O Clube - Cap. 89 | Último Capítulo

|

O Clube – Cap. 89 | Último Capítulo

A hora do tão esperado sim para a felicidade, havia chegado.
 – Lua Blanco, você aceita Arthur Aguiar como seu legítimo esposo?
– Arthur Aguiar, você aceita Lua Blanco como sua legítima esposa?

POV NARRADOR

JULHO – O CASAMENTO

– Bom dia... – Lua sentiu um beijo ser depositado em seus lábios, e tão rápido quanto o beijo, foi a porta do quarto sendo aberta bruscamente. Ela mal pôde retribuir o carinho do noivo – marido daqui a algumas horas.
– Vamos, Lua! Levanta, levanta! E Arthur, pode se retirar, obrigado. – Ouviu Sophia falar.
– Aah, dá um tempo, Soph! – Arthur reclamou. – Vou passar horas sem ver a Lua. – Ele se justificou. E abraçou a mulher fortemente, deixando um beijo no ombro da mesma.
– Mas vocês vão ter que se aguentar pelo resto da vida. Vão sobreviver à algumas horinhas. – Sophia retrucou.
– Eu amo você, Luh. – O ouviu sussurrar.
– Eu também te amo. – Ela sorriu, dando um selinho no noivo.
– Não demora muito... – Pediu fazendo um bico. – Isso vai me deixar mais nervoso. – Explicou.
– Que noiva ela seria se não demorasse? Aff' Arthur! Vai logo, Alê tá esperando você lá em baixo. – A irmã o avisou.
– Eu prometo não demorar muito. – Lua garantiu. – Agora vai. Antes que Soph te coloque daqui a ponta pés. – Riu.
– Eu tô quase fazendo isso. – Ela deu língua para o irmão.
– Cuida da minha futura esposa, sua apressada. – Ele pediu se levantando da cama. Após dar um demorado beijo em Lua. – Se você fizer ela se atrasar de propósito, a gente se entende depois da cerimônia. – Ameaçou.
– Ui, vou me preparar! Porque ela vai demorar. Vai ser o atraso do século. – Sophia riu alto. Vendo a careta que o irmão sustentava.
– Não seja má!
– Não vou perder a chance de te ver desesperado e nervoso, maninho. – Ela jogou um beijo no ar para o irmão.
– Luuuuaaa...
– Te amo! – Ela disse. E Arthur foi empurrado para fora do quarto, pela irmã.
– Agora levanta dessa cama. – Sophia voltou a falar. – Temos uma linda e merecida manhã no spa e depois no salão. – Ela fez uma dancinha feliz. – Amo casamentos! – Bateu palmas. E Lua se jogou de volta na cama.
– Manuela já acordou?
– Maaamãããee... – A menina entrou correndo e gritando no quarto.
– Isso responde? – Sophia ergueu uma sobrancelha.
– É hoje! – A menininha vibrou batendo palmas.
– Sim, meu amor. É hoje. – Lua lhe deu um beijo na bochecha. E logo depois seguiu para o banheiro com Manu ao seu lado.

*

O grande e esperado dia havia chegado. E para Lua, parecia um sonho. Tudo estava dando certo, e no fundo, ela tinha um pequeno receio, de que a qualquer hora, alguma coisa pudesse dar errado. Torcia para que estivesse completamente enganada.

Arthur não estava tão diferente dela. Estava nervoso à beça e pedia internamente para que Lua não desistisse. Como se ela tivesse pensando nessa opção.

O último mês tinha sido uma correria só. Mas havia algo a mais que ele tinha trazido. A surpresa tinha chegado. E foi difícil esconder de Arthur, mas Lua conseguiu despista-lo dizendo que era ansiedade devido ao casamento estar se aproximando.

A cerimônia estava marcada para as 16h, a festa seria no Clube. Tudo estava caminhando bem, e a decoração tanto da igreja, quanto do local da festa, não estavam atrasadas.

14H50 – É NERVOSO.

– Ai meu Deus! – Lua exclamou correndo até o banheiro, e se baixou em frente ao vaso sanitário, colocando todo o almoço que acabara de comer, para fora.
– Lua. – Sophia correu até ela.
– É nervoso. – Disse se levantando. – Meu estômago não para de girar. – Mentiu. Não era nervoso, era... a surpresa. Mas ninguém além dela podia saber antes de Arthur.
– Normal. – A cunhada respirou aliviada. – Toda noiva fica nervosa. – Finalizou e Lua assentiu.
– Sim. E ainda mais quando está faltando menos de duas horas para o casamento. – Explicou saindo do banheiro.
– O que aconteceu, mamãe?
– Nada. Não se preocupe. – Lua acariciou os cabelos de Manuela.
– Vem Lua... – Sophia saiu puxando-a. – Vamos fazer a maquiagem! – Cantarolou. – Vem, Manu, você também. – Disse pegando a mão da sobrinha que saiu pulando.
– Calma, Sophia. Ou até na hora do casamento, você não vai estar viva para entrar como madrinha. – Avisou Mel, abraçando Lua de lado.
– É o que eu estou vendo... – Lua comentou.
– Meu irmão vai casar! – Ela exclamou. – Mal posso esperar para vê-lo completamente realizado. – Sorriu.

*

– Eu preciso falar com a Lua. – Arthur disse se sentando na cadeira próxima a janela, e fitou o lindo jardim. – Por que ela não ficou para se arrumar aqui também?
– Porque você podia acabar vendo-a. E isso não seria nada bom. – Sua mãe disse. – Fique calmo, querido.
– Mas eu tô calmo! – Ele bufou.
– Estamos vendo. – Alê retrucou. – Não acha melhor ir logo se arrumando? Ou vai querer fazer diferente, e chegar depois da noiva? – Brincou.
– Não quero me arrumar agora, se não vou querer ir agora pra igreja!
– Lua não vai a lugar nenhum. Ooh!
– Eu sei... mas eu preciso falar com ela. – Disse novamente e pegou o celular.
– Arthur? Lua deve estar se arrumando.
– Mas não vai custar nada ela falar rapidinho comigo. – Ele encolheu os ombros. E começou a discar o número de Lua.

LIGACÃO ON

– Oi. – Sophia atendeu.
– O que você está fazendo com o celular da Lua? – Arthur perguntou frustrado. Porque sabia que no fundo a irmã não o deixaria falar a noiva.
– Lua está se arrumando.
– Eu quero falar com ela. Por favor, passa o celular pra ela. – Pediu.
– O QUÊ? – Ela gritou fingindo surpresa. – Arthur não quer mais casar? – Completou.
– O QUÊ? – Agora foi a vez de Lua gritar, e sair correndo para pegar o celular da mão da cunhada. – Porque você desistiu? – Ela perguntou ao pegar o celular.
– Eu não desistir. Isso é idiotice da Sophia. Não ligue. – Arthur explicou.
– Lua! – Ouviu a moça que estava fazendo a maquiagem gritar. Ela havia saído correndo e rímel havia borrado.
– Ainda bem. – Lua colocou a mão sobre o peito e correu até o banheiro outra vez.
– Lua? Lua? O que tá acontecendo? – Perguntou preocupado ao ouvir barulho da descarga.
– Nada. Nada... Eu só tô um pouco nervosa. E acabei...
– Ok. Já entendi. – Disse ele e riu. Fazendo Lua respirar aliviada. – Eu só queria ouvir sua voz... Luh, estou com saudades já.
– Daqui a pouco a gente vai estar junto de novo.
– Eu sei...
– Arthur, tenho que terminar de me maquiar... E depois me arrumar... – Explicou.
– Tudo bem, Luh... Até depois...
– Até amor.
– Não se atrasa muito meu anjo... – Quase implorou.
– Já prometi que não vou me atrasar tanto.
– Tá, vou acreditar. – Ele disse fazendo-a rir. E logo encerrou a ligação.

