Não foi um erro - 48º Capitulo

|

No capitulo anterior…

POV ARTHUR

Todos elogiaram a Yasmin e até disseram que ela poderia ser uma boa modelo, um dia mais tarde.

POV LUA

Depois de uma longa aula com aqueles adolescentes com os hormonios à flor da pele, eu peguei um taxi e fui até ao hospital. Eu não mandei mensagem à minha mãe, nem avisei que vinha, mas espero que isso não seja um incomodo.
Como sabem, o meu pai precisava de uma bela quantia de dinheiro para aquele tratamento caro que ele necessita para a sua cura do cancer. Bom, o tratamento não vai fazer com que ele deixe de ter cancer. Apenas vai fazer com que o seu corpo aguente mais uns belos anos. Entao, esse tratamento era caro e só com a angariaçao de fundos na festa de apresentaçao do Arthur é que foi possivel ter todo esse dinheiro. Ainda faltava um pouco, mas Arthur colocou o restante e entregou na conta do hospital.

Depois de dar a minha identificaçao, peguei o numero do quarto e o andar e fui até lá. Era a primeira vez que eu ia ver o meu pai, passados 5 anos. Eu estava com medo da reaçao dele.
Cheguei no quarto, bati à porta e a minha mae veio abrir. Os olhos dela brilharam quando ela me viu. Realmente já não nos viamos à muito tempo.

- Lua… que bom que você veio. – ela me abraçou, mas eu não consegui fazer o mesmo – Eu estava com saudades de você filha.
- Quem é? – eu ouvi uma voz grossa, conhecida, embora um pouco diferente. Um pouco mais rouca e menos autoritaria
- É a Lua querido… ela veio com certeza te visitar. Vem, entra.

Entrei com medo. Estava com muito medo da reação dele. Mas entrei de cabeça erguida, apesar de tudo. O quarto era enorme, com uma decoração básica de hospital e naquele quarto, apesar de haver mais duas camas, só o meu pai estava lá deitado.

- Oi, boa tarde.
- Lua… você está tão crescida. – meu pai tinha um rosto meio pálido de mais. Eu me aproximei e peguei a mão dele
- Se passaram cinco anos… pai. – consegui finalmente lhe chamar assim – Como o senhor está? Como reagiu ao tratamento?
- Ele reagiu bem… - a minha mãe sorriu – Em breve ele poderá ir para casa, nós vamos pagar um médico privado pra ir lá a casa.
- Eu já estou farto desse hospital
- Se bem me lembre, você nunca gostou de hospitais mesmo – sorri
- Este cheiro a hospital não me trás boas energias muito menos forças para continuar a viver.
- Não diga uma coisa dessas Blanco – minha mãe disse
- Lua… me fale de você. Como você está?

Seria mesmo aquele o meu pai? Será que não fizeram uma transfusão de cerebro ou algo assim? O que deu nele? Cadê aquele homem mau, severo que impunha regras a todo o mundo?
Tudo bem. Eu estava com raiva dele. Mas ele está assim, doente e afinal de contas ele é o meu pai. Graças a essa doença, ele se tornou em outra pessoa. Eu preferia que ele não sofresse desse maldito cancer, mas a verdade é que graças a essa doença, ele melhorou a sua maneira de ser.

- Eu estou bem pai. Acho que pela primeira vez na vida, estou feliz – sorri – A vida está me correndo bem. Era merecido, depois de tudo o que passei.
- Eu sei que te fiz muito mal… e estou realmente surpreendido por conta do que você me fez. Você e o seu namorado, que eu ainda nem sei de quem se trata… quem  é ele mesmo?
- Pai… falemos de nós. Acabamos de nos reencontrar. É mesmo do meu namorado que você quer saber?
- Tudo bem… falemos de outros assuntos. Eu sei que no passado eu te fiz muito mal. Te tratei de um jeito que você não devia. E por isso mesmo entendo que tenha sofrido. Eu nunca pensei receber ajuda da sua parte. Nunca mesmo.
- Eu tenho sentimentos… ao contrário de você, naquela altura
- Eu sei que não fui o melhor pai… mas assim que eu sair desse hospital, eu serei uma pessoa melhor.
- Não faz promessas pai. – pedi
- Posso? – disse a enfermeira, entrando no quarto – É hora do banho.
- Temos de sair Lua.
- Vamos…

Fomos esperar no corredor.

- Lua… eu sei perfeitamente quem é o seu namorado. Sei que foi ele quem deu todo esse dinheiro para o tratamento do seu pai. Lua, ele te fez tanto mal, porque voltou para o Arthur?
- Bom, antes de mais, a vida é minha. Você não é ninguém pra dizer algo sobre ela, até porque você só entrou na minha vida agora. – tentei não ser grossa, mas estava dificil – Além do mais, o Arthur gosta de mim, assim como eu gosto muito dele.
- Eu vi que isso está serio mesmo… - ela olhou para o anel de compromisso que eu tinha – Estão juntos à quanto tempo?
- Não muito… foi meio dificil para nos acostumarmos com a presença um do outro.
- E a Yasmin? Ela gostou da ideia?
- Adorou… bom mãe, eu preciso de ir embora. Será que posso entrar para dar tchau para o pai?
- Eu vou ver.

Por fim, deu para eu entrar e me despedir do meu pai. Ele disse que esperava a minha visita na casa dele, assim que ele saisse do hospital. Eu prometi que ia lá e que levava a Yasmin, sua neta. Ele nem sabia que o nome dela era assim.
A minha mãe não contou a ele que eu e o Arthur estavamos juntos, apenas para ele não se preocupar. Mas o certo, é que um dia ele terá de descobrir.

Foi pequeno, mas ao menos postei. Da outra web, eu posto amanhã 2 caps ;)


6 comentários: