Uma Linda Mulher - 2ª TEMP. | CAP.51

|



Uma Linda Mulher - 2 Temporada (Mini Maratona)





Capítulo: 51


Quando separaram seus lábios em busca desesperada por ar, Lua mordeu lhe os ombros, o sentindo tão junto a si que poderia jurar que eram ambos um só corpo.
Arthur – Meu castigo… – mordeu os próprios lábios, a puxando com sensualidade pelos cabelos.
Lua – Eu comando… – sussurrou, mergulhando as mãos nos cabelos castanhos agora quase escuros, á água coberta por espumas formavam pequenas ondas. A respiração ofegante e extremamente pausada gerava gemidos, gemidos que eram calados por beijos, que geravam calor, movimentos e em fim aquele prazer que parecia estar tão perto. – Olhe para mim… – pediu daquela forma tão familiar e séria que ele fazia quando faziam amor. – E me diga o que você vê… – Arthur negou com a cabeça, deixando pequenas marcas vermelhas na coxa e cintura de Lua, onde seus dedos pressionavam com tanta força na busca pela posse de controle.
Arthur – Está me matando Lua… – ela o beijou, calando um gemido que seria certamente alto.
Lua – Diga o que você vê… – pediu novamente, ele a olhou nos olhos, a segurando com mais força contra seu corpo. – Não eu digo… – fechou os olhos com força, o final estava tão próximo. – É o mais puro amor…E o mais excitante dos desejos… Compreende? - ele não respondeu, chamou por seu nome duas vezes antes que tudo desaparecesse em uma escuridão, coberta por pontos brilhantes que enviavam espasmos violentos da mais pura e emocionante satisfação... Permaneceram naquela mesma posição por vários minutos, seguidos de vários segundos, que se tornavam novamente em vários minutos. Ele lhe acariciou as costas, lhe tirando os cabelos dos olhos, em um movimento simples e ágil separou seus corpos, acomodando Lua agora de costas para si, com a cabeça encostada em seu peito nu e com marcas avermelhadas. Silêncio, que logo foi quebrado pela pergunta que ás vezes fazia com que Lua sentisse vontade de chorar.
Arthur – Está tudo bem? – sorriu apertando os olhos. Apenas assentiu lhe abraçando como pode. 
Lua – Você perdeu… – sorriu, brincando com a espuma.
Arthur – Sim, eu perdi… – admitiu com uma careta jogando com os dedos o cabelo para trás.
Lua – Preciso pensar em um castigo…
Arthur – Nada feito, já me castigou o suficiente… – Lua gargalhou.
Lua – Você fala daquilo? Imagina querido, estava só te fazendo cócegas… –  Arthur negou com a cabeça, sorrindo divertido pela gargalhada gostosa que ela soltava. – Hummm, deixe me ver…
Arthur – Não inventa Lua… – mordeu seus lábios voltando a abrir os olhos. 
Lua – Eu quero que você… – ergueu a sobrancelha – Me leve para jantar na sexta…
Arthur – Está brincando, isso é castigo? – debochou.
Lua – Mais quero um jantar preparado por você… – Arthur franziu a testa.
Arthur – Ok, tenho noções básicas de cozinha… – Lua gargalhou em ironia.
Lua – Vou pagar para ver… – se virou ficando de frente para ele.
Arthur – Ok, pensei que seria pior…
Lua – Na realidade, o pior ainda não chegou… – sorriu mordendo os lábios com um olhar travesso. 
Arthur – O que ta querendo dizer?
Lua – Nada… Jantar preparado por você na sexta… – piscou.
Arthur – Combinado…
Lua – Um beijo para selar o acordo? – Arthur sorriu, tendo em seus braços uma perfeita adolescente, se bem que o que haviam feito há poucos minutos atrás, não era nada, nada ingênuo nem muito menos adolescente. – Linda acordou… – se levantou da banheira alcançando seu roupão.
Arthur – Acho que não, o quarto está silencioso, as portas estão abertas escutariamos se ela tivesse acordado…
Lua – Pressentimento de mãe… – se enxugou por cima colocando o roupão, caminhando descalça até o quarto da filha. Observou Linda acordada, observando o pequeno móbile de anjos sobre si. Mexia as perninhas e os braços animada sem soltar nenhum piu. Lua a tocou, chamando por seu nome, e rapidamente a garotinha achou a voz de sua mãe abrindo um sorriso, deixando as pernas de Lua quase tremulas de amor.
