O Poderoso Aguiar | 2º Capítulo

|

O Poderoso Aguiar
2º Capítulo – Declarando Guerra

Pov Arthur

A situação estava pior do que eu imaginava. Quanto mais eu olhava os papéis em minhas mãos, mais eu tinha a certeza que Mccalister me roubara várias vezes. Trabalhou com meu pai durante muitos anos, até que resolveu se tornar um homem “honesto”. Pelo menos aparentemente. Já que vivia do dinheiro que nos roubou.

Assim que descobrimos suas artimanhas, preparamos uma armadilha e ele caiu feito um pato. Antes de executá-lo eu ainda o fiz me devolver tudo o que roubara durante esses anos. E o resultado: Deixara seus filhos na miséria, sem um centavo sequer. Apesar de tudo eu não tinha nada contra os filhos dele. Sequer os conhecia. Sabia apenas que era uma moça e um rapaz. Nunca fiz questão alguma de saber da vida de ninguém. Assim como não permitia que se enfiassem na minha vida.

Eu planejava realmente deixá-los curtindo sua “herança” por um tempo. No entanto esse pensamento me ocorreu antes que Chay me trouxesse outra bomba.

– Arthur?
– Entre, Chay.
– Más notícias.
– E desde quando você me traz boas notícias?
– Caramba, Arthur.
– Desembucha logo!
– Aquela cocaína que forneceu há alguns meses para o tal Pedro.
– Eu forneci, não. Vocês forneceram. Eu nem sei quem é o fulano.
– Sim. Eu forneci. Tudo bem, o cara não tem grana para pagar.
– Como assim não tem grana?
– Foi o que ele disse.

Fechei meus olhos, segurando a ponta do nariz.

– Que porra de amadorismo é esse Chay? Será que vou ter que ensinar tudo de novo? Como você me fornece droga para alguém que não quer pagar? – Chay baixou os olhos evitando me encarar. Desconfiei na hora.
– O que mais? O que está tentando EM VÃO esconder de mim?
– O cara… o tal Pedro, é filho do Billy.

Ótimo! Maravilhoso! Era tudo o que eu precisava agora. Era óbvio que não iria pagar. Estava falido, embora ainda não soubesse.

– Vá até a casa dele, Chay.
– Arthur…ele acabou de perder o pai. – Dei um soco na mesa.
– QUE PORRA DE MARIQUINHA É VOCÊ? TODO SENTIMENTAL AGORA? – Ele não respondeu.
– Chay, ou você honra essas calças ou então cai fora do esquema. Eu não admito gente fraca do meu lado. – Ele suspirou antes de me responder.
– Tudo bem, Arthur. Eu vou até lá.
– Melhor assim.

Agora eu entendia porque meu pai simplesmente desistira de tudo e jogara nas minhas costas. Um bando de inúteis ao seu lado. Só aborrecimento.

E além de tudo, hoje era dia de almoçar com meus pais. Sempre a mesma lenga, lenga – e não deu outra.

– Pai, eu sei disso. Já me falou um trilhão de vezes.
– Então está esperando o quê?
– Estou esperando uma mulher que preste para me dar esse filho.
– E Pérola?
– Não. Pérola não tem cacife pra isso.
– Então está com ela por quê? – Olhei bem para minha mãe antes de responder. Ela ia me trucidar.
– Sexo. – Balançou a cabeça, inconformada.
– Não entendo. Você sempre foi meu bebezinho, Arthur. Meu caçulinha. Veja no que se transformou.
– A vida me fez assim, mãe.
– A vida coisa nenhuma. Essa máfia maldita.
– Epa, Rita! Você sabia disso desde quando se casou comigo. – Ah, pronto! Agora iria começar a briga de casal.

Sai de lá chateado, como sempre. Melhor trabalhar. Era menos desgastante. Verifiquei o carregamento que havia chegado na noite anterior e voltei para o escritório. Nem tive tempo de me sentar e Chay entrou, seguido por Micael.

– Más notícias, chefe. – Revirei os olhos. Novidade.
– Estou vendo. Aonde está o rapaz?
– As coisas se complicaram um pouco. Não haverá pagamento. – Levantei-me e dei um soco na mesa.
– Uma ova que não. Quem esse Pedro pensa que é para me desafiar? – Chay e Mica se entreolharam.
– Na verdade não falamos com Pedro. Fomos recebidos pela irmã dele. – Ergui minha sobrancelha para eles.
– E?
– Ela disse que não irá tirar um centavo da herança deles para pagar um vagabundo como você. – Meu sangue ferveu.
– Ela disse isso?

Continua...

Se leu, comente! Não custa nada.

N/M: Vamos lá, gente! O que estão achando da história. Nem teve tantos comentários no capítulo anterior. Achei que tinham gostado quando postei a sinopse. Eu estava errada? Só continuarei a postar, caso vocês queiram realmente lê-la.

Com mais de 7 comentários, postarei o próximo capítulo.

Beijos!

9 comentários:

  1. Amando :) continua
    D'annak

    ResponderExcluir
  2. Eita que estou ansiosa para o encontro deles.

    ResponderExcluir
  3. Ansiosa pra quando ele conhecer a luua *-*
    Fany

    ResponderExcluir
  4. Não vejo a hora deles se conhecerem

    ResponderExcluir
  5. Adorando à web!! Posta mais!!

    ResponderExcluir
  6. Lua não dá o braço a torcer hahaha quero só ver quando se encontrarem!
    Helena

    ResponderExcluir
  7. Essa Lua pelo visto é bastante determinada. E estou amando isso!

    ResponderExcluir