Forever Too Far - Capitulo 14

|


Arthur
Com Lua ao meu lado durante o jantar eu não seria capaz de me concentrar em Gi. Eu estava indo para proteger Lua.
Quando Gi tinha acordado de seu coma e ela descobriu sobre o bebe ela tinha ficado menos fria com Lua. Então ela descobriu que Billy não era seu pai. Kiro era.
Giovanna estava fora de controle desde etão. Eu entediá seu desejo de ter um pai que a amasse. Eu odiava Billy Blanco por anos devido ao fato da minha irmã estar tão chateada. Mas não tinha sido culpa do Billy. Minha mãe deveria ter sido honesta e a porra do Kiro devia ter se prontificado como meu pai e ter feito alguma coisa.
Lua apertou minha mão com força assim que entramos na sala de jantar. Olhei para a sala e fiquei aliviado, pois Gi não estava aqui ainda. Eu queria ter Lua sentada e relaxada antes da minha irmã aparecesse.
''Você exigiu que esta família se reunir e vem tarde,'' kiro balbuciou e se recostou na cadeira e levou á vista para Lua. Eu estava começando a odiar o homem. Por várias razões.
''Giovanna ainda não está aqui. Nós não estamos atrasados.'' eu respondi e caminhei com Lua para o outro lado da mesa e sentei ao lado do Léo, e peguei uma cadeira do outro lado dela.
''Ela está em sua rara forma. Começou a bater o rum cado'', Léo explicou para Lua.
O olhar de desculpas no rosto do meu pai lembrou-me que ele não era tão cruel como seu amigo. Eu já sabia disso. Ele não tinha me ignorado. Mas, então, Kiro não havia ignorado Bia também. No entanto, eu me perguntava se ela queria ter tido sua mãe e não ter sido tirada dela.
Kiro só forneceu o dinheiro. Sua avó tinha criado. Ele apenas apareceu com pôneis e promessas que nunca manteve.
''Eu estou apenas sendo eu''. Kiro falou para fora de sua extremidade da longa mesa. ''Você está mantendo essa linda menina longe de mim, não é?'' Kiro disse com uma risada. ''Eu estou apenas olhando, rapaz. Não é como se eu fosse tocá-la. Ela está carregando seu filho. Eu fico longe de gravidas. Eu não quero mais filhos atribuídos a mim.''
Lua ficou tensa ao meu lado e eu descansei minha mão em sua perna. Isso não era algo que deveria perturbá-la. Foi uma coisa boa. Mesmo se que quisesse que ele parasse de olhar para ela.
''Papai, deixe Arthur e Lua sozinhos. Sua provocação só faz com que todos fiquem desconfortáveis'', disse Bia.
Ela estava sentada calma menta á esquerda de Kiro. Ela raramente falava, e eu não estava acostumado com sua voz. Isto ainda me surpreendia que aquele homem tivesse produzido ela. Ela não e nada parecida com kiro. Ela também foi á única pessoa que poderia fazer Kiro acalmar-se. Sua voz parecia alivia-lo. ''Tudo bem, querida. Eu não quero estragar o seu jantar. Eu estava apenas brincando.''
''Não estava brincando'', ela respondeu com um jeito suave.
Lua abaixou a cabeça ao meu lado. ''Eu gosto dela'', ela sussurrou tão baixinho que quase não tinha a ouvido falar. Eu sorri. Eu não estava errado sobre Bia se Lua gostava dela. Ela era realmente uma garota legal. giovanna que produzia o inferno.
Um barulho alto de salto batendo no chão de mármore que leva á sala de jantar. Eu fiquei tenso e me preparei para Gi. Ela mergulhou na sala vestido um short gelo azul, macio parecendo um vestido e um salto alto fino. Ela tinha a certeza que ela estava bem para isso. Essa era Giovanna. Eu vi em seus olhos que ela tinha lançado em todos na mesa um olhar altivo.
O brilho em seus olhos irritados quando notou Lua não era nada comparado com o olhar de ódio que ela atirou em Bia. Esperei para ver se ela ia dizer algo que eu precisasse acabar com tudo ali.
Bia manteve seu olhar para baixo e ela continuava a brincar com o guardanapo. no colo. A tensão na sala era enorme e eu odiava que Giovanna achava que ela tinha que fazer isso para chamar a atenção.
