Little Anie - Cap. 61

|

Little Anie
Pov Arthur

Desliguei o celular e respirei fundo. Fechei e abri os olhos várias vezes. Por que ela tinha que está tão longe? Por que ela tinha o poder de me deixar tão excitado com apenas palavras? Palavras pervertidas e sussurradas. Sussurradas por ela. Balancei a cabeça e joguei o lençol em cima de Anie. Ela dormia profundamente. Me embrulhei também. E fechei os olhos. Anie estava quase me fazendo cair da cama.

Pov Lua

Era quase nove horas. E depois do banho, eu só consegui dormir pouco mais de uma hora. Nem sonho prazeroso, meu breve descanso me permitiu ter. Sorri frustrada e peguei o celular. Em Londres devia ser quase 3h da madrugada. Arthur devia está dormindo profundamente. Mas disse que eu poderia ligar a qualquer hora. Embora a hora não fosse apropriada para ele, eu ligaria assim mesmo. Rolei na cama e peguei o celular na cômoda ao lado. Disquei o número, e após fazer a terceira ligação, quase eu desisto de tentar ligar novamente, e ele atendeu. A voz baixa e rouca pelo sono. O conhecendo bem, ele ainda devia estar de olhos fechados.

Ligação ON
- Luh? – Perguntou. – Aconteceu alguma coisa? – Sua voz soava preocupação. Embora estivesse baixa devido ao sono.
- Não amor. Eu só não consegui dormir. Sei que é tarde aí.
- Luh... poxa... achei que tinha acontecido algo.
- Me desculpe.
- De manhã eu te ligo. Sério, estou quase dormindo falando com você.
- É que...
- Tá tudo bem mesmo? – Me perguntou. Embora estivesse tudo péssimo. Preferi mentir.
- Tá sim. – Falei rápido.
- Então, de manhã eu ligo. Luh, está tão tarde amor.
- Tudo bem, Arthur.
- Não fique zangada. – Me pediu.
- Não estou. Tá tudo certo. Volte a dormir. Um beijo. – Disse. Mas nenhum som foi ouvido, embora ele não tivesse encerrado a ligação. Ele tinha dormido. Eu tinha certeza. Bufei fazendo uma careta para o nada, e encerrei a ligação.
Ligação OF

Joguei o celular para o outro lado da cama e fechei os olhos, colocando o braço direito sobre eles. À tarde eu iria ao salão com Hanna e Line. O coquetel seria a noite. Eu havia comprado um vestido longo, preto, discreto. Que não deixava de ser lindo. Me espreguicei e levantei da cama. Andei até a porta e sai do quarto. O hotel era grande e maravilhoso. Desci para tomar café, e Hanna estava lá.
- Bom dia, Luh. – Ela sorriu.
- Bom dia. – Falei e me sentei.
- Não vai tomar café?
- Não estou com fome. Eu caí ontem, mana, tô toda dolorida. – Reclamei fazendo uma careta.
- Caiu? Sei... em cima do Arthur? – Perguntou séria. A olhei franzindo o cenho.
- Não. – Ri. – Você é louca. – Ela gargalhou.
- Aah Luh... Se eu tivesse um marido tão gostoso quanto o seu. Acho que eu vivia dolorida sempre. E nem reclamaria. – Comentou enquanto mordia uma maçã. Ri do modo que ela falava.
- Então você acha meu marido gostoso? – Questionei com uma sobrancelha erguida.
- Eu e quase todas as mulheres do mundo. Mas só achamos... Ele é?
- Hanna! – Exclamei. Eu jamais perguntaria isso a alguém.
- De amiga pra amiga. – Comentou. – Embora saiba que a resposta talvez seja sim. Tenho certeza que é sim. – Ela riu. – Adam!
- Hanna! Luh! – Ele sentou-se ao meu lado.
- Bom dia.
- Bom dia! – Ele pegou um copo de suco de laranja. – A cama daqui é super confortável.
- Também achei. – Concordei.
- Eu dormi feito uma pedra. – Hanna nos disse. – Adam?
- Oi.
- Homens que aparentam ser gostosos, são bons de cama?
- O que? – Adam perguntou confuso. Chegou a ser engraçado. Balancei a cabeça.
- Ela enlouqueceu. – Comentei.
- Como eu vou saber?
- Você é homem.
- E? Você que deveria saber... A Luh também. – Ele apontou para mim.
- Já perguntei se Arthur é.
- Você o quê? – Ele arregalou os olhos.
- Ah... o que tem de mais?
- Realmente você é louca. E muito sem vergonha, no bom sentido. – Ele deixou claro.
- Eu sou curiosa.
- Sem vergonha, Hanna.
- Aah. – Ela deu de ombros.

Logo, Line e Afonso apareceram. A gente engatou uma conversa divertida, rimos bastante. Lá pelas 10h30. Ryan apareceu. Ele havia acabado de chegar ao hotel, acho que dormiu fora a noite passada. Nos cumprimentou. E logo subiu para o quarto.

Almoçamos 13h15. Eu comi apenas uma salada. Nada me descia, eu estava me sentindo mal, e meu estômago doía, e muito. Subi para o quarto e me deitei na cama. Eu queria dormir, mas não tinha sono.

Pov Arthur
Era 8h15 quando o relógio despertou. Abri os olhos me espreguiçando. Olhei para o lado e Anie dormia como um anjo. Eu logo a acordaria. Ela tinha balé. O celular estava perto da minha cintura, me recordei de que Lua havia me ligado de madrugada. Mas eu não tinha certeza se havia falado com ela. Eu estava caindo de sono. Peguei o celular e disquei o número dela. No terceiro toque, ela atendeu.

Ligação ON
- Oi. – Disse.
- Oi, Luh. Er... Você ligou de madrugada, eu não sei se falei com você. Não lembro. – Admiti.
- Falou.
- Uhm... Falei besteira? – Perguntei receoso.
- Não.
- E porque você está respondendo assim?
- Assim como?
- Estranha.
- Estou normal. Como Anie está? Ela já acordou? – Me perguntou.
- O que aconteceu Luh?
- Nada.
- Anie está bem. Ainda está dormindo.
- Diz que eu deixei um beijo. Preciso desligar. Vou ao salão com Hanna e Line.
-  Amor. Me desculpe, eu realmente não falei besteira? – Perguntei.
- Já falei que não. Está tudo certo. Só me deixou falando sozinha. Sei que era tarde aí.
- Desculpa.
- Tudo bem, Arthur. Tenho que desligar tá?
- Tá bom. Um beijo, Luh. Te amo.
- Um beijo. – Disse e desligou.
Ligação OF

Deixei o celular sobre a cômoda. E me aproximei de Anie. Ela dormia profundamente, que eu até senti pena de acorda-la. Ela era tão pequena. Depositei um beijo terno em seu rosto. Ela nem se mexeu. Coloquei seus cabelos para trás da orelha.

