Milagres do Amor - Cap. 30º

|

Milagres do Amor
Paixão inflamável | Parte 2

Pov Narrador

Todos se sentam e logo são servidos com salgadinho e a bebida desejada.

– Aqui está tudo muito bonito. – diz Mel observando o ambiente. – Bem poderia ser melhor, mas está bom.
– Isso já está chato como todos os anos. – diz Arthur emburrado.
– É, não é novidade pra você que vai ganhar de novo esse ano, como todos os anos. – diz Bernardo.
– Se você quiser eu passo pra você. – diz indiferente, pouco se lixando para a tal insígnia, que ganha todos os anos. – Só faço meu trabalho direito, coisa que a maioria não faz.
– Isso é verdade, meu mano é bom no que faz. – Se intromete Chay, enlaçando o pescoço de Rayana. Alguns minutos se passam e Pérola, sua secretaria aparece na mesa.
– Olá senhor Aguiar, reservei aquela mesa para o senhor. – diz mostrando a mesa mais afastada do palco.
– Eu sento aonde eu quiser, Pérola. – diz seco.
– Sim claro. Não vai me apresentar os presentes na mesa?
– É, por que diabos eu faria isso? – pergunta levantando a sobrancelha.
– Lua – diz Lua estendendo a mão para ela que retribui.
– Prazer Lua. E vocês devem ser Chay e a Mel irmãos de Arthur? Pois Bernardo e Rayana já conheço.
– Sim. Você é a secretária que mandou aquele terno horrível ontem não? – pergunta Mel, Chay segura o riso.
– Eu achei bem bonito.
– Pois não era, está precisando se atualizar na moda.
– Sim claro, bem direta como seu irmão. Foi um prazer conhecê-los, com licença.
– Mel colocou pra correr a oferecida. – diz Chay rindo.
– Conheço bem esse tipinho. – diz fazendo bico.
– Bom, Lua eu vou lá trás ver se está tudo como eu deixei quando vim aqui. Logo você entra, vocês não vão ficar a noite toda aqui.
– Obvio que não. – responde Arthur impaciente, Lua apenas assente.

Ray se levanta e sai indo em direção aos fundos do palco

Logo um homem com um terno risca de giz, sobe no palco e começa a falar no microfone.

– Bom, já que nosso convidado de honra já apareceu não a porque esperar mais. – diz calmamente.

Ele começa a tagarelar e tagarelar, nunca chegando ao assunto principal, quando começa já se passou vinte minutos, ai sim ele começa a parabenizar e entregar prêmios para os agentes, Bernardo ganhar um deles, mas o melhor fica para Arthur.

Após o apresentador enche-lo de elogios e coisas mais, Arthur sobe no palco e recebe uma caixinha de veludo preto, onde dentro está uma valiosa insígnia de ouro. Todos aplaudem histericamente e pedem discurso, com toda sua delicadeza ele fala.

– Eu não vou fazer discurso nenhum, tudo que eu tinha para falar, se caso eu falasse, Aron já falou no meu lugar. Então é isso, e se vocês procurassem trabalhar mais e parar de se preocupar com a vida alheia estaria aqui recebendo este prêmio, que eu já estou cansado de receber. – diz irritado.
– Bando de puxa saco. – ri Chay. – Você esculachou os trouxas e eles continuam lambendo o chão que você passa. Por isso eu tenho orgulho de você meu irmão. – gargalha alto.
– Parabéns amor. – diz Lua sorridente lhe dando um selinho.
– Obrigado.
– Lua, Lua querida vem está na hora. – chega Ray afoita na mesa.
– Ok!
– Boa sorte. – todos dizem.
– Eu tenho uma surpresa pra você. – diz beijando as bochechas de Arthur, antes de sair arrastada por Ray.
– Como assim? Volta aqui Lua. – quase grita, mas Lua já estava longe.

Ele bufa.

– Eu sei a surpresa. – diz Mel com uma cara levada.
– Então me conta, oras.
– Nem morta.
– Ah é? – diz ameaçadoramente
– OK, mas não vou contar tudo é sobre a música. Pronto falei, não falo mais nada. – diz zipando sua boca.

Eles esperam dez longos minutos e Ray sobe no palco, Chay assobia, ela ri.

