Don't Stop To Believe

|
Web de Capítulo Único
Escritora: Biia Junqueira/ Beatriz Guimarães Junqueira
Especial de Natal

Lua é uma mulher com seus 25 anos formada em Advocacia e junto com suas melhores amigas Mel e Sophia formaram um escritório, o melhor e mais procurado escritório de Advocacia de Londres, ela irá passar o natal no Brasil que é onde seus pais moram. Arthur um Homem de 28 anos formado em Medicina, mais precisamente em neuropediatria (N/a: Pra quem não sabe quem é formado em neuropediatria cuida do cérebro das crianças, é como se fosse um neurologista infantil) ele tem dois melhores amigos Micael e Chay, ele mora no Brasil que é onde seus pais moram e onde ele passará o natal como sempre.
15 de Dezembro –  Shopping de Londres
-Lu, o que veio fazer no shopping hoje ? –perguntou Sophia
-Soph sua doida esqueceu que nós combinamos de vir pro shopping fazer as compras de natal ? – Lu lhe respondeu
-Liga não Lu a Soph é perturbada da cabeça assim mesmo –Mel
-Nossa que engraçado Melaine –Sophia
-Melaine não –Mel lhe respondeu bravinha
-Chega vocês duas, eu preciso fazer as compras de natal, nos encontramos na praça de alimentação em duas horas ok ? –Lua
-Ok, boas compras pra vocês –Mel
As meninas foram uma pra cada lado do shopping para poderem comprar seus presentes de natal e depois de duas horas estavam todas na praça de alimentação, elas comeram e foram juntas pro AP de Lua
-Bem meninas como sabem eu estou indo pro Brasil daqui a dois dias pra passar o natal com meus pais e vocês, o vão fazer no natal ?
- Eu vou pro Brasil também, como sabe meus pais moram lá também, estou indo passar o natal lá, assim como a Mel –lhe respondeu Sophia
- Bem como amanhã é sábado eu tenho que terminar de arrumar as minhas malas e afins pra viagem e eu acho que só nos veremos depois de amanhã no aeroporto, certo ?
- Sim, porquê ? – perguntou Mel
- Então eu vou dar a vocês hoje os seus presentes de Natal, eu nunca iria me esquecer de vocês meninas, ainda mais na minha data comemorativa favorita, tomem- Lu disse e estendeu um pacote pra cada uma – é apenas uma lembrancinha mas é de coração
As meninas abriram e ficaram maravilhadas com os presentes, logo depois elas deram os presentes que tinham comprado pra Lua e logo foram embora para casa, no outro dia todas três cuidaram de arrumar suas malas e afins, e no domingo de manhã estavam todas no aeroporto esperando para embarcar rumo ao Brasil
-Meninas o que acham da gente abrir um escritório de Advocacia lá no Brasil ? –Perguntou Lua
- Bem Lu não é uma má ideia, acho que já é hora de nós voltarmos pro Brasil, afinal nossa família toda mora lá – respondeu Sophia
-Eu concordo com vocês meninas, a gente poderia ir montando aos poucos assim como fizemos em Londres, as vezes recomeçar é bom
-Então quando chegarmos lá, eu vou começar a procurar um lugar para nós começarmos a montar o nosso escritório
-Ok –disseram Mel e Sophia ao mesmo tempo
 “Passageiros do voo 3871 com destino ao Rio de Janeiro e conexões, informamos que o embarque será feito pelo portão de número nove”
As três tiraram uma foto, postaram no instagram e partiram rumo ao Brasil, mais precisamente Rio de Janeiro
#Com Arthur#
Estavam os três em casa, moravam no Rio de Janeiro desde quando se entendem por gente, hoje moram juntos numa grande casa com três quartos, piscina, churrasqueira e afins, estavam os três jogando vídeo game depois de um dia cansativo de serviço, eles estavam conversando sobre os casos que tinham pego no Hospital
-Caras hoje chegou pra mim um caso de uma criancinha de três anos que ficou órfã num acidente de carro e entrou em coma –Arthur
-E eu que atendi várias mulheres hoje, e cara é cada coisa que me aparece que vou te contar viu –Micael dizia, ele trabalha na área de ginecologia
-Arthur eu atendi os pais da garotinha mas eles não resistiram, eles estavam muito mal e quando nós conseguimos estabilizar o caso deles, eles tiveram uma parada cardíaca –Chay comentava, ele trabalha como clinico geral
-Fiquei com pena do garotinho, o nome dele é Lucca e é muito triste você vê-lo ali naquela cama, pode ser que ele nem acorde mais
-É cara é difícil isso, hoje eu fiz três partos, e um deles era de gêmeos, precisava ver como os pais estavam felizes com o nascimento das filhas –Mika
-Eu acho que todos ficam, não tem como não ficar, o parto é algo mágico –Chay dizia, seu sonho é um dia ser pai
(...)
23 de Dezembro 10:59 –Casa dos Blanco
-Mamãe o que vamos fazer hoje ? –Lu perguntou cansada de tanto tédio
-Não sei filha, que tal irmos a Lagoa ? –Sra. Blanco
-Acho uma boa ideia –Sr. Blanco
-Então vamos logo, amo ir lá, principalmente quando está de dia –Lua
Então os três se arrumaram e saíram, estavam no carro do pai de Lua e estavam passando pelo sinal que acabara de ficar verde, eles não tiveram tempo para nada, uma carreta atingiu o carro em cheio e logo tudo ficou preto
#Horas Depois#
Lua acordou no que ela julgou ser um quarto de hospital, sua cabeça doía mas ela se sentia bem, ela olhou pro próprio corpo e viu que seu braço estava enfaixado e logo se lembrou do que aconteceu, ela apertou no botão em cima da cama pra chamar uma enfermeira e logo ela estava ali parada ao lado de Lua
-O que aconteceu ? –Lua
-Bem, você sofreu um acidente, levou alguns pontos na testa e alguns pontos no braço, mas você está bem –enfermeira
-E meus pais ?
-Não sei de seus pais querida, vou chamar o doutor e ele certamente saberá lhe dizer
-Ok
Logo a enfermeira saiu, e em seu lugar voltou um médico, ela leu o crachá dele e viu Dr. Chay Suede
-Doutor, quando vou poder sair daqui ?
-Daqui a pouquinho, você está bem
-Mas e meus pais ?
-Bem –ele suspirou –seus pais infelizmente não sobreviveram
O mundo inteiro dela desmoronou, e ela já não segurava as lágrimas, estava sozinha no mundo, ele tentou acalma-la mas era praticamente impossível
-P-P-Posso li-ligar pras minhas amigas ? –Lu perguntou soluçando de tanto chorar
-Pode sim, tome meu celular emprestado, o seu foi destruído por completo
Ela assentiu com a cabeça e ligou pras meninas que ficaram chocadas, e tristes pela amiga, até porque também gostavam muito dos pais de Lua, logo as duas estavam no hospital pra dar uma força pra amiga, que continuava a chorar, parece que a ficha ainda não caiu, ela pediu pras meninas prepararem o velório dos pais dela para amanhã pela manhã, e o enterro para amanhã a tarde, as meninas saíram pra arrumar tudo e Chay deu um calmante para que Lua pudesse descansar, ela acordou somente mais tarde, jantou chorou muito mais e só dormiu quando foi vencida pelo cansaço
24 de Dezembro –Véspera de Natal
Lua logo acordou, tomou um café da manhã e recebeu alta, as meninas estavam lá esperando elas, e Lua assim que viu as duas correu para abraça-las e chorou nos ombros das amigas, quando ela ficou mais calma, foi em casa, tomou um banho e colocou uma roupa preta, já havia saído em todos os jornais da cidade, que os pais dela faleceram, ela foram pro local do velório que seria numa igrejinha perto do cemitério e Lu em nenhum momento saiu de perto do caixão dos pais, e ela chorava, todas as pessoas que apareceram no velório eram muito amigos dos pais dela, e a cada história que eles contavam ela chorava mais, chegou a hora do almoço e ela simplesmente não conseguia parar de chorar, as meninas tentavam a todo custo animar Lua ou ao menos tentar fazê-la comer, mas ela não quis nada, só pediu pra ficar com os pais sozinha enquanto todos almoçavam, ela queria se despedir, assim que ficou sozinha ela chorou mais ainda, ficou entre os dois caixões e começou sua pequena homenagem