LIGAÇÃO OF

– Vamos ajeitar essa maquiagem, Lua. – A mulher disse a ela. E Lua se sentou novamente na cadeira.
– O que meu irmão queria? – Sophia perguntou curiosa.
– Apenas ouvir minha voz. – Lua respondeu rindo.
– Aaain que amor... – Soph disse com uma voz fofa.
– Olha, mamãe. – Manu disse se aproximando de Lua, e estendendo as mãozinhas na direção da mesma.
– Nossa... Que unhas lindas. – Disse pegando as mãos da pequena. As unhas dela estavam pintadas de rosa, e com flores brancas e pequeninas.
– E olha meu cabelo, mamãe... – Disse sorrindo. Os cabelos loiros da pequena estavam levemente ondulados, e com uma flor presa no lado esquerdo.
– Que princesa. – Lua exclamou lhe dando um beijo.
– Vem Manu, vestir o vestido, meu anjo. – Sophia chamou a garotinha.
– Já vou titia. – Disse Manu, caminhando até ela.

*

– Arthur, acho melhor você acalmar. Ou vai acabar desmaiando. – Avisou Alê, terminando de ajeitar a gravata.
– Eu. Tô. Calmo. – Ele disse pausadamente. – Mãe? Ajeita aqui. – Pediu se aproximando da mãe.
– Você está parecendo um príncipe, meu anjo. – Disse sua mãe.
– Um príncipe se tremendo dos pés à cabeça. – Zombou o cunhado.
– Ahahaha – Ele fingiu uma risada. E mostrou língua. – Queria ver se fosse você no meu lugar. – Retrucou.
– Eu estaria mais calmo.
– Mãe, falta menos de uma hora. – Comentou Arthur, ignorado totalmente o cunhado.
– Não vou te pedir mais calma. – Ela respondeu e saiu do quarto.
– Cadê o meu pai?
– Ele ligou minutos atrás. E já, já chega aqui. – Respondeu Alê.

*

– Aqui que está a noiva mais linda? – Disse Kate abrindo a porta do quarto.
– Kate! – Exclamou Lua alegre. – Você veio. – Finalizou indo abraçar a amiga.
– Mas é claro que vim, e Diego também. – Respondeu ela.
– Cheguei a achar que não vinham...
– O voo atrasou. – Kate explicou.
– Falei que podiam dormir lá em casa.
– Não queríamos dar trabalho. Mas agora eu tô aqui. – Disse dando um beijo rápido na bochecha da amiga. – E tenho que me arrumar u-r-g-e-n-t-e! – Correu até a mala para pegar o vestido.
– Quem é ela, mamãe. – Manu perguntou caminhando até Lua, mas sem deixar de olhar para Kate, que parou de fazer o que estava fazendo. Nem tinha reparado na criança ainda. Ela nem ao menos se parecia com Lua.
– Mamãe? – Perguntou confusa.
– É uma longa história, amiga. – Disse Lua.

Ela já estava maquiada. O cabelo devidamente arrumado em um coque. Faltava apenas vestir o vestido, que estava sobre a grande cama de casal, e calçar os sapatos.

Lua estava nervosa e bastante enjoada. Sua mãe logo apareceu no quarto para falar que o carro com o motorista já havia chegado, e que seu pai já estava aguardando-a. E isso só contribuiu para que o nervosismo dela aumentasse mais ainda.

– Você está linda. – Ouviu sua mãe sussurrar enquanto se olhava no espelho. O vestido era lindo. E Lua estava se sentindo a noiva mais feliz do mundo. Soltou o ar passando a mão pelo vestido.
– Eu estou mais nervosa a cada segundo. – Confessou.
– Eu sei, meu anjo. – Sua mãe caminhou até ela. – Já está quase na hora, querida. – Respirou fundo. – Estou muito orgulhosa de você. E feliz em estar viva para presenciar esse momento. – Depositou um beijo nas mãos da filha.
– Mããe... – Lua choramingou.
– Não chore. Irá borrar a maquiagem. – Sorriu para ela. – Vamos? Arthur deve está quase vindo buscar você. Sua sogra acabou de ligar, disse que ele não para de andar de um lado para o outro e a cada 3 minutos, pergunta se você já está a caminho. – Riu negando. E Lua a acompanhou, rindo também.
– Vamos. – Respirou fundo, saindo do quarto e descendo os degraus.

O SIM.