– Olha como todos já sabem eu estava procurando um talento que valesse a pena investir, mas eu queria algo muito bom. E por acaso eu a achei, ela é esplêndida foi além das minhas expectativa, ela é mais do que eu estava procurando. E espero que vocês gostem tanto quando eu… Então com vocês Lua Monroe!
– Lua Monroe? – pergunta Arthur confuso.
– Não é perfeito? Eu que inventei – diz Mel quase pulando da cadeira.
– Perfeito, Melzinha. – diz Bernardo sorrindo.
– Haha, Muito criativo. – zomba Arthur.
– Estou contigo mano, mas não é de todo ruim.
– Argh, vocês que são uns sem cultura. – mostra a língua para eles.

No palco duas mulheres que serão segunda voz, já estavam posicionadas assim como os dois guitarristas. O palco estava com uma fumaça branca em todo o chão, luzes eram espalhas dando um ar mais Romântico.

Uma luz mais forte que as outras se acendeu mostrando somente Lua no piano em cauda preto, sentada em um banco de couro preto aparentemente confortável, sobre o piano estava o microfone.

Ela usava um vestido de seda branco e longo, com as costas expostas e um decote discreto, mas que era tampado completamente por seus cabelos, que foram soltos, e caiam como cascata em seus seios indo até sua barriga.

Ela respirou fundo e começou a tocar a melodia composta especialmente para Arthur.

Quando olho pra você
Todo mundo precisa de inspiração,
Todo mundo precisa de uma música
Uma linda melodia
Quando a noite é longa
Porque não há garantia
De que essa vida é fácil
Yeah

Quando o meu mundo está desmoronando
Quando não há nenhuma luz para quebrar a escuridão
É aí quando eu
Eu… Eu olho para você
Quando as ondas inundam a costa
E não consigo mais encontrar o meu caminho para casa
É aí quando eu
Eu… Eu olho para você

Quando eu olho para você
Eu vejo perdão
Eu vejo a verdade,
Você me ama por quem eu sou
Como as estrelas abraçam a lua
Bem ali onde elas devem estar
E eu sei que não estou sozinha
Yeah

É aí quando eu
Eu… Eu olho para você
Você apareceu simplesmente como um sonho para mim
Como as cores de um caleidoscópio
Que provam para mim,
Que tudo de que preciso
Cada respiração que eu dou
Você não sabe
Que você é maravilhoso
Yeah yeah…

Quando as ondas inundam a costa
E não consigo mais encontrar o meu caminho para casa
É aí quando eu, Eu… Eu olho para você
Eu olho para você
Yeah yeah…

Oh oh…
Você aparece como um sonho para mim…

Em determinado momento Lua se levantou e começou a passear pelo palco, cantando, ela olhava na maioria das vezes apenas para Arthur que estava deslumbrado, assim como todos ali presentes.

As palmas e o sorriso de cada pessoa ali presente no final de sua apresentação foi tudo que Ray precisava para confirmar o que já sabia, agora era questão de tempo para uma gravadora querer lançá-la. Ali tinha pessoa de todo tipo, os shows iam começar a aparecer, assim como dinheiro e fama. Ela tinha colocando alguém para filmar tudo e em breve colocaria na internet.

Todos tinham uma expressão de satisfação no rosto, os mais reservados sorriam abertamente os outros compartilhavam suas opiniões coma amigos sentados ao lado.

– Uau – era o que mais se ouvia ali.
– Obrigada – Lua agradece e sai do palco pelos fundos.
– Nossa, ela está cada vez melhor. – diz Chay – Emprego garantido à vista.
– Ela é muito talentosa. – elogia Bernardo.
– OMG! Vou ter uma cunhada famosa isso não é o máximo? – diz Mel satisfeita e alegre. – E ai maninho gostou da música?
– Perfeita, eu não tinha visto nem escutado essa. – diz piscando os olhos insistentemente, tentando clarear seus pensamentos.
– É claro que não, mas deixa que ela te conta.

Alguns minutos se passaram e nada de Lua voltar, Arthur já estava a ponto de levantar e procurá-la, quando Chay afirma divertido.

– Acho que alguém ira ficar com queixo caído com o monumento que vêm ai.

Arthur olha na direção que ele está olhando e vê Lua vestindo um vestido incrivelmente justo e um pouco curto, azul e preto de mangas compridas, um salto preto e alto, cabelos jogados em seus ombros e algumas cordões em seu pescoço

Arthur sente seu membro dar sinal de vida dentro de sua calça social e fecha os olhos tentando se controlar.

