Treinando a Mamãe 2

|
Capitulo 22

- Preciso ir. Foi um prazer. - Caio disse, olhando para Amy Lee que assentiu sorrindo.
Então ele assentiu para Géss, e saiu dali passando entre as duas.
- Ca-ra-ca. - Amy Colocou a mão na testa, curvando o corpo.
- A-mi-gaaaaa. - Géss entrou no embalo, sorrindo ao virar para trás, e vê-lo dobrar á direita, no corredor.
- Oi? - Amy colocou a mão na cintura, e lhe olhou surpresa.
 - Que foi? - Franziu o cenho.
- Você me... - Pausou. - Chamou de amiga?
- Euuuu? - Alongou a palavra, colocando a mão no busto.
Amy riu incrédula e boquiaberta.
- Você me chamou de amiga sim.
- Eu? - Virou o corpo risonha, e voltou entrelaçando os dedos pelos cabelo. - Chamei? - Olhava-a sorrindo. - Tá... Eu chamei. Me desculpa. - Abaixou o olhar.
- Desculpa pelo que?
- Por ter te chamado... - Antes de terminar a frase, Amy já tinha segurado o braço dela, fazendo-a tornar a andar para dobrar o corredor a Esquerda, direcionando-as até a sala de aula.
- Amigaaaa - Alongou a palavra, empolgada. - Você viu o olhar dele?
Géss ergueu o olhar, soltou um sorriso surpreso.
- Ele gamou em você.
- Nada a ver. - Bateu no ombro dela com a próprio ombro.
E em menos de segundos estavam as duas, rindo enquanto entravam nasala de aula. A partir daquele momento, elas oficializaram a amizade linda e que com certeza, cresceria muito ainda.
Lua chegou  casa ás 11. Arthur ainda estava lá, talvez esperando-a chegar. Sentado no sofá ele notou a presença dela, após a porta rangir. Largou o controle remoto no sofá e lhe encarou.
- Onde estava?
Ela guardou as chaves na bolsa e não deu a minima para ele, ou pelo menos tentou não dar.
- Com o jack. - Respondeu seca, colocando a bolsa no sofá.
- Pode me olhar? - Ele levantou.
Lua o olhou a contragosto, ou pelo menos, queria transpassar isso.
- O que foi fazer? - Insistiu ele.
- Desde quando eu tenho que te contar tudo? - Franziu o cenho. - Ou melhor, desde quando tenho que te contar alguma coisa?
- Desde quando eu casei contigo.... De novo.
- Ah, tá. - Revirou os olhos. - Entendi.
- Você não pode fazer as coisas sem me consultar.
- Ah, não? hum.
- Lua! - Arthur se irritou. Seguiu-a com o olhar, quando ela sentou-se no sofá. - Para de criancice.
Lua olhou para ele e sorriu tentando passar por cima da irritação. Tinha o corpo curvado, para tirar a correia dos saltos.
- Se me acha tão criança, o que faz casada comigo? Já disse que é pedofilia.
Ela lhe encarou após tirar os saltos. Arthur estava sem nenhuma paciência, e Lua, como defesa estava irritando-o cada vez mais.
- Eu te amo. - Ele quebrou todo clima ruim, e foi uma surpresa para Lua.
- Também amo você. - Desviou o olhar e encostou no sofá desanimada. - Eu também te amo, poxa.
Ele fez força para passar por cima do orgulho e sentou-se ao lado dela no sofá. Lua estava um pouco abatida, além de ser marreta. Arthur sabia que ela estava se perturbando com alguma coisa.
- O que tá acontecendo? - Ela não disse nada. - Hã? - Tocou o queixo dela, fazendo-a olhar para ele.
- Assinei um contrato com a Empresa Volver. - Disse, direta.

                                                                                                       Continua...................

11 comentários:

  1. Ele tem que aceitar o trabalho dela, direitos iguais. Ele trabalha, então ela também pode trabalhar, mais?

    ResponderExcluir
  2. Capítulos mais longos amoooor

    ResponderExcluir
  3. Eitaa tomara que ñ der em mais brigas :(
    É tão lindo eles juntos *--*

    ResponderExcluir
  4. Ele devia aceitar. Direitos e para todos.
    Esta web esta boa mas tenho uma opiniao . a minha opinião era tivesse mais um bebe. Ela ficava gravida através descude mas esta gravidez era acompanhada Arthur nascesse bebe eles juntos mais coisas e meses do bebe (vou dar mamar , lavar a criança com ajuda dos irmãos etc)
    Era muito fixe a web tivesse

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Adorava RB se tivesse um bebe.

      Excluir