8 Segundos - CAP. 41 | Últimos Capítulos

|


8 Segundos


Capítulo 41: 


Pov. Lua
Peguei timidamente em sua mão e entrelacei nossos dedos. Não sabia o que pensar, ou como agir. Tudo dali em diante seria desconhecido. E o medo de perdê-lo de novo fez com que eu apertasse ainda mais sua mão contra a minha.
— É um belo lugar. — disse ele, assim que abri a porta de casa. Arthur ficou visivelmente intimidado com o tamanho e a sofisticação do apartamento. Na certa estava pensando por que tudo aquilo para uma pessoa apenas.
— Um pouco grande, mas sempre morei aqui e não quis me mudar.
Lua, precisamos conversar. — disse ele, sério.
Me sentei no sofá da sala, e Arthur se acomodou na poltrona em frente. Eu tinha reparado que ele mancava um pouco. Bem pouco, de forma quase imperceptível.
— Sinto muito por ter demorado tanto. Eu não sabia o que fazer. Foi muita coisa para digerir. Eu não soube lidar com tudo que descobri e acabei descontando em você. — Arthur respirou fundo antes de continuar. — Você não tem culpa, é tão vítima nessa história quanto eu. Eu aceitei que não podia viver sem você há algum tempo... Todos os dias, quando acordava sem você, sem seu sorriso que enche qualquer lugar, eu me sentia no inferno. — Mais uma vez as lágrimas caíram dos meus olhos. Não o interrompi, precisava saber da grandeza dos seus sentimentos por mim. — Quando percebi a minha estupidez, ainda estava na cadeira de rodas. Tinha medo de não me recuperar e não queria voltar a ser um fardo para você.
Arthur...
— Não, me deixa terminar. — Ele se levantou e se ajoelhou em minha frente, segurando novamente o meu rosto e me fitando profundamente nos olhos. — Depois que voltei a andar, tive receio de te procurar. Você tinha sumido e a ideia de que talvez tivesse encontrado outro me matava. Eu não aguentaria descobrir que você tinha seguido sua vida sem mim.
— Eu segui. — confessei e vi a dor transpassar a barreira dos seus olhos e me atingir. Antes que ele se levantasse, eu segurei suas mãos. — Não da forma que você está pensando. — O alívio tomou conta dele, e o seu semblante se suavizou. — Eu não queria voltar para a minha antiga vida. A Lua que saiu da fazenda nunca mais poderia voltar a ser como antes. Então, eu mudei. Segui em frente. Não sou perfeita, ainda existe muita coisa que não consegui melhorar, mas estou tentando. — Arthur sorriu lindamente, e eu me derreti mais uma vez. Como havia sentido a falta dele...
— Estou tão orgulhoso de você! Nem acreditei quando li no e-mail que você tinha entrado para a faculdade. — Fiquei surpresa com a revelação, pois não tinha enviado nenhuma mensagem para Arthur. Mas ele esclareceu: — Li todos os e-mails que você mandou para a Melanie. Os duzentos e vinte.
— É por isso que está aqui? — Fiquei um pouco desapontada, triste por saber que não tinha tomado atitude por iniciativa própria. Desviei os olhos dos dele, mas Arthur se levantou e se sentou ao meu lado. Segurou meu queixo e me fez olhá-lo novamente.
— Amor, mais cedo ou mais tarde isso ia acontecer. Eu não consigo viver sem você. Os emails só me ajudaram a ter mais certeza de que faria a coisa certa, sem te causar mais sofrimento. Volta pra mim, Potranca? — A mão em meu queixo forçou um movimento e fez com que nossos lábios se tocassem. Foi um beijo terno, cheio de sentimentos, mas logo nossas línguas se acariciavam. Gemi rouca, com o desejo já tomando conta de mim. 
Arthur me puxou para seu colo. Suas mãos dançavam pelas minhas costas. Acariciando desde a base da coluna até a nuca. Seus dedos enterrados em meus cabelos curtos me faziam suspirar em sua boca.

