Ugly Love - Capítulo 24

|


Ugly Love


Capítulo 24:

Pov. Lua

Minhas mãos estão nele, massageando suas costas, tocando seu cabelo. Ele está chorando, e a única coisa que eu posso fazer é dizer pra ele que não importa. Eu quero dizer pra ele esquecer tudo que eu disse hoje à noite. Eu quero fazer o que quer que eu possa fazer para tirar essa dor dele, porque o que quer que aconteceu não importa. O que quer que aconteceu, ninguém merece se sentir do jeito que ele está se sentindo agora. Eu tiro seus braços do seu rosto, então desliza no seu colo. Eu seguro seu rosto em minhas mãos e a inclino pra mim. Ele mantém seus olhos fechados.
Eu não tenho que saber, Arthur.
Seus braços envolvem minhas costas, e ele enterra o rosto no meu peito. Sua respiração está acelerada, enquanto ele tenta afastar suas emoções. Meus braços estão envoltos em torno da sua cabeça, e eu beijo o seu cabelo, em seguida, trilho beijos até o lado da sua cabeça que ele puxa pra trás e olha pra mim. Nenhuma quantidade de armaduras no mundo e nenhuma parede não importa o quão grossa ela seja conseguiria esconder a devastação em seus olhos agora. É tão importante, e não há muito disso, eu tenho que segurar minha respiração então eu não choro com ele. O que aconteceu com você, Arthur?
Eu não tenho que saber. — eu sussurro de novo, balançando minha cabeça.
Suas mãos se movem para trás da minha cabeça, e ele pressiona sua boca na minha, com fora e dolorosamente. Ele se move pra frente até que minhas costas estão contra o chão. Suas mãos puxando minha camisa, e ele está me beijando desesperadamente, furiosamente, preenchendo minha boca com o gosto das suas lágrimas. Eu deixo ele me usar para se livrar da sua dor. Eu farei o que ele quiser que eu faça contanto que ele pare de sofrer como ele está sofrendo.
Ele desliza sua mão entre minha saia e começa a tirar a calcinha ao mesmo tempo em que eu engancho meus polegares nos quadris da sua calça e a puxo pra baixo. Minha calcinha está nos meus tornozelos, e eu os jogo fora, justamente quando ele pega minhas duas mãos e as coloca acima da minha cabeça, pressionando-as no chão. Ele coloca sua testa na minha, mas não me beija. Ele fecha seus olhos, mas eu mantenho os meus abertos. Ele não perde tempo se impulsionando entre as minhas pernas, as afastando. Ele move sua testa para o lado da minha cabeça, então desliza dentro de mim devagar. Quanto ele está todo dentro de mim, ele expira, liberando alguma parte da sua dor. Levando sua mente para longe de qualquer que seja o horror que ele passou. Ele tira, então entra em mim, dessa vez com toda sua força. Isso dói. Me dê sua dor, Arthur.
Meu Deus, Rachel. — ele sussurra.
Meu Deus, Rachel...
Rachel, Rachel, Rachel.
Essa palavra é colocada no repeat dentro da minha cabeça. Meu. Deus. Rachel.
Eu viro minha cabeça pra longe da sua. É a pior dor que eu já senti. Absolutamente a pior.
Seu corpo imediatamente se acalma dentro do meu quando ele percebe o que ele disse. A única coisa se movendo entre nós nesse momento são as lágrimas caindo dos meus olhos.
Luh. ele sussurra, quebrando o silêncio entre nós. — Luh, eu sinto muito.
Eu balanço minha cabeça, mas as lágrimas não param. Em algum lugar dentro de mim, eu sinto algo endurecendo. Algo que uma vez foi líquido completamente congelado, e é nesse momento que eu sei que é isso. Aquele nome.
Isso diz tudo. Eu nunca terei o seu passado, porque ela o tem. Eu nunca terei o seu futuro, porque ele se recusa a dar para alguém que não seja ela. E eu nunca saberei por que, porque ele nunca me contará. Ele começa a sair de mim, mas eu aperto minhas pernas ao redor dele. Ele suspira pesadamente contra meu peito.
Eu juro por Deus, Luh. Eu não estava pensando sobre...
Pare. — eu sussurro. Eu não quero escutá-lo defendendo o que acabou de acontecer. — Apenas termine, Arthur.
Ele inclina sua cabeça e olha pra mim. Eu vejo o pedido de desculpas, claro como o dia, escondido atrás de lágrimas novas. Eu não sei se são minhas palavras que acabaram ferindo-o de novo ou o fato que nós dois sabemos que é isso, mas parece como se o seu coração apenas quebrou de novo. Se isso é sequer possível. Uma lágrima cai dos seus olhos e pousa na minha bochecha. Eu a sinto escorregando e se combinando com uma minha. Eu só quero que isso acabe.
Eu envolvo minha mão atrás da sua cabeça e puxo sua boca para a minha. Ele não está se movendo mais dentro de mim, então eu arqueio minhas costas, pressionando forte meu quadril contra ele. Ele geme na minha boca e se move em mim mais uma vez, então para de novo.
Luh. ele diz contra meus lábios.
Apenas termine, Arthur. — eu digo pra ele através das minhas lágrimas. — Apenas termine.
Ele põe uma mão contra minha bochecha e ele pressiona seus lábios no meu ouvido. Nós estamos chorando muito agora, e eu posso ver que eu sou mais do que isso pra ele. Eu sei que sou. Eu sinto o quanto ele quer me amar, mas o que quer que esteja parando ele é mais do que eu sou capaz de conquistar. Eu envolvo meus braços ao redor do seu pescoço.
Por favor. — eu imploro pra ele. — Por favor, Arthur. — Eu estou chorando, implorando por algo, mas eu nem sei mais o que é.
Ele entra em mim novamente. Forte dessa vez. Tão forte que eu fujo pra longe dele, então ele envolve seus braços em meus ombros e coloca suas mãos, me segurando no lugar contra ele enquanto ele repetidamente me penetra. Fortes, longas, estocadas profundas que forçam gemidos de nós dois com cada movimento.
Mais forte. — eu imploro. Ele entra mais forte. — Mais rápido.
Ele se move mais rápido. Nós dois arfamos por respirar entre nossas lágrimas. É intenso. É dilacerante. É devastador. É feio. É o fim.
Assim que seu corpo está imóvel em cima do meu, eu o empurro contra os meus ombros. Ele sai de cima de mim. Eu me sento e enxugo meus olhos com as minhas mãos, então me levanto e coloco minha calcinha. Seus dedos agarram o meu tornozelo. Os mesmos dedos que agarraram o mesmo tornozelo a primeira noite que eu o conheci.
Luh... ele diz, sua voz repleta com tudo. Cada emoção se agarra ao redor de cada letra do meu nome que sai da sua boca.
Eu me afasto da sua mão.
Eu caminho até a porta, ainda sentindo ele dentro de mim. Ainda saboreando sua boca na minha. Ainda sentindo as manchas das suas lágrimas na minha bochecha.
Eu abro a porta e saio.
Eu fecho a porta atrás de mim, e é a coisa mais difícil que eu já fiz. Eu nem posso andar três passos de volta ao meu apartamento. Eu desabo no corredor. Eu sou líquido. Nada além de lágrimas.


