Certezas - 2ª Temporada - 5º Capítulo

|




POV’s Lua Blanco

   No meu trabalho, sempre tem algo que me leva completamente para longe e me faça esquecer completamente do horário de saída para almoço ou saída definitiva, por um dia. As crianças me encantam. Chega uma mais fofa que a outra, que dá vontade de pegar e levar para casa. Elas são tão pequenas, indefesas, inocentes e fofas que… não tem como não amar.

- Boa tarde doutora. Temos aqui outro caso. É para amanhã, mas você pode levar para casa e estudá-lo.
- De que se trata?
- Violência infantil. A criança foi retirada dos pais e entregue a uma instituição. Tem seis anos e está muito traumatizada.
- Coitadinha. – suspirei

   A maioria dos casos são violência, a falta de um dos pais ou até dos dois e cabe a mim, como psicóloga infantil, ajudar as crianças a atravessarem esse momento difícil das vidas delas.
   Levei a ficha na mão e saí da clínica. Passei por umas criancinhas com quem já trabalhei e ainda parei para as oferecer um desenho para colorir, que sempre costumo dar nos finais das consultas.
   De carro, fui para o trabalho do Arthur. Temos quase o mesmo horário, porém, ele sai uns vinte minutos sempre mais tarde que eu. Eu pretendia seguir os conselhos do Eike e fazer entender à tal Yasmin a que realmente o Arthur pertence.
   Ellie, como sempre, se mostrou simpática comigo e me ofereceu café. Pedi dois e de seguida entrei na sala do Arthur. Ele estava tão ocupado que quase nem me viu entrar. Dessa vez estava sozinho, conversando igualmente sozinho no meio de tantos papeis e com o celular em meio de uma ligação.

- Atende porra. – ele reclamava para o celular – Droga! – disse quando ninguém atendeu, do outro lado, a ligação.
- Boa tarde, meu amor. – disse toda sorridente. Ele olhou para mim, não parecia estar à espera de me ver, mas mesmo assim, se levantou, veio até mim e me deu um abraço apertado, seguido de um beijo.
- Ah anjo, como eu estava precisando disso. – ele pegou o copo do café e se dirigiu ao seu lugar.
- Do abraço, do beijo ou do café?
- De você. – me sentei à frente dele, vendo ele sorrir – Estive pensando muito em nós, sabe?
- Sério? – sorri
- É. Estive pensando em nós, no nosso passado e no nosso futuro. Você não acha que mudamos muito? – ele se esticou para trás e me olhou, sorrindo – Não acha que evoluímos tanto profissionalmente como fisicamente e essas coisas…? Eu me tornei mais adulto e responsável. Você aprendeu a viver com a sua doença, agora trabalha, cuida de uma casa e cuida de mim. – ele sorriu novamente. Aquele sorriso me trás paz.
- Mas você está rabugento também.
- Mas isso é o stress. – ele riu – Mas quero continuar a crescer assim. Futuramente seremos grandes profissionais.
- Só profissionais?
- E apaixonados.
- Futuramente apaixonados?
- Para sempre apaixonados! – rimos – Vem, vem pra cá me dar um beijo!

   Sem pensar duas vezes, coloquei a minha bolsa na cadeira, dei a volta à secretária de Arthur e sentei no colo dele. Senti de imediato uma das mãos dele na minha coxa e outra à minha volta e logo juntamos os nossos lábios. Quando eu pensei que o beijo seria algo calmo, Arthur aperta as minhas coxas, de seguida o meu bumbum e trata de colocar a sua língua colada à minha. Dei permissão como é claro. Toda a vez que ele me beijava assim, eu sentia uma falta de ar e um frio na barriga como se toda a vez, fosse a primeira vez.
   De repente, a porta se abre. Yasmin entrou já falando e quase nem deu de conta, ao certo, do que estávamos a fazer. Eu praticamente saltei do colo do Arthur e puxei a minha saia um pouco mais para baixo, enquanto passava os dedos nos meus lábios para que não se notasse o batom borrado.

- Oi Lua, não sabia que estava por aqui. – ela sorriu para mim, que falsa – O Arthur hoje não parou de falar de si, estava quase ficando impossível.
- Nossa, que exagero! – Arthur riu – Isso são as conclusões do desfile para o próximo domingo? Está tudo fechado?
- Está sim. Já temos a confirmação dos caras de Paris, não é um máximo?
- Meu deus. Estou muito ansioso. Domingo será um grande dia.
- Um grande dia? – tentei entrar na conversa deles – Mas não é apenas mais um desfile? Você já organizou tantos Arthur.
- Não, mas desta vez sou eu que estou à frente e não o meu padrinho, Jonathan. Além disso, depois do desfile irá haver um jantar com todo o mundo que trabalha nas empresas e na fábrica, mais os caras de Paris que vêm. Será algo em grande.
- Vejo que sim. Tudo para este domingo que vem?
- Sim. Tudo para este domingo que vem! – ele sorriu para mim
- Terá que dar umas belas massagens ao Arthur e o deixar bem relaxado para o grande dia, viu Arthur? – Yasmin riu para mim – Ele, domingo, irá estar uma pilha de nervos.
- Eu conheço o namorado que tenho. – disse eu segura de mim
- Bom, eu vou andando. Você devia fazer o mesmo Arthur, trabalhou de mais! – Yasmin saiu e Arthur me encarou
- Precisava dessa grosseria? Ela só estava tentando ser simpática, Lua. – disse Arthur para mim, com um sorriso safado nos lábios. Ele sabia perfeitamente que eu estava com ciúmes.
- E eu estava mostrando pra ela que te conheço. – agarrei a camisa dele e desabotoei o primeiro botão – Vamos para casa?
- Vamos lá, safada. – ele me roubou um beijo e depois desligou o computador.

   Mais uma vez, fomos em carros separados. Cada um de nós tem o seu carro para levar para o trabalho ou outro local qualquer que queiramos ir, porém, fica chato quando nos encontramos e temos de ir, depois, em carros separados para casa.
   O primeiro a chegar é sempre quem pensa no jantar. Quando é Arthur a chegar primeiro, ele prefere comida encomendada, porém, quando sou eu, prefiro mil vezes uma salada ou algo bem rápido de se fazer.

- Eu tenho amanhã uma consulta de rotina…
- Rotina?
- É. Por causa do meu rim emprestado, lembra?
- Lógico! Quer que eu vá com você?
- Não. Você estará ocupado, não é mesmo? – lhe perguntei, enquanto preparava a salada para o nosso jantar
- Não. Amanhã eu prometi relaxar, para que no domingo eu estivesse bem. Podíamos ir à sua consulta e depois passar por um jacuzzi, o que acha?
- Salão de beleza era bem melhor.
- Nem pensar. Vocês, mulheres, ficam se enchendo de fofocas e eu ali… desgraçado, ouvindo e calando tudo.
- Oh, coitadinho do bebé. – fiz bico e ri – Até parece. Quando você trás os seus amiguinhos cá pra casa, pra ver jogo de futebol, eu também fico de lado ouvindo os vossos chingamentos e essas coisas.
- Até parece… - ele me encarou
- Até parece o quê? – perguntei pra ele
- Lua, é diferente! – ele cruzou os braços quando viu que eu tinha razão e ele não.

(…)

   Eu estava realmente nervosa para aquela consulta. De seis em seis meses eu tinha de fazer exames aos meus rins e a todo o meu corpo, para ver se este estava se adaptando bem. Felizmente, o médico não tinha qualquer tipo de queixa para me fazer. Ordenou apenas que eu continuasse com a minha alimentação equilibrada e que continuasse caminhando todas as manhãs, sempre que possível.
  
   Visto que estava impossível de levar Arthur para um salão, pedi então que fossemos a uma clínica onde fazem belas massagens. Podemos também aproveitar do belo jacuzzi e até fazer aulas de fitness.

- Isso não é coisa de mulher? – perguntou ele quando entravamos. Eu dei o meu cartão, como que não é a primeira vez que lá vou, e pedi o que queria fazer, ou melhor, o que eu e Arthur queríamos fazer.
- Não amor, é coisa de quem precisa, apenas. – ri da cara dele.

   Entramos na mesma sala, onde tinha duas macas prontas para nos deitarmos. Havia uma mulher de cada lado, que nos iam fazer as massagens. A sala era relaxante. Tinha os pauzinhos de cheiro, uma música de fundo que me fazia lembrar o mar e várias plantas nos cantos da sala.
   Nós tiramos as nossas roupas ficando apenas de roupa interior, e mesmo assim, eu tive de tirar o soutien. Arthur piscou para mim e mordeu o lábio. Aquele safado não conseguia parar um momento quieto. Eu ri do seu jeito.
   A mulher mais velha fez questão de massajar Arthur, o que lhe agradeci, pois se fosse a morena, que é praticamente da minha idade, ainda ia ficar de gracinhas pra cima do meu namorado.

- Meu deus, você parece tão novo e está tão carregado, garoto.
- Trabalho, trabalho.
- Você exerce que cargo?
- Neste momento, sou chefe de duas empresas e de uma fábrica.
- Ah, não acredito! – disse a morena que me massajava, parando de o fazer para conversar – Você é o afilhado do Jonathan? Jonathan Aguiar?
- Sim, era…
- Pois, lamento a morte dele.
- Pois, eu também. – disse Arthur.

   A garota ficou uns minutos olhando ele ainda e eu fingi uma tosse, para que ela caísse na real e continuasse o trabalho dela. A massagem demorou uns 30 minutos. Saímos de lá bem mais leves e relaxados. Saímos como novos.

- Morena ousada. – reclamei
- Ah cara, como você é ciumenta! – ele me abraçou de lado, enquanto andávamos e beijou o topo da minha testa
- Estou protegendo apenas o que é meu! – respondi.

(…)

   Talvez tenha sido da massagem ou então do banho no jacuzzi de uma hora e trinta minutos, que nos fez sentir um desejo descomunal um pelo outro. Tudo começou dentro do carro, quando senti uns calores imensos e desabotoei um pouco da minha camisa. Arthur passou logo a mão pela minha perna, mesmo enquanto dirigia ao meu lado, e levou a mão à minha intimidade. Pedi que ele ficasse quieto, caso contrário, eu cometeria uma loucura com ele no meio do trânsito.
   Entrando em casa, subi para o colo dele e o beijei por completo. Mordisquei a orelha dele e chupei o seu pescoço, enquanto ele rapidamente fechava e trancava a porta de casa, me levando rápido para o banheiro.
   Tiramos as nossas roupas de imediato e ele ligou a água. Saiu fria no inicio e eu me arrepiei, pois o louco me colocou logo de baixo de água, assim que abriu a box. Ele entrou comigo, já sem roupa, e não parou de me beijar um segundo que fosse. De repente, Arthur me vira, me fixando na parede fria da box, me dá uma palmada na bunda e aperta de seguida.

- Machucou! – reclamei, fazendo bico. Ele riu.

   Quando ele apertou as minhas nádegas, eu senti logo o membro dele roçando entre elas. Soltei de imediato um gemido, fazendo ele rir de novo.

- Eu vou te compensar. – ele riu, me virando rápido para ele e de seguida pegando em mim ao colo. Coloquei as pernas à volta da cintura dele e ele começou a penetrar em mim.

(…)

   O bom, depois de fazer amor, é que acabamos sempre por adormecer lado a lado. Arthur me levou até à cama, jogou a minha roupa interior para que eu vestisse e de seguida eu peguei uma blusa qualquer dele e vesti. Ele se deitou ao meu lado apenas de cueca box e acabou por adormecer, porém, era apenas um sono bem leve. Eu conseguia acordar ele sem o qualquer esforço. Bastava soprar para a orelha dele.

- Já é de manhã? – ele acordou sobressaltado.
- Não! –eu ri muito da sua reação – Ainda é sábado. Relaxa.
- Porra, porque me acordou então? – ele se levantou, um pouco irritado. Foi até à janela do quarto e se debruçou sobre a mesma, olhando o trânsito, bem a baixo. Depois voltou o corpo para dentro e cruzou os braços, olhando para um ponto fixo do quarto – Estou nervoso.
- Por amanhã?
- Que mais seria?
- Eita, calma, ok? Você estava tão relaxado, já vai ficar assim? – me levantei da cama e fui até ele, cruzando os meus braços no seu pescoço.
- Eu quero que… o meu padrinho sinta orgulho de mim, sabe? Mesmo que ele esteja longe… - Arthur suspirou – Quero que ele sinta que valeu a pena ter deixado todo esse trabalho sobre mim e que eu consigo muito bem dar conta do recado sozinho. Entende?
- Entendo. Mas eu sei perfeitamente, e ele sabe também, perfeitamente, que você é capaz de organizar um evento como esse e até um bem maior que esse. Você é capaz de tudo. Você é trabalhador – dei um selinho nele – Esforçado – dei outro selinho – Lindo – outro selinho – E meu namorado, que eu amo muito! – dei um beijo nele, de verdade, para finalizar.
- Só você para me fazer sorrir num momento desses! – ele a abraçou


E esse nervosismo do Arthur? Será que é só mesmo o desfile de moda que o está deixando assim ou haverá algo mais? O que afinal vai acontecer no dia seguinte? Dêem a vossa opinião!

11 comentários:

  1. Mais, por favor !!!

    ResponderExcluir
  2. Espero que dê tudo certo e que ele fique calmo,e que aquela yasmim fique beeeem longee do thur

    ResponderExcluir
  3. Posta maisss
    Pleaser

    ResponderExcluir
  4. Ele tá saindo com a Yasmim? A empresa está falindo?

    ResponderExcluir
  5. Espero que de tudo certo e que a yasmin fique beem longe do Arrthur!
    By: Rafa

    ResponderExcluir
  6. Será que o Arthur trai a Lua com essa tal de Yasmin? Reta nos ver os proximos capitulios! Anciosa web perfeita!
    By:Anny

    ResponderExcluir
  7. Maiiiiiiis! Posta maiiiis ta perfeitaaa

    ResponderExcluir
  8. Será que ele está traindo a Luh? :o
    MAIS!

    Mandy S.

    ResponderExcluir