Adivinha quem sou esta Noite (Adaptada)- Capítulo 7 - 2º temporada

|




Eu vejo a minha avó e seu amigo cantar olho no olho uma música mais do que sensual enquanto se falam através da música e do olhar.
— Aqui tem temas que te queimam. – Sussurra Coral. Assinto. Aqui está o tema, grande canção e não sou apenas eu que estou percebendo. No palco, enquanto cantava, Ambrosius e Ankie não escondem seus sentimentos um pelo outro e eu não sei se rio, choro ou corro.
 Quando a música termina, há silêncio na sala. Pessoas mal respirando, até que finalmente explodem em aplausos e eu começo a reagir.
— Eu gostei muitooooo.
— Oh, lindoooooooooo! – Elogia Ashley.
Coral, com o seu gesto habitual para zombar, vai dizer algo ao olhar para ela, eu ordeno:
— Cala a boca, Gorderela.
Minutos depois, minha avó desce do palco e vem em nossa direção. Todos a cumprimentam e dão os parabéns e quando chegam até mim, e nós nos olhamos, sem me dizer nada, ela murmura:
 — Sim, querida. Ele é o amor da minha vida. Às quatro da manhã, após uma noite das mais divertida, cheio de destornilladores, mil músicas e danças no palco, Ashley e Cloe são deixadas em casa com uma bebedeira mais considerável.
Eu acho que quando elas percebem tudo o que elas dançaram e cantaram sem vergonha, vão me odiar. Mas, bem, eu já conto com isso.
 Acompanhamos também a Tifany, que é incapaz de dirigir, e, em seguida, Coral, minha avó e eu pegamos um táxi até a minha casa. Uma vez lá, minha avó, mesmo em sua nuvem particular vai dormir, e Coral e eu fomos para a cozinha. Abre a geladeira e ela viu uma garrafa de champanhe com etiqueta rosa, fica encantada e diz:
— Isso!
 Tem me falado muito bem dela.
Eu não sei o que está falando, mas eu aceno. Eu não me importo com a cor da etiqueta. Nós nos sentamos no chão da cozinha e apoiamo-nos nos móveis.
Coral começa a falar do lugar incrível que estamos e eu cansada e com alguns copos a mais, a deixo saber o quanto eu odeio essa cozinha e essa casa. Quando eu confesso o porquê do meu ódio seu queixo cai, e me passa a garrafa e diz:
— Como você não vai denunciar esta raposa? Queria te matar! Tomei um gole da garrafa e depois disse:
— Não comece com isso você também.- Por um tempo, eu a ouvi protestar sobre como estou fazendo mal por não denunciá-la, mas não estou nem aí.
 Olho a bancada vermelha e eu não posso deixar de imaginar Arthur e Caty nela fazendo amor. Por quê? Por que eu faço isso comigo mesma? Irritantes imagens do meu menino mordendo o lábio e o que não é lábio pela minha mente e, furiosa, levanto-me.
 — Eu não quero mais falar sobre isso.
— Florderela, relaxe.
— Eu tenho o suficiente como ter que viver nesta casa com essa cozinha. Eu vejo estas malditas bancadas vermelhas e eu sinto... Eu sinto vontade de vomitar e...
— Ninguém disse que era fácil estar com um homem como Arthur. E, além disso, você vai se casar com ele.
Volto a me sentar no chão ao lado dela, e, tomando outro gole da garrafa de champanhe, eu respondo:
— Eu te falo... Depois de amanhã. Coral murmura, rindo:
— Eu invejo você, e apesar de não ter tido uma despedida de solteira como eu gostaria, com homens sarados e espinhentos, eu tenho que dizer que Arthur é um grande homem e que só de ver como te olha para saber que é total e completamente apaixonado por você. Eu gostaria que tivesse se fixado em mim e não em você. Sim, até mesmo para isso você tem sorte, fodida.
— Eu sei. – Eu sorrio ao pensar em meu menino.
— Arthur é maravilhoso, um homem carinhoso, romântico, irresistível, apaixonado e ardente que eu conheci na minha vida. E eu admito: Eu quero tudo para mim! Absolutamente tudo. Estou me tornando uma possessiva incrível.
 — Você está certa. Porque eu lhe garanto que se você soltar, eu agarro. Ambas rimos e, em seguida, a luz da cozinha acende.
Ankie minha avó, que não pode dormir. Depois de um tempo conversamos as três, Coral vai até a sala de estar, se joga no sofá e fica como morta.
Uma vez que ela e eu estamos sozinhas, minha avó olha para mim e diz:
— Gostei do seu avô com todo o meu coração. Ambrosius eu conheci em uma viagem que fiz para Estados Unidos, quando eu era jovem. Oh, e que homem jovem e bonito foi! Liderava uma banda country e eu uma de música pop. Tivemos um maravilhoso romance, mas quando voltei para a Holanda, uma gravadora contratou-me e meu grupo, decidi esquecer os sentimentos e continuar com a música. Naquele tempo não havia Facebook, nem Skype, ou qualquer coisa para nos manter em contato e quando parei de receber suas cartas, eu pensei que ele tinha me esquecido. Anos mais tarde, eu conheci o seu avô e, eventualmente, eu decidi me casar com ele e seguir em frente com a minha música. O tempo passou, eu tive o seu pai, então veio a doença de seu avô, há dez anos, quando eu estava em Londres com a minha banda, a vida voltou a colocar na minha frente Ambrosius. E, oh, Lua... Ver ele foi difícil. Eletrizante. Inacreditável. Foi só nos olharmos, reconhecermos e sentir o que sentimos quando éramos adolescentes. Bem... Depois de três dias juntos aconteceu o que tinha que acontecer entre nós. Eu não estou orgulhosa de ter enganado o seu avô, mas ele estava doente e...
— Não há necessidade de justificar, Ankie.
Ela sorri e enquanto arruma meu cabelo com uma presilha, disse:
— Eu sei, querida. Eu sei. Mas eu quero e eu preciso te dizer. Seu avô estava doente. Nossa vida de casado era sempre muito limitada, e quando eu reencontrei o amor da minha vida, o meu corpo rebelou-se e minha mente ficou nublada. Eu juro, Lua, eu não o vi mais.
Eu sorrio. Eu entendo o que ela está falando. Isso é o que eu chamo de "paixão".
Ver a pessoa que você ama e não ser capaz de resistir. É o que eu sentia e sinto por Arthur e se não pudesse estar com ele sempre que reencontrávamos, acabávamos do mesmo jeito.
— Em seguida, seu avô morreu e Ambrosius e eu nos víamos sempre que podíamos. Lembradas vezes que eu viajei para Barcelona, Roma ou Holanda? – Concordo com a cabeça e ela continua. — Era para estar com ele. Todos temos nossas vidas e responsabilidades, mas, sem dúvida, Ambrosius e eu temos nossa história de amor particular. Por isso, e apesar de eu saber que você gosta de cantar, se você realmente gosta de Arthur como sei que você gosta, não perca tempo. Viva, querida. Aproveite. Saboreie a vida como se fosse seu último dia. Quanto ao canto, não desista! Lute por seu sonho. Mas nunca se esqueça de guiá-lo através do coração ou você vai se arrepender um dia.
Quando estava amanhecendo subi para o quarto, está escuro, mas eu sinto a presença de Arthur. Cuidadosamente, eu coloquei uma camisola amarela clara, mas eu sou desajeitada. Eu bebi muito além da conta. Meus olhos lentamente se ajustam à escuridão, e tenho um sorriso nos lábios quando escuto que meu amor se move. Ele não diz nada, mas eu sei que ele está acordado e me observando. Espera-me.
Eu olho para o relógio digital com números laranja sobre a mesa. São cinco e dezoito da manhã. Aproximo-me da cama. Arthur está de barriga para cima. Eu olho. Seu torso está nu e os olhos fechados.

É sexy e tentador! 

4 comentários:

  1. UIII kkkk né todo mundo que encontra o amor da sua vida assim jkkkk amando mais!

    ResponderExcluir
  2. Amandoooooooooooooo ansiando por maiss

    ResponderExcluir
  3. quero logo o casamento ;)

    ResponderExcluir