-Mamãe, papai palavras já não podem descrever como me sinto, vocês são tão importantes pra mim, e eu me pergunto porque meu Deus você os tirou de mim, me deixou sozinha, eu não tenho mais ninguém, eu sei que vocês vão estar sempre comigo, em minhas lembranças e em meu coração, mas vocês vão fazer tanta falta que eu não sei se consigo viver, vocês eram a minha razão para sorrir, e agora eu me sinto perdida, e eu me pergunto, porque eu não fui também ? seria menos doloroso não ? Mas como eu não posso mudar o que aconteceu eu prometo não me esquecer de vocês nunca, agora vocês moram no meu coração, nos meus pensamentos e junto da minha alma, eu amo vocês, e espero que vocês estejam bem seja aonde for –Ela disse em meio a muitas lágrimas, e logo as meninas voltaram para o velório que continuava, era a hora das homenagens, foram muitas as homenagens, e Lua simplesmente não conseguia parar de chorar, a cada vez que ela se lembrava do sorriso da mãe ou até mesmo das broncas do pai ela chorava mais, já era final da tarde, agora seria o enterro dos pais dela, eles caminhavam até o cemitério logo o enterro aconteceu e ela se viu sozinha mais uma vez, agora a ficha caiu
Ela recusou voltar pra casa, ou até mesmo ir pra casa de uma das meninas pra passar o Natal, quando todos finalmente a deixaram sozinha ela começou a andar pela cidade até chegar numa praça que era meio deserta, e pra sua sorte começou a chover, eram oito da noite e ela estava lá na praça, chorando pela perda dos pais e pegando uma bela chuva...
Nove da Noite, não havia ninguém a não ser ela naquela praça, a chuva não dava trégua mas ela não se movia nem um pouquinho, Dez horas da noite e ela continuava imóvel pegando aquela chuva, mas ela não queria voltar pra casa, seria muito doloroso....
#Com os meninos#
Eram Dez da noite, Arthur, Chay e Mika passavam o natal juntos e os pais deles também estavam na casa, eles jogavam conversa fora até que desse a hora de ceia de Natal que seria servida exatamente a meia noite, eles já começavam a ficar sem assunto até que começaram a falar dos casos que pegavam no Hospital
- O Lucca pode acordar a qualquer hora, e quando ele acordar eu vou ficar triste por ele, porque ele não tem mais ninguém, ele só tinha os pais –Arthur
- Cara, eu peguei um caso ontem, aconteceu um acidente de carro e uma moça de 25 anos perdeu os pais, e eu acho que ela só tinha eles, me deu muita pena de vê-la sozinha, espero que ela esteja bem –Chay
- Arthur, se você se apegou tanto ao Lucca porque não adota ele ? –Mika
- Não sei Mika, mas é uma ideia a se pensar, eu até comprei um presente de Natal pra ele
- Cara você já ama aquele garotinho, adote ele, vai ver como vai fazer ele feliz –Chay
- É, eu acho que é isso que eu vou fazer, vou adotar o Lucca
-Oba vou ganhar um netinho –disse a mãe de Arthur
- Você gosta da ideia mamãe ?
- Claro que sim meu filho, eu apoio você em tudo o que quiser fazer meu anjo
- Obrigado mamãe
(...)
Meia Noite, é natal, e a ceia foi servida, os meninos comeram igual dragas ambulantes e logo depois começaram o famoso amigo secreto, e depois a troca normal de presentes, mas quando estavam começando a voltar a conversar o telefone de Arthur toca
#Ligação ON#
Xxx: Doutor Arthur o Lucca acordou, ele acordou
Thur: To indo pra ai
Xxx: Ok
#Ligação Off#
- Gente vou lá no hospital, depois eu volto, não me esperem ok ? –Arthur
- Que foi Arthur ? –Mika
- O Lucca acordou –Thur disse meio bobo
- Vai lá cara, a gente te espera aqui –Chay
Ele correu até o hospital, não esquecendo de levar o presente de Natal do Lucca, e assim que chegou lá no hospital correu pro quarto em que Lucca está internado, assim que entrou no quarto se deparou com o pequeno garotinho chorando
- Hey, o que foi campeão ?
- Eu perdi meus pais não foi ? Ele disse entre soluços
- Sim, perdeu, mas não fica triste, olha eu sei que você deve estar muito triste, afinal é como se estivesse sozinho no mundo, mas eu vim trazer alegria pra você, eu vou adotar você, vou leva-lo pra minha casa e vou mimá-lo
- Sério ? –ele disse já sorrindo
- Sim, eu trouxe até um presente pra você, sabe que dia é hoje ?
- Não sei que dia é hoje
- Hoje é dia de Natal, feliz natal Lucca –Thur disse entregando uma caixa pra ele
Ele abriu a caixa e Thur viu os olhos do pequeno garotinho brilharem
- É lindo, sempre quis ganhar um violão, mas eu não sei tocar
- Eu te ensino campeão
- Oba, obligado
- Olha eu vou falar com o juiz e assim que ele permitir eu levo você pra minha casa
- Eba, e quando eu vou sai daqui ?
