Uma Linda Mulher - CAP.25

|



Uma Linda Mulher



Capítulo 25 :

Lua - Não se sinta culpado Arthur, o seu dinheiro me proporcionou meu primeiro terno… - sorriu irônica - Você participou dessa Vitória… - fechou o sorriso dando mais uma vez lugar aqueles olhos tristes mais que brilhavam mais que as estrelas do céu.
Arthur- Não Lua, eu não participei de nada, você fez e eu paguei só isso querida…- Ela sentiu como se mil facas entrassem em seu interior ao ouvir o antigo “querida” e logo a seguir a porta se fechando com extrema delicadeza, era isso que iria acontecer, e ela sabia, porque ele jamais a veria como uma super empresária rica e bem de vida, a veria sempre como a prostituta que ele pagou 3 mil reais para habitar sua cama. Foi até a janela colocando as mãos no bolso, não podia enfraquecer agora, não no primeiro encontro, Arthur era assim, iria humilha lá de todas as formas em quanto seguissem nessa negociação, mais de repente Lua sentiu que suas pernas não dariam conta do recado, tentou andar mais o calor da tarde a sala um tanto fechada, sua cabeça rodou, e seu corpo amoleceu e tudo assim de rápido se escureceu…
Luis - Saiam de cima dela, ande, dêm espaço para que ela respire… Lua ? - Lua mexeu a cabeça levando as mãos aos olhos, que diabos havia acontecido? Abriu os olhos lentamente, avistando todas as pessoas a tempos atrás na sala de reunião em cima dela, com cara de preocupação. Franziu a testa, havia desmaido, Droga… - Oh Lua, o que houve você está bem? - ela olhou Luis, seu presidente e fiel chefe.
Lua- Não foi nada demais. - tentou se levantar - Foi apenas o calor e a sala fechada…
Luis - Vimos que você se demorou para sair depois que o senhor Aguiar saiu da sala, entramos e você estava no chão pálida com um folha.
Lua - Foi apenas um colapso, nada de mais, só gostaria de me levantar e ir para casa seria muito sentida a minha falta Senhor Luis?
Luis - É claro que não seria…
As pessoas percebendo que ela estava bem, lhe desejando melhoras saíram da sala, voltando assim para seus postos, pois logo depois iriam embora. Luis a ajudou se levantar Lua arrumou as roupas jogando os cabelos para trás, saindo da sala dando privacidade a Lua, ela engoliu seco se apoiando a mesa, iria cair de novo precisava se sentar.
Arthur - Não se aguenta em pé... - Ela se virou com tanta pressa pelo susto que havia tomado, que ai sim quase desmaiou novamente, ele estava sentado no sofá com as pernas cruzadas e com a sobrancelha erguida, praguejou respirando fundo, não teria força para confronta lo novamente. Pegou sua bolsa se sentando, não precisava de um novo confronto era só ignora lo. Quem derá, impossivél a presença dele parecia ocupar cada centímetro daquela maldita sala. Lua se levantou se sentindo mais recuperada, novamente jogou os cabelos longos para trás, pegou sua bolsa caminhando até a saída.
Arthur - A porta está trancada… - Avisou com tranquilidade em quanto rivisava uns documentos. - Sente se Lua antes que desmaie novamente.
Lua - Arthur eu estou cansada, não estou a fim dos seus jogos, por favor abra a porta… - Mera ilusão, ele nem lhe deu atenção.
Arthur - Sente se Lua antes que desmaie novamente. - Ele só podia estar lhe testando os nervos. Maldito seja praguejou novamente se sentando na cadeira, ele havia aberto as janelas a sala parecia muito mais arejada. - Em qual faculdade se formou?
Lua - Na mesma que a sua… - Rebateu na mesma hora.
Arthur - Durmiu com o senhor Luis para chegar até aqui, Lua? - Ela franziu a testa, aquele era o pior dos homens e continuava a trata la como um prosituta. - Sabe, você deveria começar a se preocupar, pelo que vi seu nome tem grande valor nessa empresa, e seria inaceitavél que descobrissem seu passado eles sabem sobre você querida? - Lua não respondeu, mostro, sentiu vontade de gritar.
Lua - Que é o seu problema Arthur? Qual é o seu maldito problema? Porque está fazendo isso, porque está me humilhando, eu não fiz nada a você, não fiz nada para prejudicar você. - Arthur se levantou, estava agindo como o pior dos homens e sabia disso, mais não conseguia, não se controlava. - Sobre o que quer falar? Sobre o que quer me humilhar agora? Sob quais motivos você iria destruir tudo o que eu consegui construir em 2 anos da minha vida… O que você quer agora de mim? - Ele se virou para ela, e com a voz baixa observando os olhos perdidos de Lua que procuravam por explicações ele disse:
Arthur -Você partiu naquele domingo antes que eu chegasse… - Lua respirou fundo, já se sentia melhor se levantou caminhando até ele.
Lua - Não teria como nos esquecermos disso por favor, agora tenho um profissão digna Arthur, exerço minha profissão com dedicação, e dignidade, não devo nada pra niguém. Demorei muito para chegar aonde eu cheguei, por favor o que quer que eu tenha feito a você não me prejudique…Por favor não me prejudique…- Ele se aproximou ainda mais. - Esqueça de tudo aquilo, fazem anos Arthur. - Ela mordeu os lábios pela cara dele ele não iria desistir iria acabar com ela novamente.
Arthur - Você me deve aquele domingo, eu procurei por você quando eu cheguei.
Lua - Eu precisava ir…
Arthur- Eu precisava que você ficasse….
Lua- Sobre o que estamos falando afinal, você nunca precisou de mim Arthur. Por favor esqueci… - Ele se aproximou a pegando pelos braços com força, Lua se assustou mais não gritou não poderia alarmar as pessoas, sentiu suas costas sendo chocadas contra a parede, ele prendeu com suas mãos o pulso dela na parede, ficando em sua frente próximo o bastante para que seus corpos se colassem. Ele fechou os olhos quase deixando escapar um gemido, ela seguia tão maravilhosa e perfeita como antes, aquele perfume, a voz, o corpo perfeitamente curvado, olhou aqueles lábios… Olhou nos olhos de Lua que suplicavam para que ele não o fizesse, mais era tarde franziu a testa condenando a si mesmo, Lua fechou os olhos tentando se soltar mais era tarde ele havia a beijado… Ela tentou escapar, se contorceu o empurrando, mais ele a pressionava fortemente contra a parede e forçava com suas mãos a nuca dela para que o beijo seguisse,se rendeu, por fim se rendeu a uma batalha que sabia que jamais venceria, um beijo afoito, descontrolado e com uma explosão de puro desejo e sensualidade, onde línguas se encontravam e se acariciavam de forma intima e devoradora. Faltou lhe o ar, empurrou o corpo de Arthur com suas mãos agora livres, não mediu sua força, tanto que ele quase caiu sentado em cima da mesa. Respirou sem parar recuperando o ar, sentiu seus lábios queimando levou as mãos ao mesmo, fechando os olhos em quanto ainda respirava sem parar, ergueu a cabeça para fitar Arthur que respirava tão forte quanto ela. Se assutou com que viu,ele olhava de forma tão penetrante que se sentiu despida, tirou as mãos dos lábios se aproximando, não teria controle sentiu vontade de meter a mão na cara dele mais tudo o que sentiu foi o bloqueio das mãos fortes dele contra a sua, que iria em cheio na cara dele. Segurou com força os pulsos dela, Lua pensou que choraria de raiva e foi o que fez, mordeu os lábios franzindo a testa.
Lua- Você é desprezivél Arthur, você é desprezivél…
Arthur- Eu sei… - continuou a segurando controlando sua respiração, ele se encontrava encostado na mesa quase sentado.
Lua - Me solta, agora Arthur.- Quase gritou - Eu quero que você me solte agora.
Arthur - Mentirosa, você quer que eu a beije até que você perca novamente os sentidos Lua, porque você arde tanto quanto eu quando nos aproximamos…
Lua - Eu não estou ardendo…
Arthur - Mentirosa… - quase gritou com fúria novamente, abrindo as pernas a puxando de encontro ao seu corpo para poder beija la novamente. A luta foi em vão novamente Lua concluiu e soltou um gemido dentro da boca de Arthur ao sentir depois de tanto tempo aquelas mãos percorrerem a lateral de seu corpo de cima a baixo. Ele franziu a testa temendo seu próprio desejo. Não iria se controlar, não podia se controlar, a apertou contra si parando de beija la, para então tomar seu pescoço, distribuindo mordidas e mais beijos molhados por lá, Lua segurou forte o paletó dele. -Grite por socorro sua fraca, grite para que ele pare - Lua pode pensar em quanto aquelas mãos tiravam seu blazer o deixando cair no chão. E sem seu consetimento, suas mão tiraram o paletó dele, então recomeçaram a lhe beijar os lábios, em quanto sentia as mãos dele mergulhando em seu cabelo e o corpo dele procurando pelo dela… De repente Lua se deu conta do que estavam fazendo, ele queria sexo se afastou quase que com nojo, se encostou na parede, as mãos de Arthur haviam ficado estendidas na esperança de conseguir agarra la novamente. Ela pegou o blazer do chão com pressa sob o olhar de desgosto dele, se aproximou enfiando quase o dedo na cara de Arthur.
Lua - Porque eu nunca mais, eu nunca mais vou dormir com você Arthur, eu não sou a sua prostituta, e também não tolerarei que me trate como tal. - E agora sim para surpresa dele lhe deu um tapa na cara, muito bem dado e com bastante força. - Arthur virou o rosto com impacto levando as mãos ao mesmo, percebeu o ódio dela, a decepção no olhar dela. Lua pegou sua bolsa e quase correndo foi até a porta tentou abrir la mais se lembrou que estava trancada.
Lua - Abra agora essa porta Arthur, abra agora mesmo. - A voz dela era tão firme que Arthur se levantou abrindo a porta, Lua se arrumou saindo da sala, ninguém a viu.
O escritório estava quase vazio em plena segunda feira, aquela reunião seria a mais importante por aquele motivo os funcionários haviam sido dispensados, viu a porta do elevador se fechando e Lua levando uma das mãos aos olhos. Bateu a porta da sala com força, havia se descontrolado, e perdido a noção do que é humilhar uma pessoa. Se surpreendeu quando Mel entrou na sala, com um cara séria procurando por Arthur.
Mel - Arthur... - Se aproximou do irmão, Mel seguia linda mais a diferença agora era que seus cabelos eram curtos na altura do queixo - O que está acontecendo? - Arthur não disse nada, durante longos minutos apenas ficou observando a sala.
Mel - Lua é uma grande mulher Arthur, e você deve se esquecer de tudo o que passou, foram apenas alguns dias, e fazem tantos anos… - Se sentou ao lado de Arthur. Arthur se levantou pegando sua pasta sem dizer nenhum palavra, ergueu o queixo e tudo pareceu a voltar ao seu devido lugar, não queria aquela mulher, não precisava dela. 
Depois de uma semana corrida e sem mais nenhum confronto ou qualquer espécie de intriga, conforme o contrato dizia, nos 3 primeiros meses de adaptação as empresas deveriam trabalhar juntas, assim as empresas Aguiars permaneceriam no México durante esse tempo. Sem trocarem palavras a não ser profissional, Arthur e Lua praticamente não se falavam, não se olhavam nem muito menos se tocavam e isso era maravilhoso pensou Lua, ao se dar conta que seu tormento havia passado. Mais chegou o dia que ambos os dois foram colocados em teste, no sábado era a festa de confraternização celebrando então a união das grandes empresas, como de praxe Lua estava super elegante...




Se leu, comente! Não custa nada.
Com mais 10 comentários, posto o próximo capítulo.

13 comentários:

  1. MEU DEUS, QUE CAPITULOOOOOOOOOOOOOO
    LUA NÃO PERDE A ELEGÂNCIA
    JÁ QUERO O PRÓXIMO

    ResponderExcluir
  2. Noss q Capítulo, Ameiiiii de Mais....
    Posta Mais Por Favor Anciosa *--*

    ResponderExcluir
  3. Aii senhor qnd esses dois vão ficar juntos?? Queroo mais

    ResponderExcluir
  4. Como é possível uma web ser tão viciante
    Posta mais

    ResponderExcluir
  5. Jesuuuuuus quero o proximo ja!
    O arthur ta judiando da lua ��
    Eles precisam se acertar

    ResponderExcluir
  6. Meu Deus que capítulo é esse?? +++++ quero ++++

    ResponderExcluir
  7. Posta +++++ por favor

    ResponderExcluir
  8. Viciante essa web! To adorando, amando tudo nela! Quero mais! Posta mais logo

    ResponderExcluir
  9. Essa web é maravilhosa e viciante quero o próximo capítulo já

    ResponderExcluir
  10. OMG! Geeeente... eu quis socar cara do Arthur quando ele fez aquela pergunta idiota. Que raiva. Bem feito... levou um tapa bem dado. E ah.. achei que eles transariam kkkkk mds.. tô esperando por isso mais do que a Lua que tá há 2 anos sem transar kkk socorrooo...

    Comentário de n° 10. Vaca do meu ♡(não se iluda) poste outro. Obrigada. De nada!

    ResponderExcluir
  11. Posta mais mulher... por favor

    ResponderExcluir