A Promessa - Capitulo 13

|

Capitulo 13
              Raramente nos preocupamos com as coisas certas.
                                                                   Diário de Lua Maria Blanco
 Na sexta de manhã, Arthur passou na lavanderia. Mel estava no atendimento quando ele entrou.
- A Lua está?
- Claro que sim – ela respondeu. – vc é o Arthur?
- Sim, senhora.
- A senhora está no céu. Sou Mel. Vou chamar a Lua para vc. – correu para os fundos para me avisar, com o rosto vivo de empolgação. – Ele está aqui.
- Quem está aqui?
- Ele. Arthur.
- Ah. – olhei através do painel de vidro. Ele estava ali parado, as mãos nos bolsos. Pendurei as calças e caminhei até o balcão.
Sorriu ao me ver.
- Bom dia.
- Oi.
- Só passei para me certificar de que tudo está certo para hoje á noite.
Confirmei.
- Encontrei uma babá.
Ele sorriu.
- Excelente. Vejo vc ás sete, então.
- Combinado.
- Vc gosta de comida italiana?
- Adoro.
- Ótimo. Pensei em um jantar, seguido de um cinema. – E permaneceu ali, desajeitado, então voltou a falar. – bem , excelente. Até ás sete. – E saiu.
Mel apareceu antes que a porta se fechasse.
- Menina, esse rapaz é apaixonante.
- Vc poderia parar de me espionar?
- De jeito nenhum.
Balancei a cabeça e caminhei de volta para a máquina. Mel me seguiu.
- E então, o que vc e o bonitão vão fazer?
- Um jantar e cinema.
- Sem cinema – péssima escolha para um primeiro encontro. Os filmes são para casais de velhos entediados que já não tem o que dizer um para o outro. Como eu e o Chay.
- Não foi escolha minha.
- Vc é a mulher,a escolha é sempre sua. Apenas fique á vontade durante o jantar e então sugira outra coisa. Acredite,apaixonante como é, ele estará louco para agradar.
- Sugerir outra coisa, como o que?
- Menina, vc já tem quase trinta. Pense em algo.
Balancei a cabeça.
- Não. De jeito nenhum. Nada físico. Nem mesmo um beijo.
- Vc realmente está querendo dispensá-lo?
- Talvez. Além disso, ele disse que só queria que fossemos amigos.
Olhou-me incrédula.
- Ele não disse isso.
- Disse sim.
- Ele realmente disse isso?
- Sim – repeti. – ele realmente disse isso.
- Quando?
- No supermercado.
- Então ele está mentindo. Os homens nunca querem ser amigos. E se ele quiser, então vc deveria realmente se preocupar.
- Foi o que disse a ele.
- Bom. Vc não é tão burra. – tocou meus cabelos.- quando foi a última vez que foi ao salão?
- Cinco semanas atrás.
- Tudo bem. Então, olhe o que vc deve fazer. Depois do jantar, peçam um café para viagem, vão até millcreek canyon e apenas fiquem sentados no carros, conversando.
- Poe que não tomamos o café no restaurante?
- Isso não tem a ver com a comida, mas com ir para um lugar estratégico.
Ergui as mãos.
- Pode parar. Isso nada tem a ver com qualquer coisa estratégica.não há lugar em minha vida para complicações. Se ele conseguir manter uma boa conversa, estamos bem. Se não, sorte minha, livrai-me de uma enrascada.
Mel suspirou.
- Está bem, ótimo. Vc está certa, entediante, mas certa. A que horas ele passa para pegar vc?
- Ás sete.
- Jan estará lá ás quinze para sete. E eu espero um relatório completo pela manhã.
- Isso eu posso fazer. Agora, deixe-me trabalhar, chefe.
- Está bem, está bem, - enquanto caminhava até a recepção, gritou: - lembre-se, relatório completo.
Sorri. Eu amo essa mulher.
                                                                          Continua...


Não percam o próximo capítulo!!

 Luana estava deitada na cozinha, tremendo,as pálpebras tremulas e o corpo enrijecido. Jan estava ajoelhada ao seu lado, pálida como a parede. Corri para junto de Luana.
- Ela está tendo uma convulsão. Ligue para a emergência! 
Jan saltou e correu até o telefone enquanto eu segurava os ombros de Luana.
- Meu bem, é a mamãe.    
  

2 comentários:

  1. Posta mais ai meu Deus e a Luana °-° espero que ela fique bem

    ResponderExcluir