- Não sei Lucca, eu vim aqui rapidinho lhe ver, porque eu tenho que voltar pra casa, mas amanhã eu venho ver você ta bom ?
- Ok
Arthur deu um beijo na testa de Lucca e ele logo dormiu, então Arthur saiu do hospital rumo a casa dele e ao passar em frente a uma pracinha ele viu uma moça que devia ter os seus 25 anos e ela estava aos prantos, ele prontamente parou o carro e desceu, a chuva já havia parado, ele chegou perto dela e ela se encolheu mais ainda
- Hey, qual o seu nome ? Porque está chorando ? E porque está aqui sozinha na noite de Natal ?
- M-Me chamo Lu-Lu-Lua Blanco, e você ?
- Me chamo Arthur Aguiar, o que faz aqui sozinha ?
- Não queria ir pra casa
- E porque não ? É noite de Natal
- Porque eu-eu –ela voltou a chorar mais uma vez
- Hey calma Lua, me conta o que houve ? –ele disse abraçando ela –Nossa você está queimando em febre, e precisa trocar esses curativos, mas me diz o que aconteceu com você ?
- E-E-Eu perdi meus pais num acidente de carro –ela disse voltando a chorar
- Quando isso aconteceu ?
- Ontem
- Eu conheço um garotinho de três anos que também perdeu os pais a um tempinho, eu vou adotá-lo, e enquanto eu não levo ele pra casa, vou cuidar de você, vem
- Não, eu vou atrapalhar sua noite de natal, não quero
- Deixe de besteira, não vai atrapalhar, meus pais já foram pra casa deles, e os pais dos meninos também, somos só nós três numa casa, vamos
- E porque eu deveria acreditar em você ?
- Boa pergunta, mas eu prometo pra você que eu vou cuidar de você como se eu fosse um amigo, agora vem, já ta tarde
- Só se a gente passar na minha casa pra mim pegar uma muda de roupa
- Ok, agora vamos
- Ta bom
Ele se levantou e viu que quando ela ia se levantar ela ia caindo então ele segurou ela fazendo seus rostos ficarem muito próximos e eles acabaram se beijando, um beijo calmo, as línguas deles estavam bailando em sincronia e quando o beijo acabou ele segurou ela e foram caminhando lentamente até o carro dele
- Quando foi a última vez que comeu alguma coisa ?
- São que horas ?
- São três e meia da manhã
- Então a ultima vez que eu comi foi ontem no café da manhã
Ele arregalou os olhos
- Você endoidou foi ? Vamos direto pra minha casa, quando chegarmos lá eu vou cuidar de você
Ela não disse mais nada e o caminho até a casa dele foi silencioso, assim que ele estacionou o carro na garagem ele saltou para fora do carro e foi até a porta de Lua e ajudou ela a sair do carro, e assim que entrou em casa Chay e Mika olharam pra ele com um ponto de interrogação
- Demorou Arthur –Mika
- Perai, Lua, o que aconteceu ? –Chay
- Conhece ela ? –Arthur
- Sim Arthur, eu atendi ela ontem –Chay
- Ah sim, vou precisar da ajuda de vocês, Chay pega a sua maleta de primeiros socorros por favor, temos que trocar os curativos dela e Mika será que poderia preparar um lanche pra ela, ela não come desde ontem de manhã
Os meninos arregalaram os olhos, realmente é muito tempo sem comer, então eu levei ela até o meu quarto, e deixei ela tomar um banho gelado, ela tomou um bom banho e vestiu a lingerie que estava usando antes e colocou uma camiseta que Arthur deu pra ela, logo depois ela enxugou os cabelos e voltou para o quarto vendo Mika e Chay se unirem a Arthur no quarto, se sentou na cama e Mika deu a ela o lanche que tinha feito, ela comeu o lanche e logo Arthur estava trocando os curativos da testa e do braço dela, quando acabou Chay e Mika tinham se retirado do quarto, ela ainda demorou um pouco pra conseguir dormir sua cabeça estava a mil e ela só queria chorar, e as seis da manhã ela finalmente sucumbiu ao sono, assim como Arthur que estava sendo atencioso com ela
#Horas Mais Tarde#
Lua acordou as três da tarde e sua cabeça doía, ela se lembrou de tudo o que aconteceu e se lembrou também de Arthur ter sido fofo com ela, cuidou dela e ainda cantou pra ela dormir, mas ela não poderia continuar ali, ao mesmo tempo que não queria voltar pra casa e se lembrar ainda mais de seus pais, automaticamente lágrimas começaram a sair de seus olhos, e Arthur entrou no quarto preocupado com ela
- Hey pequena, o que foi ?
- Eu não tenho ninguém Arthur, absolutamente ninguém, eu não tenho mais família
- Hey, olha pra mim –eles se olharam nos olhos –Você tem a mim pequena, quando você achar que não tem ninguém e que está sozinha, se lembre, você tem a mim, e eu sei que não é a mesma coisa e que eu sou um completo estranho a você, mais saiba que eu estou aqui, pode contar comigo
- Obrigado Thur –ela disse abraçando ele
(...)
Ele deixou ela em casa, e ela por sua vez estava empacotando as roupas dos pais para doar para os necessitados, ela iria vender a casa e comprar um apartamento só para ela, passou o dia empacotando as coisas de seus pais e se lembrando de momentos inesquecíveis de sua vida, quando acabou ela tomou um bom banho e se jogou na cama, logo apagou completamente
#Uma semana Depois#
Lua tinha acabado de se mudar, e estava desempacotando as coisas com ajuda de seu novo amigo Arthur, as meninas estavam dando muito apoio a amiga e elas já haviam até começado a montar o novo escritório de advocacia para elas, e Arthur conseguiu a guarda de Lucca, estavam os sete (Arthur, Lua, Lucca, Chay, Mika, Soph e Mel) no novo apartamento de Lua, era lá que iriam passar o ano novo, eram exatamente onze e cinquenta e nove, faltava apenas um minuto para a virada do ano e Arthur queria lhe fazer uma surpresa
- Lu vem cá quero te falar uma coisa
- Fale Thur
- Bem eu sei que a gente se conheceu faz pouco tempo e que você ainda está numa depre por causa dos seus pais mas, eu me sinto tão bem perto de ti e me sinto tão atraído por você que eu queria te pedir uma coisa
- E o que seria ?
- Lu namora comigo ?
Ela não respondeu nada, ela simplesmente o puxou pra um beijo e a virada do ano ocorreu, eram fogos de artificio para todos os lados, e todos batiam palmas pro casal, Sophia e Mika estavam aos beijos assim como Chay e Mel, e Lucca batia palminhas pros três casais e seus olhinhos brilhavam ele ganhava ali uma nova família
#3 Anos Depois#
-Lucca pegue a chupeta de sua irmã lá no quarto dela –Lu pedia ao menino enquanto dava de mamar a pequena menininha de dez meses
Era 23 de Dezembro, hoje faziam três anos que ela havia perdido os pais num acidente de carro, logo pela manhã assim que acordou ela foi até o cemitério visitar a lápide dos pais, logo depois voltou para casa pra cuidar das crianças e do marido, muita coisa aconteceu nesses três anos, Lua e Arthur começaram a namorar e depois de um ano e meio de namoro Arthur pediu Lua em casamento e ela prontamente aceitou, o escritório de advocacia das meninas ia muito bem e agora era o escritório mais procurado do Rio de Janeiro, e o casamento deles ia de vento em poupa, se casaram três meses depois e cinco meses depois de casados descobriram que iriam ter o segundo filho, sim o segundo porque Lucca fora adotado por eles, e era muito amado pelos dois, quando a noite caiu logo o pessoal chegou, Mika e sua esposa Sophia junto com a filha Anny de 1 ano, e Chay e Mel sua esposa e John de 1 ano e seis meses filho dos dois, e também os pais de todos, passariam o natal juntos
(...)
Eles tinham acabado de jantar, e agora seria a troca de presentes, logo após a troca eles conversaram mais um pouquinho e todos foram dormir e logo após horas de um amor ardente Lu sussurra pra Arthur
- Você e as crianças, são minhas razões de viver, e você me salvou, obrigada, se não fosse você eu já não sei o que estaria fazendo agora, Eu Te amo
-Obrigada você minha pequena, você me deu motivos para sorrir, você me fez lembrar o que eu sempre quis, que é uma família para mim cuidar, Eu te amo ............
FIM 

Post Programado, Hey Feliz Natal 
Beijinhoooooos
Biia Junqueira

6 comentários:

  1. Ameeeeeeeeiiiiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  2. Chorei litros e mais litros... PERFEITA *--*

    ResponderExcluir
  3. Chorei. simplesmente,chorei.

    ResponderExcluir
  4. mega mega mega fofooooooooo quero ter uma historia assim (tirando a parte dos pais )

    ResponderExcluir
  5. mega mega mega fofooooooooo quero ter uma historia assim (tirando a parte dos pais )

    ResponderExcluir