Paixão Sem Limites - Capitulo 8

|

Capitulo 8

 No dia seguinte, quando acordei, a casa estava novamente de pernas para o ar. Dessa vez deixei a bagunça e saí depressa para o trabalho. Não queria chegar atrasada. Precisava do emprego mais do que qualquer outra coisa. Meu pai ainda não havia ligado para saber onde eu estava e eu tinha quase certeza de que Arthur não comentara nada a meu respeito nem com a sua mãe nem com o meu pai. E eu não queria lhe perguntar para não canalizar para mim a raiva que ele tinha do meu pai.
Já havia uma boa chance de Arthur me pedir para ir embora quando eu voltasse para a sua casa no final do dia. Ele não parecia muito satisfeito comigo ao sair do meu quarto na noite anterior. E eu tinha retribuído o seu beijo e chupado o seu lábio... Ai, meu Deus, onde eu estava com a cabeça? Não estava raciocinando. Esse era o problema. Arthur tinha um cheiro e um gosto delicioso demais. Eu não consegui me controlar. E agora era provável que eu fosse encontrar as minhas malas na varanda quando chegasse em casa. Pelo menos eu tinha dinheiro para ficar em um hotel de beira de estrada.
Usando o short e a camisa polo do uniforme, subi os degraus da sede administrativa até a porta da frente. Tinha que bater o meu ponto e pegar uma chave do carrinho de bebidas.
Carla já estava lá dentro. Eu começava a pensar que ela morava ali. Estava sempre lé quando eu saía e quando chegava de manhã. Mas a mulher parecia um pequeno tufão e dava medo. Quando gritava uma ordem para alguém, a pessoa quase batia continência. Nesse dia, Carla tinha o cenho franzido para uma menina que eu nunca tinha visto. Com o dedo apontado, praticamente gritava. 
- Você não pode sair com os sócios. Essa é a regra número um. Você assinou os documentos, Melanie; sabia quais eram as regras. O Sr. Fernando veio aqui hoje de manhã cedo me dizer que o pai dele não estava nada contente com o ocorrido. Eu só tenho três garotas para servir as bebidas. Se não puder confiar que você não vai dormir com os sócios, vou ter que mandá-la embora. Este é o seu último aviso. Entendeu?
A menina concordou.
- Entendi, tia Carla. Sinto muito - balbuciou ela.
Os longos cabelos pretos estavam presos em um rabo de cavalo e sua polo azul-bebe exibia seios bem generosos. Havia também as pernas compridas e um bumbum bem redondinho. E ela era sobrinha de Carla. Que interessante.
O olhar irado de Carla se moveu em direção ao meu e ela deixou escapar um suspiro de alívio.
- Ah, Lua, que bom que você chegou. Quem sabe consegue dar um jeito nessa minha sobrinha? Ela está de sobreaviso porque não consegue parar de transar com os sócios durante o expediente. Nós não somos um bordel, somos um country club. Ela vai trabalhar com você na próxima semana; fique de olho nela. Espero que aprenda alguma coisa com você. O Sr. Fernando é só elogios quando cita o seu nome. Está muito satisfeito com o seu trabalho e me pediu para deixar você trabalhar no salão de jantar pelo menos dois dias por semana. No momento estou procurando outra menina para pilotar o carrinho de bebidas, então não posso me dar ao luxo de demitir Melanie. - Ela pronunciou o nome da sobrinha com um rosnado e tornou a encará-la com fúria.
A moça baixou a cabeça, envergonhada. Senti pena dela. Deixar Carla zangada me apavorava. Eu não podia imaginar alguém gritando comigo daquele jeito.
- Sim, senhora - respondi enquanto ela me estendia as chaves do carrinho. Peguei-as e esperei Melanie vir comigo.
- Vá com ela agora, menina. Não fique aí de cara amarrada. Eu deveria ligar para o seu pai e dizer a ele o que você anda fazendo, mas não tenho coragem de partir o coração do meu irmão. Então vá lá e aprenda alguns valores morais.
Carla apontou para a porta e eu não esperei mais. Saí apressada e desci os degraus. Iria pegar o carrinho de bebidas e esperar Melanie lá.
- Ei, espera aí - disse a menina atrás de mim. Parei e o olhei para ela, que corria para me alcança. - Desculpe, aquilo lá foi meio brutal. Preferiria que você não tivesse visto nem escutado.
Ela era... simpática.
- Tudo bem
- Aproposito, as pessoas me chamam de Mel, não de Melanie. Só o meu pai me chama assim, então a minha tia Carla faz igual. E você é a famosa Lua Blanco de quem tanto ouvir falar. - O tom sorridente da sua voz me fez entender que ela não estava sendo irônica.
- Sinto muito se sua tia me enfiou pela sua goela abaixo.
- Ah, eu não estava me referindo á minha tia. Estava me referindo aos rapazes. Fernando, principalmente, gosta muito de você, Soube que você causou uma pequena confusão ontem á noite na festa daquela vaca da Giovanna. Queria ter presenciado, mas os empregados não são convidados para esse tipo de evento.
Não havia muita coisa para contar. Dei de ombros e, depois de abastecer o carrinho, dei a volta até o lado do motorista.
- Eu fui a essa festa porque estou dormindo debaixo da escada na casa do Arthur até conseguir dinheiro suficiente para me mudar, coisa que deve acontecer muito em breve. Foi um erro. Ele não gostou de eu aparecer. Foi mais ou menos isso.
Mel se deixou cair no banco ao meu lado e cruzou as pernas.
- Não foi nada disso que eu escutei. Chay falou que o Arthur viu Fernando com a mão em você e ficou louco.
- Chay entendeu errado. Acredite em mim. Arthur está pouco ligando para quem põe a mão em mim. 
Mel suspirou.
Ser pobre é uma merda, né? Os caras gatos nunca nos olham a sério. Nós somos só mais uma trepada.
Seria mesmo assim para ela? Será que ela tinha cedido e se transformado na menina que eles descartavam? Era bonita demais para isso. Na minha cidade, os caras babariam por ela. Eles podiam até não ter milhões de dólares no banco, mas eram caras legais de famílias bacanas.
- Será que não tem nenhum cara gato por aqui que não seja podre de rico? Não é possível que os frequentadores deste clube sejam a única alternativa. Com certeza dá para achar um cara que não vai jogá-la para escanteio no dia seguinte.
Mel franziu o cenho e deu de ombros.
- Sei lá. Eu sempre quis fisgar um milionário, sabe? Levar uma vida de luxo. Mas estou começando a entender que esse não é o meu destino.
Fui em direção ao primeiro buraco.
- Mel, você é linda. Merece mais do que está recebendo, Comece a procurar homens em outro lugar. Encontre um que não a queira só para transar. Encontre um que a queira e pronto. Só você.
- Caramba, é capaz de eu ter me apaixonado por você também - retrucou ela, provocadora, e deu uma risada. 

                                                                                                                            Continua...

Amei as resposta de vocês, elas vão se encaixa na web aos poucos.

Me desculpe pelo cap pequeno, mas amanha eu posto mais! 

5 comentários:

  1. Amanha ? Promete ? Amo *-*

    ResponderExcluir
  2. Amei web viciante

    Hellen

    ResponderExcluir
  3. Posta +++++++++++++ logooo manoela ta mtoooo bom :)

    ResponderExcluir
  4. Posta mais ?!
    Ta demais essa web
    Livia

    ResponderExcluir