Uma Linda Mulher - 2ª TEMP. | CAP.13

|


Uma Linda Mulher - 2ª Temporada





Capítulo: 13


Alisou o travesseiro de Gabriel, sentindo que agora realmente não estava sozinha no quarto, Arthur já estava completamente e impecavelmente vestido, com um terno cinza claro, os cabelos penteados e o corpo perfumado, baixou a cabeça, dobrando o pijama do filho.
Arthur – Nelita, não vem hoje, deixou um beijo… – Lua assentiu, não tinha coragem de olha lo nos olhos. Covarde mais uma vez gritou a si mesma, sentia seu sangue congelar cada vez que ele dizia algo. Arthur se aproximou, sentando se na cama ao lado dela - Você contou para o Gabriel?
Lua – Sim, há tempos ele já fazia perguntas, aproveitei essa manhã que estava animado. Porque você gostaria de ter contado?
Arthur – Contado o que? Não conversamos sobre isso até agora Lua, tenho certeza que o Gabriel sabe mais que eu sobre a minha menina… – Lua não respondeu, continuou dobrando e desdobrando a peça de roupa. – Será que você pode olhar para mim? – sua voz continha a fúria de parecer falar sozinho, Lua o mirou – Pare de agir como seu eu fosse mata la cada vez que me aproximo, para de agir como seu fosse machuca la cada vez que me olhar nos olhos…
Lua – Você me machuca…
Arthur – Sério? E você está me matando! Vamos senhoras e senhores façam as suas apostas, quem morre primeiro de nós dois Lua? – Ela voltou a baixar a cabeça – Não, olhe para mim. Uma trégua Ok? Eu preciso de uma trégua ou vou acabar enlouquecendo! – Lua assentiu, se levantando.
Arthur – Você foge… – balançou a cabeça para os lados sorrindo tristemente – Eu amoleço e você foge… – se levantou a encarando – Então me escute bem, porque acho que você prefere uma coisa um tanto mais autoritária…
Lua– Cala a boca Arthur, antes que a gente comece a se ofender novamente. – sua voz soou baixa – Não há nenhum segredo, estou grávida como você pode ver, é uma menina e estou de sete meses, seria impossível quase dizer quando aconteceu, porque naquela semana fizemos amor diversas vezes, quando eu sai daqui eu sabia que estava grávida, e tem todo o direito de me culpar sobre isso, estou entregando os pontos e as minhas armas Arthur, eu não posso e nunca pude com você… – Ele a olhou de cima a baixo voltando a se sentar na cama. 
Arthur – Relatório completo, Senhora Aguiar… – fechou a cara em uma expressão infeliz. – Quer saber, eu também cansei… - baixou a cabeça e Lua sentiu seu coração dando um salto. – É isso o que tem a me dizer a respeito, da minha filha, da filha que eu pedi para você, da criança que nós fizemos dia após dia? – Lua fechou os olhos – Não é justo Lua… – negou com a cabeça – Eu posso ser o pior dos homens para você, mais não é justo. Sabe lá Deus se fosse em outra época, se não fosse aniversário do Gabriel, eu a veria só depois que ela nascesse?
Lua - Não, você sabe que eu não faria isso com você. No fundo eu sei que sabe Arthur, ainda me senti como eu te sinto…
Arthur – E como você me sente agora? – perguntou a olhando ironicamente. 
Lua – Da mesma maneira como eu me sinto, escute Arthur, eu não quero mais machucar nem causar danos a ninguém, o melhor é que..
Arthur – Você parece não me entender… – negou com a cabeça – Não vou abrir mão de você Lua, e você não vai sair dessa casa, e nem da minha vista, o problema não é nada a não ser o meu descontrole por você e você o sente, não sente? – Lua baixou a cabeça – Sente agora o que me queima de vontade de a puxar pelos braços a colocar em qualquer lugar sólido e lhe mostrar do que eu estou falando? Do descontrole que eu estou falando? – Lua não disse nada, e nem se moveu. – Acha justo me passar um "relatório" sobre a nossa filha? Você acha justo Lua, porque se você achar eu juro que começo a tratar la como um rainha agora mesmo… – mais uma vez silêncio. – Foi o que eu pensei. Tenha um bom dia. – se levantou caminhando até a porta, mais parou quando Lua o tocou no braço, o mirando nos olhos.
Lua – Não, não é justo, mais também não é justo que o erro seja só meu quando foi nós dois que erramos, eu por não confiar em você, e você por não me entender… – Arthur engoliu a seco. – E o que mais me dói Arthur, é saber que o seu presente chega daqui a pouco, embalado em um cobertor rosa quentinho que eu fiz questão de comprar, mais chega assim, no meio desse tormento e desamor…
Arthur – A culpa é minha, a culpa é sua…
Lua – A minha filha, e o Gabriel não vão ficar, crescer com esse rio que sempre há entre nós…
Arthur – Sim há, e a única coisa que parecia funcionar entre nós já não funciona mais, não de maneira completa. Eu falo de olhar nos olhos Lua, eu falo de quando o prazer está tão perto e te olhar nos olhos, era tudo o que me fazia crer que algum dia poderia dar certo…
Lua – Eu acreditei que daria certo…
Arthur – Não, eu acreditei que iria dar certo, você jamais se entregou como eu me entreguei, ás vezes eu chego até a pensar que você não me amou como eu…
Lua – Não diga isso… – franziu a testa levando dois dedos sobre a boca de Arthur. – Só Deus sabe o quanto eu te amo… – Arthur se calou, recebendo tais palavras como um balde de água congelante na face.
Arthur – Porque não dá certo Lua? Porque semanas não são nada mais do que podemos ter um com o outro. Porque, eu tenho tantas perguntas e você não me dá respostas… - Lua se virou baixando sua mão. – Mais jamais, jamais se esqueça, por onde quer que você de mim ou de si mesma Lua… Que você é minha… – Lua fechou os olhos sentindo seu corpo estremecer, cada vez que ele falava tais coisas seu corpo estremecia, se virou o olhando, antes que Arthur pudesse dizer mais alguma coisa, ela abriu a porta saindo do quarto, e seu interior novamente gritou, covarde, Lua você é uma covarde. Parou na porta, sentindo seu coração bater três vezes, de maneira brusca e rápida voltou a abrir a porta e o encarar.
Lua – Não vai para Madrid , é onde tudo começa, e onde a gente sempre termina.
Arthur – Nós não temos nada Lua…
Lua – Então não vá e não destrua o nada que nos resta…
Arthur – Tenho assuntos importantes…
Lua – Por Deus há outra mulher? – Arthur franziu a testa a olhando. 
Arthur – O que te faz pensar que tem o direito de pedir para que eu não fuja de você? – Lua se calou - Porque é isso o que eu vou fazer Lua. E não... – respondeu com sinceridade – Não há outra mulher, e mesmo se tivesse… – se calou – Há outra como você nesse mundo? – Ela ficou sem resposta – Há?
Lua – Não Arthur…
Arthur – Então não há outra mulher. Dê-me um bom motivo para não fazer o mesmo que você… – Lua não sabia o que fazer ou o que falar, estava no quarto, achando se no direito de perguntar se havia outra mulher e o pedindo para que não partisse, para que não fugisse exatamente como ela havia feito, o que se passava por sua cabeça, que diabos se passava pela sua cabeça, era certo? Evitava o, lutando contra tudo e todos para que aquilo terminasse, e agora diante dele lhe perguntava com o coração em frangalhos e despedaçado em sua mão se havia outra mulher, e ainda por cima, pensava no claro motivo para que ele ficasse. Ouviu a gargalhada de Gabriel…






Amores, vou postar um capítulo bônus ainda hoje, tenham calma.
COMENTEM!!!

10 comentários:

  1. Posta mais por favor

    ResponderExcluir
  2. Meu deus que aflição, quando o Arthur vai perdoa ela? Não aguento mais isso :(
    Próximo pra já.

    ResponderExcluir
  3. Não aguento mais essa briga :'( Eles precisam se acertar logo e serem felizes com seus baby's... Quando eles vão parar com essa briga e ser o meu casal mais lindo de novo *-*? Quero o próximo capítulo logo amore'

    ResponderExcluir
  4. Nossa não aguento mais essa briga dos dois se acertem logo

    ResponderExcluir
  5. Aeeeee vai parar justo na parte em q eles se resolvem só pra gente ficar curioso até amh.. Mas a web vale isso amandoo posta maisss

    ResponderExcluir
  6. Perfeitaaaaaaa aeeeeee ja falei q amoo cap bonus ❤❤❤❤

    ResponderExcluir
  7. Posta mais ;) by sofiaxc

    ResponderExcluir