- Filha? – Chamei baixinho. – Amor? Acorda... – Disse. Ela se mexeu resmungando alguma coisa. E virou o rosto. Acorda-la era mais difícil do que fazê-la dormir. – Anie, acorda meu anjo. Você tem balé. Não quer ir? – Perguntei.
- Não papai. – Sua voz saiu abafada. Por ela estar com as mãozinhas sobre o rosto. Tirei suas mãos.
- Sua mãe lhe mandou beijos. – Falei. Anie sorriu.
- Estou sentindo a falta da mamãe, papai. – Me disse chorosa. – Ela vai demorar?
- Não. Eu vou estar aqui, filha. Tá bom?
- Tá. – Respondeu me abraçando.
- Vamos levantar. – Falei saindo da cama com ela em meu colo. – Vou pedir para Carol banhar você e arruma-la. Tá bom? – Anie assentiu.
- Papai?
- Uhm...
- Você vai ficar lá?
- Você quer que eu fique?
- Quero. – Ela depositou um beijo em minha testa.
- Então eu vou ficar. – A apertei em meus braços.
- Bom dia, princesa. – Mel disse ao ver Anie. – Bom dia, Arthur.
- Bom dia, titia. Vai me ver no balé?
- Bom dia, Mel. – Me senti a mesa, e coloquei suco em meu copo. – Carol. – A chamei.
- Ooh, amor. Tenho que ir trabalhar.
- Poxa, titia.
- Oi, Arthur.
- Dê banho em Anie, e a arrume para o balé. – Falei e ela pegou Anie pela mão.
- Vamos titia. – Disse antes de ir.
- Ela quer que todos a vejam dançar. – Comentei.
- Que horas é a aula?
- Às 9h30. Hoje é mais tarde. – Respondi. – Segunda e quinta começa às 8h.
- Talvez eu vá. Estava pensando se ia mesmo trabalhar. – Disse.
- Não está se sentindo bem?
- Enjôos. – Respondeu. –Muito enjôo.
- Lua enjoou bastante. Às vezes eu me irritava. – Ri baixinho ao me lembrar. Uma vez ela vomitou ao sentir o cheiro do meu perfume. Tive que trocar por um tempo.
- Ela disse que um pouco de tudo.
- Sim. Tudo.
- Ela ligou?
- Falei com ela ainda há pouco.
- E como ela está?
- Disse que bem. Falou ontem que ligaria para você. Ia para o salão. Tem um coquetel a noite lá. – Dei de ombros.
- Vou aguardar. Acho que você com vocês. – Sorriu.
- Ok. Vou tomar meu banho. – Avisei e subi a escada.

Fechei a porta do quarto e tirei a roupa. Tomei um banho rápido, e vesti uma calça comprida, uma camisa polo, e calcei um all star. Peguei um óculos escuro, a carteira e chave do carro. Passei perfume e saí do quarto. Anie já estava arrumada, e me esperava na sala, ao lado de Mel.

- Vamos. – Falei e abri a porta. Anie correu até o carro. E Mel caminhou ao meu lado.
- Vocês vão viajar né?
- An... sim. No sábado. – Falei. Abri a porta do carro e coloquei Anie na cadeirinha. Meu sentou no bando do passageiro, ao meu lado. Liguei o carro e dirigi até onde fica a escola.
- Pra onde?
- Liverpool. Duas semanas. – Respondi. E olhei para Anie.
- Ele vai?
- Provavelmente.
- E depois?
- Do que?
- Da viagem.
- Bom, shows.
- Já terminaram as músicas?
- Sim. – Respondi.

E logo um silêncio nos acompanhou até chegarmos à escola de Balé.

- Chegamos amor. – Falei e saí do carro. Mel fez o mesmo. Tirei Anie da cadeirinha. E adentramos o local.
- Bom dia! – A professora que eu sempre esquecia o nome, nos cumprimentou.
- Bom dia. – Eu e Mel falamos juntos.
- Tia Mel veio me ver. – Anie sorriu ao dizer a professora.
- Foi? Que bom. Fique à vontade, Mel.
- Obrigada.
- Vamos nos sentar. – Falei enquanto tocava no ombro de Mel. E caminhávamos até as cadeiras disponíveis.
- Sair com você é pedir para chamar atenção. Dá próxima vez vem mais feio. – Me disse enquanto se sentava.
- Nem vem... Estão olhando para nós dois. – Tirei o óculos escuro. E o pendurei na gola da camisa.
- Olhando para você. Você. – Insistiu.
- Shiu. Vai começar. – Avisei e olhei para onde as crianças começavam a fazer os movimentos.
- São tão lindas. Se for menina, a minha filha. Irá fazer balé também.
- Vai ser menino, Mel. Aceite. – Retruquei.
- Você tem tanta certeza, eu hein...
- Mais uma mulher... A gente endoida. – Comentei baixo. E Mel me deu um soco.
- Tem o bebê de Sophia.
- Se for uma menina. Coitado do Mika.
- Credo, Arthur.
- Não estou errado. – Ri. 30min haviam se passado.
- Arthur. – Ouvi meu nome. Isla. Era ela mesma.
- Oi.
- Que prazer em vê-lo. – Me disse.
- É o que todos dizem. – Sorri olhando para frente. Eu não a olhava. Mel me cutucou.
- Quem é esse ser? – Me perguntou. Tive que segurar o riso.
- Não ligue.
- Aaah... Quero saber.
- Quem é ela? – Isla perguntou.
- Alguém que você não precisa saber. – Mel respondeu e sorriu sem vontade.
- A outra? – Foi bem direta.
- Não sou bígamo. E nem prático tal coisa. Portanto, não lhe interessa quem ela seja. –A olhei.
- E onde está sua gentil esposa?
- Trabalhando.
- Uma coisa que você deveria fazer também. – Mel completou sorrindo.
- Eu trabalho, querida.
- Aah, me desculpe, mas não parece.
- Você está enganada. – Ela sorriu. – E você? Por que não está no trabalho?
- Não costumo dar informações da minha vida a estranhos. – Mel respondeu calmamente. Logo seu celular começou a tocar, ela o atendeu.

Ligação ON
- Amiga. – Disse. Provavelmente era Lua.
- Oi. Tudo bem?
- Sim. E aí?
- Tô bem. Está no trabalho?
- Não. Estou com Arthur e Anie aqui no balé. Ela me convidou.
- E você não foi para o trabalho? Essa, Anie.
- Eu não ia. Acordei indisposta.
- Mas está tudo bem?
- Sim. Só os enjôos. – Explicou.
- Por que Arthur não atende o celular?
- Uhm... Não ouvi tocar. – Falou. – Arthur?
- Oi.
- Está com o celular?
- Não. – Neguei. – Deixei em casa.  – Lembrei.
- Ele deixou em casa. – Ela disse. – Quer falar com ele?
- Não. Só diz que talvez eu não ligue a noite. Como ele disse, os horários ficaram meio doidos. E daqui a pouco eu tenho o coquetel.
- Tudo bem.
- Dê outro beijo em Anie... Tchau.
- Tchau, Luh.
Ligação OF

- Ela disse que talvez não ligue a noite, por causa do coquetel. Não tem hora pra voltar. E vai tá tarde aqui. – Mel me disse guardando o celular na bolsa.
- Quando eu chegar em casa, tento falar com ela. – Falei.
- Então, é...
- Paaaaaaii... – Anie correu até mim.
- Oi, amor. – Falei lhe dando um beijo.
- Gostou, titia?
- Amei, meu anjo. – Mel beijou as bochechas de Anie. – Luh lhe mandou um beijo.
- Você falou com minha mamãe?
- Falei.
- Só eu que não falo. – Ela fez um bico enorme.
- Quando chegarmos em casa, eu ligo pra ela tá? E vocês se falam. – Prometi e carreguei Anie. – Vamos amor?
- Vamos! Quero sorvete.  – Pediu.
- Tá bom...

Continua...

Se leu, comente! Não custa nada.

E aí, o que estão achando da fic? Me contem!

Beijos.

11 comentários:

  1. Ansiosa para
    o proximo ja 😂😂😂😍👏👏👌

    ResponderExcluir
  2. Isla, já ñ gostei dela . lua ficaria puta de ciúmes . eu acho q a lua vai passar mal nessa viagem . to amando , super apoio maratona Xx adaline

    ResponderExcluir
  3. Essa garota de novo eca. Acho que a Lua está gravida heim! Posta mais amo

    ResponderExcluir
  4. Amando será que a lua ta grávida ♥♥

    ResponderExcluir
  5. Essa Isla toda introsada -.- Tire ela de tempo mesmo Mel ;)
    Ta estranho esses mal estar da Lua.
    Adorandooo *---*

    ResponderExcluir
  6. Essa isla Deus me livre tô quase mandando ela para o espaço cideral
    Anie sentido falta da mãe que lindinho ashuashuahu
    Já quero o próximo.

    ResponderExcluir
  7. Esse mal estar da Lua tô achando que é gravidez chegando ahaha

    ResponderExcluir
  8. Lua que bom humor em kkkk coitado do Arthur kkk amando Lua ta estranha kkk ansiosa curiosa aiii quero mais ;)

    ResponderExcluir
  9. Eita que mudança em Lua kkk ta pior que mel que ta gravida Arthur bichinho perdido fez nada kkkkkk

    ResponderExcluir