Pov. Arthur.

6 anos antes

Nós voltamos pra casa. Não nossa casa. Rachel queria Lisa. Rachel precisa da sua mãe. Eu meio que preciso do meu pai. Toda noite eu a abraço. Toda noite eu digo pra ela que eu sinto muito. Toda a noite nós choramos. Eu não entendo como isso por ser tão perfeito. Como a vida e o amor e as pessoas podem ser tão perfeitos e bonitos. Então não é. É só feio. A vida e o amor e as pessoas se tornam feios. E tudo se torna água. Hoje à noite é diferente. Essa noite é a primeira noite em três semanas quando ela não está chorando. Eu a abraço mesmo assim. Eu quero ficar feliz que ela não está chorando, mas isso me assusta. Suas lágrimas significam que ela sente algo. Mesmo que esse algo seja devastação, ainda é algo. Não há nenhuma lágrima hoje à noite.
Eu a abraço mesmo assim. Eu digo pra ela que eu sinto muito de novo. Ela nunca me diz que tudo bem. Ela nunca me diz que não é minha culpa. Ela nunca me diz que me perdoa.
Ela me beija hoje à noite. Ela me beija e tira sua camisa. Ela me diz para fazer amor com ela. Eu digo pra ela que não devemos. Eu digo pra ela que nós supostamente devemos esperar mais duas semanas. Ela me beija então eu paro de falar. Eu a beijo de volta. Rachel me ama de novo. Eu acho. Ela está me beijando como se me amasse. Eu sou gentil com ela. Eu vou devagar. Ela está tocando na minha pele como se me amasse. Eu não quero machucá-la. Ela chora. Por favor, não chore, Rachel. Eu paro. Ela me diz para não parar. Ela me diz para terminar. Terminar. Eu não gosto dessa palavra. Como se isso fosse um trabalho. Eu a beijo novamente.
Eu termino.

