Uma Linda Mulher - Cap.34

|



Uma Linda Mulher



Capítulo 34:


Abriu a suíte, se sentindo já confortável no local, afinal grande parte do ano passa em hotéis de países em países, suspirou se sentando. As malas já estavam no quarto, junto com outros pertences e os dois computadores portáteis em cima da mesa, foi tirando o paletó, seu corpo inteiro estava cansaço, era como se um caminhão com 500 toneladas o tivesse atropelado, tantas horas de viagem troca, de aviões era tudo tão cansativo. Entrou na banheira já cheia com água quente e deliciosa, sorriu pelo conforto ao notar seu corpo quente imerso sobre a água. Não Calculou quanto tempo havia demorado, olhou no relógio era madrugada e fazia quase 1 hora que estava na banheira, se levantou já tomado banho. Enxugou-se colocando seu roupão preto com a toalha no pescoço para enxugar os cabelos chamou por Lua, mais notou que ela não estava lá em cima. Andou por todos os lados da suíte aproveitando para reconhecer o longo apartamento...E nada de Lua… Foi até sua mala a abriu pegando uma calça larga de moletom preta, passou as mãos nos cabelos molhados os colocando para trás. Novamente colocou o roupão abriu a porta saindo da suíte, estava tudo deserto e silencioso pegou o elevador descendo no andar principal da recepção, que também estava ampla e vazia, apenas alguns funcionários limpavam o local, e outros conversavam procurando sempre estar fazendo seus respectivos serviços, caminhou mais um pouco até uma sala reservada, que estava com uma luz baixa acesa.
E lá estava ela, com o celular na mão com os cabelos presos em um coque muito mal feito com o aspecto cansado, com o computador aberto na sua frente, digitava com rapidez em quando assinava e escrevia algumas anotações.
Lua – Não Jack, me faça um favor ligue para o Micael e diga que já chegamos, vamos amanhã cedo visitar o prédio. Pelo que vi está novo em folha e pronto para ser utilizado…Não…Não é melhor não, faça o que lhe pedi e amanhã pela manhã volto a falar com você, e também ligo para saber como ele está…Sei sobre a diferença de horário mais é extremamente necessário, bom dia Jack…- Desligou o celular levando as mãos no rosto, fechou os olhos respirando fundo, estava muito mais que exausta estava esgotada. Mais mesmo assim Arthur observou, continuava maravilhosa.
Arthur – É hora de descansar, vem vamos Lua… – Ela ergue a cabeça um pouco assustada, nem tinha notado a presença dele. Fazia quanto tempo que estava lá.
Lua – Não ainda não… – Voltou a digitar e a escrever algumas coisas – Preciso resolver algumas questões sobre…
Arthur – Eu não estou pedindo Lua… – Ela levantou a cabeça com a testa franzida e séria o viu se aproximar, salvar o arquivo e assim de simples desligar o computador guardar tudo em cinco minutos, ela ergueu a sobrancelha de forma desafiante.
Lua – Se eu não estivesse tão cansada te responderia a altura Arthur, tenha a certeza disso…
Arthur– Se eu não estivesse tão cansado pode ter a certeza que já a tinha tirado daí a muito tempo, anda Lua.– Lua se levantou sentindo dor, pelo corpo cansado, começou a caminhar na frente de Arthur, Droga porque mulheres precisavam usar salto? Como se ele tivesse ouvido seus pensamentos logo após de colocar as coisas de volta ao armário para guardar pertences daquela pequena sala de descanso, se aproximou de e a pegou no colo.
Lua – Thur…– não pode terminar, a boca dele a envolvei de leve em um beijo lento e calmo muito mais saboreado do que afoito. Ela rodeou com os braços o pescoço de Arthur deitando sobre seu ombro… 
Continuavam a se beijar no elevador até em fim chegarem na porta da suíte, Lua desceu do colo dele com um sorriso terno, ele a abraçou pelas costas lhe beijando o pescoço e sentindo o cheiro doce que o corpo feminino inalava. Mais, de repente Arthur sentiu como ela ficava fria e trêmula, estava ali, ainda parada na frente daquela porta sem dar nenhum único passo, ele fechou os olhos tentando compreender então finalmente se lembrou, aonde tudo começou, em uma suíte de um quarto de hotel igual ou quase a essa, virou Lua de frente para ele, que estava com o semblante tenso, misturado com o cansaço. A encostou, na porta e olhando nos olhos, não precisou dizer nada, e ela também não, depois de longos minutos ali conversando e se acariciando por olhares Lua pode dizer.
Lua – Nada vai ser igual a antes… – levantou o queixo engolindo a saliva .
