Peça-me o que quiser (Adaptada)- Capítulos 144, 145 e 146

|

Capítulo 144:

Os dias passam e não volto a perguntar quem era aquela mulher. Na quarta-feira à tarde, meu pai me liga. Minha irmã já fez fofoca com ele, dizendo que voltei com Arthur, e ele diz que está feliz por mim. De coração.
Na quinta, quando chego ao trabalho, estranho ao ver Miguel juntando suas coisas.
— O que você está fazendo?
— Juntando minhas coisas.
— Por quê?
Miguel suspira e dá de ombros.
— Não renovaram meu contrato e, gentilmente, me informaram que hoje é meu último dia de trabalho.
Olho para ele perplexa. E por que será que minha chefe não renovou o contrato? Não consigo ficar quieta.
— Como assim, cara? Que história é essa de não renovarem o contrato? Você já falou com o senhor Aguiar?
— Não. Pra quê? Ele não vai com a minha cara, você sabe.
— Mas... mas você tem que falar com ele — insisto. — Miguel, lá fora o desemprego está altíssimo e a Müller atualmente é sua única opção.
— E?
Vejo um movimento na sala da minha chefe e pergunto:
— E com a chefe, você falou? Você e ela se dão muito bem e...
— Foi ela mesma quem disse que não renovariam o contrato — responde Miguel.
Isso me deixa furiosa. Como essa bruxa não pode renovar o contrato se ela é sua amante? E, sem conseguir mais não mencionar o segredo que guardo há meses, cochicho para ele:
— E você não vai fazer nada pra que ela mude de opinião? — Miguel olha para mim e continuo: — Olha só, Miguel, não sou boba, sei que rola uma historinha entre vocês. Além disso, uma vez eu estava no arquivo enquanto vocês se pegavam na sala dela.
Meu colega fica com uma cara de espanto.
— Porra! Você sabia?
— Sabia. E por isso não entendo por que ela não faz nada pra conseguir a renovação do teu contrato.
Miguel se apoia na mesa.
— Olha, Lua, a única coisa que eu posso te dizer é que já faz um mês que eu e sua chefe não temos nada. Ela foi atrás de outro. Óscar, o vigia.
— Óscar?
— É.
— Mas ele é um menino...
— Pois é, linda. Você já sabe que a chefe gosta dos mais novinhos.
Fico desconcertada, e Miguel acrescenta:
— Olha, Lua. Não se envolva com nenhum chefe, porque, quando ele se cansar de você, vai te chutar e buscar outra.
Seu comentário me atinge em cheio. Se ele soubesse...
Nesse momento olho na direção da sala de Arthur e vejo que está ao telefone. Tenho que falar com ele. Miguel é um bom funcionário e merece que renovem seu contrato.
— Vou falar com o senhor Aguiar.
— Está louca?
— Deixa isso por minha conta, está bem?
Miguel dá de ombros, senta-se à sua mesa e continua arrumando suas coisas enquanto me dirijo à sala de Arthur e bato na porta. Quando entro, Arthur já desligou o telefone e agora examina uns documentos.
— O que deseja, senhorita Blanco?
Sem deixar de interpretar meu papel, vou direto ao ponto:
— Senhor Aguiar, por que o senhor não renovou o contrato do seu secretário?
Arthur me olha surpreso.
— Do que a senhorita está falando?
— Miguel está arrumando tudo dele já. Minha chefe informou que não renovariam o contrato.
Está tão admirado quanto eu.
— Se sua chefe decidiu não renovar, ela deve ter os motivos dela, não acha?
— Mas ele é o seu secretário... — insisto.
O homem por quem estou apaixonada me olha.
— Ele nunca teve a minha simpatia e a senhorita sabe disso — replica. — O fato de ele e sua chefe ocuparem as horas do expediente em outra coisa que não o próprio trabalho é algo de que não gosto nem um pouco. Seu profissionalismo pra mim ficou totalmente comprometido.


Capítulo 145:

Fico perplexa, olhando para ele, mas Arthur segue com seu discurso:
— E, antes que a senhorita solte alguma de suas pérolas, senhorita Blanco, deixe-me lembrá-la de que essas coisas eu só permito a mim mesmo na empresa, entendido?
Mais chocada ainda, respondo:
— Isso é abuso de poder.
— Exatamente. Mas aqui o chefe sou eu.
Sua resposta me deixa sem palavras.
— Senhorita Blanco, o que veio me pedir?
Eu o provoco com o olhar e contesto:
— Que não o demitam. Encontrar um trabalho hoje em dia está muito difícil.
Arthur me olha... me olha... me olha e finalmente diz:
— Sinto muito, senhorita Blanco, mas não posso fazer nada.
Ouço uma porta, olho para trás e vejo minha chefe saindo da sua sala. Passa na frente de Miguel e nem lhe dirige o olhar. A raiva me corrói e cochicho para que ninguém nos escute:
— Como você não pode fazer nada? Você é o chefe, merda! Essa idiota, pra não dizer coisa pior, foi procurar outro amante e por isso está demitindo Miguel. Pelo amor de Deus, Arthur... faz alguma coisa! Pode realocá-lo na empresa. Ele foi o secretário do seu pai por muito tempo e o seu também, por mais que você não goste muito dele.
— Você se importa tanto assim com Miguel?
Sua pergunta faz meu sangue ferver.
— Não me importo nesse sentido que você imagina, então não comece a pensar bobagem senão vou ficar zangada de verdade. Só estou te dizendo que Miguel é um cara jovem que sem este trabalho vai passar fome. Ele, assim como você, tem seus gastos, precisa de
um teto e comida pra sobreviver e... e... Meu Deeeeus! É tão difícil entender isso que estou dizendo?
A expressão de Arthur não muda, mas, ao coçar o queixo, ele murmura:
— Já te disse alguma vez que você fica linda quando está nervosa?
— Arthur!
— Tudo bem — suspira. — Vou falar com o RH. O contrato dele vai ser renovado, mas pedirei que o transfiram a outro departamento. Não quero vê-lo aqui, entendido?
— Obrigaaaaaaada!
Quero pular de alegria, mas me contenho. Sei que Arthur obrigará o RH a renovar o contrato.
— A propósito, senhorita Blanco, quando precisam renovar o contrato da senhorita?
— Em janeiro.
Arthur se apoia na sua poltrona, me olha de alto a baixo e murmura:
— Veja como se comporta, porque, caso eu descubra que a senhorita está fazendo algo parecido com o que fez seu colega, no arquivo ou qualquer outro lugar da empresa, vai pro olho da rua.
Devo ter feito uma cara ridícula. Arthur sorri com malícia.
— Algo mais?
— Não... bem, sim. — Ele ergue a sobrancelha e eu murmuro: — O senhor fica muito lindo quando sorri.
Ele ri, e, achando graça, dou meia-volta e saio. Me sento na minha sala e cinco minutos depois toca o telefone da mesa de Miguel. É do RH, para avisá-lo de que seu contrato será renovado e ele será transferido de departamento.


Capítulo 146:

Na segunda-feira, Arthur tem que viajar à Alemanha. Pede que eu vá com ele, mas acho que não é o caso. No início ele fica chateado, mas eu o faço entender que, por mais que adoremos ficar juntos 24 horas por dia, seu sobrinho não iria gostar muito de dividi-lo comigo.
Na mesma segunda, à noite, Arthur me liga e ficamos mais de três horas ao telefone. Diz que está morrendo de saudades e comento que tudo perde a graça sem ele por perto.
Na terça-feira, ao sair do trabalho, decido ir à academia. Desde que Arthur está comigo, mal tenho tempo para malhar. Esteira e spinning são atividades que me relaxam.
Termino completamente suada. Adorei o ritmo que a professora de spinning impôs na aula. Era bem o que eu estava precisando. Entro no banheiro, tiro a roupa e vou direto para o chuveiro. Ai, que delícia! Depois de me refrescar, vou até a jacuzzi e, ao não ver ninguém, decido entrar por uns minutos. E, pouquinho antes disso, ouço uma voz atrás de mim:
— Lua?
Olho a mulher que vem na minha direção e me chama.
— Oi, não se lembra de mim?
Sua cara não me é estranha, mas não consigo saber de onde a conheço, até que ela diz:
— Marisa. Marisa de la Rosa. Nos conhecemos no verão em Zahara de los Antunes, numa festa à fantasia. Quem nos apresentou foi a Frida. Lembra?
Logo sei quem é e do que está falando.
— Ah, claro... lembro, sim. Você era de Huelva, né?
— Isso mesmo. — Sorri enquanto enrola a toalha no corpo. — Como você está?
— Exausta — respondo. — Acabei de fazer uma aula de spinning superforte que me deixou outra pessoa.
Marisa continua sorrindo.
— Eu não posso fazer spinning. Me deixa totalmente fora de combate. Você vai à jacuzzi?
— Era isso que eu ia fazer.
— Ah, legal, vou com você.
Conversamos por vários minutos, enquanto as borbulhas explodem ao nosso redor.
Estou alerta. Essa mulher já deu em cima de mim naquela festa de Zahara, mas desta vez, surpreendentemente, ela não faz qualquer insinuação. Depois da jacuzzi, nós tomamos uma ducha e, antes de nos despedir, trocamos telefones.
Na sexta-feira ao meio-dia recebo no escritório um lindo buquê de rosas vermelhas e, quando abro o cartão, quase choro de emoção ao ler: “Estou morrendo de vontade de te beijar, moreninha.”
Às quatro, assim que volto do almoço, me surpreendo ao ver Arthur conversando com vários chefes. Fico super feliz e tenho vontade de pular de alegria. Ele me vê e por alguns segundos me observa, mas logo depois se vira e continua falando.
Dez minutos mais tarde, recebo um torpedo dele: “Te espero no meu hotel. Esteja linda. Te amo.”
Apatetada de tanta felicidade, saio do escritório às seis. Assim que chego em casa tomo logo um banho e me arrumo. Quero estar
deslumbrante para Arthur e ponho um vestido novo bordô que tenho certeza que ele vai amar. Às oito chego ao Villa Magna e vou direto para o elevador. O ascensorista já foi avisado da minha chegada e me leva até o andar em que Arthur está hospedado.
Quando entro na suíte, acho estranho não o encontrar ali. Eu o procuro, mas só vejo sua mala e, em cima da cama, o notebook. Convencida de que ele não vai demorar, volto à sala e ligo o som. Música é sempre bom para alegrar o ambiente. Sintonizo a rádio que costumo ouvir e começa a tocar September, de Earth, Wind and Fire. Adoro essa música.
Sem hesitar, tiro os sapatos e começo a dançar enquanto vou cantarolando:
Do you remember the 21st night of September?
Love was changing the minds of pretenders
While chasing the clouds away
Our hearts were ringing
Ba de ya – say that you remember
Ba de ya – dancing in September
Ba de ya – never was a cloudy day.
Rebolo um pouco seguindo o ritmo, canto e curto a música. Com os olhos fechados, dou umas voltinhas na hora do refrão, levanto os braços e me deixo levar pelo momento.
De repente, a música para, abro os olhos e me vejo diante de Arthur e de uma mulher de meia-idade que me observam.
Ofegante pela dancinha que acabo de fazer, fico logo morrendo de vergonha do espetáculo que devo ter dado, até que a mulher sorri para mim.


Elisa- Tenho twitter só que não entro lá. Mas este @jesofiaaa

8 comentários:

  1. Ameiiiii,Lua "mandando" na empresa kkkk,sera que essa senhora e mae do arthur?Posta mais
    Gabs❤️

    ResponderExcluir
  2. Quem será essa mulher?? Será q é a mãe dele?!? Amooo de maiss essa web... Posta maisssss!!!!

    ResponderExcluir
  3. Coisa fofa kkkkk ele jogando baixo pra despistar Lua kkkk
    ahahahaha Lua é doidinha pagar mico é com ela mesma kkkkkkkkkkkkkkk S.o.s

    ResponderExcluir
  4. Top... �� Quem será essa senhora? .... #curiosa

    ResponderExcluir
  5. Plmds pst mais,quem sera essa mulher?
    Clara

    ResponderExcluir
  6. Lu sempre pagando miccoo kkkk,posta mais,dedica um capitulo pra mim?
    Ass:Alice

    ResponderExcluir