A igreja estava bem decorada e linda, as pessoas já se acomodavam em seus devidos lugares e Arthur não parava de olhar para o relógio e andar de um lado para o outro. Nunca havia ficado tão nervoso em toda sua vida, como estava naquele momento. E sabia que só se acalmaria quando saísse da igreja, casado com Lua. Havia sonhado tanto com esse momento, que agora estava com medo dos segundos seguintes.

Lua já estava a caminho da igreja, e como havia prometido a Arthur, não atrasaria tanto. Seu estomago estava dando voltas e voltas e pedia interna e incansavelmente para que não lhe desse um enjoo mais forte. Não queria revelar a surpresa antes da hora que havia planejado.

O carro preto logo parou em frente à igreja, e seu pai sorriu, abrindo a porta.

– Chegou a hora. – Disse a ela.

As portas da igreja se fecharam lenta e silenciosamente. E Manuela logo surgiu ao lado de Lua.

– Você está linda, mamãe.
– Obrigada, meu anjo. – Sorriu, jogando um beijo para a pequena.

Os pais de Arthur estavam de braços dados em frente à entrada da igreja. Logo atrás, os pais de Lua, depois Mel e Chay, seguidos de Sophia e Alessandro, e por último, a peque Manuela e Lua.

– Estou nervosa. – A pequena sussurrou.
– É só fazer como ensaiamos. Não precisa ficar nervosa. – Lua lhe disse.

E sentiu sua barriga gelar quando a porta da igreja se abriu lentamente. E viu os sogros, os pais e os amigos caminharem entrando na igreja. Podia ver Arthur lindamente no altar. Passou as mão discretamente na barriga e sorriu. Segurou mais firme o buquê de rosas vermelhas que estava em uma de suas mãos e olhou para a pequena almofada vermelha que cuidadosamente era segurada por Manuela, as alianças estavam lá e brilhavam tanto.

– Agora é a sua vez. – Ouviu a voz de seu pai. Nem tinha notado que ele já estava novamente ao seu lado. – Manuela, ande querida. – Ele sussurrou e a pequena começou a andar rumo a entrada da igreja, e Lua a seguiu, de braços dados com o pai. Ouviu a macha nupcial ser tocada, e quando pisou na igreja, seus passos eram mais firmes e decididos.

Arthur estava nervoso, e isso podia ser notado de longe. E Lua sorriu, imaginando qual seria a reação dele assim que lhe contasse o que estava escondendo a mais de um mês.

– Cuide bem da filha. – Ouviu seu pai sussurrar e lhe dar um terno beijo na testa, antes de lhe entregar a Arthur, que carinhosamente apertou a mão de Lua, quando a pegou, e deu um beijo.
– Farei isso. – Disse ao sogro.

Logo se viraram para o padre e o silêncio se fez presente, antes dele iniciar a cerimônia.

Minutos se passaram e logo chegou a hora de Manuela novamente entrar na igreja com as alianças. Ela estava tão linda e Arthur emocionado, deu um beijo na testa da filha, assim que a garotinha entregou as alianças e sussurrou um eu te amo, para ela. Que continuou sorrindo.

– Lua Blanco, você aceita Arthur Aguiar como seu legítimo esposo?
– Sim. – Disse ela emocionada. E Arthur respirou fundo, pronto para dizer os votos e pedindo internamente para que não os esquecesse.
– Eu, Arthur Aguiar, aceito você, Lua Blanco, como minha esposa. Prometo ama-la e respeita-la. Prometo estar com você em todos os momentos, sejam eles, alegres ou tristes. Prometo ajuda-la, e apoia-la sempre que for necessário. Prometo abraça-la sempre que precisar de colo, prometo estar por perto, sempre que precisar de alguma coisa. Prometo lhe dizer palavras de consolo ou incentivos, sempre que algo estiver te perturbando, te tirando o sono, ou lhe deixando indecisa. Prometo ficar em silêncio, quando me pedir. Prometo a você, tudo de melhor que eu puder fazer, prometo dias melhores e felizes para nós. – Completou beijando a aliança já no dedo de Lua. Que fungou, emocionada e pedindo calma para si mesmo. Tinha a sensação de que talvez não ia conseguir dizer nada.
– Arthur Aguiar, você aceita Lua Blanco como sua legítima esposa?
– Sim. – Ele disse tão emocionado quanto ela.
– Eu, Lua Blanco, aceito você, Arthur Aguiar, como meu esposo. Prometo ama-lo e respeita-lo todos os dias de nossas vidas. Prometo estar com você em todos os momentos, sejam eles, alegres ou tristes. Prometo ajuda-lo, e apoia-lo sempre que for necessário. Prometo abraça-lo sempre que precisar de colo, prometo estar por perto, sempre que precisar de alguma coisa. Prometo lhe dizer palavras de consolo ou incentivos, sempre que algo estiver te perturbando, te tirando o sono, ou lhe deixando indeciso. Prometo ficar em silêncio, quando me pedir. Você se tornou meu porto seguro, e sem você, eu não saberia viver. – Finalizou ela, e beijou a aliança dele, assim que terminou de colocá-la no dedo do mesmo. – Eu te amo tanto.
– Amo você.
– Eu vos declaro, marido e mulher. Pode beijar a noiva.

