"É estranho. Mas é do nosso jeito" - 39º capítulo

|

P.O.V.'s Lua Blanco


- Eu dormi com o Arthur! – falei rápido. Minha mãe ficou branca, sentou na cama e colocou a mão no peito. – Mãe? – gritei
- Filha… você… minha bebé – minha mãe começou a fazer drama
- Bebé o quê mãe? Olha, eu só dormi com o Arthur, verbo dormir. 
- Dormir só mesmo filha? Lua, você é muito nova para já fazer… isso.
- Isso o quê mãe? Amor? Fique sabendo que chegou a hora. – ela arregalou os olhos - Sim, chegou a hora que eu ter a minha primeira vez com o Arthur. A gente se ama muito, tá junto há tanto tempo e chegou a hora…
- Você sabe que isso irá mudar a sua vida, não sabe?
- Como assim?
- Irá se sentir mais mulher, mais amada. Irá querer ainda mais a atenção dele. Irá ficar… mais crescida, mais dengosa. Você vai mudar muito!
- Eu estou preparada para tudo isso. 
- Só… tenha cuidado. Você acha que é mesmo ele o homem da sua vida?
- Homem da minha vida? – eu ri irónica – Hello, mãe? Eu tenho 17 anos. Como vou saber se o Arthur é o homem da minha vida? – tive muita vontade de rir. Mas Bela entrou no quarto.
- Bom dia. – ela entrou no quarto toda sorridente, mas percebeu o momento tenso – Está tudo bem?
- Sim. A minha mãe estava de saída inclusive, né mãe?
- É… - ela suspirou, enquanto pegava a sua bolsa – Se cuida. Juízo meninas. Beijo e estudem, tá? – minha mãe me beijou a testa e saiu.
- Ufa! – dei um grande suspiro, me deitando na cama
- O que foi?
- Momento tempo. Tipo S.O.S. Eu, Arthur e nossa primeira vez.
- ROLOU? – Bela gritou
- Não… mas foi muitoooo quase! – ri, apertando o meu travesseiro – A gente dormiu junto. Só dormiu. 
- Você queria?
- Queria. Mas sei lá… tenho medo.
- É… machuca um pouco.
- Sério? – perguntei intrigada
- É. Mas depois fica legal. Com o tempo você se acostuma.
- E você está mais que acostumada, né vadia? – joguei uma almofada nela
- Idiota. – ela me mostrou a língua – A gente podia sair hoje, não é?
- Sair? Acho que o Arthur não pode
- Ah… é só um passeio bem pequeno… só casais. Que tal?
- É… pode ser. Mas primeiro vou tomar um banho, vou comer e depois vemos para onde vamos. Ok?



   No banheiro, comecei a pensar novamente na noite com Arthur. Quando eu digo noite, até aprece que rolou algo mais que beijos e pegadas bem fortes, mas não. Rolou carinho, beijos quentes, pegadas fortes sim, mas nada de sexo. 
   Bela me deixou intrigada. Será que dói mesmo fazer amor? Até pesquisava na internet, mas vai que alguém me vê pesquisando esses negócios e me ache uma completa tarada. Não sou tarada. Sou apenas curiosa.
   Vesti uma roupa diferente do habitual – uniforme. Vestido larguinho, casaco de ganga e um sapato fechado. Prendi o cabelo e fui para a cantina. Bela nem me tinha esperado. Assim que chego, dou de caras com Frederica. Ela estava sobre o colo do Caio. Era escusado, visto que tem tantas cadeiras por ai, não é mesmo?
   Peguei o meu café e esperei os meus amigos chegarem. Nada. Eu começava a ficar farta e ainda por cima tinha esquecido o celular.

- Lua! – Anita me chamou animada.
- Oi, bom dia – dei
- O Samuel mandou mensagem. Diz que está a adorar Londres. As escolas são otimas, os professores também e tem feito imensos amigos.
- Que bom. Fico tão feliz por ele. Manda um beijo pra ele e diz que estou com saudades.
- Ele disse que talvez vinha cá em Julho.
- Nossa, que bom! – fiquei mesmo feliz. Samuel tinha sido um grande amigo para mim – Você por acaso viu a Bela, o Daniel e o Arthur?
- Sim. Eles estão na sala de convívio.
- Muito obrigada. – limpei os meus lábios e saí da cantina.

   Nunca mais tenho me cruzado com Frederica, graças a deus. Essa menina já me criou problemas suficientes. Ainda bem que ela agora está com Caio. Espero, do fundo do coração, que os dois estejam realmente juntos e que se gostem verdadeiramente. Caio merece alguém que o ame de verdade. Apesar de eu acha que a Frederica não é a pessoa indicada. Mas as pessoas mudam? Não é mesmo?
   Pelo corredor, fui pensando em diversos lugares que talvez poderíamos ir. Podíamos ir à praia, apesar de já não ser verão. Poderíamos ir ao cinema, ao Mc Donald ou simplesmente dar uma volta pelo shopping ou pelo jardim.

- Seus metidos. Nem me esperaram.
- Bom dia amor. Outra vez. – disse ele com os olhos grudados na tv
- GANHEI! – gritou Daniel
- Nossa, que legal. Agora vamos embora! – pronunciou Bela com uma voz irritada, tentando tirar o namorado da frente da tv
- Injusto! A minha namorada me distraiu.
- Agora a sua namorada manda você largar isso aí e ir embora.
- Não antes da desforra. – disse Arthur, dando Play para outro jogo
- Jura isso? Hoje é domingo, seus caras de pau. 
- Eu até responderia, dona Bela. – disse Daniel – Mas estou jogando.
- Vou buscar uma arma e acabar com esse vídeo game! – gritou Bela como uma serial killer.
- Bom, desde que seja só um jogo. Tudo bem. – dei de ombros e sentei no sofá, bem atrás do Arthur. Ele estava sentado no chão com o vídeo game nas mãos e, claro, com os olhos fixos na tv.

   Comecei a bagunçar o cabelo do Arthur. Podia ser que assim ele se cansasse de mim e que largasse de uma vez por todas o vídeo game. Mas não. Ele continuava como se nada fosse.  
   15 minutos se passaram. Mais 15. Mais 30. E eu cansei. Eram quase horas de almoçar e os muleques não largavam aqueles comandos. 

- Cansei! – gritei e levantei do sofá. Estava decidida a ir para o quarto. Bela já se tinha cansado e já tinha ido embora faz tempo.
- Não amor, é só mais esse, eu prometo
- Você nem um beijo me deu, cara. Está sempre aí. Fique sabendo que é o vídeo game e o Daniel que te vão fazer companhia nas próximas noites. – gritei e fui embora.

   Ia para o quarto, até me cruzar novamente com Jhulie. Ela estava querendo fazer uma festa. 

- Os meus pais não estão em casa, por isso podíamos ir até lá e ficar com pouco. O que você acha?
- Eu queria mesmo sair. Que horas?
- 3horas da tarde. Chama mais galera, tá? Vai ter comida, bebida, jogos e até piscina.
- Nossa, que chique – eu ri – Mas a gente se encontra lá, então.
- Ok, beijo. Até logo.
- Até. – disse. Otimo! Já tínhamos planos para a tarde inteira.

(…)

   Fomos de táxi até à casa da Jhulie. A gente se perdeu um pouco nas estradas, mas nada que umas boas chamadas não nos indicassem o caminho. Eu e Bela combinamos fazer greve com os garotos, só para os provocar. Por isso eles nem estavam a fim de vir a essa festa e estava com um grande bico desde que saímos do colégio.

- Vai ser tão legal! – disse eu
- Espero que tenha gatinhos.
- Como é que é? – Daniel, que ia no banco da frente, olhou para trás com os olhos bem arregalados – Isso é sacanagem. 
- Vocês trocaram a gente por vídeo game. Porque é que não podíamos trocar vocês por outros gatinhos?
- Lu, jura? – Arthur me encarou. Nós íamos no banco de trás, com Bela entre nós.
- Juro, sim. – eu ri, fazendo bico pra ele. 

   A casa de Jhulie era enorme. Ela tinha muitos irmãos, todos mais velhos que ela. Estudavam em universidades fora do país e até tinha outros já trabalhando em grande empresas de comércio ou construção. A família só se reunia em comemorações importantes como o Natal e o fim de ano. 
   À entrada, fomos recebidos com um shot. Não sei qual era, mas era bem forte. Bebemos num gole só. Entramos finalmente. Animação, muita galera, comida, bebida e música muito alta. Jhulie estava dançando com um garoto, cuja cara não me era estranha. Provavelmente ele era do colégio. Fui para a mesa dos salgados com a Bela e provamos um de cada. Hoje era dia de comemoração. Arthur e Daniel pegaram um copo cada um e se sentaram no sofá. 

Amores, eu comecei a trabalhar esta semana, por isso eu to sem tempo pra postar, ok?
Eu vou tentar postar mais amanhã, como é sexta, e nesse final de semana também.

10 comentários:

  1. Posta +++++++
    Ameeii *-*
    Esses dois trocando elas por vídeo game !..

    ResponderExcluir
  2. Postaaaaa maissss!
    Se eu tiver um namorado e ele me trocar pro um vídeo game eu término com ele na hora

    ResponderExcluir
  3. boa sorte no trabalho!

    ResponderExcluir
  4. amando a web de montão

    Ana

    ResponderExcluir
  5. +++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  6. te desejo tudo de bom no seu trabalho
    eles meninos são mesmo crianças, trocar as namoradas pelo video game. eles tem que dar o troco neles de brincadeirinha kkkkkkkkkkkkkk

    ResponderExcluir