Little Anie - Cap. 58

|

Little Anie
Pov Arthur

- Você pegou a mala?
- Tá perto da cama. – Falei. – E você? Já jantou? Ou vai continuar muda?
- Já. – Anie respondeu e eu a deixei na cama.
- Quer ajuda?
- Só coloca a mala na cama. – Lua pediu andando até cômoda e pegando a pílula em uma das gavetas, depois ela seguiu para o closet, para escolher as roupas. Fiz o que ela pediu e depois deitei ao lado de Anie. Ela mexia no celular da mãe.
- O que tá mexendo aí?
- Joguinho.
- E quem te ensinou a jogar?
- Carol. – Respondeu entretida no tal jogo. Revirei os notando que todos estavam ocupados, menos eu.
- O que foi?
- Pra que tantas roupas? – Perguntei.
- Porque não vou passar uma semana lá, vestindo a mesma roupa.
- E esse vestido?
- Para o coquetel que vai ter na segunda a noite.
- Uma festa? Você não me disse.
- Aah, amor.
- Aah, amor. Agora vai eu responder assim.
- É diferente, Arthur.
- Nada haver.
- Prefiro você de boca fechada.
- Tem certeza? Às vezes eu sinto que não.
- Lá vem... – Disse revirando os olhos e indo buscar mais alguma coisa.

As horas foram passando. Lua terminou de arrumar as roupas na mala, e a deixou ao lado da porta. Saímos do quarto e fomos jantar. Ela não tinha mais reclamado de dor, não perto de mim. Mas vez ou outra fazia caretas quando se mexia. Era 21h30 quando subimos para o quarto. Anie nos seguiu.

- Vou tomar um banho. – Lua disse enquanto pegava a toalha. Me deitei na cama com Anie, e ela me abraçou.
- Já quer dormir? – Perguntei enquanto acariciava seus cabelos.
- Aham... – Murmurou sonolenta. Luh não demorou vinte minutos no banho, e logo saiu.
- Anie dormiu. – Comentou apontando para a filha.
- Eu sei... – Respondi entre um bocejo. – Tudo bem se ela dormir aqui?
- Sim. – Lua respondeu. E caminhou até a cama. – Uhm... Quanta saudade eu vou sentir Arthur. – Disse passando as mãos lentamente no rosto de Anie.
- Nós também vamos sentir saudades. – Falei e sorri observando-a. – Melhorou? Não pense que não notei suas caretas. – Finalizei.
- Mais ou menos. Eu sei que notou. – Ela se deitou. E beijou a bochecha de Anie.
- Quero dormir grudado em você. – Comentei prendendo o riso ao ver a expressão de Luh. Me levantei e dei a volta na cama, deitando atrás dela e envolvendo sua cintura com um de meus braços. O outro braço eu coloquei atrás de minha cabeça. Desci a mão que estava em sua cintura, para sua barriga. Espalmei minha mão em sua barriga, enquanto distribuía beijos em seu pescoço. – Você está quente.
- Estou viva, amor.
- Eu quis dizer febril.
- Você está exagerando. Estou bem.
- Teimosa! – Exclamei baixo, puxando o lóbulo de sua orelha.
- Aah... – Gemeu. Desistir de provoca-la. Ou seria pior para eu me controlar.

Pov Lua

A madrugada pareceu voar. Abri os olhos devagar, tentando me adaptar a claridade. Me espreguicei ainda sentindo uma leve pontada em minha barriga e na costa. Arthur ainda tinha a mão espalmada em minha barriga. Abri os olhos completamente, e vi Anie dormindo. Eu ficaria uma semana longe dela. E três semanas longe dele, tudo o que eu não queria. Senti meus olhos marejarem, e coloquei uma mão sobre a de Arthur e entrelaçamos nossos dedos. Senti Arthur depositar um beijo em meu ombro. Mas permanecemos em silêncio. Um longo silêncio que não era incômodo. Anie acordou e abriu os olhinhos enquanto se espreguiçava.

- Bom dia, amor... – Falei baixo enquanto ela se aproximava para me abraçar.
- Bom dia, mamãe. – Ela beijou minha bochecha. – Bom dia, papai. – Disse se jogando em cima de Arthur, enquanto eu me afastava para dar espaço.
- Bom – Ele a encheu de beijos. – Dia, amor. – Finalizou.
- Mãe.
- Oi, amor.
- Você já vai?
- Daqui a pouco. – Respondi olhando para o relógio.
- Vou sentir saudades.
- Vai? – Perguntei ao me sentar na cama.
- Sim, mamãe. – Choramingou igual fazia quando desconfiava que Arthur iria viajar.
- Vem aqui filha. – A chamei. E ele engatinhou até mim. A coloquei em meu colo e beijei seus cabelos. – Vai passar rápido, Anie. Você vai ver. – Lhe disse. – O chato do seu pai vai cuidar de você.
- Eeei, eeei, eeei... Estou aqui. – Comentou emburrado. Anie soltou um risinho. – A gente vai aprontar todas! – Completou. – Né amor?
- Eu não, papai...
- Aah, Anie.
- Arthur, você é o típico pai mais infantil que a filha. – Disse rindo e ele bufou.
- Hoje você amanheceu me cutucando de todo jeito. Ooh!  Disse.
- Uhm, que fofo você irritado. – Falei rindo e deitei Anie na cama e me inclinei beijando o queixo de Arthur.
- Sai, tô se mal com você. – Falou virando o rosto.
- Tá de mal é? Uhm... – Mordi seu pescoço, e logo depositei um beijo em seus lábios. – O que eu tenho que fazer pra você não ficar de mal?
- Me encher de beijos. – Falou envolvendo a minha cintura com as mãos. E me virou, ficando sobre mim. Soltei um riso alto e levei as mãos para sua nuca.
- A Anie. – Sussurrei.
- Não vou fazer nada além de beijar você. – Sussurrou de volta e mordeu meus lábios antes de iniciar o beijo. Anie colocou a mão separando nossas bocas. Ri. – Ooh filha. – Arthur reclamou se levantou. – Acho melhor você levantar. – Me disse ao olhar o relógio. – 8h25. – Me disse.
- Já vou. Filha, vá atrás da Carol.
- Nós vamos ao aeroporto deixar a mamãe, ok? – Arthur lhe disse. Anie assentiu, alargando ainda mais o sorriso. Saiu da cama e correu para fora do quarto. – Agora. – Arthur se inclinou sobre mim. – Vou aproveitar. – Completou mordendo meu lábio inferior e puxando-o até solta-lo. Gemi.
- É?
- Sim. – Afirmou e segurou em minha cintura, me erguendo da cama.
- Aaii... – Soltei um gritinho seguido de uma risada. Segurei em sua nuca e procurei por sua boca. Enquanto suas mãos agora seguravam com força minhas coxas envolta de sua cintura. – No banheiro? – Perguntei quando chegamos lá. E Arthur me colocou no chão.
- Sim, com você nua e molhada. – Sorriu maroto e se aproximou de mim. – Você quer? – Perguntou roçando os lábios nos meus. Me deixando tonta.
- S... Sim. – Arfei segurando em seus braços. Arthur encheu a banheira e depois veio até mim novamente. Eu permanecia parada perto da pia, observando-o. – Uhm... – Murmurou tocando em meu ombro, e descendo a alça da camisola. Fez o mesmo com a outra alça, e a camisola caiu aos meus pés. Mordi os lábios vendo-o se abaixar. Levantei um pé de cada vez e ele tirou a camisola. Se levantou e deixou a mesma em cima da pia. Me encarou e desceu as mãos para o cós de minha calcinha. Gemi fechando os olhos, sentindo seus dedos tocarem minha pele, me fazendo arrepiar por completo. Arthur me puxou, fazendo nossos corpos se chocarem. Gemi mais alto sentindo sua ereção por trás do tecido da cueca.
– Olha o que você faz... – Sussurrou próximo ao meu ouvido. Estremeci ficando na ponta dos pés, e mordendo levemente seu ombro. Ele abaixou minha calcinha e me afastou. Se abaixando logo em seguida. Levantei um pé de cada vez novamente. E ele me livrou da peça íntima. Fechei os olhos sentindo-o apertar minhas coxas. Não. Não. Não! Não, ele não ia fazer o que eu estava pensando.
- Aah! – Gemi segurando com força a borda da pia atrás de mim, ao sentir Arthur depositar um beijo... lá. Ele subiu os beijos, passando por minha barriga, seios, pescoço e boca, onde ele parou e me encarou. Eu podia vê-lo através de meus olhos semicerrados. Ele voltou a beijar meu pescoço. Beijar e morder. Lentas e provocantes mordidas. Apertei ainda mais a borda atrás de mim. E Arthur segurou em minha cintura. Se não fosse aquela pia, eu já tinha ido ao chão. Minhas pernas estavam moles. Ele notou isso. Levou as mãos até as minhas. E as soltou da pia. Automaticamente eu as levei para seu pescoço e abri os olhos. Ele ainda me encarava.
- Tudo bem? – Sussurrou a pergunta.
- Sim... – Respondi mordendo os lábios.

Ele colocou uma mão em minha costa, descendo-a até meu bumbum. A outra mão estava em minha nuca. Ele caminhava de costas até a banheira. Nos separamos e ele segurou em minha mão, para que eu – desastrada do que jeito que era – não escorregasse ao entrar na banheira. Ele tirou a box e entrou logo depois de mim, e se sentou. Eu permaneci em pé. Minhas pernas não me obedeciam mais. Arthur segurou em minha mão novamente. E me puxou devagar para que eu sentasse em seu colo. As pernas dele ficaram no meio das minhas. E eu me abaixei lentamente, com os lábios grudados nos dele. As mãos dele logo foram para minha cintura, me puxando para mais perto. Colando meu corpo ao dele. Gemi jogando a cabeça para trás. Sentindo ir fundo. Fechei os olhos outra vez ao ouvir o gemido que ele deixou escapar. Segurando em minha cintura, e me levantando e me abaixando lentamente, ele foi ditando o ritmo que queria. Quando eu comecei a me movimentar, ele desceu as mãos para minhas coxas, apertando-as. E nesse ritmo chegamos juntos ao clímax. Enterrei minha cabeça em seu pescoço, enquanto tentava recuperar minha respiração. Ele afagou meus cabelos. E depositou um beijo em meu rosto. Não sei, mas não era nada relacionado ao sexo feito segundos atrás. Eu só não estava bem. E sentia meu corpo completamente dolorido outra vez.

- Luh?
- Uhm...
- O que você tem?
- Nada. – Menti e ergui o rosto para olha-lo. – Preciso tomar um banho. – Disse me levantando. Arthur assentiu e saiu da banheira junto comigo.
- Você tá bem mesmo?
- Estou. – Liguei o chuveiro e deixei algumas lágrimas escaparem, junto com a água que caia.

Minutos depois nós saímos do banheiro. Vesti minha roupa. Arthur já tinha vestido a dele. E saiu para ir ver se Anie já estava arrumada e se já tinha tomado café. Dei mais uma olhada na mala, só para constatar que eu não estava esquecendo nada. Olhei a maleta com algumas planilhas e outros documentos relacionados ao meu trabalho. E eu não estava esquecendo nada. Calcei meu sapato e prendi meu cabelo em um coque frouxo, deixando alguns fios soltos. Passei um pouco de blush, eu estava me achando pálida. Rímel e lápis de olho. Saí do quarto e desci a escada. Arthur estava tomado café com Anie em seu colo. Olhei para o meu relógio de pulso, e vi que já era 9h. Tomei meu café. E subi para o quarto novamente. Passei um batom. E peguei minha bolsa.

- Am... – Eu ia chama-lo. Mas ele estava logo atrás de mim. – Carrega a mala? – Pedi piscando os olhos.
- O que eu ganho com isso?
- O meu muito obrigado.
- Recompensa pobre, amor. – Comentou e se aproximou. – Minha chata, vou sentir sua falta. É diferente, quem sai de casa para passar alguns dias longe, sou eu. – Disse acariciando meu rosto.
- Meses também.
- Meses também. – Ele repetiu. – Se cuida, Luh.
- Vou me cuidar. Prometo! Não se preocupe. – Assegurei e lhe dei um selinho. – E você, se comporte. Não dê papo para aquela puta lá do balé. Ou mato você.
- Ciumentaaaa... – Ele me abraçou forte. – Não se preocupe com isso. Nua na minha cama, ou em qualquer outra cama, eu só quero você. – Ele deu uma leve mordida em meu pescoço. Senti meu rosto corar e encostei a cabeça em seu peito. Arthur beijou minha cabeça e depois segurou meu rosto com as duas mãos. – Amo você. – Me disse. – Só você. – Sorri.
- Amo você. – Falei e joguei os braços envolta do seu pescoço e beijei seus lábios. – Vamos?
- Vamos.

E nós saímos de casa rumo ao aeroporto. Me despedi de Mel, e pedi para que ela cuidasse bem de minha afilhada, o que fez Arthur se meter na conversa e me corrigir, falando que é afilhado. Mel riu da assustadora certeza que Arthur exalava. Anie na cadeirinha no banco de trás, não parava de fazer perguntas. Mas eu passaria uma semana longe, pedindo que o tempo corresse para que eu pudesse ouvi-la fazer perguntas sem parar outra vez. Arthur estava concentrado na direção. O trânsito estava lento. Ele todo sério, até sério é excitante à bessa. Mordi os lábios e olhei para Anie, que agora sorria para mim. Mas uns 15 minutos, e nós chegaríamos ao aeroporto.

Continua...

Se leu, comente! Não custa nada.

E aí, gente? Tudo na devida paz? Haha... Amores e aí, qual o palpite de vocês relacionado à viagem? Comente. Quero saber hein?!

O que acharam desse capítulo?

24 comentários:

  1. Acho que a Luh vai passar mal e de algum jeito vai descobrir que está grávida hahaha tomara �������� está ótima a web, continue assim rs Sue

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha... Mas insistiram na ideia da gravidez mesmo, né Sue. Será que é isso mesmo? Uhum...

      Excluir
  2. Essa viagem ainda vai render
    vejo mts problemas nela
    ashuashuashu
    já quero o proximo.

    ResponderExcluir
  3. Quero que ela descubra q está gravida! Bem que ela poderia ficar gravida de gêmeos rsrs! Quero mais! Posta logo rs

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo e também quero mais pfpfpfpfpfpflfppfpfpfpf ✌✌😍😍😘😘

      Excluir
    2. Lidy, Gêmeos? Ela piraria haha... Você não acha?
      Tem tanta certeza de que ela esteja grávida mesmo?...

      Yas, haha Todas vocês querem que ela esteja grávida haha.

      Excluir
  4. Eu quero q ela descubra q. Ta gravida. E depois faz uma surpresa pra Arthur e Annie fica com ciumes dos bebess

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Coitada da Anie, ciumenta igual a mãe, mas um amor. Uhm, será? Talvez o plano inicial fosse realmente esse.. Agora já não sei. Shiu..

      Excluir
  5. Tbm acho q ela está grávida e tem q descobrir logoo amoo MT essa web.. Bjosss Milly

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vocês estão cheia de certezas haha

      Beijos, Rafa.

      Excluir
  6. Eu acho que ela vai descobrir que está grávida pra alegria do Arthur e para nossa alegria também kkk
    Carol

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Para a alegria de todos Eeeeeh \o/ haha... Brinks. Nem tudo é só alegria, sorry...

      Beijos, Carol.

      Excluir
  7. Adorei!!!! Acho que a lua tinha que passar mal na viagem a ponto de ligarem para a Thur e ele ter que ir encontrar ela. Assim os dois saberiam da gravidez e Thur com todo seu romantismo conseguisse fazer a Lua gostar da ideia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vou logo adiantando que isso não irá acontecer... Não é que ela não goste. Ela é só receosa.. Mas está tudo certo.

      Excluir
  8. Acho que Luinha poderia estar com muita febre antes de embarcar e quando thur fosse despedir dela sentisse. Eles teriam uma leve discussão (nada demais só uma briguinha pq a Lua é teimosa kkk) e a Lua desmaiasse e não fosse para viagem. O chefe da lua podia ficar muito bravo com e arthur colocar ele no lugar. Ah posto outro hj tá Milly

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Haha... wow, não. Isso não irá acontecer.. Não irá ter discussão alguma no aeroporto. Bjs...

      Excluir
  9. Ohh é uma sensação extranha mesmo sempre quem ta viajando é Arthur ñ ela. Awn ta muito suspeuta essas dores. Mais num sei se é ba viagem pra ela ja descobrir que esta gravida. Se tiver neh ;)
    Adoraanndooo Milly kkk sera que Lua vai aguentar esse horor de dia longe da sua boneca

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vai ter que aguentar né?! ... Anie ♡

      Uhm.. logo saberão. Embora o que acompanhe não seja extrema felicidade.

      Excluir
  10. To ficando um pouco mais curiosa q o normal hahahaha
    Bom acho que vai acontecer alguma coisa com a Lua e de alguma forma ela vai desconrir a gravidez , to com medo dela acabar brigando com o Arthur caso na hr do parto (q n vai ser agr , Obvio ) o Arthur não esteja presente como aconteceu com a Anie.. Só lendo pra realmente saber-mos oq vai acontecer ..
    Milly , e a Web "O Clube " Ela não será mais atualizada não ?
    Ansiosaaa , um beeeeijo !!!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não haverá brigas. Já estou avisando. Quanto a outra suspeita. Bom, ainda em suspense haha... Não posso confirmar nada. Aaaah :-|


      Rafa, quanto a web O Clube, sim. Irei atualizar. Acho que falei na C-Box se não me engano. Ainda essa semana, assim espero. Estou sem tempo. Esse é o grande problema.

      Bjs...

      Excluir
  11. Posta mais. Acho que ela vai viajar e descobre está gravida.

    ResponderExcluir
  12. todo mundo achando q a lua está grávida , e eu ñ fico atrás , tbm acho . Eu acho q o patrão da lua vai da em cima dela nessa viagem, o thur morre de ciúmes dele . Xx adaline

    ResponderExcluir