“Tudo por uma promessa” - 45º Capitulo

|

POV NARRADOR


E passou mais uns dias em que Arthur só via aquelas paredes brancas e aquelas pessoas de farda branca que cuidavam dele e o examinavam a toda a hora, dizendo o que nos próximos dias, em casa, o que ele teria de fazer e também o que não podia fazer.
Ele estava cansado de todos os dias ouvir as mesmas coisas, mas Lua o acalmava falando que seria para o bem dele.

Lua: calma meu amor, é hoje finalmente que voce sai daqui.
Arthur: mas será que vai ser bom eu ir para casa?
Lua: claro… - sorriu – por que não seria? Voce queria tanto sair daqui
Arthur: eu sei… mas vai ser difícil. Eu não consigo…
Lua interrompe: não pensa nisso! – pegou a mão dele, tentando o acalmar – Voce vai recuperar e vai voltar a andar.
Medico chega: bom senhor Arthur, já pode finalmente ir para casa. Muito descanso no dia de hoje, porque amanha voce vai começar a sua fisioterapia e acredite que vai ser difícil para voce, mas voce é jovem e vai conseguir com certeza sair dessa. Dentro de um mês, temos outra consulta, para vermos as suas evoluções. Melhoras.
Lua e Arthur: obrigado.

Entraram no quarto duas enfermeiras que ajudaram Arthur a levantar da cama e colocaram ele numa cadeira de rodas. Arthur ficou pensativo assim que sentou lá, e Lua ficou disfarçando as lagrimas que sentiu rolarem pelo seu rosto, ao ver o seu marido naquele estado.

Arthur foi levado por um funcionado até ao carro do Leo, seu pai, que estava à porta do hospital, esperando ele.
De novo, Arthur foi ajudado a entrar no carro e foi até à sua casa, onde vários amigos o esperavam, de rosto baixo.
O caminho todo, ele foi sem falar. Apenas naquele carro se ouviam as vozes de Leo e Lua.

Leo: mas voce precisa de boleia para amanha? Se voce quiser eu vou com voce à consulta de gravidez.
Lua: não, eu vou pedir à Mel. Mas ainda não tenho a certeza, porque não queria deixar o Arthur sozinho.
Arthur: eu sei me cuidar! – disse meio ofendido. – Pára de falar de mim como se eu não estivesse aqui! Eu não sou nenhum bebé, nem nenhum boneco. Sei cuidar de mim – disse irritado
Lua: Arthur, eu estou apenas te zelando…
Arthur: mas eu sei cuidar de mim! – falou arrogante

E desde esse momento, até chegar à casa, mais nada se ouviu da boca dele.
Chegaram em casa, Leo o ajudou a sair do carro e empurrou a cadeira de rodas dele, até casa. Lá, Guga abriu a porta e quando Lua, Leo e Arthur entraram viram alguns conhecidos lá, esperando Arthur…

Katia: oi meu filho – abraçou ele
Arthur: oi mae – retribuiu o abraço
Katia: que bom que voce voltou
Guga: fala parceiro! – deram um aperto de mãos – muita força cara, voce vai sair dessa.
Sophia: melhoras Arthur – cumprimentou o amigo
Mica: fala bebé – riu e abraçou o amigo
Arthur: obrigado a todos.
Lua: bom, eu vou trocar a minha roupa e já desço
Mel: mas voce está bem Lua?
Lua: só estou com um pouco de calor
Mel: eu vou com voce ao quarto – as duas subiram
Arthur: tava com saudade dessa casa – olhou em redor
Katia: Arthur, eu e o seu pai contratamos uma empregada para trabalhar aqui na vossa casa. Agente vai tratar das despesas. Com voce nesse estado e a Lua gravida, não tem como não ter alguém aqui a maior parte do tempo
Arthur: mas mae, voce e o pai não podem pagar, vocês precisam desse dinheiro
Leo: filho, deixa de ser teimoso assim. Agente vai te ajudar nisso
Arthur: so tenho então a agradecer vocês – sorriu – vocês são os melhores pais do mundo
Chay: ohww, que fofo – fez aquela voz estranha
Arthur ri: deixa de ser tolo

Todos os amigos ficaram ali a tarde inteira, fazendo com que o tempo passa-se mais rápido e assim o Arthur se distraísse para não pensar tanto nos seus próximos meses ou mais de relação seria com a cadeira de rodas. Não era motivos para graças, não mesmo, mas se não pensarmos assim, as coisas vão parecer ainda pior do que já são.

(…)

Arthur: mas o que voce estava sentindo mesmo?
Lua: uns calores apenas… mas já estou bem. – sorriu, saindo da cozinha com um copo de agua
Arthur: mas a Mel falou que voce ficou branca e sem ar…
Lua: a Mel e a sua grande boca! – reclamou – Eu passei mal sim, mas já estou bem. Amanha eu vou à consulta dos 4 meses e vou perguntar à medica que sintomas são esses
Arthur: será de preocupação?
Lua: talvez… eu não sei.
Arthur: a culpa é toda minha
Lua: não é não…
Arthur: é sim! – afirmou ele – eu sou o causador de todo o mal que está acontecendo nessa gravidez a voce – falou com raiva de si mesmo
Lua: não pensa assim… voce não teve culpa de nada.
Arthur: droga! – bateu com a mão na sua própria perna
Lua: não quero te ver assim – disse, sentando no sofá, ao lado dele – te ver assim é que me deixa nesse estado.
Arthur: eu vou tentar não ficar assim na  sua frente
Lua: nem na minha frente, nem em lado nenhum. Entende que voce é jovem e vai sair dessa. Voce tem de apenas ter fé
Arthur: com voce do meu lado, eu sei que vou conseguir – sorriu, pegando a mão da menina

Enquanto a Lua fazia o jantar na cozinha, Arthur andava com a cadeira de rodas pela casa, tentando se acostumar a isso.
Era difícil de se adaptar para um garoto como ele que nunca teve problemas com a saúde, do nada, deixar de andar, tipo, do dia para o outro, e agora ter de possuir uma “melhor amiga” digamos assim, como essa cadeira de rodas.

Arthur: eu vou tentar me acostumar a isso – disse chegando na cozinha – vou tentar ver o lado positivo das coisas, ao invés de ficar reclamando… isso só piora a tua saúde, a minha e a do nosso bebé.
Lua: ainda bem que voce entende isso – disse em cima do balcão, comendo uma fatia de bolo que a mae do Arthur trouxe
Arthur: esse bolo não era suposto ser para mim?
Lua ri: sabe o que é? – saiu de cima do balcão, indo para o lado de Arthur – é que o seu filho aqui – apontou para a barriga – pediu bolo – riu
Arthur ri: tolinha – pegou a mao de Lua – vai ser tao difícil agora não te poder abraçar mais…
Lua: quem disse que voce não me pode abraçar?
Arthur: não vai dar jeito…
Lua: claro que vai!
Arthur: mas como? – pensou – já sei! Senta no meu colo
Lua: não amor, eu estou pesada e isso vai te machucar
Arthur: se machucar, eu te aviso
Lua: avisa mesmo?
Arthur: aviso – sorriu
Lua: tá – Lua sentou devagar no colo dele, com medo dele sentir alguma dor – e ai?
Arthur: 0% de dor – sorriu e abraçou a menina – tinha saudade disso!
Lua: eu também – retribuiu o abraço – pensei que nunca mais chegava o dia de eu te ver aqui em casa. Ficar aqui com a Mel foi ótimo, mas eu prefiro a sua companhia
Arthur: a Mel ficou aqui sempre?
Lua: hum hum… desde que voce ficou lá no hospital, em coma, ele veio “morar” aqui. Ela me fazia esquecer dos problemas quando eu estava triste. Ela foi uma grande amiga para mim – sorriu – ela e a Sophia.
Arthur: tenho de agradecer a elas então – sorriu

O celular tocou…

Lua: eu vou lá – saiu do colo do Arthur e foi para a sala, pegar o celular
Arthur: quem é? – falou indo atras

LIGAÇAO ON

Lua: alô?
Xx: boa noite Lua. Desculpe as horas, mas é que eu estive pensando e…
Lua: senhor advogado? Mas aconteceu alguma coisa?
Xx: em principio sim… bom, eu estive pensando no acidente do Arthur e cheguei a uma conclusão…
Lua: mas qual?
Xx: que esse acidente pode ter sido planeado
Lua: COMO ASSIM? – falou sem entender nada, ao celular
Xx: bom… acho que esse acidente, ou melhor, o chefe desse acidente, foi o Thiago
Lua: voce acha? – Lua pensou – CLARO! – gritou – Agora faz todo o sentido!
Xx: bom, mas ainda não temos provas. Mas eu tive uma ideia
Lua: qual?
Xx: amanha mesmo eu vou ao tribunal, falar com aquele homem que foi preso e tentar chegar a um acordo com ele
Lua: mas como?
Xx: bom, isso eu ainda não sei. Mas não custa nada tentar
Lua: por favor, se tiver novidades, me avise logo!
xX: claro. Boa noite e melhoras para o Arthur
Lua: ok, boa noite e obrigada!

LIGAÇAO OFF

Arthur: eu não entendi nada, mas estou nervoso já! Me explica tudo!
Lua: o Thiago deve ser o culpado de todo esse acidente
Arthur: filho da mae! – falou irritado – Mas tem provas?
Lua: ainda não… mas o advogado vai tratar de tudo! Cara, se for ele, eu própria o mata!
Arthur: nada disso, eu mato! – falou irritado – eu não acredito que é por causa desse sacan* que eu estou assim!
Lua: mas amor, calma… agente ainda não tem a certeza de nada. Vai que não é, e agente so ta aqui alimentando esperanças…
Arthur: amor, mas se caso for ele, como fica o testamento da sua avo?
Lua: eu não sei…

Por hoje é tudo *-* amanha tento postar 2 capitulos, mas nao prometo nada! 


6 comentários:

  1. Posta ++++++++++++++++++++++++++
    Ameeii *-*

    ResponderExcluir
  2. posta mais pf
    amando demais a web

    ResponderExcluir
  3. tomara q poste msm. é de luar na casa dos segredos né?
    amo amo amo d+ esta web!

    ResponderExcluir
  4. Posta hoje os 2 pooor favooor

    ResponderExcluir