Peça-me o que quiser agora e sempre - 2º temp. - 30º e 31º Capítulo (Adaptada)

|

Capítulo 30:

De repente, vira sua carinha, seus olhos escuros e puxados me encaram, e responde, enquanto Arthur lhe tira o gorro para deixar sua cabecinha morena descoberta:

— Oi, senhorita Lua!

Uau, que coisa!

Chinês?

Flyn é chinês?

Surpresa com os traços orientais da criança, quando eu esperava um típico menino branco, de olhos azuis, tento me recompor do choque inicial e, com o melhor de meus sorrisos, digo diante da expressão divertida de Arthur:

— Flyn, pode me chamar só de Lu ou Lua, combinado?

Seus olhos escuros me examinam em profundidade, depois ele concorda. O olhar desconfiado é tão penetrante como o de seu tio, e isso me deixa arrepiada. Esses dois, poxa! Mas antes que possa dizer qualquer coisa, entra na sala a mãe de Arthur, Sónia:

— Deus do céu, que maravilha poder falar sem ser aos gritos. Vou acabar surda! Flyn, meu querido, não pode jogar com o volume mais baixo?

— Não, Sónia — responde o menino sem parar de me olhar.

Sónia?

Que impessoal. Por que não a chama de vó ou vovó?

Por uns instantes, observo que a mulher fala com o menino, até que seu celular toca.

Ele se senta de novo no sofá, quando Sónia atende.

— Jogamos uma partida, tio? — pergunta.

Arthur olha sua mãe, mas esta sai apressada da sala. Por fim, se senta perto do sobrinho. Antes que comecem a jogar, me meto:

— E eu, posso jogar?

— Meninas não sabem jogar isso — responde Flyn sem me olhar.

Fico com cara de tacho e, ao desviar o olhar para Arthur, intuo que dissimula um sorriso.

O que foi que esse baixinho disse?

Se há uma coisa que odiei toda a minha vida é que os sexos condicionem o que fazemos ou deixamos de fazer. Surpresa então, fico observando o pirralho, que continua sem me olhar.

— E por que acha que as meninas não sabem jogar isso?

— Porque esse é um jogo de homens, não de mulheres — responde o garoto, enquanto crava de novo seus olhos puxados e escuros em mim.

— Está muito enganado, Flyn — respondo com calma.

— Não, não estou enganado — insiste ele. — Vocês meninas são desajeitadas nas brincadeiras de guerra. Vocês gostam mais de brinquedos de príncipes e modas.

— Fala sério mesmo?

— Sim.

— E se eu te mostrar que nós, meninas, também jogamos Mortal Kombat?

Pensa o que vai responder e por fim diz:

— Eu não jogo com meninas.

Com os olhos arregalados, olho Arthur em busca de ajuda e pergunto em espanhol:

— Mas que tipo de educação machista está dando a este baixinho resmungão? — E antes que responda, continuo com um sorriso falso: — Olha, Arthur, se não fosse teu sobrinho... Porque, se outro me diz isso, eu digo logo uns desaforos, por mais criança que seja.

Arthur sorri como um bobo e responde, enquanto arrepia os cabelos do sobrinho:

— Não se assuste, pequena. Ele quer te impressionar. E aliás Flyn sabe falar espanhol perfeitamente.

Fico de boca aberta, e antes que possa dizer algo, o menino se adianta:

— Não sou nenhum baixinho resmungão e se não jogo com você é porque quero jogar só com meu tio.

— Flyn... — repreende Arthur.

Convencida de que o começo com o menino não foi dos melhores, sorrio e murmuro:

— Retiro o “baixinho resmungão”. Não se preocupe, não jogarei, se você não quiser.

Sem mais, deixa de me olhar e aperta o play. A música atroz soa de novo; Arthur me pisca um olho e começa a jogar com ele.

Durante vinte minutos, observo como jogam. Ambos são muito bons, mas me dou conta de que sei movimentos que eles desconhecem. E não estou disposta a revelar.

Cansada de olhar a tela e de estar de fora da brincadeira desses dois machõezinhos em potencial, começo a andar pela sala enorme. Vou até a grande lareira e olho as fotos que estão expostas.
 

Capítulo 31:

Nelas se vê Arthur com duas garotas. Uma é Sophia. A outra, suponho, é Hannah, a mãe de Flyn. Eles sorriem, e me dou conta de como Arthur e Hannah se pareciam: cabelos claros, olhos azuis e sorriso idêntico. Sem perceber, sorrio.

Há mais fotos. Sónia com seus filhos. Flyn nos braços de sua mãe: bebê, com um macacãozinho que imita uma abóbora do dia das bruxas. Sophia e Arthur abraçados. Me surpreende uma foto de Arthur, muito mais jovem e com os cabelos longos. Uau, que sexy meu Iceman!

— Oi, Lua!

Ao ouvir meu nome, me viro e topo com o sorriso simpático de Sophia. Com o barulho do jogo não a ouvi chegar. Nos abraçamos, e ela diz, tomando-me pela mão:

— Vejo que esses dois guerreiros trocaram você pelo jogo.

Respondo na gozação:

— Segundo alguém, nós, meninas, não sabemos jogar.

