthur? – Ele mirou Mel um tanto perdido, olhou as pessoas na sala e seu olhar chegou por fim em Lua, depois de a olhar se levantou pegando sua pasta saindo da sala. Lua engoliu a seco incrédula, todos rapidamente olharam para ela, ali agora não estava sendo apenas Lua a presidente das empresas Venturini, mais sim Lua Aguiar esposa de Arthur Aguiar que parecia ter surtado.
Mel – Lua por favor…– Ela se levantou séria, pediu desculpas ao senhores presentes, caminhando até Karla. 
Karla – Acabou de descer senhora. 
Lua – Disse para onde iria? – Caminhou até o elevador o chamando. 
Karla – Não, não disse nada. – Lua pegou o elevador descendo com pressa, seu instinto gritava para que fosse mais rápido e o alcançasse, mais de repente apertou o botão do elevador para que parasse, encostou se na parede fria de metal respirando fundo, “nada disso” desceu até o térreo, e sem sair do elevador apertou novamente o botão para subir desceu no andar sorriu nervosa para Karla voltando para a sala.
Lua – Arthur teve que resolver alguns problemas, pediu desculpas, podemos continuar? 
Eram quase 19:00 quando Lua chegou em casa com Gabriel no colo, dormia profundamente, mais bastou o colocar na cama para que ele se remexesse e acordasse sorrindo.
Lua – Pensei que estava dormindo…
Gabriel – Cadê o papai mãe?
Lua – Está trabalhando se lembra? Ele já chega meu amor, agora já para o banho para jantarmos. – Gabriel sorriu se levantando.
Gabriel – Posso colocar a roupa do super homem? – Lua sorriu assentindo, o colocou no chuveiro, para depois com a porta aberta retirar as sandálias de salto, fazer um coque nos cabelos. Fizeram a maior bagunça no chuveiro, era espuma para todos os lados, quando por fim desceram, Gabriel se sentou na frente da televisão, pulando no sofá assistindo seu desenho preferido. Lua foi direto para a cozinha, Nelita havia deixado um bilhete dizendo que havia saído mais cedo, e não havia deixado comida pronta, Lua não se enfureceu, a senhora havia avisado, abriu os armários pegando algumas panelas, em uma hora, havia feito uma comida deliciosa e bem colorida, em quanto esfriava, deu uma espiada em Gabriel. Tomou um banho rápido, colocou uma calça preta de moletom uma blusinha agarrada ao corpo mais que não deixava sua barriga a mostra branca, prendeu os cabelos em um rabo casual meio despenteado de cavalo. Olhou para o relógio já eram quase 20:00 olhou na janela e baixou a cabeça ao ver o carro de Arthur naquele momento estacionar, sentiu seu estomago revirar, droga porque ele havia feito isso? Gabriel correu ao ouvir o barulho da tranca da porta.
Arthur, deixou a maleta em cima da bancada pegando e abraçando com força Gabriel, que sorria animado.
Gabriel – Olha só a minha roupa, é do super homem. – mostrou a Arthur que sorriu. 
Arthur– Minha nossa, então quer dizer que estou protegido, tenho um super-herói dentro da minha própria casa. - Gabriel assentiu sorrindo. – Já jantou?
Gabriel – Não, vamos jantar agorinha, sente o cheiro, foi a mamãe que cozinhou hoje. – Deu um gritinho animado caminhando novamente até a sala no colo de Arthur que com cuidado o jogou no sofá arrancando gargalhadas de Gabriel. Virou-se e se deparou com Lua, ela estava séria, não a olhou nos olhos, se aproximou lhe dando um beijo rápido com seus corpos afastados.
Arthur – Boa noite…– Ela nem ao menos se deu o trabalho de responder. Arthur subiu as escadas entrando direto no chuveiro. Gabriel ficou estático olhando para Lua, que engoliu a saliva respirando com dificuldade, ele estava com Elisa? Havia passado o dia inteiro fora. Olhou para o filho e conseguiu sorrir, Gabriel não fez nada apenas ficou a observando.
Gabriel – Você tá brava com o papai? – Lua se aproximou. 
Lua – Imagina meu bem, está tudo bem. Estamos apenas cansados do serviço. Trabalhamos bastantão hoje. – Gabriel assentiu se sentindo seguro das palavras de Lua. Esperaram mais alguns minutos e Arthur desceu, estava com uma calça preta das tantas que tinha, bem larga e o hobbie por cima de seda também preta, sentou se a mesa, em quanto Lua servia a comida, jantaram em silêncio respondendo apenas algumas perguntas de Gabriel. Depois da sobremesa e de assistirem um pouco de televisão Arthur botou o garoto na cama, em quanto Lua se dirigia até o escritório, sentou se na mesa observando que estava sozinha.
A chave da gaveta já estava no bolso, deu uma última mirada por todo o ambiente, abriu a gaveta percorrendo os papéis até encontrar o pequeno envelope, o olhou bem e por fim achando a identificação Elisa Rodrigues Vieira, seu estomago se contorceu e sua testa na mesma hora se franziu. O que Arthur fazia com alguma espécie talvez de exame de Elisa, olhou atenta para frente, voltou à atenção para o envelope que já estava aberto, tirou as folhas sentindo seus dedos trêmulos porque mesmo antes de ler, ela sentia e sabia do que se tratava, levou a mão na boca contendo o grito de horror arregalou os olhos lendo o final do exame. Elisa estava Grávida. Elisa estava grávida do seu marido, sua mente começou a ficar cada vez mais lenta, e seu rosto perdeu a cor com tal velocidade que se não estivesse sentada tinha a certeza de que estaria caída no chão, sentiu náuseas, gritar, tinha que gritar, mais sua voz não saia nada, seu corpo parecia não reagir aos seus estímulos nada, olhou para o telefone ao seu lado, não havia uma gota de lágrima em seus olhos, o que parecia ser pior ainda, parecia então que cada vez mais rápido um nó gigante se formava em sua garganta e seu estomago ameaçava jogar qualquer alimento para fora…






Amores, estou lendo os comentários de vocês, ficam calmos tudo vai se acertar. Logo eles vão ficar juntos. A relação deles, é bem conturbada mesmo, mais eles se amam demais.
Se quiserem um capítulo bônus igual ontem, é só COMENTAR. 

18 comentários:

  1. Logo Agora q Os Dois Tinham Se Acertado,Agora aparece essa Gravidez ...
    Tadinha da Lu *---*
    Posta Mais Por Favor

    ResponderExcluir
  2. Ai que angústia ���� postaa

    ResponderExcluir
  3. To tremendo aqui😁😫 Tadinha da Lua😩
    Mais por favor❤️❤️

    ResponderExcluir
  4. :'( poxa queria eles felizes :'(

    ResponderExcluir
  5. Ai gente que triste, sempre tem alguma coisa impedindo eles de serem feliz :( espero amore que não se demore pra eles ficarem juntos de vez sem nenhum impedimento... Querendo o próximo capítulo pra ontem amore...

    ResponderExcluir
  6. Fiquei triste com esse capitulo! Quero logo eles juntos! Posta mais

    ResponderExcluir
  7. To adorando isso de cap bonus aaah

    To axhando q elisa ta dando golpe da barriga sera

    ResponderExcluir
  8. Tomara que a Elisa esteja grávida de outro

    ResponderExcluir
  9. Ai morrendo de curiosidade kkkk mais por favor :)

    ResponderExcluir
  10. posta mais surtando kkkkkkkk

    ResponderExcluir
  11. É muito suspeito essa história de ela estar grávida, o Thur terminou cm ela aí ela aparece dizendo q tá grávida. Ñ acredito q ela tá grávida

    ResponderExcluir
  12. Essas amantes de fanfic sempre só aparecem grávidas quando o cara termina com elas, nem comento...
    Já pode fazer outra maratona e só parar num capítulo em que eles estejam bem, sério!
    Por favor, muitos capítulos bônus haha

    ResponderExcluir
  13. Nossa um pouco de paz nessa família por favor... faz eles ficarem bem

    ResponderExcluir