***

Arthur,
Rachel me escreveu uma carta.
Eu sinto muito. Não. Eu não posso fazer isso. Dói muito. Não, não, não. Minha mãe está me levando de volta pra Phoenix. Nós vamos ficar aqui. É tudo muito complicado, até mesmo entre eles agora. O seu pai já sabe.
Clayton juntou as famílias. Arthur as separou.
Eu tentei ficar. Eu tentei amar você. Toda vez que eu olho pra você, eu vejo ele. Tudo é ele. Se eu ficar, tudo sempre será ele. Você sabe disso. Eu sei que você entende isso. Eu não deveria culpá-lo.
Mas você culpa. 
Eu sinto muito.
Você parou de me amar com uma carta, Rachel?
Eu sinto isso. Todas as partes feias disso. Está nos meus poros. Minhas veias. Minhas memórias. Meu futuro. Rachel. A diferença entre o lado feio do amor e o lado bonito do amor é que o lado bonito é muito mais leve. Faz você se sentir como se estivesse flutuando. Ele levanta você. Carrega você. As partes bonitas do amor seguram você sobre o resto do mundo. Elas seguram você tão alto sobre todas as coisas ruins, e você só olha pra todo o resto e pensa, Uau. Eu sou tão feliz por está aqui em cima.
Algumas vezes as parte bonitas do amor voltam pra Phoenix.  As partes feias do amor são muito pesadas para voltarem pra Phoenix. As partes feias do amor não podem levantar você. Elas levam você pra B A I X O. Elas seguram você embaixo. Afogam você. Você olha pra cima e pensa, eu gostaria de estar lá em cima. Mas você não está. O amor feio se torna você. Consome você.
Faz você odiar tudo. Faz você perceber que todas as partes bonitas nem sequer valeram a pena. Sem a beleza, você nunca perceberá o risco de sentir isso. Você nunca se arriscará sentindo o feio. Então você desiste. Você desiste de tudo. Você nunca vai querer amar de novo, não importa que tipo seja, porque nenhum tipo de amor nunca valerá a pena passar pelo amor feio de novo.
Eu nunca me deixarei amar alguém de novo, Rachel. Nunca.


N/A: Como eu prometi, estou postando mais um capítulo. Vocês aí também querem matar o Arthur depois do que ele falou pra Lua? Já vou logo avisando, a sofrência vai continuar... 

Ps: Próximos capítulos os "Pov." do Arthur já serão atuais. 


COMENTEM!!!

14 comentários:

  1. Que merda o Arthur tem na cabeça,tadinha da Lu

    ResponderExcluir
  2. Não acredito !!!
    Me diga que tem mais hoje, por favor !!

    ResponderExcluir
  3. Apoioooo uma maratona ja estou sem unhaaaaaaaaas parabéns ta fodaaaa

    ResponderExcluir
  4. Arthuuuuur seu idiota -_____- me diz q tem mais pleeeees
    Maratona????

    ResponderExcluir
  5. Arthur Aguiar como você pode estragar as coisas quando elas estão prestes a melhorar?
    Como vc pode ser tao confuso,e ao mesmo tempo tao quebrado que se torna amável?
    Ha que merda esses dois não conseguem ficar bem sem estragar as coisas?
    Por favor posta mais hoje

    ResponderExcluir
  6. A Lua querendo consolar o Arthur e ele dá uma dessas... Ele vai se arrepender por tudo. Ver ele sofrendo assim e saber o porque é difícil..
    Quero mais!!
    Helena

    ResponderExcluir
  7. Há única pessoa que me fez senti raiva nesse capítulo foi a Rachel. Não tem como eu senti raiva do Arthur. Só espero que a Lua aguente firme e que o Arthur mostre q ele ainda vale a pena.

    ResponderExcluir
  8. Esse foi um dos capítulos mais triste e emocionante que já li. É uma dor que dá para sentir através de palavras. A Lua não merece passar por isso, mais o Arthur está sofrendo, os dois estão sofrendo.

    ResponderExcluir
  9. Mais uma vez o Arthur quebrando o coração da Lua!! Arthur parece tem merda na cuca, como foi chama lá de Rachel, em um momento desses, e ela só queria consolar ele e acabou saindo mais machucada. E a sofrencia não para. Capítulo emocionante!
    Adorando como sempre, posta mais Brenda!!

    ResponderExcluir
  10. AAAIII MEU DEUUUS! estou sem reação desde o cap 23... como assim? coitada da lua queria MT xingar Arthur mais não consigo só sinto pena.. eu devia fazer um comentário criativo expressar a felicidade que estou sentido por vc ter voltado a postar, mas não consigo nem sei o que dizer exatamente. PFR Brenda continue e desculpa pela falta de criatividade para comentar mas estou sem condições.
    Fany

    ResponderExcluir
  11. Meu Deus do ceu�� Esse cap Acabouu comigo cara�� Deus tadinha da Lua�� Eu acho que vou morrer de sofrimentos nos proximos cap junto com eles����
    Apoio Maratona ��❤️ Melhor web ❤️

    Gabby❤️

    ResponderExcluir
  12. EU ESTOU EM PRANTOS
    XXBARBARA

    ResponderExcluir
  13. Mdsssss que web é essaa... Eu tô devastada!! Coitadoss!! Nunca imaginei que era algo tão forte.. Quero logo o proximooo !!!

    ResponderExcluir