Milagres do Amor - Cap. 31º

|

Milagres do Amor
Paixão inflamável | Parte 3

Pov Narrador

O amor consiste em duas solidões que se protegem, se tocam e se saúdam mutualmente. (Rainer M. Rilke)

Ele a virou delicadamente e deslizou o zíper do seu vestido calmamente, os descendo até seus pés, jogando-o em um canto qualquer. Lua estava com uma lingerie preta, contrastando perfeitamente com seu tom de pele.

– Você quer mesmo me matar. – diz a virando e a encarando. – Desde o momento em que você entrou na minha vida eu desejava fazer isso, Lua…

Passou as mãos por suas coxas e subiu rapidamente, massageando calmamente sua bunda por cima da calcinha.

– Eu sabia que você seria minha, única e exclusivamente minha. – dizia enquanto passeava suas mãos grandes e quentes por todo corpo de Lua, causando arrepios e sensações até então desconhecidas pra ela. – Quando eu te vi com esse vestido curto e colado, meu pau revirou na minha calça, tive que fazer um esforço enorme para não arrastá-la para um banheiro próximo e fazê-la mulher, minha mulher ali mesmo.

O desejo que Arthur estava sentindo podia ser sentindo na barriga de Lua, sua ereção era evidente e palpável.

Lua arfava descontrolada e mordia os lábios tentando segurar os gemidos que ameaçavam sair por sua boca, só de ouvir a voz rouca e sexy a provocando.

– Arthur... – ela gemeu quando ele apertou sua bunda e a subiu delicadamente para seu colo, ela cruzou suas pernas ao seu redor. Agora ela estava no nível de sua cabeça e podia enfiar a mão em seus cabelos revoltos e puxá-los à vontade e foi isso que ela fez, grudou seus lábios com violência e volúpia no seu, mostrando o tamanho de seu desejo, que escorria manchando sua calcinha.

Arthur a colocou suavemente na cama e começou a tirar sua gravata e camisa, para logo depois jogá-los pelo quarto. Lua mordia os lábios apreensiva de tocar seu peitoral definido e musculoso.

Ele deitou sobre ela e atacou seu pescoço, mordendo e colocando beijos molhados no local, Lua passava suas mãos fortemente, arranhando no processo, em suas costas, o puxando e dando livre acesso a seu pescoço.

Arthur sentou na cama a levando junto colocando-a sobre seu colo. Procurou o feixe do sutiã e o abriu, tirando junto com sua mão que escorregou por suas costas até o tirar completamente. Parou em sua cintura apertando levemente e subindo novamente parando na lateral de um seio, o apertando sensualmente.

– Thur – geme, um gemido estrangulado pelo prazer.

Ele a coloca na cama novamente deitando sobre ela. Seus lábios voltaram aos dela e Lua apertou seus ombros largos, descendo por seus braços musculosos. Arthur cessou o beijo mordendo seu lábio inferior, desceu o beijo por seu queixo até chegar ao seio que apontavam para ele de tão duros que estavam.

Quando Lua sentiu a língua gelada e macia de Arthur tocando a pele quente do vão de seus seios arqueou o corpo e puxou seus cabelos, gemendo descontroladamente em seu ouvido.

Ele apertou o mamilo com seus dedos, fazendo Lua estremecer, ele guiou seus lábios para um seio beijando a ponta e depois mordiscando, para depois enfiar tudo na boca de uma vez, enquanto a outro recebia uma atenção especial de sua mão grande o apertando todo, às vezes apenas entre os dedos.

Mordeu, chupou, lambeu um ou o outro com maestria e cuidado como se ela fosse quebrar a qualquer momento, Lua já estava fora de si, esfregava suas coxas uma na outra ansiando por mais de Arthur e gemendo alto, sem nenhum pudor.

Ele desceu sua mão pela barriga reta de Lua, alisando-a delicadamente.

Foi descendo os beijos por sua barriga, parando no umbigo e os circulando com a ponta da língua para logo enfiá-la por completo, tendo o prazer de ouvi-la gritar sem pudor e puxar seus cabelos. Chegou a sua calcinha, deu um beijo sobre o pano fino, para logo tira-la vagarosamente, acompanhando por onde ela passava, dando beijos em sua virilha, coxa, perna, até chegar aos tornozelos, retirou seus sapatos um a um com zelo para depois tirara-la completamente e cheirando, como se o melhor perfume estivesse ali, o que realmente para ele estava.

Lua observou a cena e fechou as pernas gemendo escandalosamente, fazendo Arthur sorrir safado e abri-las novamente.

– Quero sentir seu gosto, saber se é tão bom quando seu cheiro. – disse respirando em sua intimidade.
– Thur…
–Sim meu amor eu farei isso.

Ele beija sua intimidade fazendo Lua se contorcer embaixo dele.

– Tão molhada... – sussurrou contra seu clitóris.
– Arthur… Por favor.
– O que você quer amor? – perguntou apertando a carne de sua coxa.
– Eu quero que você faça isso. – disse com dificuldade.
– Isso? – perguntou penetrando sua língua, brincando e sugando seu clitóris, fazendo o que bem queria. Seus dedos deslizaram para sua gruta úmida e inchada, penetrando vagarosamente fazendo Lua gritar de prazer.

Sua língua saia e voltava brincando com seu clitóris enquanto seus dedos se movimentavam em seu centro. Seu coração disparou e seu baixo ventre se contraiu, apertando os dedos de Arthur em sua entrada, em um orgasmo intenso e poderoso.

Caiu na cama arfante, passando as mãos nos cabelos.

– Seu gosto é tão doce e delicioso como imaginei que seria, é até melhor. Minha Lua.

Lua apoiou seus cotovelos na cama e o viu chupando seu dedo.

– Oh Deus – gemeu caindo na cama novamente.

Arthur se abaixou e lambeu toda sua extensão calma e sensualmente, limpando-a por completo.

Ele subiu sobre seu corpo e beijo seus lábios macios, Lua gemeu mais sentindo seu gosto mesclado com o dele. Levou sua mão até seu membro duro e apertou massageando, fazendo-o gemer, enquanto sua língua brincava com a dele, na dança mais antiga que existe.

Sua intimidade já escorria novamente. Arthur fez menção de se levantar mais foi impedido por Lua.

– O que vai fazer? – perguntou entre beijos
– Pegar uma camisinha – disse rouco.
– Não precisa, eu tomo pílula. – diz mordendo seu pescoço.
– Pílula?
– Sim, eu tomo para aliviar a TPM.
– Ok.

Era tudo que Arthur queria, sentir seu membro livre de qualquer barreira sendo apertado pela intimidade lubrificada e apertada de Lua.

Continua...

Se leu, comente! Não custa nada.


N/A: Elaaaaiaa... Que capítulo wow, e ainda tem mais, e põe mais nisso, minha gente.

Só depende de vocês, quanto mais rápido comentarem, mais rápido eu postarei os capítulos!

10 comentários: