O tempo cura tudo - 29º Capítulo

|

Passei mal com esta foto



POV NARRADOR

Se já era difícil ter de encarar Lua risonha para o celular, enquanto trocava mensagens com Lucas, imagina o que era ter de aturar eles dois conversando à hora do jantar.

- Vou trazer uma pessoa cá a casa hoje.  
- Quem? – perguntou Arthur. Ele tinha acabado de chegar a casa depois de um dia inteiro de trabalho. Guilherme assim que o viu veio gatinhando pedindo colo. 
- Um amigo de trabalho. 
- To nem ai. – ele se mostrou despreocupado, apesar de estar roído de inveja. 
- Quer saber? – Lua colocou as mãos na cintura – Ele não é só meu amigo não!
- Então? – Arthur a encarou, se levantando do sofá com o Guilherme
- É meu namorado!
- Ahh, que otimo. – ele riu sarcástico – Você passa os dias fora de casa, perde o crescimento do seu filho para ficar com um cara? Que lindo! Olha quanta responsabilidade. Você não vale nada, nada! – Arthur gritou
- E você não sabe do que fala! – Lua sabia que estava errada, mas não se ia deixar ficar – Até parece que devo ser a única a ter arranjado alguém. Você também deve ter as suas vagab…
- Não fala do que não sabe!
- Ahh não? Então as mensagens que você troca todos os dias? Vai me dizer que não é com uma qualuqer?
- Se quiser pode ver o tipo de assunto que eu falo com elas. São todas colegas de trabalho. Eu não troco mensagens porcas como você
- E desde quando eu troco?
- “Ahh loira, eu fico já excitado só de imaginar você tomando banho”! Me poupe Lua! esse cara é um porco, pedófilo que se quer aproveitar de você
- Pedófilo? Olha como fala! Ele tem apenas 5 anos a mais que eu. Não é caso para fazer um drama desses
- Você nunca gostou de garotos mais velhos
- Porque ele não é garoto, ele é homem! – a cada resposta que davam, eles se aproximavam mais um do outro. Mas estavam com tanta raiva que nem se apercebiam disso. Guilherme olhava para os dois e ficava cada vez mais assustado
- Sabe qual é o meu mal? – ele olhava nos olhos dela – É te amar tanto apesar de você não merecer. Ninguém, a não ser eu, te ama tanto. Ninguém. Eu posso não te dar jóias caras, posso não te dar vestidos todas as semanas ou te levar a jantar todos os dias, mas o que eu tenho e esse cara não, é o amor! – Guilherme começou a chorar. Lua engoliu seco com o que tinha acabado de ouvir. Arthur pegou nos seus ténis e ia arrumar… - Se esse cara entrar aqui em casa hoje, eu saiu de casa e você nunca mais me vê! Acredite no que eu estou lhe dizendo! – e mais uma vez, Lua engoliu seco

Lua tentava inventar desculpas para Lucas não vir à sua casa, mas ele insistia tanto que ela não tinha colo dizer que não.
Arthur estava terminando o banho quando a campainha tocou. Ele sabia que o tal cara ia vir à sua casa pois viu Lua empenhada de mais na cozinha. Ele queria fazer um escândalo, mas não queria assustar o seu filho. 
Ele saiu do banheiro e encarou Lucas com um ar de “morre diabo”. Lucas deu de ombros e foi para a cozinha. Lua e ele pareciam animados. 

Arthur pegou numa mala e arrumou umas roupas. Enquanto arrumava, chorava. Chorava de raiva. Pegou um papel e uma caneta e começou a escrever o que lhe ia na alma. Parecia um verdadeiro testamento.
Guilherme foi engatinhando até Arthur e ele pegou o filho ao colo. Deu-lhe um verdadeiro abraço, bem apertado e encheu o rosto dele de beijos.

- Ninguém mais do que eu te ama neste mundo. – as lágrimas insistiam em cair – Nunca se esqueça de mim pequeno, viu? Te amo muito! O pai vai dar um tempo de tudo, menos de você que estará sempre comigo. Por favor, me entenda. Eu não aguento ficar aqui. Se continuar a ver as mesmas coisas que vi nesta semana, eu vou acabar cometendo uma loucura irreversível. Nunca esquece que eu te amo, sim? – encheu mais uma vez o rosto dele de beijos – Vai com a mamãe, vai. – sorriu, embora que ainda esteja chorando.

Como é claro, Guilherme não entendeu nada, mas fez o que o pai lhe pediu: foi com a mamãe e ficou inquieto no colo dela. 
Arthur pegou a mala e olhou para todos os cantos da casa. Cada um tinha a sua história. O quarto, onde pela primeira vez se amaram. A sala, onde passavam a tarde abraçados vendo filmes e se beijando. A cozinha, onde deram eternas gargalhadas quando a comida não saia bem. E claro, o quarto do Guilherme que nem merece explicação por ser tão obvio. Sempre tinha os lugares que ficaram marcados pelas tragédias, mas é acho que não deve ser lembrado.

Atravessou o corredor, olhou uma ultima vez para a sala e abriu a porta de casa. Lua estava tão entretida às gargalhadas com Lucas que nem se deu de conta que Arthur tinha passando pela entrada da cozinha, assim muito rápido com a mala. 
Quando ele tinha a mão na porta, olhou uma vez em direcção da cozinha. Uma lágrima caiu e um suspirou se deu.  Algo vindo dos deuses, vez Lua olhar para a porta e ver Arthur chorando e saindo. Ele bateu com a porta bem forte e Lua estremeceu e levantou da cadeira muito rápido.

- Arthur! – o chamou – Não, isto não aconteceu! – Lua foi até à porta, abriu e nem viu mais rasto nenhum de Arthur.
- O que foi loira? – Lucas seguiu ela – Ele foi embora?
- Foi… - Lua estava contendo o choro. – A culpa foi minha.
- Veja pelo lado positivo. – ele sorriu safado, rodou ela e a abraçou – Ao menos ele não nos vai incomodar mais e poderemos ser felizes para sempre. Esta era a melhor altura pra você se mudar para o meu apê, não acha?

No final do dia, Lua foi para o quarto com o Guilherme ao colo. Lua tinha desabado em lágrimas assim que Lucas se despediu dela e foi embora. Estava à exactamente 50minutos a chorar compulsivamente. 
Sentou na cama, com Guilherme por cima de si e encostou a cabeça sobre o travesseiro/almofada. Sentiu algo lá e afastou para ver. Era uma carta. 

“As decisões foram tomadas assim como eu prometi. Você não me respeitou, não respeitou os meus sentimentos e pensou que eu falava da boca para fora. Eu sei. Eu sei que não fui o melhor namorado e nem estive perto disso. Eu não te dou coisas caras, nem digo coisas lindas da boca para fora. Tudo o que eu digo é de coração e tudo o que eu te dou tem significado. Porque ao menos eu não te compro com objectos caros. Você se deixava levar pelas minhas coisas porque sentia que era o máximo que eu podia lhe dar. Eu não sou rico, não podia te dar coisas do outro mundo. Mas isso não é importante agora.
Sai de casa, assim como à horas atrás prometi, porque é difícil para mim ver a mulher da minha vida com um cara que lhe compra com jóias. É difícil ver alguém se “apaixonar” com um simples colar de pérolas ou uma pulseira de ouro branco. Sai de casa para poder pensar sobre a minha vida. Sai de casa para te esquecer porque realmente você não me merece. Não merece que eu sofra de amor por você e não merece que eu te suplique para que me perdoe. Eu realmente tenho pena que as coisas entre nós não tenham dado certo. Mas se é com esse cara que você acha que vai ser feliz, que seja. Felicidades para os que se amam e que muitas mais jóias venham.
Vim para um lugar longe e em breve estarei de volta. Só espero te esquecer neste dias. Ahh, mais uma coisa. Esqueça de mim, dos momentos lindos que passamos e esqueça que eu te amo também. Mas não se esqueça que te um filho.”

Lua caiu em si. Viu que realmente ele tinha razão em cada palavra que disse. Arthur estava certo, mas agora era tarde de mais. Lua realmente se sentia atraída por Lucas mas…

(…)

Enquanto trabalhavam, numa quinta-feira à tarde, Lua arrumava a secretária de Lucas. Mexia em documentos, papeis importantes e em capas com arquivos. Quando ia arrumar esses papeis nas gavetas, abriu uma e se assutou com o que viu. Uma foto de família. Ele estava ao lado de uma mulher que tinha um bebé ao colo e ele também tinha um bebe ao colo. Pareciam ser gémeos. Eles pareciam uma família feliz, apesar da mulher não estar com um ar de felicidade, assim como ele.

- Lua, eu precisava de… - ele entrava na sala de trabalho e viu Lua com a foto na mão – Porque está mexendo nisso? Eu pedi apenas para arrumar a secretária. – bruscamente, ele tirou a foto da mão dela 
- Quem são?
- Porque não faz apenas o que lhe pedem?
- Quem são eles Lucas? – Lua disse num tom de voz mais alto
- Ninguém de importante. – ele guardou a foto na gaveta e depois trancou
- Claro que é Lucas! – Lua gritou – É a sua família? Você tem família? Você é casado? – Lua fazia pergunta atrás de pergunta
- Claro que não! – ele gritou, mentindo – Ela é minha irmã e esses são os meus sobrinhos
- Não parece nada!
- Porque acha que eu estou de má cara? Porque acha que ela aparenta o mesmo? Porque nos odiamos! – Lua não estava a acreditar bem naquela desculpa esfarrapada, mas deixou se levar com o beijo seguinte

(…)

Era natural aos 7 ou 8 meses que as crianças chorarem devido às dores terríveis por causa dos dentes. Lua já estava acostumada a ouvir todas as noites aquele choro e por isso mesmo quis tirar uns dias para dar mais atenção ao filho. 

- Filho, vem cá. – Lua arranjava o café da manhã e esperava que Guilherme viesse engatinando da sala até à cozinha, mas se surpreendeu quando viu o pequeno com as mãozinhas no ar andando em pé. Chegando à cozinha, ele caiu no chão, mas Lua fez uma festa e foi lhe pegar ao colo, fazendo ele não chorar – Amor da mamãe! – Lua beijou e abraçou o filho até não conseguir mais – Anda mais para a mamãe ver, anda amor. Vem… - ela o chamava para ele poder andar mais um pouco. Mas estava cansado e se recusou a andar, sentando no chão e cruzando os braços. 

- "A Lua vai ficar gravida do Lucas"
- "Faz o Arthur ter acidente de carro"
- "Sua web está igual às outras" NÃO, NÃO, NÃO!

Gente, relaxem ahaha eu sou original tá? 

10 comentários:

  1. Posta mais um hj pleeeeease. Muuito boa sua web .

    ResponderExcluir
  2. posta mais hj pf pf pf. Morrendo de curiosidade...

    ResponderExcluir
  3. Nunca vi nenhuma outra web igual a essa ela é totalmente diferente estou amando essa web! ela é ÚNICA!

    ResponderExcluir
  4. Posta +++++++++++++++++++
    Ameeii *-*
    Não faz a Lua ficar grávida do Lucas :)

    ResponderExcluir
  5. Nossaaa cris, eu li esse capitulo escutando Cicatriz - manu gavassi e tipo a letra combinou com o capitulo todinho haha

    ResponderExcluir
  6. faz a Lua ver o Lucas com a sua familia num parque e perceber que foi enganada por ele este tempo todo

    Ana

    ResponderExcluir
  7. faz o Gui sentir saudades do pai e rejeitar a Lu por ela nao estar com ele tanto tempo, ela tem que perceber que o Arthur é que é o verdadeiro amor dela
    ass Sophia

    ResponderExcluir
  8. amando mt a web
    super original e perfeita
    posta mais pf, esse Lucas é um cafajeste, a Lua tem que abrir os olhos e perceber que o amor não se compra com jóias, presentes, jantares .... e sim conquistasse com pequenos gestos de carinho como o Arthur fazia

    ResponderExcluir
  9. Mais hj pff see nao eu vou ter um infarte

    ResponderExcluir