Treinando a Mamãe - Capitulo 44

|
Encontro Surpresa

Chegaram na praça de alimentações do Shopping, e Amy procurava ansiosamente Arthur, Paul tinha colocado Thammy nos braços, a menina era tão pequena e formosinha, não negava ser filha de Lua e irmã de Amy. Então Amy tirou os óculos e passeou com o olhar por todo aquele ambiente. Esboçou um sorriso largo e suspirou fundo.
- PAI! - Deu um grito oculto, e ele virou-se de encontro com o tom de voz que na qual conhecia.
Os olhares deles se cruzaram, Arthur então, com cara de bravo levantou-se da cadeira em que estava sentado. Ela caminhou sorrindo, até ele enquanto Paul permanecia onde estava, recebendo uma massagem capilar das pequenas e macias mãos da Thammy.
- Oi, Pai. - Abraçou-o. Arthur ainda estava áspero.
- Não estou nem um pouco contente, em te ver aqui! - Ele disse, lhe abraçando. - Já viu quem você queria? O que eu falo com você agora?
- Me agradece, pois você vai conhecer a sua filha caçula. - Ela falou, lhe olhando após romper o abraço. - PAUL! - Gritou, ocultamente, e Paul lhe olhou. Apontou para eles, para que Thammy também levasse o olhar até lá, e então colocou ela no chão.
Arthur ficou boquiaberto, sem entender absolutamente nada. Amy colocou as mãos na cintura e avistou os dois chegando perto. Quando chegaram diate deles, Arthur olhou para Thammy absolutamente pasmo.
- Quem é esse? - Ela olhou para Arthur dos pés a cabeça, ainda segurando a mão de Paul.
- Esse, é o meu pai. - Amy respondeu sorridente. - E o seu também.
- Meu pai? - Perguntou, surpresa. - De verdade?
- De verdade.
Arthur agachou, ainda em choque diante dela. Seus olhos encheram de lágrimas. Ele não imaginava o quanto iria ser emocionante rever uma garotinha tão indefesa, porém Amy Lee versão 2!
- Oi, tudo bem? - Depois do grande choque, e de minutos longos se olhando. Ele quebrou o silencio.
- Oi. - Num tom doce ela respondeu, lhe olhando.
- C-como... Se chama, linda? - Arthur não sabia nem o que falar. não sabia se lhe tocava, se apenas lhe olhava. Se lhe puxava para um abraço... É estava deslocado.
- Thammy. - Disse. - Thammy Perry.
Arthur inclinou a cabeça para cima, para olhar Amy, e sorriu emocionado. Quando tornou a olhar para Thammy, segurou suas mãozinhas sensíveis.
- Prazer, Thammy. Sou Arthur.
- Você parece, sabe com quem? Com o Théo. - Ela disse após puxar as mãos lentamente, e levá-las para o rosto de Arthur. Que fechou os olhos e sentiu o toque das mãos da menina decalcando seu rosto.
- Théo é o... Seu irmão, certo? - Abriu os olhos, segurando as mãos e olhou para Amy. - Eu acho que... A minha mãe.. Não vai gostar de... Eu falar com ele. E... - De um jeito fofo, e hesitante. Ela disse em meias palavras. Mas deixou a frase inacabada.
- Deixa que com a mamãe eu resolvo, fica tranquila. Pode ficar tranquila. - Amy lhe tranquilizou. Arthur ainda estava em transe, olhando cada detalhe do rostinho dela.
Thammy Assentiu com a cabeça, sorriu de canto. Mas permaneceu tensa, não é todo dia que alguém conhece um pai, depois de 9 anos achando que tinha sido gerada independentemente... Era o que Lua falava sempre.
- Amy, eu preciso ver a Lua.
- Jura? - Sorriu contente. - Vamos nos encontrar com ela no clube daqui a 30 minutos.
Arthur estava encantado com Thammy, olhava para ela de 5 em 5 segundos. Ela estava entretida desenhando um roto com Katchup no seu pedaço de pizza.
- Olha, papai... Não está lindo?
E ainda mais, porque ela começou a lhe chamar de papai. Aquilo amoleceu totalmente o coração de Arthur.
- Está lindo sim, meu amor. - Afagou o cabelo dela. - Muito lindo.
- Pai... - Amy lhe chamou a atenção. - Você vai conosco?
- No trabalho dela? Acho que não, melhor irmos no apartamento. Preciso pedir desculpas... Eu, hã.... Nossa, ela é linda. - Falou um tanto culpado, olhando para Thammy.
- Sim. - Amy sorriu largo. - Então vamos para a casa dela, é bom que você conhece o Théo.  Ele é lindo, e uma graça.
- Sim. Afirmou, tocando o queixo dela. - Você hein... Não tem jeito.
- Você acha mesmo que na primeira oportunidade eu iria falhar?
- Não, você nunca falha.
- Eu que o diga. - Paul disse, com um Dos braços em volta dos ombros dela.
- Pual! - Lhe reprimiu, envergonhada e depois sorriram.
Terminaram o lanche, e foram direto para o apartamento de Lua. Théo ainda iria chegar do colégio. A faxineira ainda estava lá, e ficou toda derretida ao ver Arthur... Afinal, tinha um famoso na sua frente. Thammy mostrou seu quarto para Arthur, Suas bonecas, até seus deveres escolar ela mostrou. E ele estava mais que encantado. Amy ligou para Lua, avisando que estava na casa dela. sem contar que Arthur estava lá, claro. Exatamente as 18 horas, Lua entra de costas em casa, fechando a porta. Théo entra correndo, e para ao ver paul e Arthur.
 - Tirar o uniforme Théo, e Dep... - Deixou a frase inacabada, ao virar-se. Seu olhar encontrou o de Arthur, que estava com Thammy sentada em seu colo.
- O que. Significa. Isso? - Chocada, ela caminhou descendo o degrau, de acesso a sala, após entrar na casa. Estava coma bolsa, roupa de tênis e a mochila do Théo... Resumindo; Cheia de coisas.
- Mãe eu... - Amy levantou-se, mas Arthur segurou no seu braço, dando sinal para que ela se calasse. Permanecendo sentado com Thammy no colo.
Lua largou as coisas no chão, e encarando Arthur seguiu até aquele sofá. Num movimento rápido puxou Thammy, tirando-a do colo de Arthur. Théo arregalou os olhos, observando acena.
- Não chega perto da minha filha, tá maluco? - Incrédula, ela envolveu Thammy com um braço, e com o outro braço puxou o braço do Théo que estava próximo a elas. - O que tá fazendo aqui? Amy... poxa Amy, confiei em você.
- Mãe... Antes de completar a frase Lua lhe interrompeu. Paul então, segurou o braço de Amy, lhe tranquilizando.
- Théo... Ele é o papai... - Thammy sussurrou, sendo segurada por Lua. - Vai lá dar um abraço nele. Ele gosta de abraços.
Théo esboçou um sorriso, e conseguiu se desvencilhar de Lua. Arthur que em meio a confusão, fitava o menino. Agachou e abriu os braços.
- Théo, Não! - Lua se atordoou.
- Oi, garotão... - Mais do que emocionado, Arthur lhe tomou nos braços.
- Deixa, mãe, deixa!- Amy deu um passo a frente, lhe encarando. - Não está vendo, que eles precisam disso? Vai lá Thammy, anda.
Thammy não pensou duas vezes em se desvencilhar de Lua e ir de encontro a Arthur também.
- Não admito que eles passem pela mesma coisa que e passei. Entendeu? Não admito.
- Mas.... - Lua não conseguiu falar nada, dava para ver uma ponta de medo em seu olhar. Arthur abraçava os dois filhos, como se o mundo fosse acabar daqui a algumas horas.
- Vocês precisam conversar, e ele está disposto a isso. - Disse num sussurro repressor.
Lua trincou os dentes, e então a lágrima escapou do seu olhar. Mas ela permaneceu parada, enquanto Arthur dava o primeiro abraço, nos Gêmeos, nos dois juntos.
                                                                                               Continua................

12 comentários:

  1. Mds ! Finalmente .... Continuaaa Amandooo cada vez mais

    ResponderExcluir
  2. Lindooooo!! Posta mais logo flor!! ❤❤

    ResponderExcluir
  3. Arthur ñ merecia ter os filhos de mão beijada assim.

    ResponderExcluir
  4. Mais amore... Tá tipo muito muito FODA essa web..

    ResponderExcluir
  5. Oonnww que liindooo❤❤������

    ResponderExcluir
  6. Tomara que a lua proiba o arthur de ver os gemêos assim como ele fez com ela porque merecer ele merece e mt
    Ass: Elisa

    ResponderExcluir
  7. Continua... A lua n pode deixar o Arthur ficar ou ver os gêmeos

    ResponderExcluir
  8. ain :'( to chorando muuuuito,que lindo ♥.♥ posta mais muito mais

    ResponderExcluir
  9. Lua vai ter que da uma gelo no Aguiar,ele fez isso com ela ,ela tera que fazer isso tambem

    ResponderExcluir