Arthur se aproximou da mulher e sorriu, segurando o rosto da mesma com as duas mãos e a beijou lentamente.

Tiraram várias fotos, e receberam cumprimentos dos parentes e amigos. Logo seguiram para festa.

Já era quase 18h30 quando Arthur pegou a filha no colo, e encheu a garotinha de beijos, fazendo-a rir alto.

– Você está linda, meu anjo. – Disse ele a ela.
– E você tá lindão, papai. – Murmurou ela.
– Não diga isso a ele, Manu. Seu pai é convencido. – Retrucou Lua rindo.
– Oow amor, obrigada. – Ele a beijou mais uma vez antes de colocá-la no chão e se aproximar de Lua.
– Você também está linda, maravilhosa, cheirosa. – Ele disse cheirando-a. – E eu sou o homem mais feliz do mundo.
– E eu sou a mulher mais feliz do mundo. – Afirmou ela, e o beijou.
– Papai?
– Oi. – Arthur se virou para olhar a filha.
– Você vai demorar?
– Não. – Ele se abaixou para ficar do tamanho da filha. – A gente já conversou sobre isso, Manu. Vão ser só alguns dias, e você vai ficar com a tia Soph.
– Eu sei... – A garotinha jogou os braços ao redor do pescoço do pai. – Mas eu vou sentir falta de vocês. – Confessou.
– A gente também vai sentir. – Lua afirmou.

Um garçom passou por eles, e Arthur pegou duas taças de champanhe.

– Não quero. – Lua disse. E Arthur franziu o cenho.
– Não? Por quê?
– Por nada. – Ela deu de ombros. E Arthur devolveu uma das taças. – Eu já volto. – Avisou ela.
– Onde você vai? – Perguntou ele.
– Não demoro. – Ela piscou e saiu andando.

Não demorou mais de 15min e voltou com uma caixinha branca nas mãos, que tinha uma fita da mesma cor envolvendo o mesmo.

– Abre. – Disse ela ao entregar a caixinha para ele.
– Um presente? – Perguntou ele, pegando a caixa.
– O que é papai? – Manuela ficou na ponta dos pés e se apoiou no braço do pai.

Lua abriu um sorriso quando Arthur desfez o laço. Ele abriu a caixa, e sua boca abriu junto em surpresa, ele a fitou.

– Isso é sério? – Perguntou ele olhando da caixa para a mulher. Lua assentiu, emocionada demais para falar alguma coisa.
– O que é papai? – Manu perguntou novamente. E Arthur tirou de dentro da caixa um par de sapatinho vermelho.
– Você vai ganhar um irmãozinho, pequena. – Disse olhando para a filha.
– Um irmãozinho?
– Sim. Gostou da surpresa? – Lua perguntou.
– Gostei. – A menina abraçou as pernas de Lua, que fez um carinho na cabeça da mesma.

Arthur entregou a caixinha para a filha e abraçou a mulher.

 – Obrigada. Obrigada. Obrigada. Não existe no mundo, homem mais feliz que eu, nesse momento. – Ele disse baixo. – Eu estava pensando em falar com você sobre um bebê. – Riu lhe depositando um beijo no canto da boca.
– Tomei a liberdade de lhe fazer uma surpresa. – Disse ela.
– A melhor surpresa que eu poderia ganhar. – A abraçou mais forte. – Quantos meses? – Arthur perguntou curioso e se afastou um pouco da esposa, para olhar a barriga dela.
– Quase sete semanas.
– Ooh! – Ele exclamou. – E eu nem desconfiei.
– Eu cuidei disso. – Ela riu.
– Vai dar tudo certo, Luh. Eu prometo. – Sussurrou.
– Eu sei que vai. – Ela concordou e Arthur acariciou a barriga dela.
– Mal posso acreditar! – Ele soltou o ar e se ajoelhou diante dela, fazendo os convidados fitarem o casal. – Você vai querer me matar, mas eu tenho que fazer isso. – Disse ele olhando para cima, para o rosto da mulher.

Arthur voltou a fitar a barriga de Lua, e aproximou os lábios da mesma, beijando demoradamente o local. Fazendo alguns convidados abrirem a boca surpresos. E os familiares ficarem emocionados diante da cena. Depois de saberem do que os dois haviam passado messes atrás. Essa felicidade era tudo que eles mereciam.

– Eu amo você. – Ele murmurou ainda olhando para a barriga da mulher.

Se levantou alguns segundos depois e aproximou os lábios dos dela, beijando-a lentamente.

– Obrigada por tudo, amo tanto você. – Disse Arthur ao encostar a testa na dela.
– Obrigado a você. Eu também te amo tanto. – Disse Lua.

E não importa quantas voltas o mundo dê. Não importa se o seu amor resolveu ir embora. Se for pra ele ser seu, uma hora na vida ele irá encontrar o caminho de casa, e você será feliz para sempre.


 Se leu, comente. Não custa nada!

Bom, esse foi o último capítulo búúúúaaa :´( E eu espero que tenham gostado. Porque eu sou suspeita pra falar. Achei o cap. lindo – eu tentei de todas as formas escrever esse último cap. da melhor forma que pude <3

Mas ainda tem o Epílogo, e vocês nem sonham o que eu preparei. Vou tentar postar o mais rápido possível.

Gostaram da surpresa? <3 Eu amei haha Eles mereciam!

O que acharam desse final? Fiz uma montagem especialmente para esse momento. Espero que tenham gostado. Assim fica mais facil de imagina-los.

Eeei! Dia 11/02, fez 1 ano que estou aqui no blog, e 1 ano que comecei a postar O Clube aqui também. Era pra eu ter postado esse cap. nesse dia, mas não deu. Nem parece que já faz todo esse tempo né?

Obrigada pela companhia ao longo desse ano – e desculpem a minha demora nas atualizações haha. (Depois faço um agradecimento melhor)

Até breve...

Beijos!

5 comentários:

  1. Nossa passou rápido 1 ano já !
    Capítulo lindo demais amei !
    Oba tá vindo outro baby !

    ResponderExcluir
  2. Mds,nem posso acreditar que ja esta no fim :(.Achei linda a surpresa da Lua pro Arthur,tomara que dê tudo certo dessa vez.

    ResponderExcluir
  3. Olha vaca, nem sei como escrever o que eu to sentindo depois de ler esse capítulo... Craca 1 ano, já?! Passou muito rápido, nem acredito que O Clube ta acabando :( Eu ficava falando pra tu postar logo haha, mais agora me deu um aperto no coração... É fato que nunca estamos preparados para o Fim.
    Eu amei essa fic de paixão, como eu amo todas as suas outras. Vou sentir muitas saudades...
    Ehhhh vem outro baby pra alegrar a Famíliaaaaaa, eles precisavam dessa felicidades depois de tudo!

    Obs: Ainda não esqueci da surpresa do Epílogo, quero ler logo.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Ohhhh que pena q acabou web maravilhosaaa.... Amejiiiii cada capítulo!!! Parabénsssss!! Ansiosa pelo epílogo!!

    ResponderExcluir
  5. Que lindoooo!AMEI!-L

    ResponderExcluir