Uma Linda Mulher - 2ª TEMP. | CAP.63

|


Uma Linda Mulher - 2ª Temporada





Capítulo: 63


Arthur – E bota instante nisso, nunca vi ninguém fazer planilhas na rapidez que você faz…
Lua – Eu já vi, você. – sorriu a ele e Arthur retribuiu – A tarde foi uma delicia...
Arthur – Foi maravilhosa, outra folga assim, só no natal.
Lua – Natal, nossa. O ano passou depressa Arthur… – mirou Linda. –  Ainda me lembro quando descobri que estava grávida... – sorriu, vendo que aos poucos a garotinha deixava de sugar o leite caindo no sono. 
Arthur – Está quase dormindo…
Lua – As orelhas... – ele assentiu, deixou a mamadeira em cima da mesa acariciando as orelhas de Linda. 
Arthur – Sobre a ajuda, vai ser muito bem vinda, além do mais já volta no ritmo , fevereiro está aí querida, e a Venturini vai estar nas suas mãos… - Os olhos de Lua brilharam em paixão, Arthur sorriu. – Um ano que te fez falta o trabalho…
Lua – Você não calcula, amei me dedicar a casa aos nossos filho, mais sinto que falta uma parte de mim entende? – jogou a franja para trás – Eu amo o que faço Arthur…
Arthur – Você é boa no que faz Lua… – assentiu – Você é muito boa! -  Lua sorriu, ouvir isso de seu marido era bom, mais logo depois vinha um dos maiores empresários do México, ouvir isso de Arthur Aguiar era ainda melhor. – Tenho planos para o Natal…
Lua – Sim?
Arthur - Mel vem para o natal, estava pensando se poderíamos ir para o sitio… – Lua sorriu surpresa. 
Lua – Tem certeza?
Arthur – Tenho, você gostaria? Poderíamos chamar Sophia e Micael. Nelita vai para a casa da filha dela novamente, não quero passar na casa de Marieta, as recordações vão ser maiores… – Lua assentiu.
Lua – Por mim tudo bem, vai ser maravilhoso. - Lua girou a aliança em sua mão, pensativa sobre os dias que viriam, tudo estava tão calmo e estável, que ás vezes o medo de que algo acontecesse a preocupava. 
Arthur – Mil beijos pelos seus pensamentos… – Ela acordou levantando a mirada até ele.  
Lua – Nada de mais… – suspirou – Esse final de semana vai ficar marcado. – recordou e soltou uma baixa gargalhada. – Você e Gabriel estavam impossíveis hoje, você agita e ele vai na sua. – Arthur sorriu negando com a cabeça. 
Arthur – Está crescendo tão rápido Lua… – fez uma cara de assustado. – Daqui a pouco vai me perguntar sobre garotas e faculdades. Acho que estou ficando velho.
Lua – Não está mesmo, porque se você estiver ficando velho eu também estaria ficando velha, e querido, olhe para esse corpinho... – Arthur gargalhou – É, ele está mesmo crescendo.
Arthur – Gabriel seria feliz se não tivéssemos nos casado Lua? – de repente perguntou, e Lua respondeu com sinceridade. 
Lua – Hoje temos uma cabeça mais madura Arthur, mais eu não sei. Eu não me imagino não casada com você, fizemos planos de vida sobre minha gravidez… – assentiu com um sorriso – Acho que ele gosta de como vive. 
Arthur – Eu também acho, ontem antes de tomar banho fiquei no quarto o olhando por uns bons minutos. E sorri, com o meu próprio desejo por ele quando nos reencontramos, eu sabia que se houvesse uma criança nós teríamos uma chance. Uma criança parte de mim, parte de você… – Lua sorriu, lembrando agora as coisas faziam completamente sentido. – Eu chutei e chutei certo, porque minha vida continuaria monótona se você não tivesse chegado, se ele não tivesse chegado assustando a ti como uma garota de colegial…
Lua – Eu realmente estava assustada, minha gravidez inteira eu estava assustada demais para ser eu mesma…
Arthur – Eu sei que estava… – a observou com ternura – Tinha momentos quando discutíamos que eu pensava que iria partir no meio de tanta vulnerabilidade… – ela sorriu baixando a cabeça. – Eu gritava porque perdia o controle e logo depois me arrependia morto de culpa de que acontecesse algo com o bebê, ou que você partisse com ele depois que nascesse.
Lua – Não foi fácil Arthur… – negou com a cabeça – Havia dias que pensava que você iria me enlouquecer, que eu iria te enlouquecer…
Arthur – Boneca de porcelana… – ela sorriu – Eu te associava a uma boneca de porcelana e Mel me dizia que era a mais forte das mulheres. Eu dizia ao contrário, porque precisava me sentir útil no nosso casamento… – também baixou a cabeça mirando Linda. – O pior de não te ter, era saber que não me desejava mais… – ela subiu a cabeça o miando.
Lua – Eu nunca perdi o desejo por ti Arthur, nem por Miguel ou por algum outro homem… – sentiu necessidade de dizer. – Procurar você em outros braços não foi e nem era a solução…
Arthur – Você estava perdida…
Lua – Não, nos havíamos nos perdido.
Arthur - E quando foi que você se encontrou?
Lua – Quando você disse que me amava… – largou a sorrir, iluminando os olhos e o coração de Arthur. – Quando sussurrava ao pé do meu ouvido… - mordeu os lábios suspirando. – Não havia coisa melhor  Aguiar. "Eu você em qualquer lugar, dizendo a onde você for eu vou..." - Arthur sorriu, subiu a mão que alcançou o rosto de Lua, a acariciando afastando os cabelos para trás.
Arthur – Agora olhe para nós, olhe para ela… – mirou Linda adormecida. – Não há coisa melhor nessa vida do que a sensação de…
Lua – Vitória. – cobriu a mão dele com a sua – Quer saber, eu faria tudo de novo.
Arthur – Eu só mudaria uma coisa…
Lua – O que? – franziu a testa curiosa.
Arthur – Eu jamais deveria ter deixado que você me deixasse… – Lua sorriu novamente, e ele fez o mesmo a contagiando com aquela luz maravilhosa enviada de seu interior. – Vem, vamos para cama… – Ela assentiu, se levantou, apagando as luzes após colocar Linda no berço deitou se na cama ao lado de Lua. Ela se encostou ao peito dele, recebendo o abraço quente do marido.
Lua – Quer saber… – fechou os olhos sonolenta – Eu também mudaria algo… – ele fez o mesmo relaxando o corpo. 
Arthur – O que?
Lua – Eu jamais permitiria que você deixasse eu te deixar. – Arthur sorriu de olhos fechados, a alisou nos cabelos. A noite era quente e as estrelas brilhavam a promessa estava no ar, e os segredos prestes a serem desvendados...

Feliz Natal!

Dezembro foi maravilhoso, nem o trabalho árduo e cansativo de final de ano na  Aguiar havia abalado a simplicidade e magia de Dezembro, o incrível era imaginar que as festas já estavam chegando e que o Ano Novo logo estaria aí, o primeiro ano novo, onde uma família não completa, mais em perfeita sintonia, passariam juntos, fazendo aquela deliciosa contagem regressiva que no final lhe indicava que mais um ano se passava, e que mais um ano começaria. A falta que Marieta fazia principalmente nessa data era inimaginável, não estar com ela no natal para Arthur, Mel e Lua, era tanto uma coisa nova como também dolorosa. Mais como sua tia gostaria, disse Arthur certo dia, eles celebrariam o natal com prosperidade em felicidade, se lembrando dela nos momentos felizes e festivos, iriam para a casa de Lua, que por sinal estava animada com o fato de pela primeira vez seus filhos, marido e amigos passarem o natal junto a ela, na casa na qual nasceu e que certamente lhe traria demasiadas lembranças. As horas eram rápidas, os dias calmos e quase sobrenaturais, havia algo que pudesse ultrapassar a perfeição? Sim, Lua respondeu mentalmente, sua vida, família. Sentia-se tão completa que era impossível se sentir triste em alguma hora se quer do dia, se sentia tão completa de corpo e alma que era impossível sentir frio de amor ou de paixão…





Hello Hello :)
Bom dia, amores. Desculpem, ontem não deu para postar, não estava me sentindo muito bem. Espero que entendam. É isso.
Natal, já?! Como passou rápido. Espero que gostem do Natal deles em família.
Com mais 10 comentários, posto o próximo capítulo.

11 comentários:

  1. QUE LINDOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOS, AMEI O CAP
    JÁ QUERO O PRÓXIMO

    ResponderExcluir
  2. lindooooooooooooooooooooos demais

    ResponderExcluir
  3. melhoras pra vc brenda . linda demais a família ,pena q marieta n esta mas entre eles Xx adaline

    ResponderExcluir