A Promessa - Capitulo 4 Parte 3

|
Capitulo 4 Parte 3
-  Papai!
  Observei seu primeiro sorriso do dia, e isso me deixou com raiva. Era eu que estava ao seu lado, preocupando-me com ela. Sentia que estava tendo todo o trabalho, enquanto ele recebia os créditos. Temia que Luana me culpasse por ele não estar ali. Era tão injusto. Eu não era a vilã nessa historia. não fui eu que trai. Então, por que me punia também? Por que me sentia culpada por mante-lo afastado? Eles conversaram por mais cinco minutos antes de eu tomar novamente o telefone.
- Onde fica o hotel? - perguntei.
- É o jolly Midas, na rua 72.
- Vc está com ela?
- Ela? - ficou em silencio por um  instante. - É claro que não. Disse a ela que amo vc , e que eu nunca mais queria ve-la.
- Vc quer um premio por isso?
- Lua, cometi um grade erro. Não há desculpas para o que fiz. mas, acima de tudo, sinto muito por ter magoado vc. Sei que são apenas palavras, mas falo sério. Não há ninguém no mundo que importe para mim mais do que vc. 
- Com exceção de vc mesmo - eu disse.
- É, bem, há uns dois dias eu poderia ter concordado com vc. Mas sei que isso não é verdade. Pq, neste momento, estou me punindo mais do que vc. vc é a única mulher que amei. Eu tive o que merecia.
  Permaneci sentada e escutando, meus olhos se enchiam de lágrima.
- Preciso ir - eu disse.
- Diga-me quando eu poder ajudar. Qualquer coisa. Vc não precisa me perdoar para deixar que eu a ajude.
- Pensarei nisso - eu disse, e desliguei o telefone antes que ele pudesse responder.
Enxuguei os olhos. Luana olhava para mim.
- Por que vc está chorando? Vc sente saudade do papai?
Olhei-apor um momento.
- Acho que sim.
- Tudo bem mamãe. Ele sempre volta pra casa.
   Tudo em minha vida parecia prestes a desabar - um labirinto negro e complexo no qual eu não apenas não sabia me orientar, como desconhecia aonde iria levar. Naquela noite, dormi em uma cadeira, ao lado do leito de minha filha. Suponho que, em alguma medida minha preocupação com Luana tenha ajudado a me manter em sã consciência,  já que assim ficava mais fácil esquecer a minha dor, focando-me na dela.
    Na manhã seguinte, por volta das onze horas, o doutor Reese entrou no quarto. Luana estava dormindo, e eu estava sentada em uma cadeira ao lado de sua cama, lendo um exemplar de Good Housereeping. O médico pediu para que saíssemos do quarto para conversar.
- Senhora Blanco, esta manhã nos reunimos com uma equipe diagnóstica e analisamos todos os resultados dos exames. A conclusão é que não sabemos ao certo o que há de errado com Luana. Não acreditamos que seja causado por parasitas, e descartamos uma giardiase. O que sabemos é que o índice de ferro está baixo, seu desenvolvimento parece ter sido interrompido, e ela continua a perder peso.
  Minha esperança desapareceu.
- O que fazemos, então?
- Há uma possibilidade de que ela esteja tendo algum distúrbio na vesícula biliar, mas antes que a mandemos para o gastroenterologista, e que a façamos passar por mais exames, eu gostaria de começar a tratá-la da carência de ferro, e ver se podemos descartar algumas hipóteses. Enquanto isso, vou prescrever um suplemento de ferro e recomendar a ingestão de muito líquido, para mante-la hidratada. Também aconselhamos que vc a alimente com mais carne vermelha. O ferro natural irá ajudar.
- E se ela não melhorar?
                                                                                    Continua.....

4 comentários:

  1. coitada da Lu. ela se dedica e é uma super mãe e sofre sempre e enfrenta tudo sozinha,não é justo

    ResponderExcluir
  2. a Lu precisa de ser amada e respeitada. esse Fernando é um babaca

    Ana

    ResponderExcluir
  3. ++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir