15 dias para confessar - 2ª Temporada de S.T. - Reencontro

|

2ª Temporada de Sentimentos traiçoeiros



Arthur

     Que deveria eu fazer? Arrancar com o carro e não lhe dirigir a palavra ou esperar e ver o que o futuro me reserva?
     Lua correu desde a entrada da sua casa até ao carro. Deu-lhe a volta e abriu a porta do lado do condutor, onde eu estava, neste caso.

- Thur... - Disse ela baixinho. A sua voz estava trêmula.

     Continuei a olhar pra frente. Estava chateado.

- Desculpa isto. Não sabia como reagir.
- Não... quem pede desculpa sou eu, por ter te feito esperar. Entendo que não o tenhas conseguido fazer.
- Que queres dizer com isso?
- Por favor Lua! Não sou cego. - Olhei agora pra ela.
- Sobre o Bruno... não é o que estás a pensar. - Tentava explicar ela.
- Então porque é que estavas sentada no colo dele? - Perguntei, todo bruto.
- Não tens nada a ver com isso! - Ela gritou. - Achas o quê? Que vais embora da minha vida durante meses e que depois voltas e mandas como queres e bem entendes? Também não andas-te a divertir-te com a Britney este tempo todo? Eu sou um ser humano, Arthur. Também sofro de carência.

     Saí do carro, ficando à sua frente.

- Então isso tudo é carência e não amor? - Questionei - Mas espera lá, isso quer dizer o quê? Que ele tocou-te do mesmo jeito que eu te toquei? - Confesso, os ciúmes falaram mais alto.
- Não tens nada a ver com isso! - Ela gritou - Olha, porque raio voltaste? Acabaste por estragar-me a noite.  Eu vinha cá dar-te um abraço porque fiquei com um aperto no peito ao ver-te ir embora daquela maneira, do meu quarto, deixando tudo o que me fizeste para trás. Mas esquece, nem isso mereces!

     Lua voltou-me as costas e dirigiu-se à sua casa.

- Não que tenhas algo a ver com isso, mas durante este tempo todo eu estive sozinho. Acabei com a Britney faz tempo. Andas tão animadinha com esse teu amiguinho novo que nem disso te deste de conta.
- Vai te lixar. Não sonhas nem com metade do que eu passei. - Ela gritou, mais uma vez, antes de entrar dentro de casa.

     Chutei a porcaria do pneu. Merda. O carro é novo. Espero que a minha mãe não note.

     Volto para casa. Entro sem dizer nada e sento-me à mesa, na sala de jantar. O cheiro da lasanha invade a casa. Só isso melhora o meu humor.

- Posso te perguntar como correu ou nem vale a pena?
- O que é que acha? - Encarei a minha mãe.
- Come, meu filho. Amanhã vocês falam melhor e resolvem tudo.
- Acho que não vai dar para resolver nada. Sinto-me perdido.
- É preciso teres calma. Ela pode estar confusa.
- E achas que eu não estive? - Olhei para a minha mãe. Com certeza eu tinha os olhos a brilhar - Fiquei afastado dela tanto tempo. E nesse tempo deu para perceber realmente o que é que eu queria. Mas parece que é tarde de mais.
- E o que é que tu queres mesmo?
- Eu quero ela. Eu quero a Lua.

     A lasanha estava com bom aspecto e um ótimo cheirinho, mas naquele momento nada me apetecia. Eu queria apenas deitar-me na cama e quem sabe chorar. Na verdade, nem chorar me apetecia. Eu estava com tanta raiva, que só me apetecia bater em algo ou quem sabe em alguém.

     Limitei-me por ficar em casa. Vi tv, pus em dia as minhas séries e meti uma publicação idiota no Facebook: "Não sei se preciso de dormir durante três semanas, beber seis shots ou de um simples abraço".
     Estar apaixonado é saber mostrar o seu lado gay.

     No dia seguinte, ou melhor, na tarde do dia seguinte, tomei a decisão de ir até à casa da Dianna. Já lá tinha ido algumas vezes e julgo ser capaz de fazê-lo outra vez.
     O meu único receio era se ela não estivesse em casa ou então que estivesse acompanhada da Lua ou ainda que não quisesse me abrir a porta.
     Assim que cheguei, respirei fundo e toquei à campainha. A porta abriu-se um segundo depois.

- Uau. Não esperava esta repentina...
- O que é que fazes aqui? - Ela interrompeu-me.
- Quero falar contigo.
- Tens dois minutos.
- É sobre a Lua.
- O tempo está a passar. - Avisou ela.
- Mas o que é que vos deu? - Questionei. - Porra, o que é que eu fiz de mal?
- Não... - Dianna começou a rir - Espera, isto é uma piada? Estás louco?
- Não.
- Esqueceste-te do que fizeste? Magoas-te a Lua! Não tens noção disso, pois não? Ela é como uma irmã para mim. Todos os dias eu via o sofrimento nos olhos dela. Tu não tens noção do quanto ela passou mal.
- Quando ela se despediu de mim, ela disse que ia esperar por uma resposta minha. Porém, ontem deixou muito a desejar...
- Porquê?
- A maneira como ela estava com o Bruno... os amigos não ficam daquele jeito... sentados um no colo do outro.
- O Bruno sim é um bom rapaz. - Dianna dizia com muita certeza - A Lua estava desmotivada com tudo e quando o Bruno voltou a falar com ela, a sair com ela e tudo mais, ela voltou a sorrir. Sabes que ela desativou as redes sociais por tua causa? Sabes que ela chorava todas as noites e morria de saudades e durante estes meses todos tu nem lhe enviaste uma mensagem?
- Eu disse que precisava de tempo e ela sabe disso.
- Sim, mas porra, confessa que ao menos podias dizer-lhe um olá ou dizer que estava tudo bem. Ela estava aqui sem saber nada e só fazia macaquinhos na sua cabeça, tento como protagonistas tu e a Britney, e o facto de nunca mais voltares para ela. - Dianna respirou fundo.

     Mordi o lábio e fui à dúvida final.

- Eles estão juntos?
- Só ela te pode responder a isso.
- Tens de me ajudar. - Pedi. - Eu vou embora logo após a passagem do ano. E se tudo continuar assim, eu deixo a Lua e não volto mais.
- Mas sabes, se quer, se ela quer voltar?
- Receio que não. - Respondi-lhe baixinho.
- Então só tu lhe podes perguntar isso. Conversem. Não prometo que será fácil porque ela neste momento odeia-te. - Dianna foi clara.


***

Notas finais

Hiii!! Obrigada pelos comentários. Continuem assim pah!
Estou a chegar à fase final desta fic e sinceramente não quero terminá-la tão cedo porque, segundos os meus rascunhos, só têm uns 20 capítulos. Pensei em talvez passar alguns aninhos. O que acham? Eu sei que não sabem como é o desenrolar da fic, mas tem um final feliz, para contrariar a primeira temporada.

Mas bom, continuem a comentar e tal.

OBS: Lembrando mais uma vez que esta é a segunda temporada de Sentimentos traiçoeiros e, se tem alguém a ler isto pela primeira vez, por favor, vá aos marcadores das fic recentes terminadas e procure "Sentimentos traiçoeiros".

6 comentários:

  1. Olha que bom que você postou !
    Amando essa web!

    ResponderExcluir
  2. Não quero que chegue ao final... To Amando de Mais ❤️ Web Top❣����

    ResponderExcluir
  3. Mostra no final como eles viraram depois de alguns anos!!! To amando a web! A Diana bem que podia ajudar né?!

    ResponderExcluir