Sophia sorri, suspira:

— Meu sobrinho é um pequeno monstro em potencial. Com certeza foi ele que te disse isso, não? — concordo, e ela suspira de novo. — Vamos à cozinha tomar alguma coisa.

Sair da sala é, para mim, e especialmente para meus ouvidos, um alívio.

Quando chegamos à cozinha, vejo uma mulher cozinhando. Ela nos cumprimenta.

Sophia apresenta-a a mim como Cristel e, quando esta volta aos seus afazeres, pergunta:

— Que quer tomar?

— Coca-Cola.

Sophia pega duas latinhas na geladeira. Depois me faz um movimento com a cabeça para que a siga até uma bela sala de jantar ao lado da cozinha. Nos sentamos à mesa e, pela porta de vidro, observo que Sónia, agasalhada, está fora da casa, falando ao telefone. Ao nos ver, sorri, e Sophia murmura:

— Mamãe e seus namorados.

Isso me surpreende. Sónia não é casada com o pai de Sophia?

E quando quase não aguento mais de curiosidade, Sophia toma um gole da Coca- Cola e me explica:

— Meu pai e ela se divorciaram quando eu tinha 8 anos. E, mesmo que eu ame meu pai, sei muito bem que é um homem muito chato. Mamãe é tão cheia de vitalidade que precisa de outro tipo de vida, uma vida mais agitada. — Concordo como uma boba; e ela, divertida, cochicha: — Olha pra ela, parece uma garota de 15 anos telefonando pro namoradinho.

Presto atenção em Sónia e percebo o que Sophia disse. Nesse momento, Sónia desliga o celular e dá um saltinho de emoção. Depois, abre a porta e, ao entrar e ver que estamos sozinhas, nos comunica enquanto tira o casaco:

— Garotas... acabam de me convidar para ir à Suíça. Disse que sim e vou amanhã.

Sua alegria me faz sorrir.

— Com quem, mamãe? — pergunta Sophia.

Sónia se senta com a gente e, com ares confidenciais, murmura:

— Com o gostosão do Trevor Gerver.

— Trevor Gerver?! — gesticula Sophia.

— Ele mesmo, filhinha! — confirma Sónia.

— Puxa, mamãe! Trevor é um gato.

Ajeitando os cabelos, Sónia nos explica:

— Olha, filha, já te falei, esse homem olha para as minhas pernas mais do que o normal, lá no curso. Mais, no dia em que saltei com ele de paraquedas, notei que...

— Saltou de paraquedas? — pergunto espantada.

Mãe e filha me mandam ficar quieta com um gesto e, por fim, Sophia me avisa:

— Nenhuma palavra disso com meu irmão, ok? Ou vai ser um deus nos acuda.

Admirada, concordo com a cabeça. Arthur não deve achar a menor graça nesse esporte radical.

— Se meu filho sabe que nós duas fazemos esse curso, não haverá quem o aguente — me informa Sónia. — É muito rigoroso com a segurança desde que aconteceu o acidente fatal com minha querida Hannah.

— Eu sei, eu sei... Eu faço motocross. No dia em que me viu, quase...

— Faz motocross? — pergunta Sophia, surpresa.

Digo que sim, e Sophia aplaude.

— Puxa vida! — intervém Sónia. — Era isso que minha filha fazia com Jurgen, seu primo. E meu filho não virou uma fera quando ficou sabendo?

— Sim — respondo, sorrindo —, mas já ficou claro que o motocross é parte de minha vida e ele não pode fazer nada.

Sophia e sua mãe sorriem.

— Ainda tenho a moto de Hannah na garagem — comenta Sónia. — Quando quiser pode levar. Pelo menos você a usa.

— Mamãe! — protesta Sophia. — Quer provocar Arthur?

Sónia suspira e, olhando para sua filha, responde:

— Arthur se chateia só de olharem pra ele, querida.

— Isso é verdade, mãe — zomba Sophia.



Flyn vai fazer a vida da Lua um verdadeiro inferno :(

14 comentários:

  1. +++++ ela e perfeita

    ResponderExcluir
  2. Eu pensei que o Flyn fosse gostar da lua :( mais?

    ResponderExcluir
  3. Depois ele vira um anjinho cm a Lua n se preocupem haha
    Posta mais ++++++

    ResponderExcluir
  4. Ahh mdsss agora vem o flyn atrapalhar eles... Espero que ele não encha muito o saco.... Amo essa webb posta maisssss!!!!!

    ResponderExcluir
  5. Sabia que esse menino ia dar problema,ele vai atrapalhar a relaçao deles?Maiss
    Gabs❤️

    ResponderExcluir
  6. Pensei que o pirralho ia gostar da sua nova titia 😫! Continua

    ResponderExcluir
  7. Já não gostei desse garoto !! Mais mal educado não existe !
    Posta +++++++

    ResponderExcluir
  8. Sabia que esse muleque não era boa coisa. E o Arthur vai ficar do lado de quem? Posta maiiis....

    ResponderExcluir
  9. Oh mds , q dia o castigo acaba ?

    ResponderExcluir
  10. Amor nessa fic a Lu fica gravida?

    ResponderExcluir