O Clube - Cap. 56

|

O Clube – Cap. 56
“A sua vontade de vê-lo... Mesmo que seja de longe vai ser cessada. Ele vai voltar... E junto com ele uma nova vida.”

“Papai? Por que eu não tenho uma mamãe igual à Lesly?”
“Mas, ela está sempre ao seu lado, só que você não a vê.”

POV NARRADOR - QUATRO ANOS DEPOIS.
Realmente o tempo passou pra valer, ele nunca brinca. Arthur, Manu, Sophia e Alessandro estão de malas prontas para voltarem ao Brasil. Manu estava ansiosa com a viagem, ela estava com 2 anos e meio. Mas, Arthur ganhava a filha, o nervosismo de voltar para o Brasil trazia perguntas a ele “Como será que esta tudo?” “Muita coisa mudou?” “Ela seguiu a vida?” “Será que ela esta namorando?” perguntas as quais ele queria fugir... Mas, seu coração não deixava... Ele nunca deixou!

Mas, um ano de faculdade. Era dia 28 de dezembro, Lua estava de férias. Ela, Mel e Chay passaram em todas as matérias na faculdade. Sim... Chay e Mel estavam juntos de novo! E quem separa esses dois? Chay tinha pedido desculpas para a irmã, ela não respondeu, apenas o mandou esquecer o passado. Isso ainda a machucava muito. Ela ainda pensava muito em Arthur, em cada detalhe, em cada toque, na voz, no olhar, no andar, no jeito de sorrir, na hora de falar e no cheiro... O cheiro que ela andava na rua querendo sentir outra vez.

AINDA EM LONDRES

-Papai? –Manu chamava Arthur.
-Oi filha!
-Acorda, a gente vai viajar hoje né?
-Eu já estou acordado, você nem me deixou dormi! E sim é hoje.
 -Eu tenho medo de avião... Minha tia disse que faz medo, ele sai do chão. –A garotinha falava abraçada ao pai.
-Oh’ amor, eu vou está com você princesa. –Arthur deu um beijo demorado na cabeça da filha. Com vontade de matar Sophia, às vezes ela exagerava e achava engraçado meter medo em Manu, o que seriamente deixava Arthur irritado com a irmã.
-Papai? Por que eu não tenho uma mamãe igual à Lesly? –A menina choramingou e Arthur a colocou no colo.
-Eu já te expliquei... –Essa era a segunda vez que Manu fazia a mesma pergunta. A primeira vez foi há duas semanas.
-Mas, eu não entendi! –Ela o abraçou de novo.
-Sabe amor? Antes de ela virar uma estrelinha, ela disse pra mim sempre te falar dela!
-Foi?
-Foi... Ela te amava muito, muito!
-Então por quê ela foi embora? –A menina perguntou baixinho.
-Ela tinha que ir amor... Mas, ela está sempre ao seu lado, só que você não a vê. –Arthur tentou explicar um coisa que era impossível uma criança de apenas 2 anos e meio entender.
-É que eu não conheci ela...
-Mas ela conheceu você. –Arthur falou sorrindo. –Ei, amor... Não chora! –Arthur disse passando a mão e enxugando as lagrimas da filha.
-ARTHUR! ARTHUR! –Sophia gritava.
-OI SOPH! Tá doida? –Ele fez a ultima pergunta baixo.
-AAAI... Levanta looogo. A gente vai viajar daqui à 3h Arthur!
-Eu sei...
-Por que a Manu tá chorando? –Sophia perguntou preocupada.
-Porque eu não tenho uma mamãe... –A garotinha falou sussurrando.
-Todo mundo tem uma mãe querida! –Sophia disse se sentando na cama e passando a mão nos cabelos da garota que tinha o rosto enterrado no peito do pai, ela estava chorando baixinho. –Não chora Manu... A gente vai se diverti muito lá no Brasil, eu prometo! –Sophia tentou fazer a menina sorrir, ela sempre fazia isso, só que nem sempre Manuela colaborava com a tia. –Ah’ Ok! Eu tentei... Não demora Arthur! –Ela disse saindo do quarto e Arthur a acompanhou com o olhar.
-Filha? –Arthur chamou Manu que tinha parado um pouco de chorar.
-Hum... –Ela resmungou baixinho.
-Vamos tomar banho... Daqui a pouco a gente vai viajar!
-Tá! –Nunca foi tão fácil convencer Manuela a tomar banho.

-Já Sophia? –Alessandro perguntou para a namorada.
-Sim! –Ela disse sorrindo e todos saíram de casa em direção ao aeroporto. A viagem ia ser longa.

ARTHUR NARRANDO

Saímos de casa umas nove e meia, nosso vôo atrasou uns 15min. Eu agradeci mentalmente por isso ter acontecido. Talvez eu não estivesse realmente preparado para voltar ao Brasil. Não agora. Soph estava tensa demais. E eu estava com medo mesmo. Manu já estava dormindo, ela estava nervosa quando entrou no avião, claro depois do medo que Sophia meteu nela, normal para uma criança se sentir assustada ao entrar num avião. Todos os meus pensamentos agora estavam somente em uma pessoa. E como ia ser quando eu desembarcasse no Brasil? E quando eu chegasse em frente a minha casa que não era tão longe da dela? Como eu iria olhá-la outra vez? Ela devia esta linda, ela sempre foi linda... Mas, muita coisa mudou agora ela deve ter um amor... Um novo amor. Talvez não!

Continua...


Se leu, comente! Não custa nada.
O reencontro está se aproximando. Bjs...

4 comentários:

  1. caramba triste a Manu perguntando da mãe

    ResponderExcluir
  2. posta mais de um capitulo, eles são muito pequenos

    ResponderExcluir