— Você é tão linda... Estou com tanta saudade... Diz que vai voltar a ser minha. Diz, Cristal... — implorava. Busquei seus olhos e, enquanto me via refletida no azul, tirei a blusa e seu desejo aumentou ao me ver de sutiã.
— Sou sua. Desde a nossa noite na chuva até hoje. Sua e de mais ninguém. — A confirmação da minha fidelidade causou um efeito devastador em Arthur.
Com um movimento rápido, ele me deitou no sofá e colocou seu corpo sobre o meu. Ele me beijava com urgência, tentando recuperar todo o tempo perdido com apenas um beijo. Mas seria impossível. Nunca teríamos o suficiente um do outro.
— Eu também, meu amor. Faz amor comigo? — pediu, gentilmente. Enquanto Arthur tirava a camiseta que vestia, eu desabotoava seu jeans e tirava a calça e a boxer juntas. Lambi os lábios ao ver seu pau totalmente ereto. Minha boca se encheu de água e abaixei a cabeça em direção a ele. Arthur me parou no meio do caminho. Segurou minhas mãos balançando a cabeça negativamente.
— Não vou aguentar muito e quero gozar dentro de você. Sentindo sua bocetinha me chupar para dentro. — Foi sua vez de abrir o botão da minha calça e deslizá-la pelas minhas pernas. Ele me olhava faminto. Com luxúria, tirou a minha calcinha e viu que eu já palpitava de tesão por ele. — Vem, meu amor. — Segurei seu membro e o guiei até minha entrada. — Linda! Gostosa! Deliciosa! — ele me elogiava insistentemente. Afundou em mim de uma vez só, e ambos gritamos quando nossos corpos se fundiram. — Caralho! Você está ainda mais apertada! Eu não vou aguentar muito. — Então, Arthur levou um dedo ao meu clitóris e começou a me estimular, enquanto sua boca sugava loucamente meus mamilos. — Vamos lá, gostosa. Aperta o meu pau. — Contraí a vagina, fazendo o que Arthur queria. Seu grito ecoou pelo meu apartamento.
— Vou gozar, Arthur. — Não aguentava mais. Estava com muita saudade. Ficar sem sexo não era pior que ficar sem o Arthur. Mas nós dois juntos éramos uma combinação altamente explosiva. E eu não tinha mais medo de me arriscar.
— Vem para o seu Perigoso, vem.
Assim como suas palavras devastadoras, seus movimentos se tornaram ainda mais intensos. Ele me penetrava com uma vontade descontrolada, confirmando que o desejo de um pelo outro nunca morreria. A saudade aumentou a vontade de fazermos parte novamente da vida um do outro. Senti um arrepio na pele. Arqueei o corpo para receber tudo dele, pois sabia que já estava à beira do abismo. Arthur beijou minha boca e escorregou os lábios pelo meu ombro. Investiu em mim mais algumas vezes e, após ouvir meu grito de libertação, gozou em meu interior, me marcando, me possuindo, me tornando dele mais uma vez.
— Eu te amo. — Olhou em meus olhos para se declarar.
— Eu te amo, Ranger.
***
Fizemos amor mais duas vezes, e eu descansei em seus braços, na minha cama. Deitei a cabeça em seu peito e fiquei um tempo ouvindo somente o seu coração bater.
— Todos os dias eu me lembrava de cada momento que passamos juntos. — Arthur alisava meu cabelo enquanto falava. — Nosso primeiro olhar, a primeira discussão, o striptease, a bebedeira da Mel, o temporal, o chiqueiro... — Sorri, e ele parou de falar.
— O chiqueiro, Arthur? Isso não é romântico. — brinquei. Arthur afastou um pouco o rosto e me encarou.
— Não, não é. É verdadeiramente real. Não tem coração, nem sinos tocando, nem passarinhos cantando, e muito menos estrelas brilhando. Tem encontros, desencontros, brigas, discussões, reconciliações, recomeços, implicâncias e mais discussões. — Balancei a cabeça, concordando com a mais pura verdade. — Essa é a nossa história, não é a mais linda nem a mais perfeita, mas cada palavra e cada detalhe foram verdadeiros. Desde os primeiros “caipira idiota” e “patricinha mimada” até o “eu te amo”.
— Para sempre. — completei sua frase.
— Me perdoa, meu amor? — pediu, mais uma vez.
— Não há o que perdoar. Você me salvou. — Arthur colocou um dedo em meus lábios, me fazendo calar.
— Nós dois fomos salvos por esse amor que nasceu inesperadamente. Contrariando a tudo e a todos, juntamos o melhor dos dois mundos e fizemos dele o nosso mundo. Meu e seu.

N/A: Wow, não é que eles voltaram em ótimo estilo??? hahaha 
Os próximos capítulos, já são os últimos amorecos. Me falem o que estão achando... 


Com mais 10 comentários, posto o próximo capítulo.

12 comentários:

  1. Voltaram em grande estilo!!hahaha deviam estar com saudades desses momentos a sós.Pena que ta acabando, to amando a web!! Tomara que fique tudo assim, os dois juntos e bem.
    Helena

    ResponderExcluir
  2. Uaal Sem Palavras esse Capítulo,como sempre em Grande estilo,q fogo esses dois em são insaciáveis,aí fico mais aliviada por eles terem voltado e o Arthur deixou de ser orgulhoso,Amando,Amando Mesmo de Paixão essa Web,coração doendo de sabe q tá acabando a web,Mais Anciosa para o Próximo *--*

    ResponderExcluir
  3. Capítulo mais que perfeito, to amando demais não quero que acabe nunca!! Posta mais

    Gabriella

    ResponderExcluir
  4. Meu Deus são mt lindos! Não quero que acabe! Vai ter segunda temporada ?? Quero mt q tenha! Posta mais hj!! Amo amo amo essa web!

    ResponderExcluir
  5. Capitulo mais que perfeito. Posta mais please

    ResponderExcluir
  6. Maravilhosooooo... Ameii lindo de maisssss,perfeitoo, nnão sei lidar q tá acabando!!! Quero muitoo o próximo!!

    ResponderExcluir
  7. Que lindos!! Não acredito que já está acabando :(

    ResponderExcluir
  8. Awwwwwwwwn Q lindos

    ResponderExcluir
  9. Nossaaaa que conversa foi essa em... Kkkkk Lindos... Amo esse casal.

    ResponderExcluir
  10. Demorou um pouquinho mais aconteceu graça a Deus. \o/ .... Não me conformo que já está no final :(

    ResponderExcluir
  11. Lindoooo não to acreditando que é a reta final vou chorar demais . Que volta perfeita muito amor , AMO ESSA WEB

    ResponderExcluir
  12. Não acredito que ja vão ser os últimos :'( que coisa mais linda esse cap! Maria Julia

    ResponderExcluir