''Sente-se menina e pare de ficar rosnando. Queremos comer'', Kiro disse levianamente, e os olhos de Gi brilharam com raiva. Ela olhou para o outro assento ao lado de Kiro e, em seguida, passou-o para sentar-se no outro lado de Léo. A menina em si ainda estava com medo de rejeição. Ela sabia que meu pai não iria rejeitá-la.
''Eu não sabia que você tinha trazido ela'', Gi exclamou.
Lua estava tão tensa ao meu lado eu queria puxá-la contra mim até que ela relaxasse. ''E claro que eu trouxe. Ela vai para onde eu vou.''
Gi revirou os olhos. ''Eu sinto falta do velho Arthur.''
''Eu não'', eu respondi.
''Este é um assunto de família. Você acha que pode lidar com apenas alguns momentos longe dele ou você está pensando em incomodá-lo pelo resto de sua vida?''
A dor da Gi estava se transformando em amargura rapidamente. Ela não ia ocupar-se de Lua, no entanto inclinei-me sobre a mesa e a olhei bem firme. ''Nunca mais fale com ela desse jeito. Se ela não tivesse concordado em vir comigo, eu não teria vindo. Não subestime sua importância. Ela está comigo. Respeite isso.'' Giovanna ouriçou-se e recostou-se na cadeira. Eu odiava falar com ela assim, quando eu sabia que ela estava sofrendo. Mas Lua vem primeiro. Sempre.
''Eu estou morrendo de fome. Onde está a maldita comida? Kiro gritou em voz alta. Duas mulheres em seus vinte e poucos anos vieram correndo com bandejas. Normalmente não havia garçons para servir as refeições por aqui.
Léo e Kiro não eram bons em refeições formais. Mas Léo tinha chamado uma empresa para providenciar e lidar com a refeição da noite. As mulheres tinham um brilho no olhar quando começaram a colocar os aperitivos na mesa e uns drinques a pedidos.
''Olhe para você,'' Kiro disse quando ele deslizou a mão até uma das pernas das mulheres.
''Papai, não'', Bia sussurrou.
Kiro soltou uma risada dura e piscou para a servente.  ''Mais tarde''.
''Deus. Eu não posso acreditar que minha mãe dormiu com este homem,'' Gi disse um pouco alto demais.
''Não vá lá, Giovanna,'' Léo a alertou. Era tarde demais. Eu podia ver a diversão nos olhos irritados de Kiro.
''Por que não? Eu sou um deus do rock, menina. Que porra. Rock. Deus''. Ele tomou um gole de sua bebida e depois sorriu.
''Todas as mulheres querem provar. Sua mãe não foi diferente.''
''Papai, por favor,'' disse Bia, alcançando e tocando seu braço levemente.
''Minha mãe era muito jovem para saber ao certo'', Gi disparou de volta.
''Ela não era tão jovem. Ela estava apenas tentando desesperadamente dormir com cada um de nós. Eu acho que ela pode reivindicar oficialmente o recorde de 'fodeu todos do Demonio Slacker' e isso não é uma tarefa fácil. Léo é mais exigente do que a maioria.''
O rosto de Gi empalideceu e eu sabia que precisava intervir antes que isso ficasse fora de controle.
''Graças á Kiro, para ter certeza que nós estávamos cientes dos hábitos sexuais de nossa mãe quando ela era mais jovem.  Agora, podemos seguir em frente com isso e tentar chegar a um acordo?''
Kiro assentiu. ''Claro. Vamos comer um pouco dessa merda.''
As garçones começaram a caminhar rapidamente em torno da mesa com as bandejas de comida e nos perguntado o que queríamos. Lua recusou a maioria de todos os aperitivos.
Ela só pegou uma fatia de pão.
''Por que você não está comendo mais do que isso?'', eu perguntei preocupado.
Ela se inclinou para mim, para que ninguém a ouvisse. ''Porque eu não posso comer carnes cruas ou queijos com leite não pasteurizado, enquanto eu estiver grávida.''
Merda. Outra coisa que eu não sabia. Eu empurrei a cadeira para trás e me dirigi para a cozinha. Eles estavam indo fazer algo que ela pudesse comer.
                                                                         Continua......
Hey, não vai dar para fazer a maratona agora, talvez depois.

4 comentários:

  1. Annw o Arthur é um fofo com a Lua *---*
    - posta mais !

    ResponderExcluir
  2. Ahhh que fofoooo Arthur uma graca .... Adorandoooo!!

    ResponderExcluir
  3. Arthur se tornou o homem mais perfo do mundo *O*

    ResponderExcluir