Ela é parada algumas vezes por pessoas parabenizando-a, mas logo chega à mesa sorridente.

– Gostou da música?
– Linda. – diz olhando fundo em seus olhos de chocolates.
– É sua, fiz pra você. – diz mordendo os lábios e corando levemente.
– Obrigada amor. – diz se levantando e juntando seus lábios nos dela com paixão e desejo. – É hora de irmos.
– Chay, a casa é sua, Mel já sabe o hotel que ficarei é só dar o seu nome que já tem um quarto reservado pra você. Chay, olho nesses dois. – diz firme.
– Tchau gente – Lua se despede.

Eles seguem para a porta do clube, Arthur abre a porta do carro para Lua, sobre os flashes dos fotógrafos. Ele entra no lugar do motorista e sai com o carro.

Rapidamente eles chegam ao hotel luxuoso… Arthur dá seu nome na recepção e pega as chaves e vão para o elevador.

Arthur abre a porta e Lua entra na linda suíte, espaçosa e confortável. Sofás em tons de branco, quadros coloridos e bonitos, a cama inteiramente preta com cochas em tons de azul e rosa de sedas, um espelho redondo ao fundo, tudo perfeito e bonito.

– Então, gostou? – pergunta Arthur atrás dela.
– Sim, é lindo.
– Você ainda não viu a varanda. – pega suas mão e a guia até lá.

No chão almofadas coloridas e fofas espalhadas, no centro uma mesa com vasos grandes com velas aromáticas e flores em cima, várias cores e tamanhos.

A comida indiana e massas completavam a mesa, a visão da cidade inteiramente iluminada dando um ar Romântico.

– Está tudo perfeito, você fez isso tudo?
– Bom, a comida não. Mas a decoração pode se dizer que sim. – diz dando seu sorriso torto.

Lua o abraça pelo pescoço e dá um beijo de esquimó carinhoso nele.

– Obrigada.
– Eu que tenho que te agradecer. Agora sente-se e aprecie a comida.

Lua obedece, ele sai e coloca uma música romântica completando o ambiente.

– Adorei a música. – diz comendo uns petiscos.
– Sério? Eu fiz há pouco tempo, eu iria te fazer uma surpresa em outro dia, mas mostrei as músicas para Ray então ela preferiu aquela.
– Não vai beber?
– Não mesmo, só se você quiser que eu fique bêbada e não lembrar de nada amanhã. – diz sorrindo.
– Isso seria muito ruim, pois essa noite será inesquecível pra você. – diz se levantando e estendendo a mão pra ela, que pega sem hesitar. – Uma dança seria ótima, minha cara dama.
– Sem dúvidas meu cavalheiro.

Arthur envolveu sua cintura com uma mão e a outra continua segurando a sua, a música Romântica e sensual, estava perfeita para a ocasião. Eles dançavam no ritmo da música, corpo colado e quente.

Lua estava com a respiração vacilante, Arthur começou trilhar beijos por seu pescoço e chegar a seu ouvido.

– Tem certeza disso Lua? – sussurrou em seu ouvido, fazendo cada pêlo existente no corpo dela se arrepiar.
– Eu só tenho a certeza disso e que eu te amo, nessa minha vida.

Arthur mordeu seu lóbulo, fazendo Lua gemer baixinho e agarrar sua nuca unindo seus lábios ao dele em um beijo sensual e libidinoso. A língua de Arthur devastava cada canta da boca de Lua, lambendo-a na saída.

– Não dá para esperar mais – rosnou Arthur com toda potência de sua voz.

Continua...

Se leu, comente! Não custa nada.


N/A: Arthur um poço de delicadeza, mds! Haha
Uuuhm... Primeira vez a vista (Emoji safadinho haha)

O que estão achando da fic?

Querem maratona dessa fic?

9 comentários:

  1. Amooo Tmb essa Fic,Lógico q Queremos Maratona *--*

    ResponderExcluir
  2. Posta maiss
    Sim faz maratona

    ResponderExcluir
  3. Demaaaais Milly *---*
    Owm Lua que sabe agradar um homem ñ é atoa que Arthur esta arriado por ela u.u
    Adorandoo ;)

    ResponderExcluir
  4. +++++++++ pelo amor de Deus

    ResponderExcluir