Plano B II- Capítulo 24

|
-Vou fazer uma jantar bem gostoso. –eu disse.
-Não amor, fica aqui comigo. –me puxou.
-Eu não posso deixar minhas filhas passarem fome.
-Elas não vão morrer.É só a gente pedir pizza.
-A nutricionista disse que elas tem que comer coisas saudáveis. Você não está ajudando!
-Uma vez só não vai fazer mal.
-Vai ser a última vez no mês. Prometo.
-Ok. –me rendi- Meninas querem pizza do que?
-Oba! Pizza!!
-De que amores? –perguntei.
-Calabresa! –Estrela implorou.
-Não! Eu quero presunto! –Malu se intrometeu.
-Quatro queijos mamãe! –Olhei para Arthur pedindo ajuda.
-Frango com catupiry e não se fala mais nisso! –ele falou.
-OBA! –Elas gritaram.
-Hey, eu não gosto de frango com catupiry! –fiz bico.
-Pô, vamos pedir meio a meio.Presunto e frango com catupiry, pode ser?
  Depois dele ligar para a pizzaria e pedir a pizza, me levantei e fui até a cozinha arrumar a mesa.Quando acabei voltei a sala, para encontrar uma cena nada agradável.
-O QUE ESTÁ ACONTECENDO AQUI? –gritei despertando a atenção de todos.
  Eram almofadas para cá, almofadas para lá. A sala estava uma tremenda bagunça. No meio dela, estavam dias meninas loirinhas fazendo cara de santas e dois morenos tentando se esconder ao lado do sofá.
 -A gente estava em guerra mamãe. O papai que começou! –Apontou Estrela.
-Eu? Aé? Vou jogar aquelas barbies que você tem tudo no lixo! E aquelas pollys? Aqueles demônios! Ninguém sabe o que é dor até pesar na cabeça de um monstrinho desses.
-Não mamãe, não deixa o papai fazer isso! Briga com ele, coloca ele de castigo, igual você faz com a gente!
-Vou colocar mesmo! –encarei ele.
-Você acredita nessas pestes amor? Como pode fazer isso? Eu sou inocente! Beijo teus pés e você faz isso! –falou incrédulo.
-Arthur Aguiar, que você pensa que engana com essa cara de cachorro perdido? Eu duvido que você não tenha incentivado essa guerra.
-Você acha mesmo que um homem responsável e maduro como eu, iria fazer isso? –eu ri.
-Óbvio que não! –falei irônica.Ouvi a campainha- Salvos pelo gongo! Arrumam isso enquanto pago o cara da pizza.
-Como você sabe que é um cara hein? –ignorei e fui atender a porta com o dinheiro na mão. –Você está esperando ser um idoso de bengala?  
-Boa noite senhorita. –o entregador falou assim que abri a porta.
-Boa noite, quando deu? –ele me entregou a nota –toma! Pode ficar com o troco.
-Quer companhia? Digo para comer a pizza? –se insinuou.
-Não! –Arthur chegou atrás de mim –a companhia do marido e das filhas dela já está ótimo –falou e fechou a porta na cara dele.
-Arthur!
-“Pode ficar com o troco.” –fez voz fina e eu me controlei para não rir.
-Thur não é todo dia que se tem um entregador gato desse jeito! Por que fez isso?
-Não entendi. Vai lá ficar com aquele ridículo! Ele tem o que de bom?
-Não que eu tenha reparado muito, mas ele é bem sarado, tem olhos verdes e é loiro! –provoquei.

-Já que gostou tanto vai lá chamar ele pra comer uma pizza com você! –emburrou a cara e foi para a cozinha. 

10 comentários: