"É Estranho. Mas é do nosso jeito" - 2ª Temporada - 28º Capítulo

|



P.O.V.’s Narrador

Alcançados os lábios da musa dos seus sonhos, Arthur tocou no rosto dela delicadamente e, sem Lua dar por nada, trouxe-a para dentro de água. Lua deu um grito bem agudo nos ouvidos de Arthur que o fez tremer por um segundo. No final, ela riu, tranquilizando-o.
Eles tinham saudades de beijar. Beijar, mas um com o outro, não com terceiros alheios. Nem se importaram com as roupas molhadas ou com os vizinhos ou o tempo menos quente que fazia. Queriam era beijar. Matar saudade. Tirar um casquinho. Fazer o tempo passar sem darem por isso.
Foi exatamente isso que aconteceu nos próximos trinta minutos. Se beijaram até o sol ir embora e dar lugar à lua. Saíram da água quando já fazia frio. Trocaram mais beijos e sorrisos envergonhados. Finalmente estariam juntos?
Entraram na casa de mãos dadas. Arthur deu permissão dela passar primeiro até à sala. Quando chegaram, molhados e sorridentes, deram de caras com Bela e Daniel que ainda estavam ali.

- Não acredito que estiveram juntos.
- Bela! – Daniel a repreendeu – Droga, a vida é deles!
- Depois não venha chorar para o meu colo. – Bela atirou à cara de Lua.
- Que droga! Você não me quer fazer feliz?
- Eu quero. Mas não com alguém que te fez infeliz esse tempo todo. Alguém que até te traiu.
- Vai me dizer que o Daniel sempre foi santo? – As duas trocaram sérios bate-bocas.
- Não me meta no meio dessa história. – Daniel levantou as mãos em plena defesa.
- Bela, eu não vou errar mais com a Lua. Eu já fiz muita merda suficiente.
- Que bom que sabe.
- Penso apenas que respeite os nossos atos e que, inclusive, aceite as minhas desculpas. Alias, desculpas eu só tenho que pedir à Lua.
- Mas você traiu a Lua e a minha confiança também. Eu ainda me lembro de quando a Lua chegou à escola. Ela não se dava com ninguém e se recusava a falar com gente com você, alias, ela odiava gente com você. Eu consegui conquistá-la e tê-la como minha amiga e você fez o mesmo, fazendo-me acreditar que Lua tinha mudado. Então eu decidi confiar em você.  Acreditei que a Lua seria feliz com você e no final de contas era isso mesmo que eu queria. Você ajudava ela e ela te ajudava. Vocês eram como uma corda, se um largasse uma ponta, a pessoa do outro lado é que ia sofrer mais. E foi isso que você fez com ela.
- Eu sei disso tudo, mas eu estou arrependido e agora tudo será como nos velhos tempos.
- Eu quero ver para querer. – Bela pegou na sua bolsa e subiu escada acima, até aos quartos.
- Ela vai melhorar. A gravidez dela mexe muito com os sentimentos dela. Ela tanto me odeia como…
- Daniel! – Bela gritou o nome dele
- Como chama por mim. – Daniel riu e subiu as escadas, ao encontro da sua namorada e futura mulher.
- Agora nós. – Arthur pegou nas mãos de Lua e puxou-a para se sentar no sofá.

Os dois sentaram um de frente para o outro. Trocaram alguns beijos até Arthur passar o cabelo de Lua só para um lado e beijar o pescoço dela. Com aquele toque, Lua parou e fez questão de começar a falar.

- Faço de minhas as palavras da Bela. Quero dizer… tudo o que ela disse foi verdade. Mas eu estou disposta a te dar uma segunda, terceira ou quarta… pensando bem, milésima né? – Lua riu
- Não errei assim tanto com você. – Arthur fez bico – Machucou o meu coração agora.
- Brincadeira! – Lua segurou a mão de Arthur que estava sobre o peito dele e beijou – Eu estou disposta a te dar uma oportunidade, seja ela a terceira, quarta, quinta ou milésima. Mas atenção: esta será a última. Eu não quero desculpas do tipo “não menti, eu omiti” ou “foi ela que me beijou” ou então “tenho de trabalhar”. Não. Eu quero as coisas como antes. Antes ainda de estarmos em Itália. Eu quero que você pense em mim como quando andávamos no colégio. Eu sou a sua base e você é a minha. Se você caí, eu sinto a dor. Se eu preciso de ajuda, você me ajuda. Entende o que eu quero dizer?
- Sim, entendo. E eu juro por você e por tudo o que é mais sagrado neste mundo que vou fazer tudo direitinho. Não quero te perder de novo. Estes foram os piores meses da minha vida. Você me faz falta. Você e o nosso bebé. Quero viver com vocês para sempre.
- Acho bom que assim seja. Quero você na minha vida para sempre.
- E você na minha. – Arthur pegou as mãos de Lua e juntou-as ao seu próprio peito – Casa comigo. – Ele pediu. Lua ficou sem jeito. – Casa comigo, fica comigo para sempre. Sê minha para eternamente.

Arthur tirou a fita branca, de decoração do arranjo de flores que estava em cima de mesa, pegou nas duas pontas e deu um laço. Aquilo iria fazer de anel imaginário.

- Diz alguma coisa.
- Eu aceito! – Lua disse entre lágrimas. Tinha se emocionado.
- Fazemos de conta que isto é um anel de pedido de casamento. Imagina uma jóia grande, ok? Eu não tinha dada disto planeado por isso… - Arthur pegou o laço e colocou no dedo de Lua e depois beijou-o. – Amanhã eu te compro decente. – Arthur riu – Linda, linda, minha linda. – Arthur segurou a sua noiva e encheu-a de beijos.

[…]

Deitamos na cama, com Lourenzo ao meio deles, por volta das 16:05 da manhã, Arthur relembrava algo que estaria presente na memória dele, por maus motivos.

- Lembra daquele pedido de casamento que você me negou? Eu julguei que eu ia ficar com trauma e iria ter medo de te pedir em casamento novamente. Ontem, quando eu ia te pedir em casamento, eu fiquei com medo de você dizer que não porque a gente tinha acabado de se juntar. Mas felizmente tudo correu bem e você aceitou.
- Eu não seria idiota o suficiente para negar novamente uma coisa dessas. Não quero te perder.
- Nem eu a ti.
- Te amo.
- Te amo mais.
- Não, eu amo mais.
- Mentira. Eu amo mais. – Arthur a calou com um beijo.

Lua acabou por adormecer e Arthur ficou com Lourenzo que continuava acordado naquela noite. Os dois brincaram na cama, “conversaram” e permaneceram acordados praticamente a noite inteira.


Notas finais:

- últimas capitulos.
- Alguém aqui é fã de 5sos? 5 seconds of summer? 5sos fam? A tour deles começa aqui em Portugal segunda feira e em príncipio em vou ao concerto. Porém, terei de viajar sábado até terça MAS a TAP está fazendo greve então não sei se vou conseguir viajar. 


2 comentários: