"Certezas" - 42º Capítulo

|


No capítulo anterior…

POV NARRADOR

- É. Amanhã é a minha cirurgia, esqueceu? Vou ficar tanto tempo sedada que não vou poder sentir os seus lábios.
- Estarei sempre do seu lado, viu? – assim se beijaram


No outro dia, bem cedo, Arthur foi para a clínica e não saiu de lá enquanto não conseguiu falar com a Lua. Ela agora se encontrava nervosa. Não sabia como a cirurgia ia correr, apesar de os médicos já lhe terem dito que tudo ia correr bem.
Ela não dormiu nada a noite passada. Tinha pesadelos terríveis. Tinha medo de não aguentar tanta pressão, durante a cirurgia, e morrer. Depois ela se lembrava do que Arthur lhe tinha dito no dia passado e a ansiedade ia embora durante uns pequenos momentos.

Arthur estava disposto a encontrar escondido, no quarto de Lua. Mas não foi preciso, pois a enfermeira o deixou entrar assim que Lua ouvisse as ultimas recomendações.

- Eu tenho medo de morrer Arthur. – dizia ela com lágrimas nos olhos
- Não pense nisso. Que besteira Lua. – ele balançou a cabeça – Vai tudo correr bem. Você vai entrar naquela grande sala, eles vão te dar algo para dormir. Quando você voltar a acordar, já vai ter sido operada e o pior já vai ter passado. – ele sorriu pra ela, tentando confortar – Quando você acordar, eu estarei aqui. Preparado para te dar um beijo de força e ânimo. 
- Você… está com medo?
- Medo? De quê? – Arthur perguntou
- De me perder? – Arthur sorriu bem fraco e desviou o olhar para a janela, suspirando e baixando o rosto de seguida – Eu não queria te fazer passar por tudo isto. Viu como agora era bom você estar bem longe de mim?
- Se eu estivesse longe de você, ia estar bem pior! Acredite! – Arthur suspirou e deitou a cabeça no ombro dela.

Lua estava deitada sobre a cama do quarto, na clínica. Daqui a pouco ela ia ser encaminhada para a sala de operações. Enquanto isso, escrevia um pouco no seu diário. Ela já não se importava que Arthur lesse o que ela escrevia, sendo que era tudo sobre ele e o carinho incondicional dele. 

- Estou desejosa de ver o nosso filho. – Lua se referia a Pingo, o cão que Arthur comprou – Ele deve ser tão fofo.
- Ele é muito pequeno e engraçado. Come de mais e depois, quando ele anda, só vemos a barriguinha grande de um lado para o outro. Quando passa um ventinho nas flores, elas abanam e ele resolve morder elas. 
- Que lindo! – Lua quase se emocionou – Você é incrível Arthur!
- Sou? – ele se fez de gabão
- É! – Lua deu certeza – Nunca ninguém se lembraria de realizar os meus desejos da maneira que você realiza. Eu pensei que todos eles eram impossível, em especial casar e ter filhos, visto que somos menores de idade… mas você deu a volta por cima e tornou tudo tão real. 
- Eu te disse que ia realizar todos os seus desejos.
- Pois disse. E está conseguindo! Teve ajuda de alguém?
- Não. Não mesmo! Tudo foi feito único e exclusivamente para você… tudo derivou da minha cabeça e do meu coração.
- Se eu morrer nesta operação, eu morro feliz, sabia?
- Sabia que eu vou te bater se você voltar a dizer isso? – Arthur falava sério

A médica chamou Lua e fez sinal que o tempo com Arthur estava terminado. Ela deu um longo abraço nele e depois um beijo. Sussurrou “estamos juntos”. Depois que ela deixou o quarto, Arthur saiu de lá em lágrimas.

Ele foi trabalhar. Na pausa do trabalho, ligou à mãe dele. Fazia tempo que não conversava com dona Kátia. 

- Alô mãe?
- Arthur, quanto tempo. Tudo bem?
- Mais ou menos… e você, como está?
- Estou bem. Acabei agora de vir da rua, com o seu pai. Fomos ao cinema, acredita? 
- Sério? Nossa, fazia muito tempo que não iam.
- Nem me lembro da última vez. Seu pai anda muito romântico comigo.
- Ainda bem. O amor faz bem às pessoas
- E você e a Lua? Como estão?
- Bem. Na verdade… eu estaria melhor se ela estivesse aqui.
- Ela está sendo operada, não é? Eu mandei mensagem dando uma força.
- Obrigado mãe. Eu fiz uma cena romântica no outro dia, sabe?
- Que bom! É sempre bom demonstrar o amor que sentimos pelos outros
- Mas… eu fiz aquilo porque… mãe, tenho que confessar uma coisa. – Arthur respirou fundo para não chorar. – Eu tenho medo que ela morra. Algo me diz que vai correr mal aquela cirurgia. Mãe… se ela morrer, a minha vida acabou. – o garoto começou a chorar de verdade
- Filho, ela não vai morrer. Pelo amor de deus, não chora. Levanta essa cabeça. Deus está do lado dela e eu estou torcendo muito para que tudo dê certo.
- Eu e ela casamos, sabia? – Arthur tentou controlar a intensidade do choro – Eu passei por uma loja em que estavam fazendo promoções de alianças para casais de namorados. Haviam umas muito engraçadas e eu comprei. Ofereci a ela e falei que estávamos casados. – Arthur suspirou – O sonho dela era se casar…
- Você fez isso porquê?
- Porque… eu sinto que algo de mal vai acontecer. E se ela realmente morrer… bom, pelo menos ela se cas… - Arthur não conseguiu falar mais anda. 

A dor no peito estava o consumindo. O chefe dele mandou ele ir para casa mais cedo e foi dona Blanco quem o foi buscar. Ele realmente não estava bem. 
Ele é daquele tipo de jovens que esconde o que sente. Ele não é capaz de confiar 100% em alguém para poder desabafar. De todos os problemas que ele tem, ele guarda 90%. 

- Seu chefe parecia realmente preocupado com você. 
- É… mas eu estou bem. – Arthur estava de óculos escuros olhando para a rua através do vidro do carro
- Quem é que você quer enganar? – Dona Blanco olhou cinco segundos para Arthur e voltou a atenção para a estrada – Eu sei perfeitamente que está triste, por causa da Lua.
- Estou um pouco sim. Pensei que eu ia conseguir ser forte sabe? Eu devia ter dado mas apoio a ela mas… não consegui. Se eu falasse mais alguma coisa, eu ia acabar chorando na frente dela.
- E que mal tem chorar na frente da Lua?
- Ela já estava nervosa para a cirurgia. E se eu chorasse, ela acabaria ficando pior.
- Pois… talvez você tenha razão. Eu estou calma pois tomei um comprimido para os nervos. Além disso… confio muito nos médicos que estão operando a Lua e sei que eles vão fazer o melhor por ela. Daqui a algumas horas nós vamos ao hospital e tudo vai estar bem. Você vai ver. – dona Blanco sorriu pra ele

Chegando em casa, ele foi directo para o quarto, mesmo sem antes comer alguma coisa. A cabeça dele estava longe. Ele decidiu ver umas fotos antigas que tinha com Lua e relembrar passados tempos bons. 
Arthur deixou muita coisa de lado, só para estar com ela. Ele raramente saí com os seus amigos, mesmo que eles insistam mesmo muito. Mas Anna, Richard, Margarida e Thomas sabem perfeitamente por o que Arthur está passando, por isso não se importam que o amigo não seja 100% presente nas festas que sempre dão.
Nesse preciso momento, ele recebe uma mensagem dos amigos o convidando para sair e espairecer. Eles sabiam que Lua ia ser operada no mesmo dia.

- Não me levem a mal galera, mas estou sem paciência. – ele respondeu por mensagem
- Por isso mesmo cara. Fazia bem você sair e relaxar um pouco.
- Não. Não quero. Fica para uma próxima.
- Mesmo que você fique em casa não vai fazer com que o tempo passe mais rápido. Sabia?
- Sabia. Mas não insistam mais galera. Vão se divertir por mim!


Lua foi encaminhada para a sala de operações por volta das 10:50 da manhã. Ela ia deitada numa maca, sendo empurrada por dois enfermeiros com um sorriso totalmente cativante e apaixonante. Eles faziam Lua rir o tempo todo e se distrair, mas apesar disso, a garota não se livrava de pensamentos ruins.
Quando ela chegou à sala da cirurgia, olhou em volta. Viu tudo pela primeira vez e se assustou com todas as ferramentas que provavelmente iam perfurar o seu corpo. A enfermeira pediu que ela se levanta-se e se deitasse em outra maca, ou melhor, a maca na qual ela vai ser operada.

- Está nervosa?
- Um pouco.
- Tente relaxar. – disse a enfermeira.

Lua deitou na maca e voltou para cima de si vendo os médicos cochicharem algo uns entre os outros.

- Agora nós vamos lhe dar uma coisa que vai fazer você adormecer. Tudo bem? Não se preocupe. 

A enfermeira colocou um pano no rosto de Lua e aos poucos a garota foi adormecendo. Foi como um “boa noite cinderela”. 


Passadas algumas horas, dona Blanco foi chamada à clinica. Arthur fez questão de acompanhar a sogra e consigo levou um ramo de flores para Lua. E também uma novo foto do filhinho deles, o Pingo.
Quando eles chegaram no quarto, Lua estava deitada na cama, dormindo.

Bom, amanhã eu posto um mega capítulo e nos dias seguintes ficaremos com os ultimos capitulos mesmo!
Estão gostando da web? O que gostariam que ainda acontecesse?

8 comentários:

  1. Cris eu já disse q essa web é PERFECT, e eu amo ele de maisss ?!? Se eu já disse, não me importo de repetir de novo, Cris eu AMO essa web, pf posta mais sua Diva ❤️ Como vc consegue fazer web tão Perfeito?!? Continua ❤️❤️

    Ghabbyh

    ResponderExcluir
  2. estou amando a web , eu gostaria que a lua se recupera-se totalmente

    ResponderExcluir
  3. Cris eu AMO demais suas Webs, Eu gostaria que tivesse 2 temporada vai terr? Responde no próximo capitulo pfffffv?
    By: Aninha

    ResponderExcluir
  4. Cris poderia fazer a web mais longa um pouquinho, eles dois casando e tendo filhos!!

    ResponderExcluir
  5. Eu quero que ela fique boa logo, e que eles continuem juntinhos

    ResponderExcluir
  6. +++++++++++++++++++++++++++++++++

    ResponderExcluir
  7. Ameeeeeeeeeeeeeeeeeeeiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
    Posta Mais hojeeeeeeeeeeeeeeee pfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpf

    ResponderExcluir