Treinando a Mamãe - Capitulo 27

|


Jack colocaria qualquer outra tenista no meu lugar, o mais cafona que estivesse naquele clube só para me fazer sentir na pale o peso da minha consequência. Um lado: Pai, do outro: Diabo em forma de gente. Aquilo me destruiu, é. O que eu iria fazer agora sem tênis? Como iria passar meu tempo? 9 meses engordando e vendo uma barriga crescer. Eu realmente estava fodida! Como iria ser daqui pra frente? Como eu iria me virar? Com quem iria contar? Não tenho mãe e muito menos pai, não tinha irmãos, não tenha ninguém. Era eu, Freddie e Deus... E agora uma criança.
jack me deixou em casa depois que eu tive alta, me deu muitas recomendações apesar de estar muito decepcionado comigo. Do jeito que ele me deixou, eu permaneci. Deitada na cama, enrolada no meu edredom, prestes a chorar a qualquer momento, só bastava uma caída. Foi quando meu ipad tocou, estava ao meu lado na cama. Era um e-mail, aquilo baqueou meu coração. Felizmente, era a Amy Lee.

De: Amy Lee
Assunto: Era uma vez, 3 fadinhas.
Data: 29 de maio de 2013 16:10
Para: Lua Blanco
Estou com tantas saudades... É hora de dormir, e eu lembrei da historia. Você dormiu igual a um bebe. rsrs
Amy

Um bebe! Ai meu Deus, era tudo que eu não queria ler agora.... Eu estava com tanta raiva do Arthur, que a primeira impressão que eu tive foi não responde-la, como se ela tivesse culpa... Claro que não tinha. Pelo contrário. Talvez tenha sido ela o motivo, se eu não tivesse sido tão pequena, não imunda, não criança e nojenta, talvez estávamos felizes, uma família feliz... Sim, uma família.
Lá deveria ser dez horas por ai, pelas minhas contas. Para uma criança nada normal, dez hora da noite ainda era cedo. Pelo menos aqui, dormíamos depois de meia noite. Foi bom relembrar por segundos.

De: Lua Blanco
Assunto: Bem original sua historia
Data: 29 de maio de 2013 16:15
Para: Amy Lee
Também estou indo dormir, amor.... Quem sabe amanhã nos falamos direito, hã? Estou.... Cansada. Tenha uma boa noite, sonhe com coisas boas, anjinhos quem sabe.
Amo vc.
Bj
Sua mãe.

Eu queria tanto falar com ela mas não estava bem. Ela iria perceber que tinha alguma coisa errada, Amy era esperta. Mas dessa vez eu precisava mesmo dormir, descansar, pensar, colocar as ideias no lugar. Suspirei fundo e apertei em '', enviar''.

De: Amy Lee
Assunto: O que aconteceu?
Data: 29 de maio de 2013 16:17
Para: Lua Blanco
O que você tem? Está triste? Quem brigou com você? Foi o Jack ou o Kleber? Foi o banana do Fernando? Pode falar mamãe.
Amy.

Eu disse! Ela iria perceber que havia alguma coisa de errado. Sim o Jack brigou comigo, e não, os meninos não estavam envolvidos... Quem estava envolvido era o canalha do seu pai. Pergunta a ele o que ouve, vamos ver ser ele te conta... - Queria mesmo enviar isso, mas lembrei que apesar dos apesares ela era uma criança. Preferi desligar o ipad, colocá-lo longe de mim, e me entregar ao meu edredom, meu travesseiro e minha cama aconchegante. Estava deprimida demais para falar até mesmo com a Amy.

Barcelona 30 de Novembro de 2013 12;;;45
Narrador.

- A Lua está com algum problema!
- Não está não. Você nem está lá pra saber. - Arthur nem olhava para a menina, pois estava cheio de trabalho. Muitos papeis em sua escrivaninha.
Arthur largou a caneta, e lhe olhou nos olhos. Ele sabia que quando a filha colocava uma coisa na cabeça, não tem quem lhe faça tirar. Sorriu suave tentando lhe tranquilizar com aqueles olhos negros, mas nada adiantou.
- Eu quero ir ver ela. Já fiz as provas, e falta tão pouco para eu entrar de férias.... Deixa papai, deixa. - juntou as mãos, em uma suplica.
- Claro que não, esquece. - Desviou o olhar dela, e levou para os papeis em sua escrivaninha.
- Por favor papai, por favor...
- Para que, você quer ir? - Permaneceu sem fitá-la.
- Passar as minhas ferias, lá com ela. Eu juro que não faço bagunça lá, e nem fico uma pestinha. Ela vai ficar feliz, ela disse que está com saudades. - Amy suplicava, Ela estava morrendo de saudades de Lua, e após cinco meses se passaram, a mesma não estava dando sinal de vida. A menina era bem esperta para entender que havia algo de errado.
Arthur suspirou fundo, pairou o olhar no dela sem pestanejar por alguns segundos, e permaneceu serio. Em seguida juntou todos os papeis, e os guardou na gaveta da escrivaninha. Amy lhe olhava esperançosa.
- Já parou para pensar, que ela pode não te querer lá?
- Ela quer. Eu sei! - Dobrou os lábios. - Vocês Brigaram?
- Amy... Não brigamos, mas. A Lua não faz parte da nossa família. - Disse paciente.
- Claro que faz, ela é minha mãe. Eu sai dela, e se você não a perdoou ainda, eu já perdoei faz tempo. - Disse firme. - Faz tempo, papai!
- Não quero que você se decepcione. - Levou a ponta do dedo até o rosto da menina, e lhe decalcou.
- Por que eu iria me decepcionar? Você acha que eu sou tolinha né. - Discordou incrédula, erguendo-se  na poltrona. - Papai, eu não sou tolinha.
- Claro que não meu amor. - Se encostou em sua cadeira, e apoiou o cotovelo na barra da mesma. Em seguida colocou a mão, aconcheada no rosto, lhe olhando. - É isso que você quer?
- É! - Falou com firmeza.
- Então, arrume suas malas. - Desviou o olhar, e voltou a se aprumar na cadeira. - 15 dias, apenas. Certo?
- Só? - Logo o sorriso, que estava em seus lábios desapareceu. Ela já estava prestes a se levantar quando sentou novamente, a contragosto.
- Então reduzimos para zero dias. - Ele falou áspero.
ela lhe olhou com desdém, respirou fundo e tomou impulso para falar.
- T-tudo bem... 15 dias. - Levantou.
Arthur sorriu ironicamente, e ela bufou revirando os olhos. Arthur lembrava de Lua, quando Amy revirava os olhos pois eram idênticas. Porém por uma ele sentia amor, paixão e desejo. Já por outra amor paternal. Ela ainda estava com o uniforme da escola, seguiu para a porta de escritório e ao segurar na maçaneta, virou para olhá-lo.
- Se ela tiver triste, e a culpa for sua... Mato você papai. - Franziu a testa, deixando um semblante ''malvado'' dominar seu rostinho.
- Você não consegue me matar, é muito minuscula. - Ele esboçou um sorriso encantador, deixando amostra seus lindos dentes.
- Ah papai... A Lua está triste, acho que a culpa é sua. - Falou reprovando-o. - Vou arrumar minhas malas, quando viajo?
Ele pensou antes de falar. A culpa era dele, realmente.
- Arrume as malas, antes do jantar eu lhe aviso! - Falou simplesmente. Então ela abriu a porta, e saiu do escritório, deixando-o pensativo. Ele sabia que Lua estaria agora com 5 meses de gravidez, e com certeza sua barriga já teria saído. Ele não queria nenhum tipo de contato, pelo menos nos primeiros meses da criança. Mas ninguém iria fazer Amy mudar de ideia sobre ir vê-la nessas férias de fim de ano.
                                                                                                         
                                                                                                       Continua...................

12 comentários:

  1. Own emy muito fofa apaixonada por essa web , será que vai ser um arthursinho

    ResponderExcluir
  2. Essa Amy é esperta demais ;) kkkkkkk
    Arthur tá lascado com essa miniatura de Lua.
    Quero ver a reação de Lua qnd ver a filha ♥♡♥
    Perfeito cada capitulo :)

    ResponderExcluir
  3. A Amy tem que saber que oq o Arthur fez

    ResponderExcluir
  4. Mais pfv maIs imploro, posta mais hj!!!

    ResponderExcluir
  5. Posta mais, posta mais de um por dia, as vezes demora um pouco... Adoro a web!

    ResponderExcluir
  6. Uhuuuuuul!!! Ameeei demais <3<3<3

    ResponderExcluir
  7. Amy e muito esperta em uma flor de menina espero que ela fique com lua posya ++++++++++

    ResponderExcluir
  8. Doreeeeeei a web. To acompanhando seu blog, simplesmente amei!
    Finaliza logo essa web rs to curiosa!
    Não deixe o LuAr que esta em nossos corações morrer NUNCA!
    By: Duda Oliveira

    ResponderExcluir