"É estranho. Mas é do nosso jeito" - 9º capítulo

|


P.O.V.'s Lua Blanco

   Mas pior que eu estava Bela. Ela estava no meu quarto, agarrada ao meu travesseiro. Havia discutido feio com Daniel e estava ali precisando de conselhos.

- Eu não tenho nada pra dizer. Os garotos são uma merda. Não prestam para nada!
- Mas o Daniel não, o Daniel é legal e…
- O Daniel é igual ao Arthur e o Arthur é igual a todos. Todos nos querem, nos amam, nos beijam e depois nos expulsam do quarto.
- Como assim?
- Uma longa história! – suspirei.

   Estava agora um silêncio insuportável no quarto até ouvirmos algo atacar brutalmente a minha janela. Eram pedrinhas. Pedrinhas que vinham acompanhadas de papéis com palavras soltas. Bela pegava uns e lia, enquanto eu pegava outros e lia também.

- Desculpa
- Agi errado
- Os homens são idiotas
- Os homens não vivem sem as mulheres
- Desculpa de novo
- Eu te amo
- Você é linda

   No jardim estava Daniel e Arthur escondidos nas árvores da minha casa. Na verdade, Arthur desenhava qualquer coisa no muro enquanto Daniel recolhia flores do jardim. Meu deus, minha mãe se passava se visse aquilo. 

- O Arthur desenhando? Desde quando?
- Você não sabe? Ele descobriu a paixão pelo desenho há uns dois anos. Mas acho que era segredo… – Bela riu

   Arthur pegou as flores colhidas por Daniel e fez algo na grama. Daniel pegou a lata de tinta e desenhou algo na parede também. De repente, o jardineiro grita do outro lado e vem atrás dos garotos com uma vassoura na mão. Arthur e Daniel começaram a correr em direção ao “muro de saída”, mas não antes de mandarem um beijo para nós.

- O que foi isso gente? – perguntou Bela rindo
- Não sei. Vamos lá! – ri. Descemos até ao jardim. Eu tinha de ir ao lugar o lugar que os dois desenharam algo. Queria também saber o que Arthur fez com as flores.

   Um grafite. O desenho eram grafites com palavras soltas bem desenhadas, pedindo desculpa para nós, devido aos erros que eles cometeram antes. Depois, à frente, na grama, tinha um coração de flores lindas.



- Meu deus do céu. Gente. O Arthur fez isso para você? – Bela me encarou, se referindo ao coração
- É… parece que sim. – sorri e mordi os lábios.

   Eu não me queria iludir. Talvez ele faça algo parecido a todas as garotas com quem ele já ficou, mas eu não conseguia parar de sorrir a cantar pelo resto da casa.
   Naquele dia a minha mãe até estranhou o meu bom humor. Eu quis cozinhar, colocar a mesa e ainda lavar a louça, coisa que não é muito normal visto que eu dou a desculpa de “Você tem uma empregada para alguma coisa”.

- Lua, amanhã eu e o seu pai vamos viajar.
- Adeus.
- Veja como fala! – disse o meu pai todo autoritário
- Já é normal vocês desaparecerem assim.
- Quer vir com a gente?
- Recuso.
- Então não reclame. – meus pais deram de ombros.
- Alias, o jardineiro me fez queixa de garotos que andaram a vandalizar o nosso jardim. Você conhecia eles? – questionou o meu pai
- Sim
- Que marginais insolentes.
- Que nada pai, são meus amigos
- E o que eles fizeram? – perguntou a minha mãe. Pelos vistos ela não sabia de nada.
- Eles desenharam no muro algumas coisas, mas o jardineiro tratou de limpar tudo. 
- Lua, porque fizeram isso? – perguntou a minha mãe
- Eles são amigos e um ajudou o outro para se desculpar.
- Desculpar? De quê?
- O Daniel e a Bela tinham brigado. 
- E já está tudo bem? - perguntou a minha mãe
- Sim, acho que já
- E brigaram porquê?
- Ah, coisas sem noção mesmo. Ciumes, briguinhas idiotas...
- E o outro garoto? Você e ele brigaram é?
- Não mãe… não enche vai! – pedi, fazendo com que ela não tocasse mais no assunto.

   Os meus pais subiram para fazerem as malas. As nossas despedidas não eram mais do que um simples tchau e um beijo no rosto, sem murmurar um “vou sentir saudades de vocês”, sendo que eu já estou mais do que acostumada a estas viagens.

   Fui para o quarto e peguei o meu notebook, indo de seguida até ao skype. Logo fui convidada para entrar numa conversa em que estava Bela e Daniel. Liguei a câmara e recebi um “Oiiiiii” bem atractivo da parte deles.

- Gente, porque me convidaram para essa porra? Eu não quero segurar vela.
- Não se preocupa. – Daniel olhava para baixo, procurando algo – Aqui. – logo depois Arthur entrou na conversa
- E ai galera.
- Oi. – demos todos
- Que tal uma praia amanhã?
- Vamos. – disse ele
- Podíamos ir cedo para lá, depois passar a noite na praia, que tal?
- Isso seria louco de mais! – disse eu
- Louco mesmo foi o que vocês fizeram hoje! – disse Daniel – O que vos passou pela cabeça?
- Ideia do Arthur. – disse Daniel
- Sério? – sorri
- Sim. Era pra a gente se desculpar com vocês. – Daniel sorriu – Será que funcionou?
- Será? – perguntou Arthur rindo – E ai, funcionou?
- É claro que sim! – Bela começou a rir e a fazer gestos de corações para Daniel
- E você Lu?
- É claro que não! – cruzei os braços e fiz bico
- Não liga não, Arthur. Ela adorou a surpresa! – Daniel riu
- Alias Arthur, eu não sabia que você desenhava – disse eu
- Era o segredo dele
- Segredo? – perguntei
- Falei de mais – Daniel riu
- Segredo porque? Você desenha tão bem! – disse eu, sendo sincera – Aqueles desenhos no seu quarto, foram desenhados por você?
- Eita, você esteve no quarto dele? Me contem coisas! – Daniel riu
- Essa conversa tá ficando chata. Adeus gente, adeus. – me irritei e saí
- Até amanhã – todos disseram entre risos

Aqui está o de ontem que era suposto eu ter postado e não postei.
Hoje tem mais dois capítulos!


4 comentários:

  1. Lindooo continua pfvr
    Quero esses dois teimosos juntos agora!

    ResponderExcluir
  2. Tao romanticos esses meninos. Posta maisssss

    ResponderExcluir