Plano B II - Capítulo 21

|

Lua Pov.


Acordei sentindo minha cabeça doer. Não me lembro de quase nada. Apenas de ter ficado nervosa suficiente para arrumar as meninas e ir até o estacionamento.


Flash back on ~


O propósito era ir até o hospital, mas o que aconteceu foi que, antes que eu pudesse entrar no carro, olhei pra traz e não vi Mag e Estrela.


- Meninas! Cadê vocês? - chamei. - Maggie e Estrela, isso não é brincadeira que se faça ouviram? Voltem já aqui! - gritei. - Meninas, eu estou com pressa!

- Não tem com o que se preocupar elas estão bem comigo! - olhei para o lado e vi uma mulher segurando a mão de Maggie e Estrela que tentavam se soltar e tinham duas mordaças na boca.
- Isso não é brincadeira que se faça! Me dá minhas filhas!
- E se eu quiser elas pra mim?
- VOCÊ PODE SER PRESA! - andei até ela.
- Ah chega de teatro! Pega elas! - falou com alguém atras de mim e quando eu virei tudo ficou escuro.

Flash Back off~


- Olha só quem acordou.. - perai, eu conheço essa voz.

- Você é a.. ?
- Eu mesma benzinho.. - pegou no meu queixo. Tentei levantar mas eu estava presa e meus braços acorrentados. Olhei pela casa e encontrei Maggie e Estrela que dormiam em um colchão afastado.
- O que você fez com elas vadia? - gritei.
- Eu? Nada! Quem fez foi o meu amigo, que está ali fora.. Deu apenas um remédinho para dormir.
- Como você pode fazer isso comigo? Com o Arthur? Você parecia tão normal..
- Parecia! Mas nenhum homem nunca, nunquinha fez o que o Arthur fez comigo.. Eu me senti indesejada..
- Nem eu nem elas, temos culpa disso!
-São uns anjos não acha? – perguntou a vagabunda, passando a mão no rosto de Estrela que dormia calmamente.
 -Não encosta na minha filha sua vadia!-Gritei, ela levantou do colchão e deu um tapa estalado no meu rosto.
-Fica quieta, se quiser sair viva daqui e nunca.mais.ouse.me.chamar.de.vadia . –Falou ela pausadamente, enquanto acertava chutes em cheio no meu estômago me fazendo gritar.
-É fácil bater em alguém quando essa pessoa está presa, eu juro que quando sair daqui, eu acabo com a sua cara sua vadia sem coração.  –Recebi outro tapa no rosto.
-Olha só quem acordou, minha princesa. –Ela caminhou até o colchão, pegando Maggie no colo.
-Poquê minha mamãe tá assim? –Perguntou Maggie, esfregando os olhinhos.
-Porque ela mereceu princesa, agora vamos pedir pizza.
-Não, eu quelo minha mãe. –Choramingou Maggie.
-Você vai vim comigo, se não quiser ficar machucada que nem ela.
-Não ouse bater na minha filha.

Ela saiu do quarto, enquanto Maggie choramingava baixinho no seu colo, deixando só eu e Estrela que dormia serenamente. Arthur, acha a gente.. Pelo amor de Deus!


Arthur Pov.


Eu estava a caminho da delegacia. Já havia ligado a todos para avisar sobre o acontecido, todos ficaram chocados e Chay iria me encontrar na delegacia, já que Micael havia ficado em casa para ajudar a Sophia a cuidar do Miguel, do Gabriel e da Malu, que eu havia deixado lá.

Antes de sair, peguei o bilhete, uma foto de Lua com Maggie e Estrela, para que elas pudessem ser identificadas.

- Minha esposa e minhas filhas foram sequestradas! - falei ao delegado.

- E você acha isso por quê? - expliquei tudo, desde quatro anos atras. - Você tem alguma suspeita de alguém?
- Que eu lembre não..
- A Perola! - falou Chay, entrando na sala.
- Fala cara.. - abracei ele.
- Eu sinto muito Arthur!
- Então, quem é essa Pérola?
- É uma ex namorada minha, uma vez ela fez a Lua quase perder os bebês.
- Ela é perigosa?
- Não sei.. Olha só, eu não sou nada sem minha esposa e minhas filhas, você precisa achar elas!
- Senhor Aguiar, nós faremos o possível para encontrá-las logo.

Por dias o que eu ouvi foram apenas palavras de consolo e carinho. Eu não tinha mais vontade de sair de casa, só ficava eu e a Malu. Eu dava um sorriso uma vez ou outra por causa das palhaçadas que ela fazia. Mas a verdade é que nós dois sentíamos saudades, um mês que se passou sem notícia delas. Um mês sem ouvir a voz de Lua e sem as brincadeiras que Maggie e Estrela aprontavam. Descobri que Perola não tem nada a ver com o sumiço da Lua. É uma outra pessoa, que eu nem imagino quem seja.

Meu celular estava na delegacia, para que se acontecesse alguma ligação eles pudessem rastrear.

Lua Pov.


Um mês nesse inferno. Um mês sem ver o Arthur e a Malu. Um mês sem comer direito. As vezes Giovanna nos dava comida, e quando dava, era um mísero prato com Arroz, feijão e carne moída, que eu sem nem duvidar oferecia todo as minhas pequenas. Giovanna havia me soltado para que eu pudesse cuidar das meninas, mas o quarto que a gente estava era todo fechado e nem luz tinha direito, apenas um colchão, um sofá e um banheiro.


- Nossa! Mas você vai estar horrível hein?- Giovanna falou olhando pra mim.

- Um mês sem me alimentar direito, você queria o que?- falei com nojo. - Me diz uma coisa, o que você ganha com isso? O amor do Arthur não é.. Afinal, até se eu morrer ele vai me amar..
- Cala a boca! - me empurrou, e eu por estar fraca demais caí no chão.
- Não bate na minha mamãe!- Maggie falou e Giovanna lhe deu um tapa no rosto. Me levantei rapidamente e lhe empurrei. E eu juro, não sei da onde eu tirei forças pra isso.
- NÃO ENCOSTA NA MINHA FILHA VADIA! - lhe dei um soco no estômago. De repente, sinto duas mãos fortes me puxarem pra trás. Era um dos capangas da Giovanna, o que ficava vigiando a gente.
- SEGURA ELA! - ela gritou. 
- Não toca nas minhas filhas, você me escutou?
- Ok, eu não vou fazer nada! Só porque logo todas vocês morrerão. -ela saiu da sala. - E pode largar ela! -O homem me largou e eu pude ver o telefone em seu bolso. Fiz um sinal pra Maggie e ela o distraiu, fingindo que tinha caído, enquanto Estrela que tentava pegar o celular em seu bolso e eu olhava pra porta, vigiando. 
- PRONTO, LEVANTEI! - Maggie falou alto. Atras do homem Estrela dava mini pulinhos com o celular em sua mão. 
- Eu vou no banheiro. Não encosta nelas! - passei por Estrela e peguei o celular disfarçadamente e fui para o banheiro. 
- Arthur! - disquei o número do celular dele e liguei.

Ligação on~


- Arthur meu amor! Socorro! - falei baixo.

- Aqui é da polícia, quem fala é Lua Blanco? 
- Sim, eu tenho que ser rápida. Estou no banheiro.
- Um segundo, estamos rastreando a ligação. Está todo mundo bem?
- Sim, eu só estou um pouco desidratada.  
- Logo estamos chegando ai..
- Eu vou desligar.
- Espera, quem está por traz de tudo isso?
- Giovanna Lancellotti. 
- Obrigado. 
- Venham logo, por favor!

Ligação off~


Apaguei a ligação e sai do banheiro. Por sorte o idiota não estava mais lá. Coloquei o celular em cima da mesa e fui pra perto das meninas.


- Conseguiu mamãe?
- Consegui meus amores, logo vamos sair daqui!
- Eba! Falou com o papai?
- Não. Com o policial.

Chay Pov.

Eu não podia ter recebido uma notícia melhor. Haviam encontrado minha baixinha. Ligaram pra casa do Arthur e ele não atendeu. Hoje ele estava mais depressivo do que os outros dias, até tinha pedido para Mel cuidar de Malu, porque ele não estava em condições. Cheguei na casa dele, e bati na porta. Nada. Bati de novo; nada. Entrei em casa, silêncio total, entrei nos quartos e tudo no mesmo estado. Mas me lembrei da janela, que dava acesso à varanda e fui até lá. Me deparei com aquela cena forte. Aquela que nunca na minha vida eu esperava. Aquela que em casos trágicos, o único caminho de saída que as pessoas vêem é aquele: o suicídio  Arthur estava sentado na varanda, com as pernas para fora. se ele caísse  seria morte na certa. Mas pior que isso, era o facto de ele ter uma arma na mão.
- Não, você não vai fazer isso! - dei um passo em frente. Eu queria lhe impedir de fazer merda.
- Vai para trás Chay! Sai daqui! - ele gritava, chorando. Estava louco. O que ele devia estar pensando?
- Cara, você tá errado
- Não  não to. Eu sou o culpado de tudo. Eu sou um erro nesta vida, sou uma pessoa que... - ele nem sabia como se descrever - Tenho as mulheres da minha vida longe de mim e tudo porque fui teimoso. Eu podia ter resolvido isto indo ao tal encontro mas...
- Cara, a Lua...
-EU SEI, A LUA TÁ LONGE ASSIM COMO AS MINHAS FILHAS E É POR ISSO QUE EU QUERO MORRER! SABE PORQUE? PORQUE A MALU VAI... - ele levantou a arma em direção à cabeça e fechou os olhos.
- Não faz essa merda!- ele gritou - A LUA TÁ VIVA. ELA APARECEU!

Só porque vocês pediram.. Mas eu to tãao sem inspiração ultimamente!
Nesse capítulo eu tive ajudas da Cris (parte final) e da Alice (parte em que a Giovaca bate na Lua). Obrigado meninas <3 
Estou gripada, péssima. E ainda to sensível, com saudades da minha mãe, que só volta de viagem na sexta, mesmo assim eu fiz um esforço e postei! Comentem, por favor! Comentem muuuuito! 

10 comentários:

  1. Amo essa web posta mais . Vc escreve muito.bem . Parabéns

    ResponderExcluir
  2. Melhor web do mundo :)))

    ResponderExcluir
  3. A web ta cada vez melhor! Parabens!

    ResponderExcluir
  4. Cara vc é espetacular, vcs tb meninas, uma das melhores web q já li!

    ResponderExcluir
  5. Caraca! Muito bom amei o capítulo. Parabéns ;)

    ResponderExcluir
  6. Ameeeeeeeiiiiiiiiiii!!!!!!!!!!!!!!
    Posta Mais hojeeeeeeeee pfpfpfpfpfpfpfpfpfpfpf

    ResponderExcluir
  7. Vc está arrassando na web!!!Parabéns!!!

    ResponderExcluir