A Promessa - Capitulo 14

|



Capitulo 14 
                                O medo floresce melhor nas sobras do desconhecidos.
                                                                     Diário de Lua Maria Blanco
  Era pouco depois das dez da noite, e  eu estava sentada ao lado de Luana em seu leito de hospital quando Mel chegou. Luana estivera calma e adormecida havia quase uma hora. Mel colocou a mão em meu ombro enquanto olhava para Luana.
- Louvado seja Deus – sussurrou. Abraçou-me, 
E então saímos para o corredor, para conversar.
- O que aconteceu? – perguntou Mel.
- Ela teve uma crise convulsiva generalizada.
- Eles sabem o que provocou isso?
- Não. Ela já estava bem quando chegou ao hospital. Até parecia que nada tina acontecido.
- Isso tem alguma relação com as outras coisas pelas quais ela está passando?
- Não sei. Talvez. Mas seja o que for, está piorando. – Lágrimas começaram a brotar de meus olhos. – estou com tanto medo. E se perdemos ela também?
- Nem pense nisso. Vc não vai perde-la.
- Eu gostaria que vc pudesse me prometer isso.
Comecei a chorar e desabei sobre Mel. Ela delicadamente esfregou as minhas costas.
- Está tudo bem, querida. Está tudo bem.
Poucos minutos depois, quando consegui falar, perguntei:
- Como está Jan?
- Um pouco abalada, mas está bem. Ela nunca passou por algo assim.
- Ela contou a vc o que aconteceu?
- Ela disse que Lulu estava comendo quando começou a conversar de um jeito engraçado. Ela lhe perguntou se estava brincando, e disse que Luana apenas olhou para ela e começou a tremer.
Suspirei.
- Graças a Deus que ela estava lá. Eu estava no banheiro me aprontando quando tudo aconteceu, nem teria sabido o que aconteceu. – e solucei novamente.
Mel me abraçou.
- Ela está bem, é isso que importa. – Depois de alguns minutos ela perguntou: - como o seu amigo reagiu a toda essa agitação?
- Meu amigo – falei. Tinha me esquecido totalmente de Arthur. – aconteceu antes que ele chegasse. Nem ao menos nos tenho seu número de telefone. Ele provavelmente pensa que o deixei na mão.
- Bem,não se preocupe com isso. Se ele for ocara certo, irá compreender. E se não for, vc não precisa dele.
- Eu não preciso dele, de modo algum – falei. – não preciso de ninguém novo em minha vida neste momento. Se esta noite me ensinou algo, é que Luana precisa de mim. Ela já perdeu o pai – não posso partilhar ainda mais o meu tempo. Ela precisa de mim.
- Está bem, está bem – falou Mel, acalmando-me.
- Eu entendo.
Nesse instante, o médico entrou no quarto.
- Senhora Blanco? – falou, olhando ora para Mel, ora para mim.
- Eu sou a senhora Blanco.
- Sou o doutor Lucas.posso falar com vc um instante?
- É claro.
O médico voltou-se para Mel.
- A sós.
- Está tudo bem – eu disse. – ela é da família.
- Apenas quero atualizá-la do que sabemos. Obviamente, ela teve uma convulsão, mas não acreditamos que esteja relacionado aos seus outros problemas de saúde. Eu voltei e revi seus registros, e gostaria de fazer mais alguns exames para verificar se podemos restringir as possibilidades mais um pouco. Estou particularmente preocupado com a dor abdominal que ela está sentindo.
Estava cansada de ouvir isso.
- vc não tem nem ao menos um palpite do que pode ser? 
- São apenas palpites. Mas quero examiná-la para o mal de crohn e a doença de Whipple.
Meu coração parou.
- Algumas dessas doenças são mortais?
- Por favor,não estou dizendo que ela tenha alguma dessas doenças. Certos sintomas estão presentes, mas ainda é muito cedo para dizer. A doença de whipple é uma infecção bacteriana rar, que afeta o sistema gastrointestinal. Mas pode se agravar sem tratamento apropriado e, se diagnosticada muito tardiamente, pode causar danos irreversíveis ao sistema nervoso central, mas a doença tem sido tratada com sucesso por meio de antibióticos, geralmente durante um ou dois anos.
Comecei a chorar. Mel pós o braço ao meu reodor.
- e o que é mal de crohn? – perguntou Mel.
- É uma doença intestinal que pode causas inflamação na parte interna do trato digestivo. Isso poderia explicar a dor abdominal.
- Ela é...- Mel me olhou e se deteve.
- Mortal? Não. O mal de Crohn provoca muitas dores e pode levar a enfermidades mais graves, mas certas terapias podem trazer alívio, e até mesmo uma remissão a longo prazo.
Nenhuma delas parecia boa. Quanto mais ela precisa sofrer?, pensei.
- quando farão os exames? – perguntei.
- Gostaríamos de fazer alguns agora- falou - , enquanto ela ainda está no hospital.
- Precisamos saber o que está acontecendo. Não aguento mais.
- Para diagnosticar a doença de whipple, precisamos realizar uma endoscopia superior, e,para o mal de Crohn, é necessário realizar uma colonos copia. Iremos encaminhá-la para um gastroenterologista, que irá intuí-la sobre esses procedimentos.
- Esses exames são caros? – perguntei.
- Seu convenio deve cobrir. 
Depois que Fernando morreu, sua empresa manteve nosso plano de saúde, mas eu não tinha condições de arcar com a minha parte, e em janeiro parei de pagar.
- Nós não temos mais um plano de saúde – falei.
Mel tocou as minhas costas.
- Chay e eu podemos ajudar.
- vc não pode fazer isso – falei.- pedirei um empréstimo.
O médico pareceu solidarizar-se.
- Vamos fazer o seguinte: realizaremos outro exame de sangue, para ver se a anemia melhorou. Caso tenha melhorado, poderemos descartar a endoscopia. Adiaremos a colonos copia até termos certeza de que não é a doença de Whipple.
- Obrigada – falei.
- De nada – falou o doutor Lucas. – uma boa noite. – e afastou-se.
- Não aguento mais – falei para Mel. Pousei a cabeça em seu ombro e chorei.    
                                                                                     Continua....


 Aviso: A web só será postada de segunda a sexta.

2 comentários:

  1. Maisss pf ❤️ Amandooo ❤️❤️
    Gabbyh

    ResponderExcluir
  2. Jauzinhah frança7 de abril de 2014 15:48

    Mais to amando

    ResponderExcluir