Arthur saiu da banheira completamente nu, afastou os cabelos que uniformemente foras jogados para trás com os dedos, pegou a toalha amarrando em volta da cintura e com a outra enxugava o rosto, pelo som da voz de Lua, Linda realmente havia acordado, entrou no closet a procura de uma cueca, seco e a vestindo avistou um envelope branco em cima da penteadeira  de Lua, debaixo de alguns documentos e celular. Arthur franziu a testa observando a porta.
Arthur – Lua?
Lua – Estou aqui com a Linda… – falou em bom tom para que o marido ouvisse. Arthur não respondeu, se dirigiu até a penteadeira pegando o envelope, continha o nome e dados de Lua, era da Clínica, mordeu os lábios sentindo um nó no estomago. "Ela não lhe deu liberdade para isso Arthur." Mais se rompeu em cóleras por alguns instantes antes de abrir o envelope pulando para a conclusão final…
Lua – O que ta fazendo? - Ele se virou na mesma hora a olhando nos olhos, com o envelope na mão, caída ao lado de seu corpo, ele o observou com Linda nos braços, observou o envelope em sua mão. Arthur ficou mudo por alguns instantes.
Arthur – Sou seu marido Lua… – ela assentiu apreensiva, sentou se na cama aconchegando Linda contra seus seios. – Quando pegou isso?
Lua – Chegou ontem cedo… – seu tom agora era baixo, e nada animado. – Iria falar com você hoje, Arthur…
Arthur – Eu não acho que iria… – sentou se ao lado dela com a mirada firme sobre a mesma.
Lua – Precisava de um tempo para assimilar, ok? Só isso, alguns dias e eu… – se emocionou abraçando Linda, lhe beijando a testa. – Eu sinto muito Arthur. Dois vai ter que bastar para nós dois… – mordeu os próprios lábios mirando o teto, seus olhos lacrimejavam com grande intensidade.
Arthur – Dois é o suficiente para nós… – sorriu a ela lhe alisando o rosto com as costas da mão. – Tudo que temos é suficiente para nós, pelo resto da vida ok? – Ela assentiu, se encostando sobre o peito de Arthur, que lhe alisou os cabelos delicadamente. – Estou aqui, eu estou aqui… – ela concordou emocionada, Arthur deixou cair o envelope no chão, acariciando a cabeça de Linda delicadamente. – Você já me deu tudo o que eu poderia sonhar em ter… – sorriu a fazendo encara lo. – Ok? Durma todas as noites pensando nisso… - Um momento que Lua guardaria pelo resto da vida, as janelas se balançaram e a cortina esvoaçou para o lado de fora, Linda arregalou os olhos observando o rosto de Arthur que lhe sorriu amavelmente, que seja o que o destino reservar. Aquela vitória em sua frente, seu filho tão amado valia por qualquer outra coisa que podia querer, sonhar ou almejar na vida. De repente foi tomado por um sentimento estranho, a vontade de largar tudo e todos, pegar sua família e se mudarem para longe desse mundo, vontade de proteger a Lua, proteger Gabriel e Linda das perversidades caóticas do mundo. De não deixar com que seus filhos crescessem, sabendo que um dia acabariam sendo devorados pelo mundo. Negou com a cabeça olhando para o reflexo dos três no espelho, por trás de um grande homem, sempre se esconde uma grande mulher, e Lua era aquela grande mulher. Que estaria sempre ali, olhando por ele e por seus filhos, sabia que ela jamais escorregaria, se manteria firme ali, por eles e por nenhum outro motivo.






Cadê os comentários?
Vou parar a maratona...

11 comentários:

  1. Q capítulo lindo.. Quero q Lua volte a trabalhar logoo.. Posta mais

    ResponderExcluir
  2. Que perfeitoooooos,queremos mais, não pare mesmo :*
    Julia

    ResponderExcluir
  3. Que dó deles só vão pode ter 2 filhos mas os dois da por uns quatro

    ResponderExcluir
  4. Naum Pelo Amor De Deus naum para a Maratona ):
    Estou anciosa pra o Próximo, Tadinho dos Dois,Mais Muito Fofo o Arthur falando pra ela q Dois é o suficiente pra eles *---*
    Amooooo de Mais esse Arthur ...

    ResponderExcluir
  5. Que lindos
    Posta maiss

    ResponderExcluir
  6. Meu deus que cena Forte.... Próximo pelo amor de Deus kk

    ResponderExcluir