Foi apenas obra do destino - 14º Capítulo

|




POV ARTHUR

Tentávamos fazer o mínimo de barulho ao atravessar de um quarto para o outro. Afinal, Isabel poderia ainda estar acordada e talvez flagrar a gente num momento de alto perigo. Eu estava bem animado, digo, excitado mesmo, com aqueles beijos que a Lua me dava. Nós sabíamos exactamente do que ia acontecer, quando eu fechasse a porta do meu quarto.
Eu a levei até à cama, após fechar a porta do quarto. Demos um passo de cada vez, até chegar à cama, e até lá sentia a boca dela se contorcer na minha. Adorava quando ela se animava de mais com o beijo e puxava os meus lábios, quase os sugando. 
Ao deitá-la na cama, sinto-a estremecer. Parecia que era a nossa primeira vez. Bom, a verdade é que é a nossa primeira vez, após uma briga chata. 
Quando eu senti que tinha o corpo dela nas minhas mãos, percorri o seu pescoço, o queixo, voltando à boca e mordendo a sua língua. O ritmo não parava, ou aumentava, ou diminuía, mas nunca parava. 
O lençol ia se amarrotando à medida que eu puxava o corpo dela para cima, de modo a satisfaze-la melhor, enquanto ela apertava os olhos. A paixão fervia entre nós, os movimentos ficavam cada vez mais fortes. Ambos estávamos com o rosto húmido de suor, mas mesmo assim, continuávamos. O nosso coração parecia uma bomba prestes a explodir. Pulsava sem parar.
Caímos os dois exaustos na cama, lado a lado. Eu sentia o meu corpo ser invadido por um monte de formigas que ainda me fazia tremer. Cada mínimo toque me provocava um tremor. 

- Estou… sem palavras! – disse Lua, entre um longo suspiro – Foi de mais! Me sinto como se… fosse a nossa primeira vez, sabe? Foi especial! – ela virou um pouco o rosto para olhar nos meus olhos e eu apenas sorri, segurando a sua mãe. 

Todo o meu corpo ainda tremia. Queria continuar a beijá-la. Quanto mais eu beijava, mais eu queria beijar. Aqueles seus lábios têm algo que me faz não os querer largar. Estou viciado naqueles seus beijos. 
Quando me coloquei por cima dela, a beijando, Lua levou as mãos às minhas costas, subindo devagar, arrastando as unhas lá de leve. Eu me arrepiava apenas com aquilo. Queria continuar a ama-la mas…

- O QUE É ISSO? – Isabel havia entrado no quarto. Parei o beijo, chupando por ultimo os lábios da Lua, que paralisou também. Por sorte, o lençol estava dobrado até à minha cintura, deixando as minhas costas em exibição. Lua estava nua, como é claro, mas eu estava por cima, o que fez com que Isabel não a visse… pelos menos, eu acho.

A garota saiu do meu quarto aterrorizada, no mínimo. Espero que tenha chegado, depois que comecei a beijar Lua. Porque se fosse antes, podia ficar um pouco traumatizada com os movimentos que só aquela cama sabe.

- Eu não acredito! – Lua começou a me empurrar para o lado, começando a chorar. Estava desesperada. Eu não deixei ela me empurrar, colocando uma mão em cada lado do seu corpo. Queria olhar para os olhos dela, mas estava quase impossível com a quantidade de lágrimas.
- Calma Lua, o mal está feito! – queria gritar. Mas não era o momento – Era algo que ela ia descobrir, mais cedo ou mais tarde
- Mas precisava ser desse jeito? – Lua tinha, de novo, a respiração descompassada. – Droga Arthur! ELA PEGOU A GENTE TRANSANDO! – dessa vez Lua gritou comigo. Enquanto gritava, me empurrou para o lado e eu a deixei passar.

Sentou na beira da cama, pegando as suas roupas interiores e vestindo-as. Eu continuava sentado na cama, passando as mãos pelos meus cabelos enquanto pensava na burrada que havia acabado de acontecer.

- Eu não queria que fosse assim… - disse, o mais sincero possível
- Muito menos eu… - ela parou de novo, sentada na cama, para pensar. Chorava quase descontroladamente e eu entendia perfeitamente.
- Eu falo com ela… - me responsabilizei
- Nem pensar. Ela nem deve te querer ver à frente
- Lua, mas e se… - sorri, com uma possível chance – E se ela não viu que era você? Eu estava por cima de você e…
- PÁRA ARTHUR, PÁRA! – Lua voltou a gritar comigo – Como é que ela não ia ver que era eu, se eu não estava em mais parte nenhuma dessa casa. – ela me encarou – Nós é que fomos idiotas. Fomos logo nos meter num quarto, antes do jantar. Deveria ter sido depois…
- Quer dizer que não está arrependida do que aconteceu aqui? – sem me olhar, ela sorriu de leve. 
- Eu tinha acabado de dizer que tinha sido especial. E não volto com a minha palavra a atrás.
- Amo você! – confessei, diante dos seus olhos. Seus olhos brilharam ainda mais e ela ainda teve forças pra se levantar e vir me abraçar
- Obrigada… por você ser assim, como é! – disse, entre o abraço

Depois de pegar as roupas dela, Lua abandonou o meu quarto. Eu olhei em volta, para a confusão agradável que se tinha feito e sorri, apesar de tudo. Mas a ficha caiu quando ouvi a Lua gritar de novo.