Arthur – Não, nada vai ser como antes…- Se aproximou a beijando, daquela mesma forma terna e delicada, mais um pouco mais acelerada, suas mãos subiram pelas costas dela, até encontrarem sua nuca, para depois descer até a cintura. Lua apertou os olhos sentindo os primeiros sinais de desejo, o abraçou correspondendo, deslizando as mãos sobre as costas dele, para depois lhe puxar os cabelos, e lhe morder levemente os lábios. Ouviu um barulho mais não deu muita importância. Continuou com o prazer de ser acariciada daquela forma, ele a devorava com tudo, com todo o corpo com toda a almas, sentiu seu vestido ser desabotoado e assim escorregar pelo seu colo, sendo apenas detido pelas alças, sem parar de beija la Arthur lhe tirou o vestido assim a abraçando com força contra seu corpo…Colando mais uma vez suas intimidades pressionando seus seios sobre o peito dele que já estava também nu. Lua mordeu os lábios gemendo baixinho quando a língua dele deslizou por seu pescoço em um ponto especial que lhe causava um tremendo arrepio, e quando ele parou a olhando nos olhos dando um ultimo beijo, se separou. Lua abriu bem os olhos, onde estavam ? Eles não estavam na porta do… interrompeu seus pensamentos ao ver o banheiro bem decorado na cor branca super elegante, a banheira estava cheia e a água estava quente. Olhou para Arthur que colocava de volta o roupão ele havia entrado com ela pela suíte a fora, Lua nem havia sequer notado.
Arthur – Nada vai ser igual…– Deu uma ultima olhada profunda, cravada nos olhos de Lua para depois fechar a porta em silêncio, Lua abraçou a si mesma para conter a emoção, fechou os olhos se recordando dela sentada na pia quase despida, com as pernas abertas no banheiro, abriu os olhos olhando a banheira, arrancou suas peças intimas entrando na água quente e deliciosa, fechou os olhos depois de se banhar e quando os abriu desconfiou que havia cochilado pelo menos 30 minutos já que seus dedos estavam enrugados, se levantou se enxugando. Uma camisola sua estava em cima da bancada do banheiro junto com um calcinha, ele havia entrado no banheiro em quanto ela dormia? Terminando de se enxugar colocou sua roupa intima e a longa camisola branca de ceda, era mais justa em cima e em baixo bastante larga, penteou os cabelos em um rabo de cavalo, sua valise também estava em cima da pia, escovou os dentes tirando a maquiagem passando apenas um pó fraquinho. Arrumou suas coisas saindo do banheiro, com alguns passos já estava no quarto. Olhou na cama e viu que Arthur dormia de bruços todo esparramado pela cama, grande de casal, apenas com uma cueca boxer preta, estava cansado pelo modo que seu corpo relaxava pela cama, apagou as luzes caminhou até a cama, arrancando a camisola ficando apenas de calcinha apoiou os joelhos na cama se deitando por cima de Arthur… Na mesma hora se mexeu virando se a pegando pela cintura colocando em cima dele, sentiu os seios nus em seu peitoral a apertou contra si, sem abrir os olhos abriu as pernas para que o corpo de Lua escorregasse para o meio delas, ela fechou os olhos deitando sobre o peito dele, respirou fundo ao sentir aquela mãos em suas costas a acariciando em movimentos circulares, para então parar adormecendo novamente. Lua se abraçou a ele, não havia melhor lugar para estar, adormeceu vencida pelo torturante cansaço… Os raios de sol fizeram que devagar os olhos de Arthur se abrissem, não imaginava que horas eram, sorte que naquele dia não iriam trabalhar, precisavam urgentemente descansar para entrar de cabeça nas responsabilidades. Sentiu o peso feminino em cima de seu corpo, e as batidas do coração de Lua, tão controladas e tranqüilas, baixou a mirada ela estava apenas com a parte debaixo e com o corpo no meio de suas pernas, abraçada a ele com as mãos em seu torso também nu, sorriu. Não havia melhor lugar para estar, Arthur pensou fechando novamente os olhos…
Micael se acostumava com o escritório, reclamava a todo instante, ditando ordens para todo o mundo, ligava a todo instante no celular de Lua mais era impossível que ela atendesse. Gritou por Sophia que apareceu na sala, com os cabelos loiros enrolados soltos, uma maquiagem preá como de costume e um belo vestido branco com detalhes rosas, em uma sandália altíssima e elegante...
Lua se mexeu ao sentir os pelos de seu braço se arrepiarem, os dedos de Arthur a acariciavam com tanta leveza, que as pontas dos mesmos quase não tocava sua pele. Apertou os olhos apoiando o queixo na barriga dele o observando com os olhos abertos e brilhantes.
Lua – Que horas são?
Arthur – Não importa, temos todo o tempo do mundo hoje. Falhei com meus planos…– Levou suas mãos até os cabelos agora soltos de Lua os colocando para trás tocando seu rosto.
Lua – Que planos?
Arthur – Não era para eu ter dormido com você… – Lua franziu a testa não entendendo. – Era para eu ter dormido dentro de você, notou a diferença querida…- Lua mordeu os lábios e com a cabeça respondeu que sim. Arthur a levantou pelos braços, esfregando seus corpo, fazendo com que Lua assim ficasse completamente por cima dele. Arthur a olhou nos olhos, o rosto iluminado pelo sol da manhã, tão natural e bela, deixou que seus pensamentos criassem vida.
Arthur – E se eu me apaixonar por você Lua? O que eu faço da minha vida? - Ela parou de sorri arregalando os olhos para logo depois fecha los ao sentir as mãos forte dele apertarem seu quadril contra o dele…Gemeu, de manhã... Fazer amor de manhã era a melhor coisa que se podia fazer…Arthur a virou ficando por cima.
Arthur– Precisamos conversar, nem que seja em quanto fazemos amor, mais precisamos conversar.







Com mais 10 comentários, posto o próximo capítulo.

15 comentários: