Milagres do Amor - Cap. 34º

|

Milagres do Amor
Adeus, por enquanto…

Pov Narrador

Ambos gemeram e Arthur apertou seus cabelos mordendo seus ombros, ele retirou seu membro vagarosamente, e sentiu Lua gemer de dor e prazer, olhou para seu membro e o viu com sangue.

A virou e abraçou carinhosamente se sentindo um cretino por ter machucado ela.

– Me desculpe Lua. – disse culpado, Lua que estava em êxtase pelo prazer, quando ouviu seu tom de voz extremamente culpado, espalmou suas mãos em seu peito e o encarou.
– Desculpar o que?
– Por ter te machucado, não queria isso.

Lua ficou na ponta dos pés e o enlaçou pelo pescoço.

– Não me machucou, eu só sentir prazer, um prazer extraordinário. – disse lhe dando um beijo de esquimó.
– Lua, eu deveria ter me controlado, eu sou mais experiente e sem dúvidas isso iria te machucar, até ontem você era virgem e está incrivelmente apertada. – disse fechando olhos.

Lua passou a mão por seus cabelos fazendo um cafuné e fazendo um carinho em seu rosto.

– Eu te pedi por isso, e acredite em mim eu não senti dor. Só prazer. Você é muito bom nisso. – disse rindo pairando em seus lábios.

Arthur riu triste.

– Me desculpe... – Lua o interrompeu beijando carinhosamente seus lábios.
– Eu te amo, Arthur. – sussurrou ainda de olhos fechados.
– Eu também te amo, Lua. – voltou a beijá-la, enfiando sua língua com calma em sua boca, em uma caricia suave e quente. – Agora é banho mesmo. – disse após cessar o beijo.

Eles tomaram um banho calmo e gostoso com Arthur lavando os cabelos de Lua e ela lavando os seus.

Após o banho Lua saí do Box. Vestindo uma lingerie azul, uma blusa branca e calça jeans.

Colocou as pulseiras, cordões e anéis deixados na sacola por Mel. Deixou os cabelos soltos e calçou a sandália preta de salto alto.

Ficou esperando Arthur sair do banheiro e quando ele saiu quase caiu para trás. Arthur estava com seu uniforme verde e os cabelos puxados para o lado com gel, o deixando mais tentador ainda.

Por um momento Lua esqueceu o motivo de ele estar vestido assim. Que era apenas por ter que ir trabalhar fora por dois meses.

– Vamos tomar café? – perguntou sorrindo torto pra ela, que assentiu.

Eles tomaram café em um silêncio nada agradável. Após terminar foram escovar os dentes com uma das escovas novas deixadas ali para os hospedes.

Quando acabaram de se alimentar, Arthur a chamou.

– Sente-se aqui Lua. – pediu batendo do lado da cama, onde acabara de sentar.

Ela sentou e mordeu os lábios, seus olhos eram tristes.

– Me desculpe por isso Lua, mas eu tenho que ir. – disse pegando suas mãos.
– Eu sei Arthur, é o seu trabalho, é algo que você ama. – disse triste.
– Eu amo mais você Lua, sempre será assim.
– São tantos dias, eu vou sentir sua falta. – e as lágrimas não poderiam mais ser seguradas.
– Eu também, acredite em mim. – acariciou suas bochechas. Lua fechou os olhos aproveitando a caricia.
– Eu acredito Arthur.
– Me ligue quando quiser, ok?
– Você vai me ligar também?
– Sim, todos os dias. – sorriu brilhante pra ela.
– Promete?
– Prometo, eu não posso mais viver sem você amor. Você é tudo pra mim. – disse limpando suas lágrimas. – Se acontecer alguma coisa, qualquer coisa, é só me ligar que eu virei. A qualquer hora eu estarei aqui.

Lua assentiu e sorriu fraco pra ele.

– Não importa se estou longe, me chame uma única vez e eu virei. Mas agora é sua vez de me prometer que vai me ligar se caso algo acontecer. – disse a encarando.
– Eu prometo. – sua voz saiu esganiçada pelo choro que estava vindo em abundancia.
Arthur a puxou para seu colo, não se importando em amassar seu uniforme, só se importando em acalmá-la.
– Amor, quando eu não puder estar com você, tudo que você tem que fazer é fechar os olhos e olhar para dentro de você mesma que eu estarei bem aqui. – disse colocando sua mão no coração de Lua. – Onde jamais irei sair, eu serei seu pra sempre Lua, pra sempre.

Lua o agarrou pelo pescoço e lhe deu um beijo apaixonado e salgado por suas lágrimas.

– Eu te amo Arthur, muito, muito mesmo, que até chega a doer. – disse contra seus lábios.
– Eu sinto isso desde o dia em que eu te vi pela primeira vez, meu amor. Depois daquele dia eu nunca mais fui o mesmo. – voltou a beijá-la.

Após a conversa eles foram em direção ao aeroporto, onde encontraram Chay, Bernardo, Mel e Rayana esperando-os.

Ficaram esperando até o voo ser anunciado.

– Bom tenho que ir. Chay, pode usar o carro que quiser, mas escolha apenas um e é esse que você irá usar. – diz o abraçando.
– Valeu mano, boa viagem. – disse sorridente.
– Bernardo, cuidado ai hein. Toma conta da Mel e das coisas enquanto eu não volto.
– Pode ficar tranquilo quanto a isso, Arthur. – apertou sua mão.
– Ray, manda ver na carreira de Lua.
– Arthur, a fama dela já está garantida.
– Mula, pode preparar sua loja e cuidar de Lua. – disse lhe dando um abraço carinhoso.
– Tudo bem –  falou chorosa.

Arthur virou pra Lua e limpou uma lágrima que estava correndo por seu rosto.

– Eu volto logo, você vai ver. Quando menos esperar, eu estarei de volta. – Lua assentiu.

Arthur a abraçou e cheirou seus cabelos.

– Cuide de sua carreira e fiquei bem. – disse em seu ouvido – Eu te amo.
– Também te amo, Arthur.
– Quando eu chegar lá, eu te ligo. – disse e deu um beijo de despedida longo.
– Tchau – a largou e saiu andando sem olhar pra trás, porque sabia que se olhasse mais uma única vez, iria desistir da merda da viagem.

Seu coração permanecia ali, com Lua.

Continua...

Se leu, comente! Não custa nada.

8 comentários:

  1. tadinha da Lua
    Posta mais please

    ResponderExcluir
  2. esses dois estão no maior love e fogo,pena q o thur teve q ir viajar . xx adaline

    ResponderExcluir
  3. Owm dó :'/ Depois de uma noite e manhã tão especial ele se vai.
    Agora segura o coração e a priquita Lua ele ja volta ;)
    Awmmm adorandooo ♡♥♡♥♡♥

    ResponderExcluir