Certezas - 2ª Temporada - 1º Capítulo

|



   O mundo dá voltas. As pessoas mudam, os sentimentos mudam e a realidade muda também. Passamos a gostar de coisas que antes detestávamos e passamos a fazer novas amizades com pessoas que antes odiávamos. Crescemos e ganhamos confianças, medos e responsabilidades. Tomamos decisões que nos favorecem, mas que podem prejudicar os outros. Às vezes, de cabeça quente, conseguimos magoar aqueles que mais amamos. Um pedido de desculpas só é aceite quando vem do coração, e mesmo assim, desculpas em demasia, cansam!


   Arthur voltou a estudar, como ele tanto queria. Em menos de um ano, concluiu os seus estudos na faculdade e tratou do seu futuro. Ele queria que o seu nome andasse pela boca de todo o mundo, afinal trabalhou para isso. Ele poderia continuar a trabalha na empresa em que ele era secretário, mas ele trabalhou para muito mais. Ele trabalhou para governar uma empresa e quem sabe até uma fábrica.
   Arthur pediu ajuda ao seu padrinho. Jonathan, padrinho de Arthur, é dono de duas empresas importantes no mundo da moda. Junto dessas empresas, tem também uma fábrica de belos modelos de roupas, acessórios e sapatos, que são depois vendidos para as mais caras lojas de Paris. Essas empresas, de que Jonathan é dono, criam os modelos para depois esses modelos serem trabalhados nas fábricas.
   Graças ao seu padrinho, Arthur hoje é um dos empresários dessas empresas. Ele se reúne em reuniões importantes, trata das importações e exportações e ainda pede interligação com empresas em outras partes do mundo.

   Lua também ganhou coragem e se inscreveu nos exames de frequência à faculdade. Finalmente, conseguiu também concluir o seu curso de Letras e rapidamente arranjar outro trabalho. Ela agora é psicóloga infantil. Trabalha numa clínica afamada em Londres e é uma das melhores.

     Cinco anos se passaram…

   Arthur Aguiar POV’s

   Poderia até dizer que controlar duas empresas e uma fábrica é bem fácil. Mas sou apenas empresário e não dono delas. O dia começa cedo para mim. É difícil deixar a Lua em casa enquanto eu venho tão cedo trabalhar.
   Passo sempre primeiro pela secretária, lhe perguntando o que tenho agendado para hoje e de seguida vou para o meu escritório onde Mark já está trabalhando, provavelmente.

- Sempre atrasado! – diz ele centrando nos papeis
- Você não tem uma mulher gostosa em casa pedindo que você fique mais um pouco na cama. – disse eu. Coloquei o meu casaco na cadeira da minha secretária e sentei, pegando as papeladas.
- Mulher? Que eu saiba é namorada! – ele me corrigiu – Mulher tenho eu, meu caro. E olha que também não é nada fácil. Mas cheguei cedo hoje porque o Jonathan disse que ia vir aqui hoje.
- Disse? Não ouvi não.
- Ele disse ontem, enquanto você estava no meio de uma DR com a sua namorada.
- Ahh, nem me fala! – passei as mãos pelos cabelos. Eu e a Lua discutimos por celular porque ela se recusou a vir ter comigo ao trabalho, para depois darmos uma volta. Ela preferiu ir com o seu amiguinho Eike sei lá eu onde. – Aquele Eike está me dando cabo da cabeça. Tudo bem que ele me ajudou com a Lua, há uns anos atrás, mas isso é passado. São águas passadas!
- E o que tem de mal esse Eike?
- Sei lá. Acho que ele gostava dela, na altura.
- E ainda gosta?
- Acho que não. afinal, já se passaram uns… cinco anos? Por aí…
- Parece então que é amor, da parte dele! – Mark riu e eu o encarei sério.

   Hoje faríamos troca de mercadorias para o estrangeiro. A gente ia enviar sapatos acabadinhos de serem criados para eles lá venderem, e em troca, eles iriam nos divulgar por todo o continente Americano.
   Depois da hora de almoço, eu e o Mark estranhamos o meu padrinho ainda não ter chegado. Ele normalmente nunca nos deixa penduramos e é sempre muito pontual.

- Posso? – a secretária nos bateu à porta e entrou. – Eu tenho um comunicado menos bom para vos fazer
- Pode dizer. – disse Mark – É dos Estados Unidos? Há alguma queixa?
- Não, não é nada disso. – ela suspirou e se retardou em falar
- Vá direta ao assunto! – pedi eu, um pouco impaciente e curioso
- É um assunto delicado…
- Vá direta ao assunto! – pedi novamente num tom de voz mais alto.
- É o seu padrinho, Sr Arthur. Ele…
- Ele…?
- Ele morreu!

(…)

   A ficha caiu quando cheguei na mansão e vi vários carros pretos, de gente conhecida. Todos amigos da minha família. Inclusive, o meu pai e a minha mãe também cá estavam e com o tempo Lua chegou também. A minha madrinha estava inconsolável. Chorava mais quando recebia uma palavra de conforto ou um abraço. Confesso que também fique sensível ao receber os pêsames de tanta gente.

- Como isso foi acontecer? – perguntei ao meu pai. A gente tinha vindo até ao jardim conversar a sós.
- Ao que parece, foi um ataque cardíaco essa manhã.
- Mas como assim? Ele era saudável e…
- Filho, isso acontece a qualquer pessoa. A gente pode estar bem, como de uma hora para a outra morrer. Deus é quem sabe.
- Me poupe pai. Alguma coisa estava acontecendo. Eu notei esta semana ele mais nervoso e atrapalhado. Raramente passava na empresa e sempre que passava era muito rápido.
- O funeral é amanhã. – disse meu pai e se retirou.

   Aquilo me deixou pensativo o resto do dia.

(…)

   Eu já havia acabado de me arrumar. Coloquei um terno preto, camisa branca e gravata preta também. Lua estava terminando de se arrumar. Eu não havia dormido muito bem essa noite. A morte do meu padrinho caiu como uma bomba. Eu não estava nada à espera. Ele foi quem me guiou até onde hoje eu estou e tenho muito que lhe agradecer. Tudo o que eu tenho, eu devo a ele. Se não fosse ele, hoje não era o que sou.

- Está pronto?
- Sim. – respondi a Lua.
- Como você está?
- Como quer que eu esteja? – a encarei.
- Eu sei que é difícil. É doloroso. Você devia falar comigo… desabafar. E não se fechar no seu mundo.
- Eu prefiro assim.
- Partilha a dor comigo. Você vai ver que será melhor.
- Não… vamos? – perguntei me levantando do sofá.

   Levei o carro até ao local do funeral. Seria uma cerimónia para os parentes e amigos mais próximos e mesmo assim a igreja estava cheia. Coloquei os meus óculos e entrei. Lua estava de braço dado comigo, igualmente de óculos escuros. Entramos e fomos logo cumprimentar a minha madrinha e de mais família. De seguida, fomos ver o corpo do meu padrinho. Comecei a chorar involuntariamente. Nos últimos anos para cá tenho me tornado numa pessoa mais fria e raramente demonstro o que sinto. Mas agora não consegui conter as minhas lágrimas. Lua apertou o meu abraço e colocou a cabeça sobre o meu ombro.

   A cerimónia decorreu com muito choro. Um homem lutador estava indo embora, talvez para um mundo melhor ou não.
   Após a cerimónia, a minha mãe veio ter comigo e lamentou o sucedido.

- Eu sei que nesses últimos anos vocês andaram muito próximos e isso realmente deve estar te custando muito. Lua me disse que você está num mundo à parte, mas por favor, não se deixe ir. Desabafe e sempre que possível, fale com a Lua. Ela irá te ajudar muito.
- Eu sei mãe. Obrigado. Amanhã eu estou melhor.

(…)

   Com a morte do meu padrinho, eu pude ficar cinco dias em casa. Ia servir para eu pensar e entender a razão de ele ter partido tão cedo.
   Um dia depois do funeral, eu acordei e vi que Lua não estava na cama. Ela também ia ficar em casa, como eu. Coloquei uma bermuda e fui até à cozinha. Ela estava fazendo o café da manhã com um sorriso nos lábios.

- Bom dia! – deu
- Bom dia! – respondi e sentei na cadeira.
- Dormiu bem?
- Nem por isso.
- Eu senti você muito mexido essa noite. – não respondi nada – O que acha de irmos passear hoje? Dar uma volta, pegar um cinema ou…
- O meu padrinho morreu à menos de uma semana e você já quer que eu esteja como se nada fosse?
- Não… eu apenas…
- Você apenas às vezes parece que não tem noção do que diz. Pensa antes de falar Lua. – me levantei, irritado, e fui tomar um banho. Fui seguido.
- Eu sei que está triste e revoltado. Eu estou apenas tentando te ajudar. – ela se mostrava segura do que dizia.
- Fique longe. Já ajuda! – respondi.


E aí? Ficaram felizes com a nova temporada? Como acham que está a relação de Arthur e Lua? Vai durar? Quero muitooooos comentários!!

10 comentários:

  1. Boom criis, eu ameii vc ter colocado uma nova temporada! Muitooo obrigada por atender aos nossos pedidos! Ta ficandoo muitoo lindoo, tirando a relação da Lua e do Arthur neeh! Bjsss

    ResponderExcluir
  2. Amei a nova temporada!Posta mais!

    ResponderExcluir
  3. +++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  4. Pô, a Lua podia dar uma xingada nele, ele ta mt frio com ela, mas eu amei ❤

    ResponderExcluir
  5. To muito hapyyy
    Posta mais hj please

    ResponderExcluir
  6. Quero maisssss cris! Adorei a idéia da nova temp.

    ResponderExcluir
  7. ++++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  8. Nossa Cris, fiquei feliz por ter a segunda temporada mas ao mesmo tempo decepcionado, por que pensei que ia fazer algo diferente, tipo agora o Arthur presenciado da Lua por algum motivo e não algo as outras na segunda temporada a Lua começa se interessar por ago eles acaba separando por brigas :(

    ResponderExcluir
  9. Aaah amandooo q legaal! Posta maais

    ResponderExcluir