Uma Linda Mulher - CAP.38

|


Uma Linda Mulher


Capítulo 38:


Lua – Eu acho que vou vomitar…– Lua olhou no retrovisor não sabia de que cor estava. 
Marieta – Nada disso, respire fundo, ande respira fundo e abaixe a cabeça na altura dos joelhos.
Lua – Não consigo, Ohhh Marieta chame alguém por favor… 
Marieta – Arthur já deve estar te alcançando, vamos lá respire Lua, fundo, isso…Respire – Lua se concentrou em fazer o que ela lhe pedia respirou fundo e o tremendo mal estar pareceu passar um pouco, não sabia nem mesmo onde estava, parecia ser uma rodovia. - Isso, muito bom, siga respirando com a cabeça baixa, tire os cabelos da nuca e abra bem os vidros. - Lua fez com lentidão o que ouvia de Marieta que olhava apreensiva para Mel que falava com Arthur do outro lado da linha...
Arthur – PERGUNTE A ELA ONDE ELA ESTÁ MEL, EM QUE RODOVIA NÃO VEJO O CARRO….– Pisou ainda mais fundo no acelerador multiplicando a velocidade, afastou os cabelos do rosto.
Mel – Tia onde ela está? Pergunte onde ela está. 
Marieta – Lua ainda me ouve?
Lua – Sim... 
Marieta – Onde você está? Em que rodovia? LUA EM QUE RODOVIA?
Lua – Na principal, na principal que leva a Madrid. Ohh não Marieta está voltado o enjôo…
Marieta – Continue respirando, continue respirando fundo… 
Arthur desligou o telefone sem nem mesmo se despedir da irmã, em uma manobra abusada e impensada desviou o carro a tempo para entrar na maldita rodovia, pisou fundo e viu finalmente um tanto a frente o carro encostado no acostamento, estacionou o seu logo atrás e saiu do carro em um tiro. Se encaminhou para o carro de Lua ela estava abaixada no assento respirando fundo com o telefone nas mãos…Ele abiu a porta do carro a pegando contra vontade a trazendo para seu colo, desligou o carro esporte, fechando as portas e ligando o alarme, correu até seu carro com ela ainda nos braços para a sentar no banco de trás do passageiro se ajoelhando no chão de frente para e la…
Arthur - ESTÁ TUDO BEM? SUA MALDITA MALUCA, ME RESPONDE ESTÁ TUDO BEM? - Pegou no rosto dela, com uma mão em cada lado, colou seus lábios em um selinho desesperado a abraçando com força como podia. – NÃO FAÇA ISSO, ME SOQUE E XINGUE MAIS NÃO ME MATE ASSIM, NUNCA MAIS FAÇA ISSO, ME COMPREENDE LUA NUNCA MAIS FAÇA ISSO…– A olhou nos olhos a beijando novamente por todo rosto, por todos os lugares. – Daremos um jeito, faremos algo ok? Se não me quiser tudo bem eu posso suportar, mais nunca mais faça isso, nunca mais…– Lua percebeu como o coração dele batia rápido e com o cheiro do corpo dele e de como a abraçava com tanta força, a fazia pouco a pouco se recuperar corando novamente.
Arthur – Me perdoe, eu perdi a cabeça meu amor me desculpe, me desculpe. Eu darei tudo o que você quiser, qualquer coisa que você quiser, se você quiser não nos casaremos, qualquer coisa, a mais cara a mais absurda tudo o que você me pedir…– Lua fechou os olhos debruçando a cabeça no ombro dele que seguia mais assustado e muito mais afobado que ela naquela hora. Não teve o que fazer a não ser esperar deitada sobre aquele ombro, até que ele se acalmasse…E se voltasse a lembrar que a meretriz iria arruinar para sempre sua vida….
Arthur - Você está bem? - A olhou novamente a beijando nos lábios com desespero. – Anda me responde você está bem? Mel me disse que estava em estado de pânico e dirigia em alta velocidade, imaginei qualquer besteira. Esqueça tudo o que te disse naquele quarto, esqueça tudo o que te disse por todo esse tempo. A culpa é minha, a culpa é sua e eu adoro a idéia de ter um filho seu, porque não há mulher nesse mundo que eu deseje como eu desejo você. Eu faço tudo e qualquer coisa para que tudo dê certo. Eu sou péssimo como cozinheiro, e também não sei ser romântico eu logo aviso, que não sei que cor você gosta,ou quais flores você ama receber, não sei o nome dos seus pais nem sua comida preferida, não sei o seu número de sapato nem o seu número de roupas, nem imagino qual é a música perfeita para você e nem tenho idéia do que você mais ama, mais preciso que você esteja segura, sempre segura, comigo, na minha cama, na minha casa com o nosso filho…- Lua ergueu a cabeça o olhando nos olhos. Por incrível que pareça havia tudo desaparecido o nervosismo tudo, ele estava lhe propondo um casamento por conveniência e não havia outra escolha a não ser aceitar. Cama, banho, comida, filho, teto e emprego, tudo vinha no pacote Aguiar e claro o coração dele não fazia parte, se é que ele tinha um para oferecer…Afastou-se pegando ar, ele pensava mesmo que aqueles olhos que imploravam que ela dissesse sim a convencessem? 
Lua – Sim Arthur…Faremos um acordo, que caso esse casamento não dê certo o meu filho fica comigo, tudo o que você tem permanece com você quando nos divorciarmos, e tudo o que eu tenho segue comigo inclusive o nosso filho, eu continuarei trabalhando e você também. Nada de mulheres na minha casa em quanto eu ou meu filho estivermos lá. E o principal, eu quero a Giovanna longe de você de mim e do seu filho entende? – Arthur baixou a cabeça.
Arthur – Isso não é um casamento Lua, isso não é ter amor e criar nosso filho em uma família não seja…
Lua – Pode acreditar que em pouco tempo você vai me agradecer por isso. Uma meretriz nunca nasce para ser esposa…Não a esposa de um homem como você.
Arthur - E que tipo de homem eu sou? - Mordeu os lábios para não gritar de nervoso.
Lua - O tipo de homem que pede uma mulher em casamento e logo depois a chama de vagabunda, esse é o tipo de homem que você é. 
Arthur – Se você fosse homem eu já teria lhe dado umas boas palmadas Lua…– Ela se calou baixando a cabeça. – Você não pode tentar pelo menos criar um ambiente amigável, você está preparando nosso divórcio antes mesmo que nos casemos.
Lua – Eu posso criar meu filho sozinha Arthur, eu faço isso por ele, não por você nem por mim…Não valemos a pena, você não vale a pena…– Dito isso ela se levantou indo até seu carro, e Arthur continuou abaixado, engolindo seu orgulho que gritava para que a jogasse no banco de trás e a possuísse de forma primitiva e profunda. Lhe mostrando o que realmente valia a pena, levantou-se se encostando, levantou a mirada ao perceber que ele estava com a chave de seu carro.
Arthur – Você não vai voltar dirigindo, no caminho já me encarreguei que alguém venha buscar o carro.
Lua – Arthur…
Arthur – Você é surda Lua? Você vem comigo. – Se pôs tão sério que Lua se sentiu novamente enjoada, caminhou de volta para o carro se sentando no banco do passageiro. Arthur dirigiu em silêncio com sua cabeça pegando fogo e os olhos insistindo em lacrimejar olhou para ao lado e Lua olhava a janela e distraidamente acariciava seu ventre por cima da blusa do moletom preto, fechou os olhos um segundo para logo os abrir recordando os sussurros dele ao pé do seu ouvido em quanto faziam amor...
Arthur - Se é tanto ódio assim como suas palavras proferem, porque disse que me amava ontem em quanto fazíamos amor? – Lua sentiu seu corpo sacudir trêmulo, e parecia que o ar não adentrava mais em seus pulmões, segurou se firme nos bancos fechando os olhos os com força antes que poder se fazer de dissimulada, como poderia ter sido tão estúpida.
Lua – Do que você está falando? – Seus olhos estavam arregalados, mais parecia que não conseguia ver absolutamente nada, seu corpo tremia seu queixo estava trêmulo. Arthur a olhou rapidamente, pensando que ela ainda seguia enjoada, mordeu os lábios batendo com força no volante sentia que iria explodir a qualquer momento.
Arthur– Qual é Lua? Eu fiz uma pergunta e estou esperando por uma resposta. – Mudou de marcha não contendo a raiva, dirigia em alta velocidade.
Lua – Se você não for mais devagar vamos morrer nós três dentro desse carro. PEGA LEVE ARTHUR TEM CARRO NA NOSSA FRENTE.
Arthur – NÃO MUDA DE ASSUNTO LUA, DROGA PARA DE FUGIR DE MIM….– Ela se assustou pelo grito intenso, finalmente criando coragem e força parou um tanto de tremer se virou para ele e disse: 
Lua – Quando estávamos sobre efeito de algo forte não pensamos no que falamos, com você é a mesma coisa, acontece disse sem pensar. 
Arthur – Você disse sem pensar…- Mordeu os lábios arregalando os olhos incrédulos. – Em quanto nós fazíamos amor, completamente entregues ontem sobre o efeito de algo tão forte você diz coisas sem pensar.
Lua – Sim...– desviou o olhar tentando não voltar a chorar.
Arthur – SUA MENTIROSA, SUA MALDITA MENTIROSA….
Lua – PARA DE GRITAR ARTHUR, VOCÊ TAMBÉM ME DISSE ALGO ONTEM MAIS EU NÃO CONSEGUI OUVIR PORQUE VOCÊ TAMBÉM NÃO ME DIZ O QUE É?
Arthur – EU ESTAVA SOBRE O EFEITO DE ALGO MUITO FORTE LUA, SINTO MUITO QUERIDA. – Ironizou – NÃO CONSIGO ME LEMBRAR…
Lua – VAI PARA O INFERNO ARTHUR.
Arthur – VOCÊ AINDA NÃO PERCEBEU QUE COMEÇAMOS HOJE A VIVER NELE? – Ela se calou se assustando com a fúria do grito dele, se recolheu abraçando o próprio corpo, estava descontrolado, completamente descontrolado, se segurou no banco, o carro estava em alta velocidade, olhou novamente para frente.
Lua – Vai devagar Thur…– Não pode completar. 
Arthur – FICA QUIETA, EU PRECISO ME ACALMAR E COM A SUA VOZ ME PONHO LOUCO EM QUESTÃO DE SEGUNDOS. – Passados alguns minutos, ele recuperou a consciência que poderia causar algum dano, reduziu a velocidade, não demoraram a chegar no hotel calado ele saltou feito um felino do carro batendo a porta, não teve um que não olhou principalmente o manobrista que abriu a porta para que ainda com as pernas ambas Lua descesse do carro. Vendo Arthur quase correndo entrando dentro do hotel sem dizer nenhuma única palavra. As mulheres a olharam, e Lua tentou dar um sorriso, que acabou saindo nervoso, agradeceu ao chofer, para depois caminhar lentamente para dentro sobre o olhar dos curiosos que se perguntavam na certa o motivo pelo agradável e sedutor presidente das empresas Aguiar nem ao mesmo esperar a diretora da maior empresa de Marketing descer do carro, ela levou as mãos a cabeça, sentia uma baita dor, acompanhada com o mal estar, seu rosto pálido suava. O condutor do elevador a observou com cuidado assim que Lua lhe disse o andar. E percebendo que algo estava errado perguntou: 
– A senhora está passando bem? – Lua engoliu seco contendo as náuseas para poder responder: 
Lua – Sim está tudo bem. – Respirou fundo, de repente se sentia sufocada dentro do elevador.
Condutor – Senhora seria melhor, que eu chamasse por alguém, está sozinha na suíte? - O elevador havia chegado, em quanto ele novamente perguntava a porta se abriu, e Arthur estava parado. Com a mesma palidez no rosto e o mesmo suor.
Arthur– Ela está comigo, obrigada pela preocupação. – Lua o olhou tentou caminhar, mais suas pernas lhe faltavam…



Com mais 10 comentários, posto o próximo capítulo.
Se preparem para matar o Arthur no próximo capítulo. 
Um aviso: Giovaca vai está nele. 
Kiss

18 comentários:

  1. Um pouco locos imagina kkkk amando posta mais :)

    ResponderExcluir
  2. amando essa web
    posta mais

    ResponderExcluir
  3. amando essa web
    posta mais

    ResponderExcluir
  4. Esses dois é dose kkkkk ansiando po mais

    ResponderExcluir
  5. Agora ele endoida de vez kkkkk complicados de mais esses dois minha gente kkk

    ResponderExcluir
  6. Se nesse eu to com raiva do arthur imagina no próximo posta mais por favor

    ResponderExcluir
  7. Amo tanto essa web que nem sei explicar��❤️���� Bem que a Lua podía meter uns tapas na cara dessa Giovaca�� ela me da uns nervos que só Deus sabe���� Maiss please❤️❤️ Amo muito ❤️

    ResponderExcluir
  8. Porque eles não se declararam logo um pro outro iao sofrer menos

    ResponderExcluir
  9. Nem li o próximo capítulo e já quero mata a Giovana e o arthur posta mais

    ResponderExcluir
  10. Aiii Aqui Surtando Hahahahaha Amando de Paixão essa Web...
    Posta Logo Por Favor *--*

    ResponderExcluir
  11. Caralhooo.. que tenso.. quer me matar? Posta logo

    ResponderExcluir
  12. Maiss pf já queroo matar o Arthur q n se declara logoo

    ResponderExcluir
  13. Coitada da lua
    Ansiosa pra ler o próximo capítulo posta +++++ por favor

    ResponderExcluir
  14. Aii meu Deus posta mais

    ResponderExcluir
  15. Vou estrangular o thur coitada da luinha .
    Essa giovacan se enxerga

    ResponderExcluir
  16. Queem vai desmaiaa aqq sou eu pelo amootr de Deus cintinuaaa 😍😍😍😍👌😳

    ResponderExcluir
  17. Me deixo curiosa! Já to querendo matar o Arthur por ser grosseiro com a Lua! Posta mais

    ResponderExcluir