Olhei para todos os lados procurando a minha cueca box e não encontrei. Peguei outra do armário, pegando ainda uma bermuda qualquer e saindo do meu quarto, indo atrás daquele grito.

- Lua! – a chamei das escadas. Ela estava chorando mais, cada vez mais, amparada no sofá. A porta estava aberta e um pote de vidro estava partido no chão, com vários centavos no chão.
- Ela fugiu Arthur, ela fugiu… - seu rosto estava vermelho e rodeado de lágrimas. O meu coração apertou mais, cada vez mais. Só consegui abraça-la, olhando em volta e procurando uma ajuda do além. Não sabia o que fazer e ainda por cima, me sentia culpado.
- Ela não deve ter ido longe… - deixei a Lua no sofá e fui buscar as chaves do meu carro

Vagueando pelas ruas, olhando desesperadamente para cada pormenor da via fechada, procurava a garota de blusa branca, com o lenço laranja à volta do pescoço. Seu cabelo estava solto, como sempre ela usava. 
Não havia passado pouco mais de 2horas, desde que ela havia nos flagrado em poucos trazes, na cama. Ela não podia ter ido assim tão longe… pensava eu.

POV LUA

Arthur tinha saído de casa sem me dizer nada. Fazia 30 minutos que tinha saído. Andei pelo quarto da Isabel, talvez procurando pistas de um possível lugar onde ela podia estar agora. Ou talvez fui lá pensando que talvez tudo o que aconteceu tenha sido um pesadelo. Um grande pesadelo.
Ainda no quarto dela, ouvi o telefone tocar. Em segundos, desci as escadas saltando de duas a duas até, pra pegar o raio daquele telefone que tocava sem parar. 
Me passou tudo pela cabeça. Podia ser o Arthur, podia ser a policia, alguém de um hospital ou até mesmo a própria Isabel. Mas não. Não era ninguém antes mencionado.

- Mãe? – tremi, ao escutar a voz dela
- Lua, me diga, onde anda o seu juízo ultimamente? Eu estou desiludida! Mas desiludida é pouco. Você tem noção do que está acontecendo neste exato momento? TEM? – ela gritou comigo. Sua voz estava tremula, parecia estar chorando – A SUA IRMÃ ESTÁ VINDO PARA CÁ! ELA ESTÁ VIAJANDO SOZINHA! O QUE RAIO VOCÊ FEZ, SEU TRASTE? O QUE VOCÊ FEZ COM ELA? SE ALGUMA COISA ACONTECER COM ELA, A CULPA É TODA SUA! TODA! TODA SUA LUA!
- Mãe, eu posso explicar, eu… - eu estava chorando de mais. A agonia estava invadido o meu corpo, assim como o sentimento de culpa.

A minha mãe desligou a chamada na minha cara. Outra coisa não era de se prever. Eu larguei o telefone no chão, colocando as costas contra a parede, descendo até o chão, me sentando, fragilizada com tudo o que estava a acontecer.
A maldita noite parecia nunca mais ter fim. O meu coração batia a mil. Onde estaria a minha irmã? E o que lhe deu pra ir ter com os meus pais, a um país tão distante do Brasil? Tudo bem, eu sabia perfeitamente a razão, só não esperava que ela fosse capaz.

- Lua? – Arthur parecia ter chegado em casa. Eu permanecia no mesmo lugar – Eu andei por todos os locais mais imaginários possíveis e não encontrei ela. Onde será que ela está? Estará na casa de uma amiga? – ele andava pela casa à minha procura, até chegar à cozinha e os seus olhos pararem sobre mim – LUA? – ele rápido se agachou, segurando a minha cabeça, pegando a minha mão. Eu estava sem forças para continuar de olhos abertos…

E ai? O que vocês acham que vai acontecer agora?

11 comentários:

  1. bom eu acho que isabel deveria voltar para casa dos pais poxa ela é muito mimada posta mais++++++

    ResponderExcluir
  2. Faz a Isabel achar um garoto que goste dela, e que ela esqueça de uma vez o arthur.. E que deixa a lua e ele estarem juntos..

    Mais... Não demores tanto a postar.

    ResponderExcluir
  3. Muuuuito bom..posta mais!! A Isabel é muito mimada merece levar uma bronca..e tadinha da Lua.

    ResponderExcluir
  4. Muuuuito bom..posta mais!! A Isabel é muito mimada merece levar uma bronca..e tadinha da Lua.

    ResponderExcluir
  5. posta maissss
    bem que os pais da lua deveriam pedir desculpa a ela e a isabel é muito mimada

    ResponderExcluir
  6. Ameeeeeeeeiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Posta Mais hojeeeeeeeeeeee pfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpf

    ResponderExcluir
  7. Essa isabel é uma chata, faz ela ficar cm os pais dela, e deixar a lua e o thur em paz

    ResponderExcluir
  8. Essa Isabel é muito chata! Merece levar uma pisa bem dada.

    ResponderExcluir
  9. a Lu e o Thur tem que ficar juntos de vez e essa Isabel tem que crescer. ela precisa de alguém que goste dela

    ResponderExcluir